Hospital mineiro teve a maior média dentre os 11 hospitais avaliados nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014

 

 (Michelle Toledo)

O Hospital João XXIII foi considerado o melhor dentre os hospitais participantes da pesquisa de satisfação do usuário feita pelo programa SOS Emergências, do Ministério da Saúde, em dezembro de 2012, divulgada na última semana. O principal objetivo da sondagem foi avaliar a satisfação dos usuários com os serviços de saúde oferecidos por 11 hospitais de diferentes estados brasileiros, todos nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. Entre os prontos-socorros públicos avaliados, o João XXIII foi o que obteve a melhor média: dos 17 critérios pesquisados, a unidade da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) teve a maior nota em 11.

Participaram da pesquisa, além do João XXIII, os hospitais Restauração (Recife/PE), Urgências Goiânia (Goiânia/GO), Roberto Santos (Salvador/BA), Miguel Couto (Rio de Janeiro/RJ), Nossa Senhora da Conceição (Porto Alegre/RS), José Frota (Fortaleza/CE), Santa Casa de Misericórdia (São Paulo/SP), Albert Schweitzer (Rio de Janeiro/RJ), Base (Brasília/DF) e Santa Marcelina (São Paulo/SP).

 (Michelle Toledo)

A avaliação se consistiu em uma pesquisa amostral feita por meio de questionário único aplicado via telefone. No total, foram realizadas 3.300 entrevistas, o que corresponde a 300 pacientes ou acompanhantes em cada unidade. Dos entrevistados, 96% tinham nível médio de escolaridade e a identidade de todos foi preservada, de acordo com o Ministério da Saúde.

Segundo o presidente da Fhemig, Antonio Carlos de Barros de Martins, o resultado da pesquisa reflete os esforços que vem sendo empenhados no Hospital João XXIII desde 2003. Nos últimos anos, o Governo do Estado investiu R$ 51 milhões em melhorias da unidade. Para o secretário de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, o Hospital João XXIII é uma referência em atendimento de urgência e um motivo de orgulho para os mineiros. O secretário explica que, nos últimos anos, o hospital foi se aperfeiçoando e atualmente consegue atender uma situação de múltiplas vítimas com agilidade. “Se houver uma catástrofe, temos uma estrutura flexível que, imediatamente, pode aumentar em 20% sua capacidade de atendimento. A unidade possui heliporto e, quando necessário, pode receber demandas de qualquer ponto do estado”, afirma.

Dentre os quesitos em que o Hospital João XXIII foi superior aos demais na pesquisa do Ministério da Saúde estão:

- acesso ao Hospital e classificação por risco, com média 8,72 de aprovação, em escala de 0 a 10;

- avaliação no tempo de espera para o atendimento no hospital (apenas 12% acharam que o atendimento demorou);

- duração do atendimento, com 90% dos entrevistados satisfeitos;

- tempo ideal de permanência para visitas, com 83% de aprovação;

- recebimento de medicamentos e materiais pelo pacientes, com 98% de satisfação;

- atendimentos da enfermagem, dos funcionários e geral, com médias 8.82, 8.87 e 8.96 de aprovação, respectivamente, em escala de 0 a 10;

- confiança na equipe de saúde (apenas 3% não confiaram na equipe no momento do atendimento);

- sinalização do ambiente, com 96% de aprovação;

- exames necessários realizados, com 98% de satisfação;

- retorno ou recomendação – 96% dos entrevistados recomendariam os serviços do hospital a amigos e familiares;

- satisfação em relação ao hospital em geral, com 9.03, em escala de 0 a 10.

FONTE: Estado de Minas.
About these ads