OPERAÇÃO ‘COLATERAL’ EM UBERABA

Candidatos a curso de medicina pagariam R$ 50 mil por vaga em Minas

Policiais civis se passaram por aplicadores de prova; suspeitos, entre eles duas mulheres, foram encaminhados à delegacia, pagaram R$ 5 mil de fiança e foram liberados

fraude

Suspeitos foram encaminhados à delegacia de Uberaba

Sete candidatos ao curso de medicina da Universidade de Uberaba (Uniube), no Triângulo Mineiro, foram presos, nesse sábado (6), por suspeita de fraude no vestibular. Caso conseguissem as vagas, cada jovem pagaria R$ 50 mil para um grupo que comandava o esquema.

De acordo com o delegado Luiz Tortamano, que comandou a operação em parceria com a delegada Amanda Millie, na última semana, eles receberam a informação que sete pessoas tentariam fraudar o vestibular. “Recebemos inclusive os nomes dos candidatos e as salas em que eles estariam”, contou o delegado.

Com essas informações, sete policiais civis se passaram por aplicadores de prova. Ainda conforme a denúncia, às 18h, 30 minutos antes do fim do horário do vestibular, os suspeitos receberiam uma mensagem de texto com o gabarito do exame.

“Às 18h em ponto, todos os jovens, que estavam em salas separadas, pediram autorização para que pudessem ir ao banheiro. Eles foram acompanhados pelos policiais à paisana. Já no banheiro, eles entraram no boxe e tentaram  acessar a mensagem com o gabarito. Nesse momento, foram surpreendidos pelos civis”, explicou o policial.

Em conversa com a equipe, os suspeitos, entre eles duas mulheres,  contaram que já tinham pago R$ 10 mil e, caso conseguissem as vagas, desembolsariam mais R$ 40 mil.

“O esquema é comandado por uma quadrilha de São Paulo, da região de Fernandópolis, que está atuando em Minas Gerais, São Paulo, Brasília e Paraná”, explicou Tortamano.

Os candidatos foram presos em flagrante e a prisão foi ratificada pelo crime de fraude em certame de interesse público. A fiança foi estipulada é no valor de R$ 5 mil.

“Todos eles pagaram e foram liberados na manhã deste domingo (7). As investigações continuam com a intenção de identificar e localizar os outros participantes da fraude”, finalizou o delegado.

A pena para o crime de fraude em certame de interesse público é de um a quatro anos de prisão.

 

 

FONTE: O Tempo.