Modelo que teve perna amputada após acidente na Raja Gabaglia passará por nova cirurgia

A jovem usou as redes sociais nesta segunda-feira para pedir doações de sangue. Ela não revelou por qual procedimento terá que submeter

 
Reprodução Facebook

A modelo Paola Antonini Franca Costa, de 20 anos, que teve a perna amputada depois de ser atropelada por um carro na Avenida Raja Gabaglia, no Bairro Luxemburgo, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, vai passar por um novo procedimento cirúrgico nesta terça-feira. Por meio das redes sociais, a jovem, sem falar qual seria a cirurgia que irá fazer, pediu doações de sangue para os amigos. 

Em sua página oficial no Instagram, Paola pediu apoio aos seus seguidores. “Gente, vou passar por mais um processo cirúrgico amanhã. Agradeço muito a quem puder doar (sangue) em meu nome. Muito obrigado pelas mensagens que tenho recebido. Só mais uma etapa agora!. Conto muito com a energia positiva nesse momento! Vamo (Sic.) que vamo (sic.)”, comentou. A doação pode ser de qualquer tipo sanguíneo. 

Logo depois do post, diversos seguidores postaram mensagens de apoio para a modelo. “Estou morrendo de saudades de você minha modelo favorita!!!, disse Daniela_sa. “Vai dar tudo certo @paola_antonini. Deus está contigo. Beijos minha linda”, comentou Rafa_rafinha. “ Vai dar tudo certo princesa!!! Estamos torcendo muito por você”, afirmou Ediadefotografar. Outras pessoas atenderam aos pedidos da jovem e se prontificaram a doar sangue. “Amanhã estarei indo doar para você. Força e fé. Dará tudo certo. Deus está com você”, contou Nathalia Frazão. “Já marquei o meu horário, estou torcendo muito por você! Vai dar tudo certo”, revelou Letfrz. A modelo ficou internada por nove dias no Hospital João XXIII depois de ser atingida por um carro quando colocava as malas no carro na Avenida Raja Gabáglia. O acidente aconteceu na madrugada de 27 de dezembro. Conforme o boletim de ocorrência da PM, a motorista Diandra Lamounier Morais de Melo, de 24 anos, passou pelo teste do bafômetro, que constatou 0,53 miligramas por litro de ar expelido dos pulmões, valor considerado crime de trânsito. Além disso, a condutora foi multada por não portar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Testemunhas contaram à Polícia Militar (PM) que Diandra seguia pela Raja Gabáglia (sentido Bairro/Centro) quando, nas proximidades do Hospital Madre Teresa, perdeu o controle da direção e bateu na traseira do Fiat Bravo, que estava estacionado. Paola colocava malas no bagageiro quando o Fiat 500 bateu e foi prensada. Também consta no boletim da PM informações de que o carro estaria em alta velocidade. Diandra foi levada para a delegacia do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran), onde prestou depoimento. Segundo a Polícia Civil, ela pagou fiança de R$ 1,5 mil e foi liberada. Ela foi autuada por crime de trânsito. 

Reprodução InstagramReprodução Instagram

FONTE: Estado de Minas.