Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo do mês: maio 2016

Abastecimento de água é cortado em bairros da Região Norte de BH

De acordo com a Copasa, a medida é para manutenção da rede.
Fornecimento deve ser normalizado nesta sexta-feira.

 água

O abastecimento de água foi cortado nesta quinta-feira (26) nos bairros Celestino, Juliana, Vila Clóris e Xodó-Marize, na Região Norte de Belo Horizonte.

De acordo com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), o fornecimento foi interrompido em caráter emergencial para manutenção da rede.

A previsão é que o abastecimento de água seja normalizado de forma gradativa na tarde desta sexta-feira (27).

FONTE: G1.


Em nova gravação vazada, Renan defende mudar lei da delação premiada
Presidente do Senado também citou Aécio Neves, em conversa com Sérgio Machado, dizendo que tucano está ‘com medo’ da Lava Jato
Michel, Renan e Aécio

Michel Temer, Renan Calheiros e Aécio Neves

 

No diálogo, Calheiros apoia mudança na lei da delação premiada, que é um dos procedimentos mais utilizados pela Operação Lava Jato. Ele também sugere que poderia “negociar” com membros do Supremo Tribunal Federal (STF) a “transição” de Dilma Rousseff, embora o áudio não permita estabelecer com precisão o que ele pretende.

Em outro trecho da conversa, Renan Calheiros diz que todos os políticos “estão com medo” da Lava Jato e cita o presidente do PSDB, o senador Aécio Neves (MG). “Aécio [Neves, presidente do PSDB] está com medo. [me procurou] ‘Renan, queria que você visse para mim esse negócio do Delcídio, se tem mais alguma coisa'”, contou Renan, em referência à delação de Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), que fazia citação ao tucano.

À reportagem do jornal paulista, Renan Calheiros disse que os “diálogos não revelam, não indicam, nem sugerem qualquer menção ou tentativa de interferir na Lava Jato ou soluções anômalas. E não seria o caso porque nada vai interferir nas investigações.”

“Em relação ao senador Aécio Neves, o senador Renan Calheiros de desculpa porque se expressou inadequadamente. Ele se referia a um contato do senador mineiro que expressava indignação –e não medo– com a citação do ex-senador Delcídio do Amaral.”

Leia trechos dos diálogos divulgados pela “Folha”:

SÉRGIO MACHADO – Agora, Renan, a situação tá grave.

RENAN CALHEIROS – Grave e vai complicar. Porque Andrade fazer [delação], Odebrecht, OAS. [falando a outra pessoa, pede para ser feito um telefonema a um jornalista]

MACHADO – Todos vão fazer.

RENAN – Todos vão fazer.

MACHADO – E essa é a preocupação. Porque é o seguinte, ela [Dilma] não se sustenta mais. Ela tem três saídas. A mais simples seria ela pedir licença…

RENAN – Eu tive essa conversa com ela.

MACHADO – Ela continuar presidente, o Michel assumiria e garantiria ela e o Lula, fazia um grande acordo. Ela tem três saídas: licença, renúncia ou impeachment. E vai ser rápido. A mais segura para ela é pedir licença e continuar presidente. Se ela continuar presidente, o Michel não é um sacana…

RENAN – A melhor solução para ela é um acordo que a turma topa. Não com ela. A negociação é botar, é fazer o parlamentarismo e fazer o plebiscito, se o Supremo permitir, daqui a três anos. Aí prepara a eleição, mantém a eleição, presidente com nova…

(…)

MACHADO – É o seguinte, o PSDB, eu tenho a informação, se convenceu de que eles é o próximo da vez.

RENAN – [concordando] Não, o Aécio disse isso lá. Que eu sou a esperança única que eles têm de alguém para fazer o…

MACHADO – [Interrompendo] O Cunha, o Cunha. O Supremo. Fazer um pacto de Caxias, vamos passar uma borracha no Brasil e vamos daqui para a frente. Ninguém mexeu com isso. E esses caras do…

RENAN – Antes de passar a borracha, precisa fazer três coisas, que alguns do Supremo [inaudível] fazer. Primeiro, não pode fazer delação premiada preso. Primeira coisa. Porque aí você regulamenta a delação e estabelece isso.

MACHADO – Acaba com esse negócio da segunda instância, que está apavorando todo mundo.

RENAN – A lei diz que não pode prender depois da segunda instância, e ele aí dá uma decisão, interpreta isso e acaba isso.

MACHADO – Acaba isso.

RENAN – E, em segundo lugar, negocia a transição com eles [ministros do STF].

MACHADO – Com eles, eles têm que estar juntos. E eles não negociam com ela.

RENAN – Não negociam porque todos estão putos com ela. Ela me disse e é verdade mesmo, nessa crise toda –estavam dizendo que ela estava abatida, ela não está abatida, ela tem uma bravura pessoal que é uma coisa inacreditável, ela está gripada, muito gripada– aí ela disse: ‘Renan, eu recebi aqui o Lewandowski, querendo conversar um pouco sobre uma saída para o Brasil, sobre as dificuldades, sobre a necessidade de conter o Supremo como guardião da Constituição. O Lewandowski só veio falar de aumento, isso é uma coisa inacreditável’.

MACHADO – Eu nunca vi um Supremo tão merda, e o novo Supremo, com essa mulher, vai ser pior ainda. […]

MACHADO – […] Como é que uma presidente não tem um plano B nem C? Ela baixou a guarda. [inaudível]

RENAN – Estamos perdendo a condição política. Todo mundo.

(…)

MACHADO – E tá todo mundo sentindo um aperto nos ombros. Está todo mundo sentindo um aperto nos ombros.

RENAN – E tudo com medo.

MACHADO – Renan, não sobra ninguém, Renan!

RENAN – Aécio está com medo. [me procurou] ‘Renan, queria que você visse para mim esse negócio do Delcídio, se tem mais alguma coisa.’

MACHADO – Renan, eu fui do PSDB dez anos, Renan. Não sobra ninguém, Renan.

Conversa derrubou ministro Jucá

Sérgio Machado também gravou o senador Romero Jucá (PMDB-RR), empossado ministro do Planejamento no governo Michel Temer. Nas gravações, Jucá sugere um “pacto” para afastar Dilma e, assim, tentar deter a Operação Lava Jato. Ele também cita o senador Aécio Neves.

A revelação das conversas na segunda-feira (23) levou à exoneração de Jucá.

.

FONTE: O Tempo.


ABRE E FECHA DO FERIADO DE CORPUS CHRISTI

Saiba como será o funcionamento de comércio, bancos e serviços durante o feriado.

Feriadão

ABASTECIMENTO

• Banco de Alimentos – Não funciona entre quinta e domingo.
• Mercado do Cruzeiro (Rua Ouro Fino, 452, Cruzeiro) – Abre quinta, das 7h às 13.  Na sexta-feira e sábado, dias 27 e 28, abre normalmente, das 7h às 18h. No domingo, dia 29, funciona das 7h às 13h.
• Central de Abastecimento Municipal (Rua Maria Pietra Machado, 125, Bairro São Paulo) – Funciona quinta, das 7h às 18. Sexta e sábado, das 7h às 18h. Domingo, abre das 7h às 13h.
• Feira Coberta do Padre Eustáquio (Rua Pará de Minas, 821, Padre Eustáquio) – Abre quinta, das 7h às 12. Sexta-feira e sábado, o funcionamento será das 7h às 18h. No domingo, funciona das 7h às 13h.
• Sacolões  ABasteCer – Abrem quinta, das 7h às 12h. Na sexta-feira, o funcionamento é facultativo, das 7h às 12h. No sábado, dia 28, abrem normalmente das 7h às 18h. No domingo, o funcionamento é normal, das 7h às 12h.
• Feiras Livres – O funcionamento será normal de quinta até domingo, das 7 às 13h, em todos os pontos.
• Feiras Modelo – Não funciona quinta, no dia 26, na Savassi. Sexta, sábado e domingo não há funcionamento.
• Feiras de Orgânicos – Não há funcionamento às quintas-feiras. Na sexta-feira, o funcionamento será normal em todos os pontos, das 7h às 12h. No sábado e domingo, funcionam normalmente de 7h às 12h.
• Direto da Roça – O funcionamento será normal entre quinta e domingo, em todos os pontos, das 7 às 13h.
• Mercado da Lagoinha (Avenida Antônio Carlos, 821, São Cristóvão) – Não abre entre quinta e domingo.
• Restaurantes Populares I, III, IV – Não abrem entre quinta e domingo.
• Refeitório Popular da Câmara Municipal (Avenida dos Andradas, 3.100, Santa Efigênia) – Não abrem entre quinta e domingo.

BANCOS E BH RESOLVE

Bancos

• A Febraban informou que as agências ficarão fechadas na próxima quinta, feriado de Corpus Christi. Na sexta, o expediente será normal

BH Resolve

• Fechado para atendimento ao público quinta e sexta-feira.

SHOPPINGS

Shopping Cidade

Quinta-feira – 26/05

Cinemas: funcionamento normal;
Praças de Alimentação: das 10h às 22h;
Demais lojas: das 10h às 16h.

Pátio Savassi

Quinta-feira – 26/05

Cinema e Hot Zone: Funcionamento normal
Alimentação: 10h às 22h
Lojas: das 14h às 20h

Diamond Mall

Quinta-feira – 26/05

Cinema: funcionamento normal
Praça de Alimentação: funcionamento normal
Lojas: 14h às 20h
Empório Verdemar: 7h às 21h

BH Shopping

Quinta-feira – 26/05

Alimentação/lazer: funcionamento normal
Lojas: 14h às 20h
Carrefour: 8h às 22h
Lojas Americanas: 12h às 20h
Drogaria Araújo (piso BH): 8h às 22h
Drogaria Araújo (piso Ouro Preto): 10h às 22h
Droga Raia: 12h às 20h
HotZone: 13h às 21h

Big Shopping

Quinta-feira – 26/05

Cinema: 13h30 às 23h
Alimentação e lazer: 11h às 22h
Demais lojas e quiosques: 14h às 20h
Atacarejo: 8h às 14h

Boulevard Shopping

Quinta-feira – 26/05

Cinema: Conforme Programação
Alimentação e Lazer: 10h às 22h
Lojas: 14h às 20h
Carrefour: 8h às 22h
Araújo: 9h às 23h

Via Shopping

Quinta-feira – 26/05

Lojas e Quiosques: 14h às 20h.
Praça de Alimentação e Lazer: 12h às 22h
Supermercado BH: 8h às 14h

Del Rey

Alimentação e lazer:
10h às 22h (26 e 29/05)
10h às 23h (27 e 28/05)

Carrefour:
8h às 21h (26 e 29/05)
8h às 22h (27 e 28/05)

DEFESA CIVIL

• O plantão da Defesa Civil funciona 24 horas por dia, todos os dias, inclusive aos domingos e feriados. Os telefones de contato são o 199 e o 3277-8864.

EQUIPAMENTOS CULTURAIS

• Arquivo Público da Cidade (Rua Itambé, 227, Floresta) – não funciona quinta e sexta-feira.
• Casa do Baile (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 751, Pampulha) – Fechada para montagem de exposição. A reabertura será no sábado, dia 28, às 9h.
• Casa Kubitschek (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 4.188, Bandeirantes) – Funciona quinta, das 9h às 21h e sexta-feira, das 9h às 18h.
• Centro de Referência da Moda (Rua da Bahia, 1.149, Centro) – funciona nesses dias para eventos do FIT. Na quinta-feira, aberto das 14h às 18h. Na sexta-feira, das 14h às 19h30.
• Museu de Arte da Pampulha (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.596, Pampulha) – funciona quinta e sexta-feira, das 9h às 18h30.
• Museu Histórico Abílio Barreto (Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim) – funciona quinta e sexta-feira, das 10h às 17h.

LIMPEZA URBANA

• Na quinta-feira, dia 26, haverá coletas domiciliar, hospitalar e seletiva, além de plantões de varrição na Savassi e nas áreas central e hospitalar. Nos dias 27 e 28 de maio (sexta-feira e sábado), todos os serviços de limpeza urbana serão executados normalmente. No domingo, 29, haverá plantões de varrição na Savassi e nas áreas central e hospitalar.

PARQUES E ZOOLÓGICOS

• Os parques têm funcionamento normal, quinta e sexta-feira, das 8h às 18h
• Os parques Mangabeiras e Serra do Curral ficam abertos ao público das 8h às 17h. Já o Parque Municipal Américo Renné Gianetti, funciona das 6h às 18h.
• O Mirante das Mangabeiras abre das 10h às 22h.
• O Jardim Zoológico, o Jardim Botânico, o Aquário do Rio São Francisco (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 8.000, Pampulha) e o Parque Ecológico da Pampulha (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 6.061, Pampulha) abrem normalmente de quinta a domingo. O Jardim Botânico, o Zoológico e o Aquário funcionam das 8h30 às 17h e o Parque Ecológico, das 8h30 às 17h30. A entrada nos espaços é permitida até uma hora antes do fechamento.

INFORMAÇÕES TURÍSTICAS

• Aeroporto de Confins (Rodovia MG-10, Confins) – Funciona quinta, das 8h às 17. Na sexta-feira, das 8h às 22h.
• Centro de Referência Turística Álvaro Hardy – Veveco (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 855, São Luís) – Aberto quinta e sexta-feira das 8h às 17h.
• Mercado Central (Avenida Augusto de Lima, 744, Centro) – Funciona quinta, das 7h às 13h. Na sexta-feira, abre das 7h às 18h.
• Mercado das Flores (Avenida Afonso Pena, 1.055, Centro) – Aberto quinta das 8h às 15h.  Na sexta-feira, funciona das 9h às 18h.
• Rodoviária (Praça Rio Branco, Centro) – Funciona quinta e sexta-feira das 8h às 17h.

SAÚDE

• As Unidades de Pronto Atendimento (UPA’S), o Hospital Municipal Odilon Behrens, a Central de Internação, o Samu, os laboratórios das UPA’S e o Serviço de Urgência Psiquiátrica funcionam normalmente durante 24 horas por dia.
• As Unidades Básicas de Saúde (Centros de Saúde), o Centro de Controle de Zoonoses e Laboratórios de Zoonoses não funcionam na quinta-feira, dia 26. Na sexta-feira, dia 27, funcionam das 7h às 17h.
• O Centro de Esterilização de cães e gatos não funciona na quinta e na sexta;
• Cersam’s – na quinta-feira, dia 26, têm funcionamento diurno com escala mínima de feriado. No período noturno, o expediente será normal. Na sexta-feira, dia 27, o período diurno será com equipe de plantão e o período noturno, terá expediente normal.
• Os centros de convivência não funcionam na quinta-feira. Na sexta-feira, dia 27, o funcionamento será com escala por microrregião.
• As Sedes de Distrito, os Centros de Especialidades Médicas (CEMs), o Centro e Tratamento e Referência (CTR), as Unidades de Referência Secundária (URSs), os Centros de Reabilitação (CREABs), o Centro Médico de Oftalmologia (CMO), OS Centros de Especialidades Odontológicas (CEO), o Centro Municipal de Diagnóstico por Imagem (CMDI), a Farmácia Distrital, os laboratórios distritais e central, Alta Complexidade e lavanderia não funcionam na quinta, dia 26. Na sexta-feira, dia 27, o expediente será das 7h às 17h.
• O Centro de Informações e Estratégias de Vigilância em Saúde (CIEVS) e o Centro de Referência Imuno-biológico Especiais (CRIE), funcionam em escala de plantão nos dois dias.
• O Serviço de Atenção ao Viajante não funciona na quinta-feira. Na sexta-feira, o expediente será normal;
• Academias da Cidade – não tem expediente nesta quinta-feira. Na sexta-feira, o funcionamento será das 7h às 16h.

TRANSPORTE

• As linhas do sistema de transporte coletivo gerenciadas pela BHTrans circulam na quinta com quadro de horário de feriado. Na sexta-feira, com quadro de horário de dia atípico. Mais informações podem ser obtidas no site da BHTrans, http://www.bhtrans.pbh.gov.br, onde é possível conferir o quadro de horários de cada linha.

.

FONTE: O Tempo.


Cadê o pato que nadava por aqui?

Sumiço de mais de 50 aves que frequentavam lago na Zona Sul intriga frequentadores. Muitos apostam que elas ‘migraram’ para a panela. Outros, que foram vítimas de cães

Das dezenas de gansos, marrecos e patos que viviam no espelho d%u2019água restaram somente quatro (Fotos: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

Moradores no entorno da Barragem Santa Lúcia, no bairro de mesmo nome da Região Centro-Sul de Belo Horizonte, estão diante de um mistério: onde foram parar dezenas de patos, gansos e marrecos que habitavam o lago artificial projetado para pôr fim às enchentes no Córrego do Leitão e que se tornou um dos cartões-postais da capital? Das mais de 50 aves, segundo estimativa de frequentadores da orla, restaram apenas quatro.

Ou, mais precisamente, “dois patos, um marreco e um ganso”, como detalha o pedreiro Renato Andrade, de 41 anos. Acostumado a pescar tilápias no lago, ele sugere o  que muita gente imagina: “Há famílias comendo bichos de penas por essas bandas”.

Há quem revele até ter ouvido – e por várias vezes – o desespero dos animais ao serem capturados durante a madrugada. “Escutei os gritos por volta das 4h”, conta Maria de Jesus, de 64, vizinha do lago. Ela mora numa casa a cerca de 300 metros da barragem, próximo a uma das entradas do Morro do Papagaio.

Dona Maria também costuma pescar no lago. Quase sempre, aproveita pedaços de pão usados como iscas para tilápias para também alimentar patos e companhia. “Tinha mais de 60. Tinha muitos, moço. Tinha o grandão, companheiro daquele ali, ó. Cade ele? Não tem mais. Só tem quatro agora”, lamenta a senhora, enquanto arremessa o anzol na água.

Ela garante que jamais “pescou” uma ave no lago. Tampouco comeu carne vinda da barragem que não fosse de peixe. Mas dona Maria concorda que a captura das aves não é difícil, pois, à ausência de uma ilha no lago artificial, os patos descansam na beira dos barrancos, tornando-se presas fáceis tanto para o homem quanto para animais com instinto de caça.

Por isso, há quem acredite que parte do sumiço das aves esteja ligado ao ataque de cães. “É verdade. Tem cachorro que come pato mesmo. Mas é claro que o pessoal leva (as aves) para casa”, conclui o bikeboy Gilmar Lopes de Araújo, de 41. Ele não sabe ao certo quantos patos, marrecos e gansos viviam na lagoa, mas garante que eram dezenas, entre adultos e filhotes. Há cinco meses, por exemplo, ficou encantado ao se deparar com uma ninhada com pelo menos 10 patinhos. Poucas semanas depois, todos sumiram: não só pequenos, mas também a mãe.

Gilmar se lembra ainda dos “grandões”: “Eram cinco. Agora, sobrou apenas um”. O ganso a que ele se refere passou parte da tarde de ontem descansando sob a sombra de uma árvore. Mais um que demonstrou ser uma vítima fácil, como avalia o morador da região Marisvaldo Silva, de 51. O homem acredita que a construção de uma ilha artificial pode ser fundamental à sobrevivência das aves. “Mas ela tem de ser feita de modo que os frequentadores da orla não tenham acesso ao lugar”, acrescentou.

O próprio Marisvaldo, que cria galinhas e gatos numa casa no alto do morro, explica o porquê de sua ideia: “Sou um homem apaixonado pelos animais. Só não crio patos no meu quintal porque minha área não é plana e as aves gostam de terrenos sem morro. Com a ilha, os patos, marrecos e gansos poderiam ficar sossegados. Podem se reproduzir na ilha e não mais botar ovos nas margens do lago, onde viram alvos fáceis das pessoas”.

ENQUANTO ISSO…
…Disputa entre a vara e o bico

A única garça que vive na Barragem Santa Lúcia disputa tilápias com pescadores que passam o dia no lago artificial. Ela bate as asas de um lado para o outro, sem se incomodar com a presença dos donos das varas. Tanto que costuma pousar a poucos metros dos pescadores, na esperança de que seja presenteada com algum peixe. “Se deixar, ela come o que a gente consegue tirar da água”, garante o armador João Batista de Souza, de 58 anos. Ontem, ele levou mais de um quilo de tilápias para casa. “Também tem tucunaré na lagoa, mas hoje não peguei. Dizem que tem até carpa, mas nunca vi.”

.

FONTE: Estado de Minas.


Médica do “Bando da Degola” perde emprego após apresentar declaração falsa

Gabriela Corrêa Ferreira da Costa responde o processo em liberdade

Gabriela Corrêa Ferreira da Costa responde o processo em liberdade

A médica Gabriela Corrêa Ferreira da Costa, condenada por integrar o grupo que sequestrou e matou dois empresários na Zona Sul de Belo Horizonte – conhecido como “Bando da Degola” -, perdeu o emprego de clínico geral na Prefeitura de Poá, em São Paulo. Conforme o Executivo, ela apresentou falsa declaração, alegando que nunca respondeu processo criminal, para conseguir a vaga.

Costa foi sentenciada a 46 anos de prisão pelos crimes de homicídio qualificado, cárcere privado, extorsão, destruição e ocultação de cadáver e também formação de quadrilha. Contudo, por ser ré primária, ela recorre em liberdade. O crime aconteceu em um apartamento no bairro Sion, em abril de 2010.

Segundo a Prefeitura de Poá, a médica foi aprovada em concurso público em 6º lugar. Ela chegou a fazer plantão no último dia 15 no Hospital Municipal Doutor Guido Guida, mas foi afastada no dia 19.

“Antes da contratação, a documentação dela foi checada. Nos documentos apresentados não constam nenhum impedimento. Todavia, após diligências de funcionários da Prefeitura de Poá, verificou-se que as informações declaradas pela funcionária por escrito apresentavam indícios de irregularidade”, informou.

“Os documentos são verdadeiros, porém a declaração dada por ela por escrito na posse é falsa, por isso ela foi afastada do cargo”, prosseguiu o Executivo. Um processo disciplinar-administrativo foi aberto contra a médica e tem duração de 60 dias, podendo ser prorrogado por mais 60.

“E, apesar de não haver condenação definitiva, a Prefeitura de Poá não compactua com desvios de conduta que possam colocar nossos munícipes em qualquer margem de risco, porque a nossa função é zelar pela vida das pessoas”, justificou.
Entenda o caso

Segundo a denúncia do Ministério Público, os empresários assassinados Rayder Rodrigues, de 39 anos, e Fabiano Ferreira Moura, de 36 anos, estavam envolvidos em estelionatos e atividades de contrabando de mercadorias importadas, mantendo em seus nomes várias contas bancárias, nas quais eram movimentadas grandes quantias em dinheiro.

A promotoria alega que o garçom Adrian Gabriel Grigorcea foi o responsável por atrair o genro, Rayder Rodrigues, de 39 anos, ao apartamento de Frederico Costa Flores Carvalho. Frederico é apontado como o líder do Bando da Degola. O dono do imóvel e dois ex-policiais militares, André Bartolomeu e Renato Mozer, amarram e torturam Rayder para conseguir informações sobre contas bancárias das lojas dele.

O sócio de Rayder, Fabiano Ferreira Moura, de 36 anos, também foi levado ao apartamento. Ambos foram assinados no local. As vítimas ainda tiveram os dedos e cabeças cortados, para dificultar a identificação. Os corpos foram jogados em uma estrada em Nova Lima, na Região Metropolitana de BH.

No dia seguinte, de acordo com o MP, os réus se reuniram para limpar a cena do crime e realizar um churrasco no apartamento.

Condenações

O líder do bando, Frederico Flores, foi julgado em setembro de 2013 e sentenciado a 23 anos de reclusão por homicídio qualificado, sequestro e cárcere privado, extorsão, destruição e ocultação de cadáveres e formação de quadrilha.

O ex-policial militar Renato Mozer e o estudante Arlindo Soares Lobo também já foram condenados a penas de 59 e 44 anos de prisão, respectivamente. O garçom norte-americano Adrian Gabriel Grigorcea foi condenado, em 14 de julho de 2014, a 30 anos de prisão por dois homicídios triplamente qualificados e formação de quadrilha.

O pastor Sidney Eduardo Benjamim foi julgado em setembro de 2014 e sentenciado a três anos de reclusão em regime aberto. A médica Gabriela Corrêa Ferreira da Costa, de 31 anos, foi condenada a 46 anos de prisão em regime fechado, mas recorre em liberdade.  O advogado Luiz Astolfo Sales Bueno foi sentenciado, em julho de 2015, a 4 anos de prisão em regime aberto. No entanto, recorre em liberdade

.

FONTE: Hoje Em Dia.


De Sarney a Dilma, história de Romero Jucá acumula cargos e escândalos

Presidente da Funai, da Conab, líder de governo de Fernando Henrique, Lula e Dilma, o peemedebista sempre ocupou cargos importantes ligados ao Poder Executivo.

Antônio Cruz/ Agência Brasil

O pernambucano Romero Jucá (PMDB), de 61 anos, passou os últimos 35 anos de sua vida mantendo ótimas relações com os principais nomes do poder em Brasília. Desde 1985, quando José Sarney (PMDB) assumiu a Presidência da República, com a morte de Tancredo Neves, o político passou pelos partidos PSDB, PDS, PFL, PPR e PMDB, e sempre manteve relação próximas com os chefes do Executivo. Assumiu cargos comissionados nos governos Sarney e Fernando Collor, foi líder de governo nas gestões dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente afastada Dilma Rousseff.

Em 1986, filiado ao PSDB, ele foi nomeado pelo então presidente José Sarney (PMDB) presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai). Dois anos depois, aos 34 anos, Sarney o indicou para governador do recém-criado estado de Roraima. Em 1990, tentou manter a vaga por meio do voto popular, mas perdeu a eleição. Jucá jamais voltaria a assumir os principais cargos do Poder Executivo e ganhou espaço no Poder Legislativo e se tornou um forte articulador no Congresso.

Jucá se envolveu em polêmicas logo nos primeiros anos em que ocupou cargos importantes na capital federal. Em dezembro de 1989, pouco depois de deixar a presidência da Funai, ele manifestou-se contra o plano de retirada de cerca de 40 mil garimpeiros que haviam invadido terras indígenas ianomâmis. Meses antes da eleição para governador de Roraima, em que o peemedebista tentava permanecer na cadeira, a Procuradoria-Geral da República denunciou Jucá sob acusação de que, quando era presidente da Funai, ele realizou venda ilegal, mediante suborno, de madeiras de lei ad reserva indígena Uru-eu-au-wau.

Em 1992, foi nomeado por Fernando Collor para a Companhia Brasileira de Abastecimento (Conab), ligada ao ministério da Agricultura, onde ficou até 1994, quando foi eleito senador pelo PPR. Logo no início do governo FHC, Jucá foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) em processo por corrupção, formação de quadrilha e peculato, que teriam sido praticados durante sua passagem pela Funai. Ainda assim, mediante recurso junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), conseguiu tomar posse no Senado. Em seguida ele foi chamado para a vice-liderança do governo de Fernando Henrique Cardoso e se tornou um dos principais articuladores do tucano no Congresso.

Logo que o PSDB deixou o Planalto Jucá se mudou para o PMDB, em 2003, e passou a articular o apoio da legenda ao governo Lula. Em 2005 assumiu o ministério da Previdência do governo petista, mas foi exonerado aós denúncias de corrupção, e voltou para o Congresso, onde liderou a bancada governista. Jucá manteve a liderança do governo até 2012, ficando por dois anos como líder do governo Dilma no Senado. Desde então, passou a criticar a falta de diálogo de Dilma com lideranças parlamentares e articulou a queda da petista.

O peemedebista teve papel importante nas negociações para a votação do desembarque do PMDB da aliança com o governo da presidente afastada Dilma, concretizado em março, durante votação por aclamação. Jucá, ao lado de Eduardo Cunha (PMDB) e o ministro da Casa Civil Eliseu Padilha, coordenaram a reunião que durou menos de quatro minutos e oficializou o rompimento com a petista. “A partir de hoje ninguém no país está autorizado a exercer qualquer cargo federal em nome do PMDB”, afirmou Jucá.

No ano passado, Jucá teve seu nome envolvido no esquema de corrupção da Petrobras, investigado pela operação Lava Jato. Em delação premiada, alguns empreiteiros citaram pagamentos de propinas para o político. Jucá nega as denúncias e ressaltou, ao assumir o cargo de ministro do Planejamento, que denúncias são diferentes de condenações e, por isso, está tranquilo sobre sua permanência no governo.

.

FONTE: Estado de Minas.


Operação prende 18 flanelinhas ilegais em Belo Horizonte

Uma operação conjunta entre a Polícia Militar e a Prefeitura de Belo Horizonte prendeu na noite dessa quinta-feira (19) 18 flanelinhas que atuavam ilegalmente no Centro e na região da Savassi, região Centro-Sul da capital.

O objetivo da operação era coibir a cobrança ilegal de dinheiro em troca de vagas nessas regiões, além de combater o exercício ilegal da profissão de lavador e guardador de carros.

A ocorrência foi encerrada na Ceflan II.

.

FONTE: Hoje Em Dia.



%d blogueiros gostam disto: