Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

CRIANÇA MORRE EM CUIABÁ – suspeita de Itambezinho contaminado

Polícia investiga se achocolatado fabricado em Minas matou criança em Cuiabá

 

Lote fabricado em 25 de maio deste ano foi retirado de circulação

Lote fabricado em 25 de maio deste ano foi retirado de circulação

A morte de uma criança de 2 anos supostamente após ingerir o achocolatado Itambezinho (200ml), da Itambé, está sendo investigada pelas autoridades do Mato Grosso. A mãe da criança alega que o filho morreu momentos após ingerir o produto, que é fabricado em Minas Gerais. Outras duas pessoas que também beberam o achocolotado teriam passado mal.

.

Até a conclusão da perícia do Itambezinho, a Vigilância Sanitária mandou interditar o lote do produto fabricado em 25 de maio deste ano, com validade até 21 de novembro de 2016. Além da bebida, amostras colhidas no estômago da criança durante exame de necropsia também serão examinadas para determinar a causa do óbito. A Secretaria de Estado de Saúde ressaltou que a retirada de circulação do produto é um procedimento normal em casos de suspeita de contaminação ou desvio de qualidade.

.

Por meio de nota, a Itambé informou que está auxiliando na apuração do caso. A empresa ressaltou, também, que o “produto está no mercado há mais de uma década e nunca apresentou qualquer problema correlato. Até o presente momento, não tivemos nenhuma outra reclamação do mesmo lote”.

.

‘Presente’

.

Segundo a Polícia Civil do Mato Grosso, que abriu inquérito para apurar o caso, a mãe da criança relatou que o filho estava há dois dias resfriado, soltando coriza pelo nariz, mas não apresentava febre. Na última quinta-feira (25), data da morte, ele pediu comida e a mãe deu uma caixa do achocolatado.

.

Segundo a mulher, de 28 anos, logo após ingerir a bebida, o menino teria apresentado falta de ar e ficado com o “corpo mole e com princípio de desmaio”. A criança foi levada de casa, no bairro Parque Cuiabá, até a Policlínica do Coxipó.
.

Na unidade de saúde, os médicos tentaram reanimar o menino por aproximadamente uma hora, mas ele não resistiu. A mãe e o tio também teriam bebido o Itambezinho e sentiram-se mal. Ela se queixou de tonturas e náuseas e o homem chegou a ser encaminhado à uma unidade de saúde.

.

Ainda de acordo com a corporação, a mãe disse que a bebida foi dada para a família por um vizinho, que não foi localizado pelos policiais. Nenhuma linha de investigação foi descartada.

.

Análise

.

Cinco caixas da bebida foram recolhidas da casa do menino para análise pericial. Três estava fechadas e duas abertas, sendo uma vazia, que foi ingerida pela vítima. Todo o material foi encaminhado para o Laboratório Forense da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), que irá realizar análise do produto e de amostras colhidas do corpo da criança.

.

A previsão é de que os laudos sejam concluídos ainda nesta semana. Porém, o delegado Eduardo Botelho, da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica), já iniciou as oitivas para apurar o caso.

.

Lote suspenso

.

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) mandou suspender a venda do achocolatado em todo o Brasil na sexta-feira (26), assim que foi informada pela sobre a morte da criança.

.

“Diante disso, conforme estabelecido no parágrafo 2 e 4 do Artigo 23 da Lei nº 6437/1977, por medida de precaução, coube à Coordenadoria de Vigilância Sanitária a emissão do Memorando Circular n°022/2016/COSAN/SVS/SES-MT aos Escritórios Regionais de Saúde, solicitando que a medida de interdição cautelar fosse cumprida pelas Vigilâncias Sanitárias”.

.

A SES ressaltou que a retirada de circulação do produto é um procedimento normal em casos de suspeita de contaminação ou desvio de qualidade.

.

Defesa

.

A Itambé reforçou a qualidade de seus produtos e declarou que, além de acompanhar o caso com as autoridade do MT, também determinou a realização de perícia por conta própria. “A Itambé esclarece que já realizou análises laboratoriais internas do lote de produção mencionado na notificação, não identificando qualquer problema em sua composição. Em paralelo, outras análises estão sendo feitas em laboratórios externos e no LANAGRO – Laboratório Nacional Agropecuário – do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, cujos laudos serão disponibilizados no decorrer desta semana”, declarou por meio de nota.

.

Além disso, a empresa afirmou que não houve qualquer notificação de outros casos similares relativos ao produto em questão, além deste em Cuiabá, no Mato Grosso.

.

Os produtos da Itambé são fabricados em Pará de Minas e Uberlândia, e a sede da empresa fica em Belo Horizonte.

.

FONTE: Hoje Em Dia.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: