Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo do mês: fevereiro 2017

Prisão, mesmo com vista para o mar, afeta os filhos e a saúde

Detidos em suas mansões ou coberturas, ex-poderosos sucumbem ao bullying sofrido pelos filhos

1

Se, por um lado, alvos da Lava Jato que cumprem prisão domiciliar gozam de regalias em suas mansões e coberturas cinematográficas – se comparados a um criminoso comum no Brasil –, por outro, assistem de perto ao processo de deterioração das relações familiares, talvez a mais grave punição a eles imposta.

A superexposição das investigações na mídia revela uma rotina de desgastes jamais imaginada por políticos e por empresários envolvidos em corrupção, cuja condenação, até então, era incomum no país.
As vantagens obtidas por aqueles que celebraram com a Justiça acordos de colaboração premiada – como prisão domiciliar em suas mansões e apartamentos de luxo, com ou sem o uso de tornozeleira – não livraram seus filhos de sofrer bullying nas escolas, “por mais caras que sejam”, contam advogados ouvidos por O TEMPO.

Entre as queixas relatadas pelos defensores também estão o medo de vingança por parte dos delatados, a angústia pela iminência de novos processos, o desaparecimento dos “amigos” e os males físicos e psicológicos causados pelo confinamento. Alguns defensores de implicados na Lava Jato concordaram em falar com a reportagem sob condição de anonimato, seu e de seus clientes. “Há um forte desgaste nas relações familiares. Eles vivem sob pressão de novas delações, novas condenações. Os amigos desapareceram. As únicas visitas regulares ao meu cliente são as nossas, dos advogados”, conta um jurista que defende um condenado na Lava Jato. O cliente dele cumpre prisão domiciliar no Rio de Janeiro.

“O bullying contra os filhos é certo”, garante outro advogado. Nesse pacote, segundo ele, há pedidos de indenizações de ex-esposas por constrangimentos vividos por filhos, além de revisão de pensão alimentícia e brigas de casais. “A estrutura familiar desmorona por completo”, emendou o defensor.

No início desta semana, a ex-primeira-dama do Rio de Janeiro Adriana Ancelmo, detida no presídio Joaquim Ferreira, no Rio, entrou com novo pedido de habeas corpus junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). A mulher do ex-governador Sérgio Cabral, também preso, alegou que um dos dois filhos, ambos menores de idade, está com problemas na escola. Um laudo psicológico foi anexado à solicitação, ainda não avaliada pela Corte.

Saúde. A clausura, mesmo de quem cumpre pena de frente para o mar ou do alto de arranha-céus, desencadeia também doenças, segundo um advogado que se reune semanalmente no apartamento do seu cliente, monitorado por tornozeleira eletrônica. “Ele caiu doente poucos dias após o processo de colaboração e condenação. Há quase oito meses preso dentro de casa, está pálido, abatido, obcecado com as investigações”, conta o defensor.

A morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia, ré na ação que julga a compra do do triplex no Guarujá e do sítio em Atibaia, foi emblemática. Após ela sofrer um AVC e falecer dias depois, o ex-presidente Lula declarou que as acusações contra ele e sua família teriam contribuído para o agravamento da saúde e para a morte da esposa.

No Complexo Penitenciário Gericinó, em Bangu, no Rio de Janeiro, Sérgio Cabral foi socorrido na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) após passar mal no último dia 14.

Distante dali, em Curitiba, no Paraná, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) alegou sofrer de um aneurisma para justificar o pedido de liberdade, negado tanto pelo juiz Sergio Moro quando pelo STF.

ESBANJANDO

Mesmo com as penas, fortuna ainda “sobra”

Embora sofram as consequências da prisão, delatores ainda conseguem manter um alto padrão de vida. Advogado de ex-governadores, deputados e senadores investigados na Lava Jato, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, conta que nem sempre os réus são condenados a devolver ao erário o valor desviado. “Muitas vezes, a pessoa é condenada, cumpre a pena, mas não tem que devolver nada”, observou Kakay.

O advogado cita o caso do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que assinou acordo de colaboração e gravou conversas com os senadores peemedebistas José Sarney (AP) Romero Jucá (RR) e Renan Calheiros (AL). “Ele (Machado) mentiu, fez gravações indevidas, não foi preso um dia sequer, fez acordo de proteção, protegeu os filhos e está levando uma vida normal. Devolveu uma quantia em dinheiro e, certamente, ficou com 100 vezes aquilo que devolveu”, disse Kakay, que defende Sarney.

No caso dos que cumprem pena e conseguiram preservar patrimônio, a fortuna à disposição parece fazer com que alguns parentes “esqueçam” o drama familiar. Em meio a suspeitas de que Eike Batista pagou milhões em propina a agentes públicos, os filhos dele – Thor e Olin Batista – ostentaram o luxo em hotéis pelo mundo, com diárias de até R$ 39 mil. A filha do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, Bárbara Cruz, divulgou nas redes sociais fotos em praias paradisíacas, mesmo após a prisão do pai.

O jornalista Anselmo Góis também publicou em sua coluna no jornal “O Globo” que algumas mulheres de alvos da operação Lava Jato continuam esbanjando dinheiro em um shopping de luxo do Rio de Janeiro. Segundo a nota, com medo da reação do público, as esposas levam sacolas de mercado e de farmácia para embrulhar as compras em grifes famosas.

.

FONTE: O Tempo.


Silas Malafaia é indiciado pela PF na operação Timóteo

O pastor é suspeito de apoiar na lavagem do dinheiro do esquema, que recebeu valores do principal escritório de advocacia investigado

Silas Malafaia

O pastor Silas Malafaia, da Associação Vitória em Cristo, ligada à Assembleia de Deus, foi indiciado pela Polícia Federal na operação Timóteo por lavagem de dinheiro. Em 16 de dezembro do ano passado, o pastor foi alvo de mandado de condução coercitiva – quando o investigado é levado a depor e liberado.

A operação Timóteo investiga um esquema de corrupção em cobranças judiciais de royalties da exploração mineral (65% da chamada Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais – CFEM – tem como destino os municípios).

Malafaia é suspeito de apoiar na lavagem do dinheiro do esquema, que recebeu valores do principal escritório de advocacia investigado. A suspeita a ser esclarecida pelos policiais é que este líder religioso pode ter “emprestado” contas correntes de uma instituição religiosa sob sua influência com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores.

O mandado de condução coercitiva na operação Timóteo provocou a ira do pastor Silas Malafaia. No dia da condução coercitiva, em seu Twitter, colérico, o pastor publicou mensagens, áudio e vídeo negando as suspeitas da investigação.

“Eu sei o poder das trevas”, afirmou em áudio.

O nome da operação é referência a uma passagem do livro Timóteo, integrante da Bíblia Cristã: “Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição”

.

FONTE: O Tempo.


Veja o itinerário dos ônibus gratuitos que circularão no Carnaval

Rota foi pensada para atender local de maior concentração de blocos e foliões e também facilitar a conexão para outras regiões via metrô

ônibus skol

Este ano serão 20 ônibus personalizados circulando pelo centro da capital

Com capacidade para atender mais de 50 mil pessoas durante a folia, o transporte funcionará de 11h às 22h, com saídas a cada 5 minutos da avenida dos Andradas, no bairro Floresta.

O Ponto de Concentração (PC) dos ônibus ficará localizado na avenida dos Andradas, número 2.407 (entre a praça Perrela e a avenida do Contorno). Os ônibus terão o seguinte itinerário: avenida dos Andradas (PC), avenida do Contorno, retorno sob viaduto da Floresta, avenida do Contorno, avenida Olegário Maciel, rua Antônio Aleixo, rua Santa Catarina, avenida do Contorno, rua Pacífico Mascarenhas, avenida dos Andradas (PC).

.

FONTE: O Tempo.


Carnaval não é feriado, mas empresa pode autorizar funcionário a emendar; entenda

Segunda e terça-feira são considerados dias úteis não trabalhados, portanto, quem trabalha não tem direito a horas extras nem folgas compensatórias.

Apesar de muitos brasileiros aproveitarem para emendar o período de Carnaval, a segunda e a terça-feira não são considerados feriados nacionais. A confusão pode existir porque muitos estabelecimentos comerciais e os bancos fecham até a terça-feira e só reabrem depois do meio-dia na Quarta-Feira de Cinzas.

carnaval

O sábado e o domingo da festa são considerados dias normais. Já a segunda e terça, assim como a Quarta-feira de Cinzas, podem ser ou não definidos como pontos facultativos. Ou seja, no caso das empresas, os dias de trabalho durante o Carnaval seguem o acordado entre os empregadores e funcionários.

Em Belo Horizonte é feriado. Veja aqui o que funciona na cidade.

De acordo com o advogado Mauricio de Figueiredo Corrêa da Veiga, sócio do Corrêa da Veiga Advogados, fica a critério dos municípios e estados instituir ou não os dias do Carnaval como feriados. Segundo o advogado trabalhista Sérgio Schwartsman, sócio do escritório Lopes da Silva Advogados, a Lei 9093/95 estabelece quais são os feriados nacionais e não inclui o Carnaval. Mas essa mesma lei permite que os municípios fixem feriados de acordo com a tradição local, em número não superior a quatro por ano.

No estado do Rio de Janeiro, por exemplo, a terça-feira de Carnaval foi declarada feriado estadual por meio da Lei 5243/2008. “O carioca que trabalhar nesse dia tem direito a receber hora extra”, diz Veiga.

Nos demais estados, cabe à empresa que decidir dispensar os funcionários a responsabilidade pelo pagamento de honorários e não pode descontar as horas não trabalhadas. Segundo Corrêa da Veiga, não havendo previsão em lei municipal ou estadual de que as datas são consideradas feriado, o trabalho nesses dias será permitido. Nesse caso, o empregador deve optar por exigir que o seu empregado trabalhe normalmente, dispensar o empregado do trabalho sem prejuízo da remuneração correspondente ou combinar com o empregado para compensar esse dia que deixou de trabalhar.

“É claro que a maioria das empresas libera os colaboradores, mas se elas quiserem decidir que todos vão trabalhar, estão dentro da lei”, diz a especialista em direito trabalhista Maria Lúcia Benhame. Segundo ela, a interrupção da prestação dos serviços durante esse período é costumeira e depende de acordo e aval do empregador. Mas caso o funcionário falte injustificadamente, perderá os dias de serviço, bem como o descanso semanal remunerado e ainda estará sujeito a penalidades disciplinares, exceto demissão por justa causa.

Segundo a especialista, a segunda e a terça-feira de Carnaval são considerados dias úteis não trabalhados, portanto, quem trabalha nesse período não tem direito a receber horas extras nem a ter folgas compensatórias.

Já para as cidades em que o Carnaval for feriado local, os empregados que trabalharem nestes dias deverão ter folga compensatória em outro dia da semana. Se isso não ocorrer, deverão receber as horas extras trabalhadas com o acréscimo de pelo menos 100% ou mais, se isso estiver previsto na convenção coletiva da categoria do trabalhador.

.

FONTE: G1.


Justiça emite liminar que impede monopólio da Ambev no Carnaval de BH

Ambulantes não precisarão vender apenas Skol, mas outros produtos da Ambev

Ambulantes não precisarão vender apenas Skol, mas outros produtos da Ambev

A Justiça emitiu uma liminar, nesta quinta-feira (23), pedindo a suspensão do monopólio da Ambev no Carnaval da capital mineira. A decisão foi tomada pelo juiz Rinaldo Kennedy Silva, da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública Municipal da Comarca de Belo Horizonte.

Segundo o documento, permitir que apenas produtos de uma empresa sejam comercializados no evento fere o direito de livre concorrência ou livre iniciativa. No processo, o juiz explica que “é nítida a ocorrência de infração da ordem econômica cometida pelo Município de Belo Horizonte, tendo em vista que trata-se de uma festa aberta ao público de toda a cidade”.

Silva também destaca que o monopólio gera efeitos prejudiciais tanto para os vendedores ambulantes quanto para a população consumidora, que sofrerão uma limitação em seus direitos, “garantias constitucionalmente asseguradas e que devem ser respeitadas pelas decisões e atos municipais”.

Ainda de acordo com o documento, caso descumpra a liminar, a prefeitura terá que arcar com uma multa diária de R$10.000,00.

Procurada pela reportagem, a Belotur afirmou que ainda não recebeu nenhuma notificação e que aguardará o envio do processo para se posicionar.

.

FONTE: Hoje Em Dia.


Programe-se: confira o que abre e fecha em BH no feriado de Carnaval

Comércio

• Funciona no sabádo, domingo e segunda-feira. Fecha na terça-feira e quarta-feira a partir das 12h.

Shopping

• BH Shopping – Funciona normalmente no sábado e domingo. Lojas fecham na segunda e terça-feira e reabrem na quarta a partir das 12h. Cinema, lazer e praça de alimentação funcionam normalmente todos os dias.

• Pátio Savassi – Funciona normalmente no sábado e domingo. Lojas fecham na segunda e terça-feira e reabrem na quarta a partir das 12h. Cinema, lazer e praça de alimentação funcionam normalmente todos os dias.

• Diamond Mall – Funciona normalmente no sábado e domingo. Lojas fecham na segunda e terça-feira e reabrem na quarta a partir das 12h. Cinema, lazer e praça de alimentação funcionam normalmente todos os dias.

• Boulevard Shopping – sábado e domingo funciona em horário normal. Segunda e terça-feira as lojas fecham, mas a praça de alimentação e cinema abrem no horário normal. Na quarta-feira as lojas funcionam a partir das 12h.

• Shopping Cidade – Funciona normalmente no sábado. Lojas têm ponto facultativo no domingo, fecham na segunda e terça-feira e reabrem na quarta a partir das 12h. Cinema e praça de alimentação funcionam normalmente todos os dias.

• Big Shopping: Funciona normal ao sábado. Lojas têm ponto facultativo no domingo e terça-feira e fecham na segunda-feira. Reabrem na quarta a partir das 12h. Praça de Alimentação e cinema funcionam normalmente todos os dias.

Bancos

• Agências ficarão fechadas na segunda e terça-feira, e vão reabrir na quarta, a partir das 12h.

Abastecimento

• Banco de Alimentos (Rua Tuiutí, 888, bairro Padre Eustáquio) – Não funciona entre os dias 25 e 28.

• Central de Abastecimento Municipal (Rua Maria Pietra Machado, 125, bairro São Paulo) – Abre no sábado, dia 25, das 7h às 18h. Domingo, das 7h às 13h, segunda e terça-feira funciona das 7h às 12h, e quarta-feira, dia 28, das 7h às 18h.

• Direto da Roça – De sábado a quarta-feira o funcionamento será facultativo.

• Feira Coberta do Padre Eustáquio (Rua Pará de Minas, 821, Padre Eustáquio) – Abre no sábado, dia 25, das 7h às 18h. Domingo das 7h às 13h, segunda das 7h às 18h, terça-feira não irá funcionar e quarta facultativo.

• Feira de Orgânicos – Entre sábado e terça o funcionamento será facultativo. Fecha na quarta.

• Feiras Livres – Funcionam no sábado e domingo das 7h às 13h. Na segunda não funciona. Na terça e na quarta o funcionamento é facultativo.

• Feiras Modelo – funcionamento facultativo durante todo o feriado.

• Mercado da Lagoinha (Avenida Antônio Carlos, 821, São Cristóvão) – Fechado de sábado, dia 25 até quarta-feira, dia 1º.

• Mercado do Cruzeiro (Rua Ouro Fino, 452, Cruzeiro) – Abre no sábado, dia 25, das 7h às 18h, e no domingo, das 7h às 13h. Fecha na segunda e na terça e o funcionamento será facultativo na quarta.

• Refeitório Popular da Câmara Municipal (Avenida dos Andradas, 3.100, Santa Efigênia) – Fechado de sábado, dia 25 até quarta-feira, dia 1º.

• Restaurantes Populares I, II, III e IV – Fechados de sábado, dia 25 até o 28 de fevereiro e no dia 1º de março, quarta-feira de cinzas. Retorna as atividades na quinta-feira – dia 2 de março.

• Sacolões Abastecer – Funcionam no sábado das 7h às 18h, domingo de 7h às 13h,  na segunda e na terça o funcionamento será facultativo. Na quarta o funcionamento será das 12h às 18h.

Plantão de chuvas

• O plantão da Defesa Civil funciona 24 horas por dia, todos os dias, inclusive aos domingos e feriados. Os telefones de contato são o 199 e o 3277-8864.

Limpeza Urbana

•Todos os serviços de limpeza urbana serão realizados normalmente neste sábado. No domingo, dia 26, haverá plantões de varrição na Savassi e nas áreas hospitalar e central. De segunda a quarta, dias 27 de fevereiro a 1º de março, serão realizados os serviços de coleta domiciliar, seletiva, hospitalar e limpeza de vias (varrição, capina, limpeza de bocas de lobo e multitarefa).

Parques e Zoológico

• Parques das Mangabeiras e da Serra do Curral e Mirante do Mangabeiras – interditados por tempo indeterminado.

• O Parque Municipal – aberto das 6h às 18h. Os outros parques abrem das 8h às 18h. Todos eles ficarão abertos entre sábado e terça. Na quarta estarão fechados para manutenção.

• Fundação Zoo-Botânica – funciona normalmente.

Equipamentos culturais

• Casa do Baile (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 751, Pampulha) – Abre sábado e domingo, dias 25 e 26, das 9h às 17h. Fecha na segunda e na terça-feira e reabre na quarta, às 12h.

• Casa Kubitschek (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 4.188, Bandeirantes) – Abre sábado e domingo, dias 25 e 26, das 9h às 17h. Fecha na segunda e abre na terça e na quarta, das 9h às 17h.

• Centro de Referência da Moda (Rua da Bahia, 1.149, Centro) – Fechado entre sábado, dia 25, e terça, dia 28. Retoma as atividades na quarta, dia 1º de março, das 14h às 21h.

• Museu de Arte da Pampulha (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.596, Pampulha) – Aberto sábado, domingo, terça e quarta das 9h às 17h. Fechado na segunda.

• Museu Histórico Abílio Barreto (Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim) – Abre sábado, domingo e terça, das 10h às 17h. Fecha na segunda-feira, dia 27. Abre na quarta das10h às 21h.

• Palácio das Artes, CâmeraSete e Casa da Fotografia – não funcionam de sábado a terça-feira. O Palácio das Artes reabre para exibição de filmes na quarta, no período da tarde.

• Sesc Palladium – não funciona até quarta-feira.

• Espaço do Conhecimento UFMG: não fechará no Carnaval
Museu não abrirá de 25 de fevereiro a 1º de março; funcionamento volta ao normal na quinta-feira, dia 02

Postos de Informação Turística

• Centro de Referência Turística Álvaro Hardy – Veveco (Avenida Otacílio Negrão de Lima, 855, São Luís) – Aberto sábado e domingo, das 8h às 17h. Na segunda, de 10 às 19 horas, e na terça de 8 às 19 horas e na quarta, das 8h às 17h.

• Mercado Central (Avenida Augusto de Lima, 744, Centro) – Aberto sábado, das 8h às 16h20, e de domingo, dia 26, a terça-feira, dia 28, das 8h às 13h. Na quarta, dia 1º, o funcionamento será das 8h às 17h20.

• Mercado das Flores (Avenida Afonso Pena, 1.055, Centro) – De sábado, até terça-feira, dias 25 a 28 de fevereiro, funciona das 10h às 22h. Na quarta, dia 1º, o funcionamento será das 8h às 18h.

• Rodoviária (Praça Rio Branco, Centro) – Funciona entre sábado e terça-feira, das 8h às 17h. Na quarta, dia 1º, aberto das 8h às17h.

BH Resolve

• Fechado para atendimento ao público entre sábado e quarta, dia 1ª de março.

Saúde

• As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), o Hospital Municipal Odilon Behrens, a Central de Internação, o Samu e os laboratórios das UPAs funcionam normalmente durante 24 horas por dia.

• Os centros de saúde, Centro de Controle de Zoonoses, os Laboratórios de Zoonose e as sedes de distrito não funcionam sábado, domingo e terça. Na segunda, dia 27, funcionam das 7h às 17.

• Os Centros de Esterilização de Cães e Gatos – não funcionam de sábado a terça-feira. Na quarta-feira, dia 1º, funciona a partir das 13 horas.

• Os centros de convivência, os Centros de Especialidades Médicas (CEMs), o Centro de Treinamento e Referência (CTR), as Unidades de Referência Secundária (URSs), o Centro Municipal de Imagem (CMI), o Centro Médico de Oftalmologia (CMO), os Centros de Reabilitação (Creabs) e a Farmácia Distrital – não funcionam entre sábado e terça-feira. Na quarta-feira, dia 1º, todos os equipamentos retomam as atividades a partir das 13h.

• Cersams – Funcionam normalmente sábado e domingo. Na segunda e na terça, funcionam com escala mínima de feriado no período diurno e com expediente normal no período noturno. Na quarta, dia 1º, o período diurno terá escala de plantão. A partir das 13h, o funcionamento será normal.

• Serviço de Urgência de Psiquiátrica Noturno – Funciona normalmente entre sábado e quarta, dia 1º.

• Serviço de Atendimento ao Viajante não funciona nos dias de Carnaval, de sábado a terça. Na quarta-feira o funcionamento será a partir das 13 horas.

.

FONTE: Hoje Em Dia.


Advogado compra vaca e porco para facilitar partilha em divórcio de cliente

Animais eram os últimos bens a serem negociados pelo ex-casal, em Goiás.
Defensor pagou R$ 1.350 pelos bichos e resolveu impasse de quase 3 anos.

Advogado Nilson Spíndola comprou vaca e porco para facilitar partilha de bens em divórcio Goiás Niquelânidia (Foto: Reprodução/Wagner  Soares)Advogado comprou vaca e porco para facilitar partilha de bens em divórcio

Após quase três anos tentando definir uma partilha de bens que agradasse seu o cliente e a ex-esposa dele, o advogado Nilson Ribeiro Spíndola conseguiu pôr fim ao impasse comprando uma vaca e um porco da mulher. Os animais eram os últimos bens a serem negociados para finalizar o divórcio do casal, que viveu junto por 21 anos, em Niquelândia, no norte de Goiás.

A decisão foi tomada durante uma audiência de instrução e julgamento. Após quase duas horas tentando uma divisão, o juiz que presidia a sessão, Fernando Ribeiro de Oliviera, sugeriu ao defensor que comprasse os animais para resolver a questão. O advogado aceitou, pagando à mulher R$ 1.350 pelos bichos e finalizando o processo de divórcio. O casal não pode mais recorrer da decisão.

Spíndola relata que o seu cliente o procurou pedindo ajuda para se divorciar, já que não tinha recursos para pagar um advogado. Ele conta que decidiu aceitar a causa sem cobrar os honorários porque o homem é de origem humilde. No entanto, o cliente e a ex-mulher não conseguiam aceitar nenhum acordo para dividir os bens.

“Juntos ,eles tinham uma casa de pau a pique, um saco de farinha, 15 galinhas, uma antena parabólica, uma égua, 50 pés de guariroba, um triturador, um cachorro, uma vaca e um porco. Eles viviam discutindo sobre essas coisas, porque a mulher se mudou para a área urbana e não podia levar os animais, mas não abria mão da sua parte. Ao mesmo tempo, o meu cliente não conseguiria pagar por toda a parte dela”, relatou ao G1.

O advogado conta que as discussões se arrastaram por quase três anos, até que conseguiram marcar uma audiência de instrução e julgamento, que aconteceu na última terça-feira (14). Eles ficaram quase duas horas discutindo sobre a partilha de bens, até que o homem aceitou pagar, em 30 meses, a maior parte dos bens da ex-esposa, o que, junto com a pensão que ele pagará para a filha de 17 anos, dá R$ 200 por mês. Ainda assim, uma vaca e um porco ficaram fora do acordo.

“Esses dois animais ele não tinha condições de pagar. Foi então que o juiz sugeriu que eu comprasse. Para acabar com a discussão dos dois e encerrar esse divórcio eu aceitei. Os dois saíram satisfeitos e resolvemos mais um litígio. Eu também fiquei realizado de poder solucionar esse caso, me senti bem de poder ajudá-los. Às vezes, atos como esse evitam até problemas maiores”, relatou.

Porco e vaca foram comprados por advogado para facilitar partilha de bens em Niquelândia Goiás (Foto: Nilson Spíndola/Arquivo pessoal)
Porco e vaca foram comprados por advogado para facilitar divórcio 

Os animais que o advogado comprou devem continuar com o cliente. Spíndola disse que vai aguardar até o que o homem tenha melhores condições financeiras para buscar a vaca. “Ele precisa do leite que a vaca dá para vender, então vou deixar com ele até ele conseguir outra. O porco vou deixar com ele mesmo”, contou.

Segunda vez
O advogado contou que não foi a primeira vez que ajudou um cliente financeiramente para facilitar um acordo com outra parte. Segundo ele, em outra situação, ele deu um desconto de R$ 1 mil nos seus honorários para que o cliente pudesse pagar à ex-esposa parte de um terreno que os dois precisavam dividir durante o divórcio.

“A mulher pediu R$ 28 mil na parte dela e ele já tinha se disposto a pagar R$ 25 mil, mas não conseguiria completar o que faltava. Eu cobrei R$ 1 mil a menos para que ele pudesse usar no pagamento do terreno. Quando as partes se apegam às pequenas coisas, às vezes é preciso fazer isso para solucionar”, contou.

.

FONTE: G1.



%d blogueiros gostam disto: