TJMG rejeita recurso e pede prisão do ex-governador Eduardo Azeredo

Defesa interpôs embargos declaratórios na expectativa de alterar a sentença da Corte

Por unanimidade, desembargadores da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais rejeitaram os embargos declaratórios, última possibilidade de recursos do ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo (PSDB).

Todos os magistrados decidiram manter a condenação de 20 anos e um mês de prisão, pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro por envolvimento no mensalão tucano.

Os desembargadores também mantiveram o entendimento de que Azeredo inicie o cumprimento da pena logo após esgotar a possibilidade de recursos no TJMG. Esse seria o último recurso possível no TJMG.

“Tudo na vida tem um início, meio e fim. E esse julgamento tem que terminar. Rio tem correr para o mar. Para mim, a discussão em segunda instância termina aqui, hoje é, portanto, deve ser expedido o mandado de prisão”, disse  o relator do caso, desembargador  Julio Cesar Lorens

Porém, a defesa de Azeredo pediu para que o mandado de prisão só seja expedido após a apresentação de um recurso especial, chamado de embargos dos embargos, ou pelo menos até sair o resultado do pedido de habeas corpus que tramita no Superior Tribunal de Justiça.

Eduardo Azeredo

O tucano Eduardo Azeredo ainda tem esperança de reverter condenação e não ser preso

O pedido foi rejeitado por 4 a 1 pelos desembargadores que compõem a 5ª Câmara Criminal e, com isso, a expedição do mandado de prisão já pode ser feita.

.

FONTE: O Tempo.