Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

TIRO E QUEDA
Assuntos

 

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 01/02/2015 04:00

 

Aquilo sobre o que se conversa ou se discorre (verbalmente, por escrito, em artes plásticas etc.), assunto é coisa que não falta por aí. Tanto assim que, para fugir da violência e da corrupção, a mídia impressa, falada e televisada focou seus comentários nas artes e no aparelho reprodutor externo do macho da espécie Homo sapiens sapiens. Vamos por partes antes de chegar às partes baixas. Lucia Koch, nascida em Porto Alegre, no ano de 1966, é doutora em poéticas visuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP). Artista multimídia, escultora e fotógrafa, expôs até 31 de janeiro na Galeria Nara Roesler. 

Em vez de esculpir bobagens como Alfredo Ceschiatti, Amílcar de Castro e outros gênios, Lucia Koch expôs Dupla Basculante (2014), “obra que não leva a lugar nenhum, mas gera reflexão”, na opinião meditada dos atuais críticos de arte. Trata-se uma porta metálica com oito vidros acima da metade, os três últimos de cima basculantes. Vidros de cores educadas: dois cinzentos, um branco, dois azuis e três bege. Porta perpendicular à parede de um salão: você olha de um lado, olha do outro, passa ao lado e “gera reflexão”. Talvez parecida com a reflexão gerada pela estátua de bronze, com 2,10m de altura, do atleta Cristiano Ronaldo inaugurada no final do ano na Ilha da Madeira, onde nasceu. 

Toda a mídia comentou o tamanho do pênis do atleta esculpido em bronze sob o calção que usa para jogar futebol. A ser verdade, o tamanho da peça não o impediu de ser o jogador mais premiado de todos os tempos. Mais adiante, Jô Soares entrevista um professor de direito civil, autor de obra jurídica que esgotou sua primeira edição em poucos dias, e o mestre leva xerox de uma sentença de anulação de casamento por jumentismo, quando a jovem recém-casada descobriu que a peça de seu marido, em posição de sentido, exigiria túnel maior que o Rebouças do Rio. Em descanso, não é peça de assustar: tem 16 centímetros de comprimento por não sei quantos de circunferência. Animada, impede aquilo que o jurista chamou de congresso sexual, talvez inspirado na discussão entre os deputados Bolsonaro e Maria do Rosário. Assustada, a recém-casada ganhou na primeira instância e por unanimidade no tribunal, anulando seu casamento.

O Google, que sabe tudo, diz que jumentismo é anomalia biológica em que o homem nasce com o pênis de até 1 metro. Na verdade, ao nascer deve ser menor, mas aumenta com o passar dos anos e serve de assunto para entrevistas na tevê. 

Philosophares 
Circulam na internet, na tevê e noutras telas fotos e filmes de um casal ou mais pessoas ligadas em seus smartphones, sem conversar, sem trocar ideias com os circunstantes. A cena é vista como sinal do fim dos tempos e dizem que foi prevista por Einstein. Como tudo hoje tem que ser em inglês, dizem que cada uma das pessoas está wired (que tem instalação elétrica ou telefônica, ligada à internet etc.). Muitíssimo a propósito, aprendi outro dia mais um significado de fio terra, que, numa instalação elétrica, é o fio neutro. Em inglês é ground wire e no submundo da indecência brasileira significa dedo enfiado num lugar que não posso especificar.

Enquanto philosopho, peço licença para explicar e justificar as cenas em que as pessoas, de olho nos respectivos smartphones, se desinteressam dos outros. Em primeiro lugar, temos a falta de educação, que já acabou com o obrigado, o bom-dia, o boa-noite e outros cumprimentos civilizados. Mas há outras explicações que só um philosopho supimpa pode trazer à colação, o que significa “citar a propósito, referir”. 

Participando do grupo, o sujeito está vendo e sentindo o que os outros veem e sentem, enquanto wired sabe de coisas que os outros não estão sabendo, vê coisas que os circunstantes não veem. Além do mais, a proximidade dá ideia de posse, enquanto a distância alcançada pelo smartphone dá ideia de viagem, de aventura, desbravamento, pioneirismo. Era o que me cabia explicar à luz do mais sério philosophar. 

O mundo é uma bola 

1º de fevereiro de 1718: erupção na Montanha do Pico na Praia do Almoxarife, Açores. Notas açorianas interessam-me sobremaneira, porque recebo queijos daquele arquipélago trazidos pelo excelente amigo Artur Bettencourt, advogado em Pouso Alegre.

Em 1908, o rei Carlos I, de Portugal, e seu filho mais velho Luís Filipe, duque de Bragança, são assassinados no Terreiro do Paço em Lisboa por dois membros da Carbonária, Manuel Buiça e Alfredo Costa. A Carbonária era uma sociedade secreta e revolucionária que atuou em Itália, França, Portugal e Espanha nos séculos 19 e 20. No mesmo dia, Manuel II, de Portugal, ascende ao trono. 

Em 1918, a Rússia adota o calendário gregoriano e em 1924 o Reino Unido reconhece a União Soviética, enquanto o papa Pio XI elevava a diocese de Belo Horizonte a arquidiocese, diocese que exerce jurisdição sobre outras e que se encontra sob o controle oficial de um arcebispo. 

Hoje é o Dia do Publicitário. 

Ruminanças 
“Que fim levou a brilhante publicidade brasileira?” (R. Manso Neto).

 

EDUARDO ALMEIDA REIS
Tiro e queda

 

Publicação: 02/02/2015 04:00

Consultorias

Vosso país tem o recorde mundial de consultores. A começar pelos gatunos momentaneamente afastados da política, que inventam empresas de consultoria para receber os furtos e os frutos da Petrobras. Parodiando Bastos Tigre (1882-1957), o philosopho arrisca: Vê ilustre passageiro/Que belo tipo sarado/Embarcado ao pé de ti/E, no entanto, acredita/Não está desempregado/É Consultor Jequiti. Mesmo sem empresa registrada, durante anos ousei aconselhar um grupo europeu na compra de terras brasileiras para produzir e exportar carne de qualidade. Bons salários, risco de (perder a) vida, salvei o patrão de uma enrascada em que o seu grupo perderia US$ 22 milhões no dólar daquele tempo. 

Encantado com a lábia de um bandido que conheceu alugando Ferraris nos EUA, o patrão estava a pique de se associar a um grupo paulista conhecido por vender e não entregar, comprar e não pagar, e mandar matar. Fui informado por pessoas que só me conheciam dos livros e revistas agropecuários, transmiti a informação ao patrão e devo ter andado com a cabeça a prêmio durante anos. 

Há consultores sérios, a começar pelos esforçados que vendem os produtos Jequiti. Jovem senhora de minhas relações, professora e consultora de marketing, foi convidada para fazer palestra em um dos estados mais pobres do Nordeste. Palestra que deve ter agradado, porque o senador ligado ao governo estadual e federal a convidou, depois da conferência, para almoçar num sítio com o seu grupo, presentes governador, deputados, secretários, gente que apita no estado.

Champanha e uísque a rodo, manda-chuvas descontraídos, começaram as confissões. A consultora não me disse os nomes, nem perguntei e se soubesse não contaria. Mas a gabolice chega a ser infantil, tipo: “Claro que o meu Aston Martin fica em Miami”. E os nomes dos melhores bancos, lá fora, para guardar os respectivos caraminguás. 

Fatos 

Estuporado, contatei que o final de 2014 foi rico em estupros. Na Ilha Marion, uma das Ilhas de Príncipe Eduardo, no Atlântico Sul, focas machos da família dos focídeos, na falta de fêmeas, têm desrespeitado o pinguim-rei em atividades sexuais que, no mundo humano, seriam comparadas aos estupros. O estudo foi publicado na revista Polar Biology e mostra que as focas machos não se importam com o sexo dos pinguins, copulando indistintamente com machos e fêmeas. 

Eleitores estuprando a lógica ao reeleger o pior governo de todos os tempos. Madonna denunciando o estupro não dela, mas de sua arte com o roubo de 13 canções de um álbum previsto para ser lançado em março de 2015. 

A ilustre deputada Maria do Rosário (PT-RS) processando seu colega Jair Bolsonaro (PP-RJ) porque disse da tribuna que ela não merece ser estuprada. Ilustres senhoras jornalistas solidárias com a deputada gaúcha, como se o fato de não merecer estupro fosse uma capitis diminutio, perda total ou parcial da capacidade jurídica ou dos direitos do cidadão ou da cidadoa, bem como dos pinguins. O feminismo anda querendo transformar o elogio e a cantada em agressão, assédio sexual, estupro verbal. Que é estupro? É crime que consiste no constrangimento a relações sexuais por meio de violência, violação, forçamento.

Anos atrás, honrada deputada federal mineira propôs que o marido brasileiro, ao forçar o congresso sexual com sua legítima esposa naquelas noites em que a santa está com dor de cabeça, fosse acusado de estupro. Louvei o projeto pela mídia impressa baseado nos postos de trabalho que a lei criaria – fiscais do sexo conjugal –, com adicionais de trabalho noturno para reprimir ou constatar as tentativas e os estupros propriamente ditos. Sem falar do impulso na indústria de tintas fluorescentes usadas à noite nas partes pudendas do casal para permitir que o fiscal realizasse o seu trabalho. Parece que o projeto não foi aprovado. 

Fluorescente, como o leitor deve estar lembrado, é substância que apresenta a propriedade da fluorescência ou da radiação associada ao processo de fluorescência. E fluorescência é luminescência que não persiste por um intervalo de tempo superior a 10-8 segundos, após a remoção da fonte de excitação. Presumo que no caso seja excitação sexual do maridão estuprador.

Enquanto seu lobo não vem, há uma bebida, que se diz 100% cerveja, veiculando na tevê propaganda em que entra num boteco bela morena, de corpo espetacular e roupas mais que provocantes, presumivelmente para beber um copo da loura, mas associando suas curvas à bebida. Salvo pela tatuagem, o visual da morena me agrada, mas ainda não tive coragem de encarar a cerveja. 

O mundo é uma bola 

2 de fevereiro de 962: Oto I é coroado imperador do Sacro Império Romano Germânico pelo papa João XII, ato considerado o início daquele império. O diabo é que não sei quem foi Oto I, que os portugueses chamam Otão, mas sou teimoso e descubro que foi cognominado Oto, o Grande, nasceu em Wallhausen em 912 e morreu em Memleben em 973. Filho de Heinrich I, o Passarinheiro, rei dos Germanos, e de Matilde de Ringelheim. Com a morte do pai foi coroado rei dos Germanos em Aquisgrana, que vocês conhecem como Aix-La-Chapelle ou Aachen, conforme estudem o assunto em francês ou alemão. 

Hoje é o Dia do Agente Fiscal. 

Ruminanças

“Não há na literatura brasileira página mais desastrada do que a crítica de Machado de Assis ao Primo Basílio, de Eça de Queiroz” (Guilherme Figueiredo, 1915-1997).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: