Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

TIRO E QUEDA
Fontes
Hoje, computadores de meia-tigela vêm das fábricas com tantas fontes que confundem o comprador

 

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 04/07/2014 04:00




Em matéria de fontes, sou do tempo em que só havia o sergipano Lourival Fontes, jornalista e político, que dirigiu o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) de Getúlio Vargas defendendo as ideias do Estado Novo. Integralista, Lourival se casou em 1940 com a escritora Adalgisa Nery, viúva do pintor modernista Ismael Nery. Em 1953, Adalgisa trocou Lourival por uma companheira, cujo nome não vem a pelo. 

Adalgisa Maria Feliciana Noel Cancela Ferreira (1905-1980), conhecida como Adalgisa Nery, poetisa, escritora e jornalista, fez política, foi eleita deputada três vezes, teve uma vida complicada que não cabe nos limites desta página, mesmo porque não vou falar dos Fontes nem da família Nery, mas das fontes e das famílias no sentido de “conjunto de tipos cujo desenho apresenta as mesmas características básicas”.

Quero tratar das fontes, conjunto completo de letras, números, sinais tipográficos e caracteres especiais com características tipográficas comuns. A máquina de escrever elétrica IBM 82-C já tinha esferas intercambiáveis, que me permitiam trocar meia dúzia de fontes. Diverti-me à beça com aquela novidade. Guardo a IBM e seis esferas. 

Com o primeiro computador de mesa, tela colorida, comprei um CD com milhares de fontes, que nunca usei. Hoje, computadores de meia-tigela vêm das fábricas com tantas fontes que confundem o comprador. Algumas são bonitas e legíveis; outras, de tão complicadas, devem ter sido desenhadas para divertimento de imbecis como os editores, capistas e diagramadores do maior grupo editorial português, angolano e moçambicano, estabelecido no Brasil desde 2008.

É incrível a quantidade de fontes idiotas e diagramações ilegíveis que o poderoso grupo editorial consegue misturar, de mesmo passo em que alterna papel branco, cinza e preto, como se o livro editado pela empresa ficasse “bonito”. Portugal acha que resolveu todos os seus problemas com a Revolução dos Cravos. É hora de pensar numa Revolução das Fontes escolhendo conjuntos de tipos educados, de fácil leitura, sobre fundo branco.

Promessa


Agradecendo ao casal Danielle e Lauro Diniz pelos biscoitos belgo-mineiros que me mandaram de BH, prometi contar a história das velhinhas do Caxiri, margem direita do Rio Cuiabá, sempre que o Dr. Octávio da Costa Marques lhes enviava um presentinho.

No Pantanal, caxiri é faca velha e imprestável e/ou sem cabo, como o sítio ocupado pelas velhinhas. O Dr. Octávio, de tradicional família mato-grossense, formou-se em direito no Rio pela entrada do século 20, onde conheceu uma jovem da família Gouvêa, acho que filha do Dr. Hilário de Gouvêa (1843-1923), famoso médico que é nome de rua em Copacabana. 

Recém-casados, os Costa Marques passaram a lua de mel num barco amazônico munido de metralhadora na proa, pois o jovem bacharel conseguiu emprego público na fiscalização do contrabando de borracha. Depois, requereu 20 léguas de terras devolutas no Pantanal, onde havia o sítio das senhoras do Caxiri. De tempos em tempos lhes mandava um dinheirinho, umas roupinhas e outros mimos úteis naquela barranca de rio. As três tinham agradecimento padrão: “Faltou ser mais”. Foi o que pensei quando recebi os biscoitos mandados pelo casal franco-paraopebense: faltou ser mais. Fica o registro. 

Trabalho


Sei que o trabalho forja caracteres, como também sei que todo trabalho é digno, mas morri de pena dos locutores do SporTV que transmitiram ao vivo e em cores a partida de futebol entre os times do Fortaleza e do CRB às 16h do sábado, dia 24 de maio de 2014. Na mesma hora do mesmo dia, em Lisboa, os times do Real Madrid e do Atlético de Madrid disputavam a final da Copa da UEFA e as redes de tevê brasileiras transmitiam a partida ao vivo e em cores. 

O mundo é uma bola – 4 de julho de 1187: na Batalha de Hattin, Saladino derrota os cruzados comandados por Guy de Lusignan. Saladino, ou Salãh ad-Din Yusuf ibn Ayyub, também chamado Selah’edînê Eyubî (1138-1193), foi um chefe militar curdo muçulmano, que se tornou sultão do Egito e da Síria. No auge do seu poder dominou Egito, Síria, Iraque, Iêmen e o Hejaz, que, como todo mundo ignora, é uma região banhada pelo Mar Vermelho no Oeste da Arábia Saudita.

Tornou-se famoso entre os cronistas cristãos da época por sua conduta cavalheiresca e conquistou o respeito de muitos cruzados, incluindo Ricardo Coração de Leão. Longe de ser uma figura odiada na Europa, tornou-se exemplo de princípios na cavalaria medieval.

Quanto à cavalaria medieval, informo que já protegia as cabeças, os focinhos e a parte do peito dos seus cavalos, “novidades” inventadas para a cavalaria que atua na Copa das Copas.

Em 1776, publicada a Declaração da Independência dos Estados Unidos, quando foi usado pela primeira vez o nome Estados Unidos da América, obviamente em inglês. Em 1833, a vila da Horta, nos Açores, é elevada à categoria de cidade. Tenho bom amigo nascido na Horta que me deu belo livro sobre sua cidade. Hoje vai estar sendo comemorado no Brasil o Dia do Operador de Telemarketing.

Ruminanças


“Quando no céu os bem-aventurados usarem o telefone dirão o que têm para dizer e nem uma palavra a mais” (Somerset Maugham, 1874-1965).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: