Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

Tiro e queda
É do gênio de Abgar Renault a seguinte constatação: %u201C80% da inquietação humana têm por causa a imprensa e o banho frio de chuveiro%u201D

 

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 15/06/2014 04:00

Philosophares 

Que diabo significa a expressão latina contradictio in terminis? Foi o que me perguntei depois do banho, quando resolvi escrever sobre o chuveiro elétrico, que é ótimo em cidades como Cuiabá, Corumbá, Teresina e Palmas, capital de Tocantins. A partir do momento em que o chuveiro precisa aquecer a água temos a contradição, falta de nexo, de lógica, a incoerência ou discrepância, porque se propõe a aquecer consumindo pouca energia. Contradictio in terminis, segundo apurei no Google, é termo jurídico e significa “contradição em (seus) termos”, que não tenho competência para deslindar. 
É do gênio de Abgar Renault a seguinte constatação: “80% da inquietação humana têm por causa a imprensa e o banho frio de chuveiro”. Considerando que o controle da imprensa, da boa e da ruim, é meio difícil, como provam os esforços petistas no que respeita à boa, pois a ruim vive na gaveta governamental, só procuro acabar com o drama dos banhos frios.
Fosse mais moço cuidaria de montar pequena indústria de chuveiros marca Lobão. Por que Lobão? Ora, porque é o nome de um cavalheiro que não entende absolutamente nada de eletricidade. O produto de minha pequena indústria, em rigor uma oficina com meia dúzia de funcionários, seria chuveiro feito para aquecer a água do banho sem preocupação com o custo da eletricidade. É muito melhor sair feliz de um banho de 10 minutos, gastando um pouco mais, do que sair furioso de um banho ligeiramente mais barato ameaçando escrever sobre uma contradictio in terminis, que não tem nada com o chuveiro nem com a conta de luz. 

Cavalos de botas 
Vejo no Houaiss que a locução gato de botas, regionalismo brasileiro, significa pessoa que mente muito. Lembrei-me dela diante da matéria no Estadão, dia 7 de maio, sobre as botas anti-derrapantes usadas pelos cavalos do Regimento de Cavalaria da Tropa de Choque de SP, na armadura adotada para a Copa.
A partir de agora, os cavalos daquele regimento têm viseira de acrílico com protetor de focinho, cobertura de couro no peito e uma espécie de bota antiderrapante que cobre os quatro cascos. Os policiais montam usando novo capacete mais resistente com viseira e proteção para o pescoço, exoesqueleto de polipropileno resistente a pancadas, mochila de hidratação, que permite beber água em ação, joelheiras e botas mais resistentes.
Depois de algumas semanas de treinamento os cavalos se acostumaram aos equipamentos de proteção. Muitas polícias do mundo têm regimentos de cavalaria, maldade inominável com os cavalos, os mais nobres dos animais. Espécie que não merece envolvimento com humanos arruaceiros.
Arruaceiro da espécie Homo sapiens merece canhão de água, canhão sonoro, cassetete, bala de borracha e bala de verdade; tudo, menos envolver cavalos nas arruaças. Já tive cavalo comprado em leilão da PMMG, animal acostumado a tudo menos aos carros de bois. Ficava apavorado quando encontrávamos nas estradas rurais um carro ou uma carroça de bois. Há diferenças entre os veículos: os carros têm eixos fixos, enquanto as carroças permitem que a roda externa gire numa curva enquanto a outra roda está parada.
Não sei se a explicação ficou clara, mas o fato é que os carros esburacam as estradas, ao passo que as carroças são menos destruidoras. Em contrapartida, os carros cantam que é uma beleza. E as velhas rodas de madeira maciça dão lindas mesas de centro nas salas de gente de bom gosto. 

O mundo é uma bola 
15 de junho: Dia Mundial da Violência Contra a Pessoa Idosa, invenção da ONU para tentar evitar que o jovem odeie o velho por motivos mais que justificados. Primeiro, porque se vê no idoso e constata como é chato passar dos 50; depois, porque os idosos são mesmo muito chatos.
Em 311, Licínio proclama seu Édito de Tolerância acabando com a perseguição aos cristãos na sua parte do Império Romano. Aí, você clica em Édito de Tolerância e constata que o também chamado Édito de Versalhes foi assinado em 1787 por Luís XVI, da França, concedendo aos protestantes o direito de registro civil e marcando o fim das perseguições aos huguenotes.
Mas Licínio existiu e se chamava Gaius Valerius Licinianus (250-325), era militar de origem humilde e foi co-imperador romano. Seu cunhado Constantino, imperador do Ocidente, venceu-o numa batalha e o condenou à morte, mostrando que os cunhados podem ser muito perigosos enquanto as cunhadinhas costumam ser apetecíveis. Constantino se transformou em comandante supremo de todo o Império Romano. 
Em 1215, João I, rei da Inglaterra, é obrigado pela nobreza a assinar a Magna Carta limitando os poderes reais. Em 1502, em sua quarta e última viagem à América, Cristóvão Colombo descobre a Ilha da Martinica, onde nasceria em 1763 Marie Josèphe Rose Tascher de La Pagerie, a viuvinha Josefina de Beauharnais, primeira mulher de Napoleão Bonaparte, aquela que ele não gostava que se lavasse antes de namorar. Hoje é o Dia do Paleontólogo.


Ruminanças
“A moral do político é como elevador: sobe e desce. Em geral enguiça por falta de energia ou não funciona definitivamente, deixando desesperados os infelizes que nele confiam” (Barão de Itararé, 1895-1971).

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: