Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

TIRO E QUEDA
Brasilidades
Comparado com a Europa e a China, o Brasil é país que cheira a cueiros: recém-nascido no concerto das nações

 

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 18/07/2014 04:00

Comparado com a Europa e a China, o Brasil é pais que cheira a cueiros: recém-nascido no concerto das nações, para além de ser dos mais promissores na lista dos que não têm conserto. Não por acaso, cueiros cheiram mal. Basta ouvir e ler as besteiras ditas e escritas pelos que se consideram ou são considerados filósofos nesta choldra que tem hino, bandeira e constituição.

Antes, ouçamos o que nos diz Houaiss do adjetivo e substantivo filósofo. 1. que ou quem ama a sabedoria, movido pela consciência lúcida da ignorância inerente à condição humana [O sentido remonta ao filósofo grego Pitágoras (século VI a.C.), citado pelos antigos como o inventor da palavra]; 2. que ou quem investiga os princípios, fundamentos ou essências da realidade circundante, seja numa perspectiva imanente, seja propugnando causas e explicações transcendentes, transcendentais ou metafísicas; 3. que ou quem procura formular uma reflexão que organiza, sintetiza ou relaciona as metodologias e conhecimentos obtidos pelas diversas ciências que compõem o saber humano; 4. que ou quem contempla a natureza, a condição humana, o ser e o pensamento, buscando entendê-los e explicá-los teoricamente; 5. que ou quem regula sua vida à luz de princípios obtidos pelo pensamento racional, especialmente no que se refere à manutenção da tranquilidade e da sensatez sob circunstâncias desfavoráveis; 6. que ou quem é desligado de preocupações materiais ou indiferente às convenções sociais; 7. que ou quem é estranho, exótico.

Só na acepção 7, de uso informal, encontramos definição para filósofos e filósofas brasileiros: estranhos e exóticos porque pensam, dizem e escrevem besteiras. Vide Marilena de Souza Chauí. 


Exagero 

Pauta: entrevista do craque Neymar Jr. Desconcordo do craque Jaeci Carvalho quando diz que Neymar ainda não é um craque. Aqui na opinião do cronista-Fifa, jogando futebol o filho do senhor Neymar já é um craque. Daí a ouvir o que diz o rapaz entrevistado na Granja Comary, em Teresópolis, RJ, vai uma distância que os meus neurônios não têm condições de suportar. Todos os canais das tevês abertas e pagas nos fizeram o desfavor de transmitir as opiniões do atleta do Barcelona. Ficou faltando a opinião do futebolista sobre a Teoria dos Quanta, de Max Planck. Graças ao botão mute, do televisor LG LED de 47 polegadas, tirei o som como tiro sempre que aparecem falando a senhora Dilma Vana Rousseff e o doutor honoris causa da Silva.

Não há nada que me obrigue a ouvir o que os três têm a dizer. Nessas horas, me lembro do inventor do controle remoto televisivo e do ferro elétrico que faz xixi, brasileiro imensamente gordo, casado, sem filhos, que passava o dia inteiro de short em casa, barrigão de fora, sustentado pela mulher e pela sogra.

O ferro de engomar fazia xixi através de um dispositivo adaptado por ele. Vizinhos visitavam o gênio para conhecer o ferro mijão, hoje comum em quase todos os ferros elétricos. O da comadre, aqui em casa, mija que é uma beleza. Só tem o inconveniente de queimar a tábua de passar, sempre que a operadora, chamada pelo patrão, esquece o ferro ligado.

O controle remoto era um espetáculo. Ficava na ponta de imenso bambu com uma garra, controlada por uma cordinha, que trocava os 11 canais dos televisores antigos. Não tinha o mute, mas podia tirar o som com a garra presa ao botão do volume.

No mesmíssimo Rio assisti à chegada dos primeiros controles importados dos EUA por uma família muito rica, que morava em três casas imensas, vizinhas, no Bairro de Botafogo. Só havia um inconveniente: operado numa das casas, interferia nos televisores das outras casas da família. Bons tempos. Ótimos tempos que não voltam mais. 


O mundo é uma bola 

18 de julho de 64: um incêndio começa na área mercantil de Roma e logo destrói boa parte da cidade. Houve quem acusasse o imperador Nero de observar o incêndio de longe tocando sua lira, instrumento de cordas dedilháveis ou tocadas com plectro, ou palheta, pequena peça delgada, feita de diversos materiais, que serve para fazer soar as cordas. Historiadores modernos desmentem as acusações ao imperador Nero Claudius Caesar Augustus Germanicus, filho de Cneu Domicio Enobarbo e Julia Agripina Minor.

Em 1830, o Uruguai adota a sua primeira constituição; recentemente, adotou a maconha. Em 1824, desembarcaram em Porto Alegre os primeiros 39 colonos alemães para colonizar o Rio Grande do Sul. Nem todos os alemães são perfeitos, o que explica o nascimento de um Tarso Fernando Herz Genro, pai de Luciana Genro. Em 1841 dom Pedro II é coroado imperador do Brasil. Tinha os gravíssimos defeitos de ser instruído e honesto. Hoje é o Dia Nacional do Trovador.


Ruminanças 
“Pelo número espantoso de ganeses e haitianos entrando no Brasil, não vejo distante o dia em que será preciso estabelecer cotas para brancos e pardos nos concursos, nas universidades, no serviço público” (R. Manso Neto).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: