Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

TIRO E QUEDA 
Cassação  
Pode ser feio, mas o saudosismo retrata apenas a saudade que temos dos nossos 18, 28, 38 anos, sentimento mais que natural

 

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 19/01/2015 04:00

 

 

Cassado pela unanimidade de seus pares, menos um e uma abstenção, o deputado federal André Vargas, do Paraná, foi apresentado como “sem partido”. Realmente, desligou-se do partido que o elegeu, mas é preciso dizer que era prócer do PT e até pouco tempo atrás vice-presidente da Câmara Federal. 

É natural que num grupo de quase 600 cavalheiros e damas existam alguns bandidos, mas o que espanta nos parlamentos brasileiros, incluídas as Assembleias estaduais e as Câmaras dos Vereadores municipais é a porcentagem assustadora de bandidos, que está longe de se comparar com o resto da população, que tem muita gente boa.

Como explicar o fenômeno? Se o leitor souber, me diga, por favor, que nossas eleições têm sido um mistério para mim. 

Saílson 

Saílson, nome de homem, como será a pronúncia? Cêilson ou Sá-ílson, compete ao leitor escolher. Quarta-feira, 10 de dezembro de 2014, policiais da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) identificaram e prenderam Saílson José das Graças, quando foram apurar o homicídio de Fátima Miranda, na Rua Eduardo Pacheco Vilena, em Nova Iguaçu (RJ).

Chegaram a três pessoas que estiveram com a vítima na noite do crime, uma delas Saílson, que confessou o homicídio e revelou ter assassinado outras 39 mulheres. Cleusa Balbina e José Messias, que estiveram com Fátima Miranda naquela noite, apresentaram versões contraditórias, enquanto Saílson revelou sua condição de matador profissional e assumiu a execução de Fátima. Ele é companheiro de Cleusa, e o casal mora com José Messias, ex-marido dela. 

Saílson não faz barulho: revelou que só usa facas e que Cleusa Balbina e José Messias foram os mandantes daquele crime. Os policiais da DHBF apuram pelo menos quatro outros crimes na região de Nova Iguaçu em que o modus operandi foi idêntico ao de Saílson. Donde se conclui que não é fácil trabalhar na DHBF, como, de resto, em todas as outras polícias deste país grande, bobo e feroz. 

Saudosismo 

Nelson Motta, festejando seus primeiros 70 aninhos, disse que é feio ser saudosista. E contou uma porção de histórias divertidas no programa Estúdio i, de Maria Beltrão, dia 11 de dezembro, pouco antes de sair a primeira lista de denunciados pela Operação Lava-Jato. 

Pode ser feio, mas o saudosismo retrata apenas a saudade que temos dos nossos 18, 28, 38 anos, sentimento mais que natural. Presumo que muitos leitores se lembrem da Belo Horizonte antiga, muros baixos, assaltos nenhuns. Na Juiz de Fora atual, casas comerciais do meu bairro, antes pacato, começam a trabalhar gradeadas – o comerciante atrás das grades, o freguês na calçada. Nasci e fui criado no Rio entre as duas maiores favelas da Zona Sul daquele tempo: a Catacumba e a Praia do Pinto. Os muros de nossa casa tinham pouco mais de um metro de altura. Hoje, quem mora naquela região vive num bunker e as favelas foram removidas faz tempo. O trânsito era um milhão de vezes melhor, tomei muitos banhos nas águas da hoje poluidíssima Lagoa Rodrigo de Freitas. Não havia televisão, informática, aviões a jato – e as pessoas viviam perfeitamente. Saudosismo é sentimento dos mais naturais.

O mundo é uma bola 

19 de janeiro de 379: Teodósio I assume o trono do Império Bizantino. Ninguém se interessa, hoje, pelo Império Bizantino e a humanidade quer que a memória de Teodósio I se dane. Casou-se duas vezes: com Élia Flacila e com Gala, três filhos com Élia, três com Gala. Era filho do conde Teodósio com Temância. Só de imaginar Temância aos berros encomendando Flavius Theodosius ao conde, numa noite quente de Cauca, atual Segóvia, Espanha, acho melhor parar por aqui. Em 840, nasceu Miguel III, o Ébrio, imperador bizantino. Foi assassinado aos 27 anos e sua história é tão complicada que não cabe neste espaço imaculado de nossa mídia. 

Em 973, foi eleito o papa Bento VI. Em 1880, o Congresso espanhol vota a abolição da escravidão em Cuba, onde existe hoje, na opinião meditada dos comunas, a única democracia das Américas, só comparável ao maravilhoso regime da Coreia do Norte. Em 1899, transportados pelo trem Giralda, chegam a Sevilha os restos mortais de Cristóvão Colombo. Supostos ossos, informa a Wikipédia nestes dias em que tudo é suposto. Em 1944, a força aérea britânica lança, num só dia, 2,3 mil toneladas de bombas sobre Berlim. Repito: 2,3 mil toneladas! 
Em 1951, inauguração da Rodovia Presidente Dutra. Em 1966, Indira Gandhi é a primeira mulher a ocupar o cargo de primeiro-ministro da Índia, aí sim, primeira-ministra, sem essa tolice de presidenta. São decorridos 49 anos e os resultados aí estão até no futebol feminino.

Hoje é o Feriado de Timket, sabe o leitor adonde? Na Etiópia, ocupada pelas tropas britânicas, junto com a Eritréia, no dia 19 de janeiro de 1941, com a expulsão dos italianos. Hoje é o Festival de Thor, divindade dos relâmpagos e dos trovões na mitologia nórdica e nome de um dos filhos do Eike Batista.

Ruminanças

“A ostra pode não ser um modelo de beleza. Mas é sempre uma esperança de pérola” (Eno Teodoro Wanke, 1929-2001).

 

TIRO E QUEDA 
Smartphone  
O governador disse: ‘Já vi que você está querendo me comprar, mas quem vai te comprar sou eu’

 

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 18/01/2015 04:00

 

A felicidade existe e estou vivendo este momento, que desejo compartilhar com o leitor: resgatei meu velho Nokia antes mesmo de pagar a primeira prestação do smartphone que comprei num momento de insensatez ou burrice, de resto muito comum no dia a dia do philosopho.

Mesmo sendo de antepenúltima geração, ou de três ou quatro gerações anteriores a ela, o smartphone é ininteligível para maiores de 50 anos, meu caso. Tem internet, WhatsApp, câmera moderna e deve filmar coisas que não me interessam porque não sei mexer com elas, nem desconfio. O idoso Nokia é telefone, isto é, aparelho destinado a transmitir e reproduzir a distância o som, especialmente o da fala humana, por meio de correntes eletromagnéticas. 

Nele sei incluir e excluir nomes e números que me interessam. É o que me basta. Dispositivos complexos me lembram o pato, que nada, anda e voa, e não faz nada direito. Tentei doar o novo smartphone, mas os destinatários já têm dispositivos mais modernos e dizem que, com o passar dos meses, vou acabar aprendendo a lidar com ele. Aprendi, por enquanto, a desligá-lo à noite, quando avisa: “O dispositivo irá desligar”. Dispositivo… Quero mais é que o dispositivo vá para a vênus vulgívaga que o concebeu. 

Fratello
Em sueco é bror, em polonês, brat, em português, irmão. Quando ouço falar em corrupção, me lembro do irmão de conhecidíssimo político que circula por aí, cavalheiro que já governou o seu estado e hoje tem mandato de oito anos. Episódio que me foi contado por um amigo engenheiro, que chegou a diretor de grande empreiteira paulista.

Sua empresa tinha interesse numa obra que seria realizada no tal estado e escalou meu amigo para conversar com o ilustre governador. Foi recebido na residência particular de Sua Excelência, reunião íntima, presentes o dono da casa, seu irmão e o representante da empreiteira, poltronas confortáveis, uísque da melhor qualidade.

Encheram a cara trocando ideias sobre os mais diversos assuntos. Ali por volta das 3 da madrugada, o governador disse: “Já vi que você está querendo me comprar, mas quem vai te comprar sou eu”. Levantou-se, abriu um armário, retirou bela pistola Walther PPK dourada, ainda na caixa, e presenteou o engenheiro.

Despediram-se como bons amigos e o engenheiro foi levado de carro, dirigido pelo fratello, ao hotel em que estava hospedado. No caminho acertaram os detalhes do pagamento da comissão e a obra foi entregue aos paulistas. 

Verdades

Transcorridos 18 dias de sua nomeação para ministro da Fazenda, Joaquim Levy, Ph.D. pela escola de Chicago, se tiver a centésima parte da competência que lhe é atribuída, não dura três meses. Ministros competentes não congeminam nem sequer conjuminam com o governo Rousseff.

Mas o nosso assunto de hoje volta a ser o aquecimento global, que continua nas folhas e nas telas. São palestras, estudos, estatísticas, projeções, conferências e o mais que se possa imaginar, sem prejuízo de uma torre construída no Amazonas, no meio da floresta, com altura equivalente a um edifício de 80 andares. Cientista que não for atleta tem um enfarte antes de chegar à metade da escadinha. Presumo que a torre tenha para-raios de última geração, porque nunca vi construção que implore pelos raios como a torre amazonense.

Resumindo tudo que foi dito, estudado, citado e previsto na última conferência mundial sobre o clima, peço licença para informar que a Terra, chamada Earth em inglês, Bumi em indonésio, Terre em francês, Maa em estoniano, Zem em eslovaco, Latè em crioulo haitiano, Erde em alemão e Zemlja em esloveno – preciso justificar o instalado no computador – a Terra, dizia o philosopho, desde sempre conheceu grandes alterações climáticas e territoriais, em sua esmagadora maioria anteriores à espécie humana.

O Monte Roraima, fronteira tríplice Brasil, Venezuela e Guiana, altitude 2.810m, proeminência 2.338m, já esteve no fundo do mar. Glaciações, florestas que desapareceram, milhares ou milhões de alterações antes da espécie humana, que deve ter 200 mil anos. Consta que teria havido uma glaciação entre 110 mil e 10 mil anos antes do presente 2015, mas os homens daquele período não tinham meios de influir no clima da Terra. 

O mundo é uma bola

18 de janeiro de 1486: casamento de Henrique VII da Inglaterra com Isabel de York, herdeira da Casa de York, que não tinha a menor ligação com a cidade de Nova York, onde tem feito um frio dos diabos. Magruço, Henrique VII era feio pra dedéu. Teve oito filhos com Isabel de York, um dos quais, Henrique VIII, foi aquele que mandava decapitar suas mulheres. Isabel de York ou de Iorque (1466-1503), filha do rei Eduardo IV, considerada uma das beldades de sua época, foi a única mulher na história da Inglaterra filha, irmã, mulher, mãe e sobrinha de monarcas. 

Em 1911, Eugene Ely torna-se o primeiro piloto a pousar num navio estacionado. Diz a Wikipédia que os Estados Unidos têm 11 porta-aviões, cada um com mais jatos de última geração do que os 36 suecos que o Brasil comprou e só vai receber sabe-se lá quando. Consola-nos saber que temos o NAe São Paulo (A-12), o antigo porta-aviões francês FS Foch, de médio porte, lançado em 1960 e comprado pelo Brasil há 14 anos. 

Hoje é o Dia do Esteticista.

Ruminanças 

“É preciso ajudar-se uns aos outros: é a lei da natureza” (La Fontaine, 1621-1695).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: