Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

TIRO E QUEDA
Pinel é pouco…
Quem digita 41 palavras consegue falar 138 por minuto. Ernani Pires Ferreira, locutor oficial do Jockey Club Brasileiro, bateu o recorde mundial ,com 371 palavras por minuto

 

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 21/06/2014 04:00

Parece que as pessoas normais conseguem datilografar (digitar), em média, 41 palavras por minuto. Seriam 2.460 palavras por hora ou 19.680 numa jornada de oito horas, se o digitador não fosse ao banheiro, não tomasse água, não pensasse nas contas que vencem no fim do mês. Digitar é uma coisa; escrever é outra muito diferente. Já escrevi livrinho razoável em 15 dias. Tem 54 mil palavras, média 3.600 por dia. Foi divertido. Ainda no tempo da IBM 82-C elétrica, dezenas de laudas no primeiro dia, pileque comemorativo à noite e texto penteado no dia seguinte. 

Leio na revista Veja que o Google começou a falar. Em rigor e em matéria de Google, só faltava essa: conversar com a gente. Passou a falar em português brasileiro, pois já conversava em inglês, japonês, espanhol, italiano, francês e alemão. Quem digita 41 palavras consegue falar 138 por minuto. Ernani Pires Ferreira, locutor oficial do Jockey Club Brasileiro, que conheci pessoalmente, bateu o recorde mundial, com 371 palavras por minuto.

Conversando com o Google você pergunta: “Vai chover amanhã?” e gasta 1,3 de segundo. Sua voz é captada com separação entre a fala e o barulho de fundo em 700 microssegundos. Então, é feita a transposição de sua fala para o formato de texto pela associação de cada fonema falado a um banco com 500 bilhões de combinações possíveis de letras e palavras, serviço que leva 1.000 microssegundos. Note: 500 bilhões de combinações.

Aí, os servidores do Google compreendem o sentido da frase e realizam a pesquisa em uma rede de mais de 3 milhões de computadores, utilizando como motor de busca um algoritmo baseado em 2 bilhões de termos e 500 milhões de variáveis, operação feita em 200 microssegundos.

Então, o Google informa em 100 microssegundos: “Espero que chova amanhã em São Paulo. A previsão é de 27 graus” em formato de texto para depois transformar no áudio que é recebido por você. Para obter a resposta, dependendo da velocidade de conexão com a internet e do poder de processamento de cada aparelho, você “gasta” 0,002 segundo ou 2.000 microssegundos.

Inteligentíssimo, o Google informa “Espero que chova amanhã” em vez de dizer “Amanhã vai chover”, porque deve ter sido programado pensando na meteorologia da TV brasileira, que não acerta uma. De qualquer maneira, o negócio é fantástico, porque você não precisa ficar limitado à previsão do tempo e pode fazer perguntas sobre milhões de assuntos. Após aprender que 1 microssegundo equivale a 1 milionésimo de segundo, termino este comentário para almoçar com direito a um charuto depois do café expresso. 
Argolas 

Que seria do doce de coco se não fosse o acento circunflexo? Acho que a tirada foi do Sérgio Porto, nascido Sérgio Marcus Rangel Porto (1923-1968), cronista, escritor, humorista, radialista e compositor genial, também conhecido por seu pseudônimo Stalislaw Ponte Preta.

Ainda ontem, conversando pelo telefone com o coordenador da equipe médica que me assiste, o eminente professor e amigo comentava o fato de Sérgio Porto morrer na flor dos seus 45 anos. José Guilherme Merquior, outro gênio carioca, morreu aos 49. Diplomata, crítico literário, ensaísta, sociólogo, acadêmico, entendia de Marilena Chauí como ninguém. Ela mesma, a filósofa nascida em 1941 que abomina a classe média.

Mas o fulcro, a base de nossa conversa de hoje é a importância do acento circunflexo no registro do deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA), nascido João Luiz Correia Argôlo dos Santos, em Entre Rios, BA, no mês de junho de 1980.

Luiz Argôlo é uma das reservas morais desta choldra. O acento circunflexo serve para distinguir seu ilustre nome de argolo, do verbo argolar, agora que espíritos medíocres desejam vê-lo argolado por malfeitos menores, roubos de segunda categoria diante da roubalheira que vai por aí. 

O mundo é uma bola

 21 é o dia do solstício de junho, quando começa o verão no hemisfério norte e o inverno no hemisfério sul. Portanto, é o dia mais longo e a noite mais curta no hemisfério norte e o dia mais curto e a noite mais longa no hemisfério sul, péssimo sinal para os que detestamos frio. Quer dizer que até hoje não tínhamos o inverno de 2014? Que aquele “friozinho gostoso”, como gosta de dizer a bela mulher do dono do Friboi, era somente outonal? Estou ferrado. 

Como ferrados ficaram os Francos no dia 21 de junho de 524 quando derrotados por Godomar, rei dos Burgúndios, o mais antigo povo germânico das áreas a leste do Rio Oder. De origem escandinava, seu nome nórdico era Burgundarholm. No baixo Império Romano instalaram-se na Germânia e na Gália como federados. Quando procuraram estender suas estripulias à Bélgica, foram derrotados no ano de 436 por Aécio e transferidos para Saboia, de onde se espalharam pelas bacias do Saône e do Ródano. 

Em 1662, o padre Antônio Vieira é intimado a depor perante o Tribunal da Inquisição, o que deu origem à Resposta aos 25 Capítulos sobre a acusação que lhe fora feita.

Ruminanças 


“Não se deve ser mais realista que o rei” (Chateaubriand, 1768-1848).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: