Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

Reminiscências
A guru foi um fenômeno difícil de explicar. Nunca teve estudos na área psi e se transformou em conselheira psi da mais alta sociedade do Rio

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 22/03/2014 04:00

No Rio da minha juventude havia senhora muito divertida, casada com um médico que cheirava mal, uma professora de francês que se transformou em guia, orientadora, aconselhadora psi dos filhos dos milionários. Não a conheci nessa condição e sim porque meu pai, médico, era colega de turma do marido que cheirava mal. Como soubemos dessa catinga? Fácil, porque a conselheira contava tudo e dizia lavar o paletó do pijama do marido todos os dias para tirar a catinga.Assim como falava do mau cheiro do deus do lar, contava todos os problemas dos rapazes ricos que orientava. Rapaziada que chegava de carro com chofer, coisa incomum naquele tempo. Não guardei os nomes dos orientandos, mas anotei a lista de pais que todos vocês conheceram de ouvir falar ou pessoalmente, como conheci alguns.

A guru (acabo de aprender que é substantivo de dois gêneros) foi um fenômeno difícil de explicar. Nunca teve estudos na área psi e se transformou em conselheira psi da mais alta sociedade do Rio, talvez por modismo: atendeu o primeiro menino rico, o pai contou para o amigo rico, que espalhou a notícia pelos ricaços da cidade. E o mais divertido, ou estranho, é que a guru contava os nomes e os problemas dos pacientes.

Melhorou de vida com o marido que cheirava mal: trocaram a casa de vila em Copacabana por belo apartamento na Praia do Flamengo. Um dos filhos deles casou-se com moça rica, sexófoba, que lhe dava um banho quente, de banheira, todos os dias quando voltava do trabalho – e se recusava a manter relações sexuais. Resultado: o conhecidíssimo patrício, que ainda é vivo, teve um filho com a cozinheira. Depois, foi acusado de manter relações sexuais com assassino dos mais famosos, executado no centro da cidade. A vida é muito mais complicada do que a gente possa imaginar. Vou parando por aqui e só conto os nomes dos envolvidos em off offíssimo, porque sou cavalheiro muito discreto.

Boas 
Mesmo sem os nomes dos autores, que não constam do e-mail que recebi, aqui vão algumas ruminanças boas. Status – é comprar uma coisa que você não quer, com o dinheiro que você não tem, para mostrar para gente que você não gosta uma pessoa que você não é. Sexo – é aquilo que quando é bom é ótimo, e mesmo quando é ruim ainda é muito bom. Chefe – é aquele que vem cedo quando você vem tarde e vem tarde quando você vem cedo. Homem – é aquele que sonha ser tão bonito quanto a mãe acha que ele é; ter tanto dinheiro quanto o filho acha que ele tem; ter tantas mulheres quantas a mulher acha que ele tem e ser tão bom de cama como ele acha que é. Casamento – é uma tragédia em dois atos, civil e religioso (acho que essa é do Barão de Itararé). Uísque – é o melhor amigo do homem. É o cachorro engarrafado (essa é do Vinícius de Moraes). Mulheres – são umas chatas, os homens as levam para passear, dançar, ao cinema e mesmo assim vivem reclamando que eles nunca as levam a esse tal de orgasmo. Distraído – é o sujeito que na hora de dormir beija o relógio, dá corda no gato e enxota a mulher pela janela. Amor – é aquilo que começa com um príncipe beijando um anjo e acaba com um careca olhando para uma gorda. Indigestão – é uma criação de Deus para impor certa moralidade ao estômago. Advogado – é o sujeito que salva os vossos bens dos inimigos e os guarda para ele. Beijo – pode ser uma vírgula, um ponto de interrogação ou um ponto de exclamação. Idoso – é aquele que quando jovem costumava ter quatro membros flexíveis e um duro, e passou a ter quatro duros e um flexível. Amigo – é aquele que o coração escolhe.

O mundo é uma bola 
22 de março de 1888: formação da Football League, notícia da maior relevância neste ano da Copa das Copas, que a equipe do Felipão promete ganhar apesar das ressalvas do craque Jaeci Carvalho. Realmente, cinco gols a zero na África do Sul até o Cabofriense faz. Na condição de cronista-Fifa aposentado informo ao distinto público que a seleção favorita é a alemã.

Em 1895, Auguste e Louis Lumière exibem filmes pela primeira vez numa tela particular. Portanto, hoje deve ser o dia no nascimento do cinema. Em 1903, os Estados Unidos instalam uma base militar em Guantánamo, Cuba. Em 1933, dia de glória para os pinguços: o presidente Franklin D. Roosevelt assina uma lei autorizando a produção e o consumo de bebidas alcoólicas nos Estados Unidos, acabando com a burrice da Lei Seca.

Em 1935, transmissão do primeiro programa regular de televisão através de uma antena instalada no alto da torre de rádio de Berlim. Em termos históricos foi outro dia.
Hoje é o Dia Mundial da Água.

Ruminanças 
“A televisão foi um meio inventado pelo homem medíocre para ser utilizado pela mediocridade. Deveria chamar-se mediovisão” (Millôr Fernandes, 1924-2012).

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: