Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

TIRO E QUEDA
Salamanca
Circulam na internet fotos e filmes de drones inacreditáveis. Um deles tem o tamanho e o formato de um mosquito

 

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 24/05/2014 04:00

Lenda argentino-chilena conta que salamanca é uma cova em que o aventureiro deve passar por três provas iniciáticas. A primeira consiste em resistir ao ataque de um bode malcheiroso de olhos vermelhos. A segunda é aguentar a pressão dos anéis de enorme serpente peluda chamada viborón, ou culebrón, e a última é vencer o azucrim de olhos cintilantes.

Às vezes, o diabo sai da cova sob a forma de mandinga e aparece como gaúcho luxuosamente vestido com adornos de prata. Os que estiveram na salamanca da lenda podem ser reconhecidos porque, segundo a tradição, não projetam sombras. E o negócio vai por aí para meter medo naqueles que acreditam em feitiçarias.

Na Espanha, Salamanca é uma das cidades mais ricas em monumentos da Idade Média, do Renascimento e dos períodos clássico e barroco. Foi escolhida em 2002 para Capital Europeia da Cultura e tem a fama de ser o lugar onde se fala o castelhano mais puro da Espanha, tanto assim que a sua universidade, fundada em 1218 por Afonso IX, de Leão, vem de outorgar ao pernambucano Luiz Inácio da Silva, dito o Lula, um doutorado honoris causa, o 27º que recebeu até anteontem.

Rose, que está aprendendo francês para viver na Europa com os milhões de euros depositados em Portugal, ficou deslumbrada com o vingt-septième doutorado do seu amour partagé: “Parabéns, mon chéri, pelo vinte sétimo. Volta pra presidência que é pra nós viajá pelaí”. Emocionado pelo carinho da favorita, o vinte sétimo agradeceu e ajeitou o laço da gravata para festejar em Lisboa o aniversário da Revolução dos Cravos.


Drones
Na rubrica aviation do dicionário do doutor Bill Gates, drone significa: aircraft with no pilot, an aircraft whose flight is controlled from the ground. Prefiro drone a vant, veículo aéreo não tripulado, pelos relevantíssimos serviços que os drones têm prestado ao planeta matando terroristas por Ceca e Meca. Dizem que, às vezes, suas bombas matam inocentes. É, bebé? Porventura as bombas dos aviões tripulados jogam flores e bombons?

Circulam na internet fotos e filmes de drones inacreditáveis. Um deles tem o tamanho e o formato de um mosquito. No duro: um pernilongo controlado a distância, que se gruda na roupa do investigado e transmite dados. Outro, “totalmente nacional” projetado pela marinha do país que andou a festejar o aniversário da Revolução dos Cravos, que tem o tamanho de pequeno aeromodelo, talvez 90 cm de envergadura, e foi lançado na presença de vários militares e do senhor doutor José Pedro Aguiar-Branco, ministro da Defesa: mostrou-se inútil quando, na primeira tentativa, teve um “erro de lançamento”, caindo ao mar assim que foi lançado. Foi antes um mergulho que um voo. O segundo modelo avoou, mas a mídia maldosa só mostrou o mergulhador. 


Vozes
Os sons ou conjunto dos sons produzidos pelas vibrações das pregas vocais, sob pressão do ar que percorre a laringe, são muito importantes e podem fazer a fortuna dos que os têm em condições de encantar ouvintes. O tenor Francesco Tamagno, na opinião do baixo Feodor Chaliapin, foi “a voz do século 19”. Caruso, Pavarotti, Chaliapin e tantos outros foram as vozes do século passado.

Temos agora no Senado da República Federativa do Brasil algumas vozes que deveriam ser proibidas, não pelas ideias que expressam – direito democrático –, mas pelo conjunto de sons produzidos. Em sua ignorância abissal, os senadores não sabem que a foniatria é especialidade médica que compreende o estudo da fonação e da audição, de seus distúrbios e das suas formas de tratamento.

Não digo que as suas vozes, tratadas por um foniatra, fiquem perfeitas, mas podem ficar suportáveis. Do jeito que alguns senadores produzem os sons, só a pau.


O mundo é uma bola 
24 de maio de 1098: Luís VI da França é armado cavaleiro. Qual a importância dessa notícia em Minas? Não sei, ninguém sabe, mas preciso escrever 200 palavras. Então, vamos lá: cognominado o Gordo, Luís VI (1081-1137) foi o rei dos Francos de 1108 até morrer, o quinto da dinastia dos capetianos. Portanto, quando foi sagrado cavaleiro, em 1098, ainda não era Luís VI, era o príncipe Luís, filho de Filipe I de França e de Berta da Holanda.

O reinado de Luís VI foi marcado por iniciativas que concentraram o poder na coroa. A partir do seu reinado e o de seu filho, aconselhados pelo abade Suger, a realeza começou a exercer um papel nacional nos conformes dos apelos dos seus súditos. A justiça do rei decidiria os conflitos entre diferentes vassalos, confirmaria as cartas de foral das comunas aos burgueses das cidades e garantiria as propriedades do clero.

A dinastia capetiana ou capetíngia governou a França mais de 300 anos. Seu nome veio do fundador, Hugo, duque de Francia, denominado Capeto pela capa curta que sempre usava como abade secular em St. Martin de Tours. Hugo, o mais importante vassalo de Luís V de França, conseguiu subir ao trono quando da morte de Luís V em 987. Hugo deixou quatro filhos, entre os quais Roberto I de França. Hoje é o Dia da Infantaria, do Digitador, do Telegrafista, do Vestibulando, do Barista e o Dia Nacional do Café.


Ruminanças 
“BRASIL – país rico é país sem ladroeira” (R. Manso Neto).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: