Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

TIRO E QUEDA
Fatos
Baforei o primeiro charuto diário e philosophei: os protestos contra o governo Maduro já duram meses e só devem acabar junto da República Bolivariana

Eduardo Almeida Reis

Publicação: 24/03/2014 04:00

Engravatado, o locutor do telejornal das 8h impostou a voz e disse: “Chega a 25 o número de mortos nos protestos da Venezuela”. Baforei o primeiro charuto diário e philosophei: os protestos contra o governo Maduro já duram meses e só devem acabar junto da República Bolivariana inventada pelo finado Chávez e muito apreciada pelo governo de um dos países vizinhos da Venezuela.

Em espanhol, os significados de maduro não se aplicam ao governo de Nicolás Maduro Moro: prudente, juicioso, sesudo, dicho de una persona entrada en años. Não é cavalheiro entrado em anos, como nada tem de prudente e ajuizado. Lá vai afundando uma Venezuela em que falta até papel higiênico, produto que existe desde 1857, como aprendi num programa sobre a história do banheiro, canal +Globosat, dia 6 de março de 2014. Antes, as pessoas se limpavam com penas de aves (!), sabugo de milho (espiga de milho sem os grãos) e pedras, se muçulmanas como o aiatolá Khomeini.

No tal programa, fiquei sabendo que atualmente 2.300.000 terráqueos não conhecem banheiros. Em Bangladesh a situação é desesperadora e muito parecida com o que se vê em diversos países africanos.

Volto aos 25 venezuelanos mortos nas manifestações que duram meses para lembrar ao paciente leitor que o mesmo telejornal noticiou, dois dias antes, o número de mortos no carnaval do Ceará, estado superiormente governado pelos irmãos Gomes: 71 em seis dias.

A Venezuela tem área de 916.445 km2 e 30 milhões de habitantes, enquanto o Ceará tem 148.825 km2 e 8.800.000 habitantes. Donde se conclui que no Ceará mata-se mais e melhor do que na Venezuela.

Veleiro
Thomas James Perkins, que o leitor talvez conheça como Tom Perkins, nasceu em 1932, estudou no MIT e em Harvard, e hoje tem a seguinte ocupação: venture capitalist. Não sei o que significa, mas sei que é rico pra dedéu e construiu o maior, mais moderno, revolucionário e espetacular veleiro do mundo: The Maltese Falcon. Nas velas imensas, nas toalhas de banho e rosto, em todo o barco imagens do falcão maltês, que tanto pode aludir ao tributo que o imperador Carlos V impôs à Ordem de Malta, em troca da cessão da soberania da Ilha de Malta, como ao romance do escritor americano Dashiel Hammet, publicado em 1938, ou aos filmes homônimos, um deles dirigido por John Huston, clássico da era do cinema em preto-e-branco.

De qualquer maneira, a obsessão do bilionário pelas aves falconiformes dá ideia do seu espírito e de suas intenções: falconiformes são aves de rapina e rapinação é roubo praticado com violência. Longe de mim a ideia de que a rapina seja indispensável para o sujeito progredir na vida: ainda acredito na sorte e no trabalho honesto.

Contudo, o vídeo com detalhes técnicos e imagens do iate The Maltese Falcon me deixou com pena de Tom Perkins. Qual é o “sentido” de um barco daqueles? Apesar de o vídeo informar que todo o iate pode ser operado por uma só pessoa, Tom Perkins tem tripulação, acomodações luxuosíssimas para os tripulantes e é certo que, no barco, vive cercado de bandidos de várias nacionalidades, tatuados, fugidos da Interpol. Já visitei barco do gênero, se bem que menos espetacular, e vi como são as coisas: um comandante (empregado) e nove tripulantes, todos bandidos fugitivos de várias polícias.

Pode parecer maluquice, mas faz tempo que tenho pena dos que ganham muito dinheiro. Muito dinheiro não é merreca de R$ 100 milhões da Mega-Sena, dinheiro que mal dá para comprar um jatinho caprichado, como há três ou quatro no Brasil, um deles propriedade de piedoso bispo evangélico. Muito dinheiro é de US$ 18 bilhões para cima, quadro que deixa o bilionário infeliz porque precisa faturar mais e mais, para ocupar um dos cinco primeiros lugares no ranking da revista Forbes.

O mundo é uma bola 
24 de março de 1603: Jaime I, rei da Escócia, se torna também Jaime I, rei da Inglaterra. Foi casado com Ana da Dinamarca e teve sete filhos, um dos quais Carlos I, da Inglaterra. Em 1666, o rei Carlos II, da Inglaterra, cria a província da Carolina e a divide entre oito proprietários, um dos quais, lorde Shaftesbury, teve como secretário o filósofo John Locke (1632-1704), magro, narigudo, cabeludo, ideólogo do liberalismo, considerado o principal representante do empirismo britânico e um dos principais teóricos do contrato social.

Em 1882, Robert Koch anuncia a descoberta da bactéria responsável pela tuberculose, Mycobacterium tuberculosis, também conhecida como bacilo de Koch.

Em 1976, as forças armadas da Argentina dão um golpe de estado e depõem a presidente Isabelita Perón, iniciando o Processo de Reorganização Nacional, que nada reorganizou até hoje. María Estela Martínez, conhecida como Isabelita, dançarina, foi um destes fenômenos que só acontecem na Argentina e num país vizinho.

Em 1991, Ayrton Senna vence pela primeira vez o GP Brasil de Fórmula 1. Hoje é o Dia Mundial da Tuberculose e o Dia Mundial da Juventude.

Ruminanças 

“Desejo que sejam felizes. Eu me retiro para a Europa, e deixo um país que sempre amei e amo tanto” (D. Pedro I, 1798-1834).

 

1 Comentário(s)

  1. ARIANE

    27 de março de 2014 às 12:06

    Estar cada dia menhor

    Curtir



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: