Blog dos alunos da Universidade Salgado de Oliveira, Campus Belo Horizonte, Curso de Direito.

TIRO E QUEDA
Maria Sklodowska
Também não preciso de um Nobel de sexologia para saber que as mulheres normais, de 39 e mais anos, continuam gostando das coisas boas da vida

Eduardo Almeida Reis

Publicação:28/01/2015 04:00

Nascida em Varsóvia, Polônia, em 1867, falecida em Passy, França, em 1934, Maria Sklodowska foi a única pessoa, até hoje, a receber dois Prêmios Nobel na área científica: de física, em 1903, pelas descobertas sobre a radioatividade e de química, em 1911, pela descoberta dos elementos químicos rádio e polônio. Recebeu-os com o nome de Marie Curie, como passou a chamar-se depois de se casar com o físico francês Pierre Curie (1859-1906), laureado junto com ela com o Nobel de 1903. Tiveram duas filhas. Uma delas, Irene Joliot-Curie, premiada com o Nobel da química em 1935.

Se Pierre morreu em 1906 e Marie em 1934, não preciso de um Nobel de matemática para calcular que ficou viúva durante 28 anos, a partir dos 39 aninhos. Também não preciso de um Nobel de sexologia para saber que as mulheres normais, de 39 e mais anos, continuam gostando das coisas boas da vida.

Até aqui temos uma história incomum e bonita. Marie sofreu o diabo para conseguir estudar. Pierre, ao que parece, tinha boa situação, nunca frequentou escolas. Estudava em casa e, aos 20 anos, já era doutor. Casaram-se, ela ganhou dois Prêmios Nobel na área de ciências, ele só ganhou um porque morreu logo depois.

Agora, vem o final da história. O astrônomo David Grinspoon, pesquisando os arquivos pessoais de Albert Einstein, encontrou uma carta que Einstein escreveu a Marie dizendo-se orgulhoso pela oportunidade de tê-la conhecido pessoalmente, de mesmo passo em que se dizia enojado com o tratamento que ela e as filhas vinham recebendo de parte da imprensa francesa, que a acusava de “destruidora de lares” pelo fato de namorar o físico Paul Langevin, que havia sido aluno de Pierre Curie. Langevin já estava separado e as cartas de amor trocadas entre ele a Marie teriam sido entregues aos jornais pela ex-mulher de Langevin. A campanha de certa imprensa contra Marie e as duas filhas foi tão forte que elas tiveram de se refugiar em casa de amigos. Ao que tudo indica, Langevin e Marie namoraram depois que ela enviuvou. E as fotos da época mostram que Marie era muito namorável.

Ainda bem que o Brasil, este impávido colosso de 8,5 milhões de km2 e mais de 200 milhões de habitantes, não conhece canalhices do gênero pelo fato de até hoje não ter sido lembrado para o Nobel que merece: o da corrupção.

Enfronhado

Como transitivo direto e pronominal, o verbo enfronhar significa tornar(-se) versado, instruir(-se), fazer tomar ou tomar conhecimento pleno de um assunto. Daí, o adjetivo enfronhado: que se enfronhou. Durante séculos, julguei-me enfronhado no assunto “produção de leite nos trópicos”, mas fui enfrouxecendo e hoje estou enfrouxecido. Pois é: o verbo enfrouxecer existe e significa fazer ficar frouxo, lasso. Não me lembro de o ter visto em letra de forma nem mesmo sobre assuntos sexuais. O pessoal prefere brochar, perder temporária ou definitivamente a capacidade de ter uma ereção, como queria o Houaiss, ou broxar, como defendia o Aurélio, dois dos nossos melhores lexicógrafos.

Não pense o leitor que me sentei diante do computador para escrever chulices ou tabuísmos, philosopho bem-intencionado que sempre fui. Sentei-me aqui para falar do verbo enfronhar no sentido de meter o travesseiro em fronha, uma das coisas mais difíceis que conheço. Escrevo num domingo, pouco antes do almoço, já assustado com a fronha que devo trocar à noite. É função complicadíssima, que já passei da idade de aprender.

Apavora-me a visão do travesseiro já desenfronhado sobre a cama ao lado da fronha lavada e passada, dobrada, à espera do artista incumbido da árdua missão. Com a comadre de folga, domingo é o diabo.

Terminado o belo suelto que você acaba de ler, desandei a philosophar e concluí que passaria a tarde inteira e boa parte da noite pensando na dificuldade que teria para enfronhar o travesseiro. Então, com a decisão de um grande comandante militar, gritei: “Avante!”. Fui ao quarto, lutei heroicamente e consegui enfronhar a peça. Foi duro, mas consegui. Depois, esquentei o almoço e passei o resto da tarde descansando da luta.

O mundo é uma bola

28 de janeiro de 1808: abertura dos portos brasileiros às nações amigas, mesmo porque não faria sentido abrir às nações inimigas. Em 1932, as forças japonesas começam a ocupação de Xangai. Em 1935, a Islândia é o primeiro país a legalizar o aborto, até hoje proibido num país grande e bobo, que prefere assistir ao nascimento dos seus anjinhos para mais tarde matá-los a tiros nas guerras do tráfico. Em 1942, presidido pelo ditador Getúlio Vargas, o Brasil rompe relações com a Alemanha e a Itália. Em 1943, Vargas e Roosevelt, em Natal (RN), iniciam as negociações que levariam à criação da FEB, Força Expedicionária Brasileira, durante a Segunda Guerra Mundial. O craque William Waack, um dos mais brilhantes jornalistas brasileiros, escreveu excelente livro sobre a FEB: As Duas Faces da Glória. Hoje é o Dia do Portuário e o Dia do Comércio Exterior.

Ruminanças

“Há em todas as cousas um sentido filosófico” (Machado de Assis, 1839-1908).

 

 
TIRO E QUEDA
Ministérios  
Qualquer pessoa medianamente informada fica horrorizada com o número de ministérios de um país grande e bobo

 

Eduardo Almeida Reis

Publicação:29/01/2015 04:00

 

De Sarajevo a Sófia são 570 quilômetros de estrada, enquanto de BH a Brasília temos 734 quilômetros de buracos. Por aí, dá para notar que a capital da Bósnia e Herzegovina é muito próxima da capital da Bulgária, o que explica um fenômeno só encontrado no Brasil e na Bósnia e Herzegovina, república federal dos Bálcãs.

Qualquer pessoa medianamente informada fica horrorizada com o número de ministérios de um país grande e bobo, que não se pejou de inventar o ministério da Pesca e o confiou a um cavalheiro que não sabe distinguir um pacu de um lambari, ocupado que sempre esteve pescando fiéis evangélicos para sustentá-lo e aos seus.

A Bulgária entra neste suelto pelas bulgarices que o leitor não ignora, e a sua proximidade com a Bósnia, país com menos de quatro milhões de habitantes, justifica os 350 (trezentos e cinquenta!) ministros bósnios, como contou ao Globo o jornalista e escritor Velibor Colic, refugiado bósnio que vive na França.

Colic disse que a Bósnia é dividida em três partes: a sérvia, a croata e a muçulmana. Cada uma tem o seu próprio governo e os seus ministros. Além disso, a União Europeia impõe um governo federal, que também tem os seus ministros. Resumindo, são 350 ministros para menos de quatro milhões de habitantes.

Notícia
Reza o jornalismo supimpa que é importante ouvir a outra parte, mas no telejornalismo petrolífero a providência é muito chata. Em sua delação premiada, o engenheiro Paulo Roberto Costa, o Paulinho do Lula, afirma que o ministro Fulano, o governador Beltrano, o senador Sicrano receberam milhões de dólares. Pronto: delatou. Ouvir a outra parte dá trabalho, demora e não convence, porque é claro, como também é lógico e evidente, que o ministro, o governador e o senador vão dizer que nunca receberam um ceitil, moeda portuguesa do tempo de D. João I (1385-1433). Toma tempo da produção do noticiário e do apresentador da tevê, bem como do telespectador, sem que a gente acredite no ministro, no governador, no senador.

Vejo no Houaiss que o substantivo masculino petrolato, na rubrica química, significa mistura pastosa de hidrocarbonetos derivados do petróleo, usada em cosméticos, em medicina etc. Na rubrica criminologia, petrolato passou a significar mistura de petróleo com peculato usada pelos governos petistas. E a turma continua solta.

O mundo é uma bola
A Wikipédia começa informando que hoje é o 29º dia do ano, fato que os leitores e o seu philosopho sabíamos sem consultar o Google. Isto posto, deixem-me dizer que neste dia, mas em 1712, iniciaram-se as negociações do Tratado de Utrech, que poria fim à guerra da sucessão espanhola.

Em 1825, é fundada a Faculdade de Medicina do Porto, onde, como vimos noutras edições, foi doutorada uma médica defendendo tese sobre as mãos dos portugueses.

Em 1886, Karl Benz inventa o primeiro motor de automóvel movido a gasolina. Dia desses, recebi vídeo sobre um automóvel que se dobra, invenção do MIT, que muitos dizem ser melhor do que Harvard. Hoje em Portugal é o Dia da Incontinência Urinária.

Ruminanças
“Se o vaso não está limpo, tudo que nele derramares se azeda” (Horácio, 65-8 a.C.).


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: