Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da categoria: Tecnologia & Informática

Veja empresas e órgãos públicos do Brasil que tiraram sites do ar após ciberataque

Petrobras, INSS e Ministério Público de São Paulo estão entre páginas retiradas do ar.

No Brasil, ataque de hackers afeta TJ, MP e agências do INSS

No Brasil, ataque de hackers afeta TJ, MP e agências do INSS

O ciberataque mundial desta sexta-feira (12), que afetou dezenas de países e fez hospitais públicos na Inglaterra cancelarem atendimentos e redirecionarem ambulâncias, também atingiu 14 estados do Brasil mais o Distrito Federal.

De acordo com o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da presidência, as invasões ocorreram em grande quantidade no país por meio de e-mails com arquivos infectados.

Os ciberataques fizeram com que sites do Ministério Público e do Tribunal de Justiça saíssem do ar nesta sexta. O TJ de São Paulo admitiu que computadores foram infectados, o que motivou o desligamento de todas as máquinas da instituição.

Computadores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em todo o país foram desligados após sofrerem ataque. A Petrobras também adotou medidas preventivas para “garantir a integridade da rede e seus dados”.

Segundo o GSI, “não há registros e evidências de que a estrutura de arquivos dos órgãos da Administração Pública Federal (APF) tenha sido afetada”.

Veja empresas e órgãos públicos que tiraram sites do ar:

  • Petrobras
  • Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em todo o Brasil
  • Tribunais da Justiça de São Paulo, Sergipe, Roraima, Amapá, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Piauí, Bahia e Santa Catarina
  • Ministério Público de São Paulo
  • Itamaraty
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

.

FONTE: G1.


Pedido contra praga do trote

Nélio Nicolai atendeu ao apelo de um bombeiro e inventou o Bina para acabar com o tormento das chamadas indesejadas. Mas suas ideias criativas vão muito além do aparelho inovador

“Quero o reconhecimento do meu direito, mostrar que as ideias inovadoras têm valor. Mais do que eu, o país, que está vivendo uma calamidade financeira, vai arrecadar em impostos, cobrando das empresas multinacionais pelo uso do Bina” – Nélio José Nicolai, inventor do Bina

Neto de imigrantes italianos a chegaram a Belo Horizonte para trabalhar no comércio, Nélio José Nicolai sempre gostou de resolver problemas usando a técnica de transformar coisas que existem em algo que não existe. Bem antes de a palavra inovação estar tão evidente, ele já acreditava no poder das novas ideias. Sua história com o Bina começou na década de 1970, quando se mudou de Belo Horizonte para trabalhar na Telebrasília, empresa da antiga estatal Telebras. Todo mundo no prédio onde Nélio morava em Brasília sabia que ele era eletrotécnico, que tinha fama de ser bom em resolver problemas. Foi então que um vizinho, oficial do Corpo de Bombeiros, perguntou se o inventor não poderia criar algum aparelho que colocasse fim aos trotes, na época uma pedra no sapato das corporações.
.
Desafio dado, Nélio solucionou o problema inventando um equipamento a partir da adaptação de uma calculadora que fazia a leitura prévia do número de quem estava do outro lado da linha. Daí em diante, o protótipo foi sendo aprimorado até tomar forma e se transformar no Bina, nome que pegou e apesar de ter sido deixado de lado pelas empresas quando teve início a briga pelo reconhecimento da patente, até hoje ficou na memória dos usuários. Mas de onde veio esse nome? Veio do código: B Identifica o Número de A, o que deu origem à palavra. “Mais tarde, fui descobrir que Bina em hebraico significa sabedoria, inteligência e entendimento. Fiquei ainda mais feliz com o nome.”
.
Mas muitos pesquisadores não podem reivindicar a autoria de um novo invento? “Sim, isso pode ocorrer. Mas a patente é garantida a quem primeiro registrar a ideia”, defende Nélio. Em 1992, ele patenteou a invenção e mostra contratos assinados com empresas nacionais e multinacionais. O documento que ele guarda até hoje previa o repasse de royalties, que nunca ocorreu.
.
Filho mais novo de quatro irmãos, Nélio conta que sua formatura em 1967 na Escola Técnica Federal de Minas Gerais, atual Cefet, não foi planejada. “Fui dispensado de um curso para formação de cabos porque jogava futebol e por isso não tinha completado o ginásio”, lembra. Logo depois da dispensa, ficou sabendo que a escola técnica estava com matrículas abertas. Foi quando decidiu perguntar se aceitariam no ginásio um aluno mais velho, com 18 anos. A resposta foi sim. No primeiro dia de aula, Nélio se sentiu constrangido ao ver que seus colegas eram crianças, que ainda usavam calças curtas. “Aos poucos, os professores foram me tomando como exemplo, dizendo que eu havia deixado o futebol para estudar, fui me destacando na escola e só saí de lá depois da formatura, em 1967.”
.
O primeiro emprego do inventor foi na empresa Ericsson em Belo Horizonte, como técnico. Depois mudou-se para Brasília, onde trabalhou na antiga Telebrasília, até 1986. “Sempre inventava muitas coisas, mas no trabalho sabe o que as pessoas costumavam me dizer? ‘Nélio, se isso aí fosse bom, chinês ou japonês já teriam inventado.’ Ocorre que temos muitas inovações inventadas por brasileiros, mas patenteadas por empresas estrangeiras.” Depois da invenção do Bina, o clima na estatal ficou pesado e desde então Nélio vive como desempregado.
.
Pai de quatro filhos e dois netos, ele fecha as contas com os recursos que recebe da venda de cotas de possíveis indenizações em seus processos. Toda a família acompanha os processos e aguarda pelas indenizações. Caso se torne um bilionário, Nélio Nicolai tem planos prontos para a fortuna: “Pretendo investir na pesquisa e inovação. Quero fazer parcerias com escolas, mas para um projeto diferente. Em vez de os alunos pagarem para estudar, vou pagar a eles um valor mensal para desenvolverem projetos e produtos inovadores. O Brasil tem potencial para inovar sua indústria e deixar de ser apenas um país montador.”
.
NOVAS INVENÇÕES Entre avalanches de processos judiciais que fabricantes e operadores do sistema de telefonia movem para suspender a patente do Bina, tumulto financeiro, advogados e sócios nas indenizações, Nélio não parou de criar novos produtos, ele já patenteou inventos, como uma tecnologia que, garante, acaba com a invenção de hackers, trabalhou na criação de tecnologias que avisam ao motorista e diretamente ao Detran (Departamento de Trânsito) sobre excesso de velocidade, criou um novo Bina para linha ocupada, aplicativos para controle de contas bancárias.
.
A patente do identificador de chamadas ainda não rendeu ao inventor o retorno financeiro esperado, mas já lhe rendeu reconhecimento. Além de ter viajado o mundo dando palestras em universidades como a americana Duke, no estado da Carolina do Norte. Ele também recebeu medalha de ouro da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (Wipo), em 1996, reconhecimento que ele exibe com orgulho. Em 2004, os Correios também lançaram selo comemorativo onde homenagearam o Bina como invenção nacional.
.
A seu favor ele também mostra documento da Telebras que lhe pede para testar o uso do Bina, assim como documento brasileiro que exige que as empresas de telefonia tenham sistema compatível ao Bina. “Se a tecnologia usada no mundo para identificar chamadas não fosse a do Bina, os telefones brasileiros não funcionariam no exterior para identificar as chamadas.”
.
A briga por patentes é antiga e a ideia reconhecida costuma ser a de quem primeiro registra oficialmente a invenção, mas nem sempre é fácil dizer quem é o autor de um invento tecnológico que pode ter várias contribuições, como é o caso do avião. Na abertura dos Jogos Olímpicos, a bela homenagem a Santos Dumont, com a decolagem de uma réplica de seu 14 Bis, gerou debates nas redes sociais entre brasileiros e americanos, que defendem os irmãos Wright como os criadores do avião. Tanto o brasileiro quanto os americanos são reconhecidos mundialmente por suas contribuições à aviação.
.
O próprio telefone é um invento de grandes controvérsias. Sua criação foi atribuída ao escocês Alexander Graham Bell, fundador da empresa de telefonia Bell e estudado nos livros de escola como o responsável pela criação. No entanto, após vasta pesquisa, o Congresso americano reconheceu em 2002 que o aparelho foi inventado no século 19, tendo sido testado pela primeira vez pelo italiano Antonio Meucci. A invenção teria sido criada por volta de 1860. Inteligente, mas pobre, Antonio Meucci não teria tido recursos para registrar a patente.
.
Enquanto isso… Bina indignados

 .

Ao longo de quase duas décadas de brigas judiciais pelo reconhecimento da patente do Bina e pelo direito a receber pelo uso da invenção, Nélio Nicolai se tornou conhecido e tem até mesmo seguidores que torcem pelo seu sucesso. Em Belo Horizonte, o site bina indignados.com acompanha a história da patente pleiteada pelo inventor.

.

COMO PROTEGER UMA INVENÇÃO
.
O que é uma patente?
Patente é um título de propriedade temporária sobre uma invenção ou modelo de utilidade, outorgado pelo Estado aos inventores ou autores ou outras pessoas físicas ou jurídicas detentoras de direitos sobre a criação. Com este direito, o inventor tem o direito de impedir terceiros, sem o seu consentimento, de produzir, usar, colocar à venda, vender ou importar produto objeto de sua patente e/ou processo ou produto obtido diretamente por processo por ele patenteado.
.
Qual o prazo de validade de uma patente?
A patente de produtos ou processos de atividade inventiva, novidade e aplicação industrial, tem validade de 20 anos a partir da data do depósito. Em contrapartida, o inventor se obriga a revelar detalhadamente todo o conteúdo técnico da matéria protegida pela patente.

.

É possível patentear uma ideia, não?
Em primeiro lugar, a Lei de Propriedade Industrial (LPI) exclui de proteção como invenção criações, ideias abstratas, atividades intelectuais, descobertas científicas, métodos ou inventos que não possam ser industrializados. Algumas dessas criações podem ser protegidas pelo direito autoral, que nada tem a ver com o INPI.
.
Como proteger uma invenção ou criação industrializável?

É preciso depositar um pedido no INPI, o qual, depois de devidamente analisado, poderá se tornar uma patente, com validade em todo o território nacional.
.
Como posso depositar um pedido de patente?
Desde março de 2013, o pedido de patente pode ser feito pela internet, através da plataforma
e-patentes.

.

FONTE: Estado de Minas.


Implantação do 9º dígito faz créditos da Vivo virarem pó com cobrança indevida

Implantação do 9º dígito faz créditos da Vivo virarem pó com cobrança indevida
LILIANE ALVES: “Tentei ligar para o meu enteado, mas uma ligação dizia não haver saldo suficiente”

.

Uma pane no sistema da operadora de telefone Vivo no dia da implantação do nono dígito, no domingo (11), deixou muitos clientes sem fala. Literalmente. Na data, houve uma espécie de desconfiguração no ramal que atende aos clientes que fizeram portabilidade no passado. Dessa forma, a telefônica parou de reconhecer os números portados como próprios e cobrou indevidamente pelas ligações de Vivo para Vivo, que deveriam ser gratuitas. Como reflexo, os créditos dos consumidores dos planos pré-pago e controle viraram poeira.

.

“Eu tentei ligar para o meu enteado, mas ouvia uma ligação dizendo que eu não possuía saldo suficiente. Meu marido também não conseguiu falar com ele. Eu percebi na hora que havia uma coisa errada, pois as ligações para qualquer número da Vivo estão incluídas no meu plano”, lamenta a empresária Liliane Alves.

.

Ela afirma que o problema foi aparentemente solucionado, já que consegue efetuar ligações normalmente. Mas não sabe se tem algum crédito a ser estornado. “Ainda não sei se houve ressarcimento, mas vou ligar para a operadora para saber”, comenta. Segundo a Vivo, o ressarcimento será realizado por meio da próxima conta..

.

Reembolso

.

Segundo o coordenador-geral do Procon Assembleia, Marcelo Barbosa, entrar em contato com a operadora para saber se algum crédito foi consumido e como será o reembolso é o primeiro passo de quem foi lesado.

.

Caso seja confirmada a cobrança indevida, ou seja, se a pessoa já tiver pago pelos créditos que foram consumidos, Marcelo Barbosa alerta que o artigo 42, parágrafo único, do Código de Defesa do Consumidor (CDC) diz que o reembolso deva ser em dobro. A resolução 632 da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) também dispõe sobre o ressarcimento em duas vezes o valor da cobrança.

.

“O ideal é que a operadora faça o ressarcimento em dobro sem que haja um pedido do cliente. Porém, como isso costuma não acontecer, o consumidor deve entrar em contato com a empresa e solicitar o reembolso que lhe é de direito”, comenta.
.

Anatel

.

Se ainda assim a operadora não arcar com a obrigação, Marcelo Barbosa alerta que o cliente deve acionar a Anatel e, posteriormente, o Procon para fazer valer seus direitos. Para isso, é necessário ter o número do protocolo que comprove o contato do consumidor com a operadora e a conta, que mostre a cobrança indevida.

.

Segundo o coordenador-geral do Procon, o erro também fere o artigo 14 do CDC, que garante ao consumidor uma boa prestação de serviços. “Se alguém teve algum prejuízo nesse período em decorrência de não conseguir fazer ligações, essa pessoa deve ser indenizada”, afirma.

.

A Vivo informou que já regularizou o sistema de telefonia. Em nota, a operadora garantiu que “os clientes impactados por essa ocorrência técnica, que realizaram chamadas a partir das 7h30 do domingo (11), estão sendo identificados para aplicação do devido ressarcimento”, diz o texto.

.

FONTE: Hoje Em Dia.


Celulares passam a ter um 9 à frente do número neste domingo

Aplicativos fazem a troca automaticamente, mas, nos aparelhos mais antigos, a alteração tem que ser manual

As 26,5 milhões de linhas de telefone móvel em Minas Gerais terão nove dígitos a partir de amanhã.
.
A medida cumpre a resolução da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), de 14 de dezembro de 2010, que busca aumentar a disponibilidade de números na telefonia celular e dar continuidade ao processo de padronização da marcação das chamadas, além de garantir a disponibilidade de espaço para novas aplicações e serviços. Para evitar a árdua tarefa de colocar o algarismo 9 na frente de cada contato, operadoras disponibilizam aplicativos para a atualização da agenda, porém, a tecnologia só é aplicada para quem tiver smartphones. Os demais deverão fazer a troca manualmente..
A medida passa a valer agora, mas, até o dia 20 de outubro, as chamadas feitas com oito dígitos ainda serão completadas normalmente. Portanto, há um prazo de 10 dias para que os usuários se adaptem à alteração. Já a partir do dia 21, as chamadas não serão mais completadas e uma gravação fará o aviso sobre a mudança, que vale também para os estados da Bahia e Sergipe. A partir de 20 de novembro, as mensagens de SMS e MMS não serão enviadas caso o usuário persista em usar oito dígitos e, a partir de 19 de janeiro de 2016, as chamadas dos DDDs que tenham ganhado o nono dígito ouvirão a mensagem de número inexistente sem qualquer orientação caso o cliente digite apenas oito números. Os números que são usados como terminais de rádio não mudam..
O ganho de mais um dígito é gratuito e não altera o saldo de créditos dos assinantes de telefones pré-pagos, assim como a validade dos créditos que também não sofrerá alteração pela mudança. Para quem estiver em processo de portabilidade, a Anatel garante que não haverá problema e o procedimento ocorrerá normalmente. Quem ligar de qualquer telefone – seja fixo ou móvel – para um telefone celular que tenha o nono dígito acrescentado terá de acrescentar o 9 antes do número antigo para que a ligação seja completada. As ligações para outros estados continuarão sendo feitas da mesma forma: 0 + Código da Operadora + Código de Área + 9 e o número do celular.

.

A medida vale apenas para linhas móveis, o que inclui mini-modem e máquinas de cartão. O usuário que tem dois chips em um único aparelho deve atualizar ambos. A mudança afetará todos os celulares dos DDD 31, 32, 33, 34, 35, 37 e 38, em Minas Gerais. Desde de 2012, estados brasileiros estão ganhando o nono dígito de acordo com o cronograma estabelecido pela Anatel. São Paulo foi o primeiro, seguido por Rio de Janeiro e Espírito Santo, em 2013. Em novembro do ano passado, foi a vez do Pará, Amazonas, Roraima, Amapá e Maranhão ganharem o algarismo. Este ano, em maio, Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí tiveram a alteração. O objetivo da Anatel é de que, até 31 de dezembro de 2016, as linhas móveis de todo o país sejam alteradas.
.
Aplicativos
.De acordo com a Anatel, cabe ao próprio usuário providenciar essa mudança em sua agenda de contatos. As operadoras disponibilizam aplicativos para facilitar essa alteração da agenda e Embratel também lançou o seu, assim como a mineira Leucotron Telecom. Todos eles estão disponíveis para versões Android e iOS e, de acordo com as empresas de telefonia, os clientes estão sendo avisados sobre as alterações e sobre a existência dos aplicativos, via SMS. Além disso, as operadoras têm páginas na internet com mais informações. Todos os apps são gratuitos e podem ser baixados por qualquer pessoa, cliente ou não da empresa.
.

Segundo informou a Leucotron, seu aplicativo funciona para todas as operadoras e permite relacionar os números que serão modificados, adicionar DDD, e incluir Código de Seleção de Prestadora (CSP). A atualização é inteligente e pode ser feita de forma automática, pois o aplicativo identifica as operadoras que já estão trabalhando com o nono dígito e que, portanto, merecem o acréscimo do nove.

.

FONTE: Estado de Minas.


Hacker mineiro identificado
Jovem de classe média, do Bairro Cidade Nova, em BH, é acusado de participar de grupo internacional que invadia contas-correntes. PF estima que só ele deu prejuízo de R$ 1 miComputadores, notebooks, HDs externos e pendrives que pertencem ao jovem de BH, foram apreendidos (</p>
<p>Euler JÚnior/EM/D.A Press)Um grande fórum internacional usado por hackers para troca de informações de crimes cibernéticos foi desarticulado em operação conjunta entre a Polícia Federal (PF), agentes do Bureau Federal de Investigações (FBI) e da Europol. As ações ocorreram em 18 países das Américas do Sul e Norte, e Europa. Mandados foram cumpridos contra 62 pessoas. No Brasil, dois moradores de Goiás foram presos e um jovem de 25 de Belo Horizonte foi conduzido coercitivamente à delegacia. Somente o mineiro, segundo o delegado Luiz Augusto Pessoa Nogueira, chefe da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos da PF, deu prejuízo superior a R$ 1 milhão. A organização invadia contas bancárias de correntistas, clonava cartões de crédito e vendia software e programas usados nos golpes.

.
O jovem de BH, que não teve o nome divulgado, foi ouvido e liberado. De acordo com o delegado Luiz Nogueira, o homem é de classe média alta, morador do Bairro Cidade Nova, na Região Nordeste da capital. A PF conseguiu encontrá-lo na residência. Um mandado de busca e apreensão também foi cumprido na empresa onde o acusado trabalha, também na capital mineira. “Ele já tinha sido preso em flagrante em 2014 por cartão clonado. Por ser um crime que não é violento e por ser réu primário, foi solto pela Justiça. Estimamos que possa ter dado prejuízo de, no mínimo, R$ 1 milhão. Mas não tem como mensurar ainda”, explicou o delegado. Dois computadores, dois notebooks, além de hds externos e pendrives que pertencem ao investigado, foram apreendidos para análise.

.
O suspeito será ouvido nos próximos dias para passar informações sobre o caso. O delegado não descartou fazer um acordo de cooperação ou de delação premiada com o jovem. Ele deve responder por furto qualificado mediante fraude e também pode ser enquadrado em associação criminosa. Se condenado nos dois crimes, pode pegar 11 anos de reclusão. Segundo as investigações, no fórum, os integrantes são qualificados de acordo com suas habilidades, em classificação entre 0 a 5. Os brasileiros ocupam a posição dois.
.
INVESTIGAÇÕES As investigações começaram em março depois que um agente internacional conseguiu acesso ao fórum, chamado de Darkode, mesmo nome dado a operação. O sistema está hospedado em uma Deep Web (Web profunda). O espaço não pode ser encontrado com buscadores comuns, por isso, a dificuldade de se chegar até ele. “Nesse fórum você só consegue fazer parte por meio de um convite. Quando o indivíduo criminoso é convidado, tem que demonstrar o motivo de pertencer ao grupo, por exemplo, quais qualidades tem, o que já fez. Também tem que dizer como vai contribuir para aquele grupo, sempre de forma ilícita”, explica o delegado Luiz Augusto Pessoa Nogueira, responsável pelas apurações em Minas Gerais.

.
Os integrantes do grupo usavam o fórum para adquirir informações dos crimes cibernéticos praticados em todo mundo. Desta forma, conseguiam aprofundar na prática criminosa. A maioria dos golpes se referia à invasão de contas bancárias de correntistas de bancos. “Os criminosos realizavam transferências fraudulentas e também clonagem de cartões de créditos. Além disso, trabalhavam com a venda de produtos chamados de botnets”, explica o delegado.

.
A operação vai seguir para tentar encontrar novos integrantes da quadrilha em todo mundo. Assim, a PF pretende diminuir os crimes desta natureza no país. “Como é um fórum internacional, a presença de brasileiros ainda não era grande, apenas três foram identificados. O que vai ser muito importante, neste primeiro momento, é a integração das policias cibernéticas do mundo afora”, comenta Nogueira.

.

Mineiro participava de grupos internacionais de invasão de conta

Jovem 25 anos foi identificado e levado para prestar depoimento pela Polícia Federal (PF) por participar de de um grupo internacional de hackers invadia contas bancárias; operação acontece em todo mundo

Cidades - Portal - Do dia - Belo Horizonte MG<br />
A policia federal deflagrou hoje a operacao internacional denominada DARKODE com o intuito de coibir crimes praticados por hackers brasileiros que atuavam de forma integrada com hackers internacionais .</p>
<p>FOTO:

A policia federal deflagrou hoje a operacao internacional denominada DARKODE com o intuito de coibir crimes praticados por hackers brasileiros que atuavam de forma integrada com hackers internacionais. Na foto: da esquerda para a direita Dr Luiz Augusto Pessoa Nogueira delegado chefe da delegacia de crimes ciberneticos e o Dr Alexandre Leao chefe regional da policia federal de Minas Gerais
Um mineiro de 25 anos foi identificado e levado para prestar depoimento pela Polícia Federal (PF) por participar de de um grupo internacional de hackers que invadia contas bancárias. Ele foi pego durante uma operação conjunta entre a Polícia Federal, a Bureau Federal de Investigações (FBI), a Europol e outras polícias internacionais.

A operação acontece simultaneamente em 18 países e tem 62 alvos, no mundo todo. Dentre os alvos, estão três brasileiros, dois de Goiânia e um de Belo Horizonte. Segundo a polícia, o mineiro de 25 anos é de classe média alta e mora no bairro Cidade Nova, região Nordeste de Belo Horizonte.

Segundo a polícia, a quadrilha agia clonando cartão de crédito e acessando contas por meio da internet. O suspeito teria roubado R$ 1 milhão. A polícia vai continuar investigando ele que foi ouvido e liberado.

Na casa dele foram apreendidos dois computadores, dois notebooks, além de pen drives e HDs. O mineiro trocava informações com criminosos por meio de um fórum chamado Darkode, que também deu nome a operação.

 

 

 

FONTE: Estado de Minas e O Tempo.


Belo Horizonte será monitorada por drone e dirigível

 

ARTE HD
Arte drone

 

A Polícia Militar de Minas irá contar com mais um reforço para combate à criminalidade na capital. Além do drone que começa a operar em agosto deste ano, conforme o Hoje em Dia mostrou cem primeira mão na edição de 20 de junho, a corporação terá um dirigível, que vai atuar dentro do perímetro da avenida do Contorno a partir de 2016.
 .
O equipamento, que ainda está em estudo, tem de três a sete metros comprimento e terá atuação 24 horas por dia, sete dias por semana. Os comandos serão dados de uma central de monitoramento que será responsável por manusear, além da aeronave, as câmeras de vigilância. “O equipamento tem maior capacidade de carga, podendo levar até oito câmaras de vídeo, podendo atuar durante o dia e a noite”, explica o tenente Telmo Tassinari, responsável pelo projeto de Monitoramento Aéreo do 1º Batalhão.
 .
O custo médio do equipamento pode chegar a R$ 200 mil, dependendo do material escolhido como câmaras de alta resolução, lentes infravermelho e que auxiliem no mapeamento de área. “A experiência do drone irá permitir identificarmos qual será o material adequado para o patrulhamento de toda a área de atuação do batalhão”, explica o comandante do 1º Batalhão, tenente-coronel Vitor Araújo.
 .
As filmagens, assim como as captadas pelo drone, serão encaminhadas para central de monitoramento. O Centro de Controle, que também gerencia as câmeras do Olho-Vivo, será responsável por transmitir as imagens.
 .
A expectativa agora é para o parecer da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que irá autorizar os voos em Belo Horizonte.
 .
Nesta primeira etapa, o drone terá vigilância no perímetro das praças 7, Estação, Savassi, Liberdade, Assembleia Legislativa de Minas Gerais. “Mapeando cinco locais de maior circulação e aglomeração de pessoas e onde há histórico de grande eventos. Uma ótima oportunidade para testarmos a atuação do equipamento”, diz o comandante Araújo.
 .
A aquisição da aeronave é garantida pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-bh). Para o presidente da instituição, Bruno Falci, irá melhorar a segurança para lojistas, funcionários e principalmente, clientes. “Daremos o apoio financeiro, pois acreditando que isso irá melhorar a qualidade da segurança na capital”.

.

FONTE: Hoje Em Dia.


TECNOLOGIA
Após 6 anos de testes, Gmail ganha ferramenta para cancelar mensagem

A chance de desfazer um envio de e-mail sempre foi um dos itens mais requisitados por usuários, principalmente por dois motivos

Contas do Gmail podem ter sido invadidas

Para configurar, basta acessar “Configurações” (clicando no canto superior direito), clicar na aba “Geral”, e marcar a opção “Ativar cancelamento de envio”


Após um período de testes de mais de seis anos, o Google anunciou nesta segunda-feira (22) que a opção de “Cancelar envio” no Gmail agora é ferramenta básica do serviço de e-mail. Desde março de 2009 o cancelamento fazia parte do “Google Labs”, espaço do Google para testar novidades.

Para configurar, basta acessar “Configurações” (clicando no canto superior direito), clicar na aba “Geral”, e marcar a opção “Ativar cancelamento de envio”. É possível escolher entre cancelar mensagens após 5, 10, 20 e 30 segundos.

A chance de desfazer um envio de e-mail sempre foi um dos itens mais requisitados por usuários, principalmente por dois motivos. Um mais técnico: mandar a mensagem por engano ou simplesmente se esquecer de incluir uma informação importante. O outro mais comportamental: quando o envio é feito em um “ataque de fúria”. Agora, ao menos por 30 segundos, os internautas têm a chance de não se arrependerem.

Aos usuários interessados em participar dos testes do Google Labs, acesse a aba “Labs” e marcar “Ativar” nas opções disponíveis. No entanto, por se tratar de uma ferramenta experimental, o Google não garante 100% de êxito.

.

Ops… Bateu o remorso?
Google lança serviço de cancelamento de e-mail após envio. No entanto, tempo máximo para voltar atrás é de 30 segundos

Quem nunca mandou um e-mail na correria e só depois de ter clicado no “bendito” botão de enviar se deu conta que chamou o Renato, aquele contato profissional importantíssimo, de Renata e ainda se despediu com um “valeu”? Cadê a função ‘Ctrl + Z’ para voltar tudo e não passar por esse papelão? Pois bem, o Google atendeu o desejo dos milhões de usuários do Gmail e anunciou, nesta semana, que o recurso de cancelamento de e-mail depois do envio passa a ser ativo no serviço. O desanimador é que o sistema vai dar ao usuário míseros 30 segundos para voltar atrás e desfazer a ação. Um tempo, no mínimo, curto demais… mas que pode te salvar de alguns apuros.

A ferramenta vem sendo testada desde 2009, quando foi lançada de forma experimental no laboratório da empresa. Também já estava disponível no aplicativo Inbox do Gmail. Mas só agora o serviço está à disposição de todos, seja na web ou nos sistemas Android e iOS dos dispositivos móveis. “Todos nós precisamos de viajar de volta alguns segundos de vez em quando”, justificou o Google em seu blog oficial.

NA EMPRESA Brincadeiras à parte, há quem realmente já tenha se dado mal por uma mensagem que não deveria (mesmo) ter sido enviada. Se nas relações afetivas ainda é possível fazer manha e apelar para o “não foi isso que eu quis dizer”, no ambiente profissional o problema pode ser irreversível. A especialista em recursos humanos Elaine Andrade dos Santos, diretora de educação da Associação Brasileira de Recursos Humanos, Seção Minas Gerais (ABRH–MG), conta que é muito comum o uso inadequado da ferramenta de comunicação.

“Teve um colaborador de uma equipe que recebeu um feedback que não gostou e resolveu comentar com um colega de trabalho por e-mail. Questionou a competência do seu gestor e difamou sua imagem. Mas na hora de enviar a mensagem, mandou para o chefe”, lembra Elaine. Claro que no desfecho da história o empregado foi penalizado e demitido.

Em outro caso, Elaine conta que uma funcionária encaminhou uma solicitação à gerente, que a respondeu – com cópia para várias pessoas, incluindo o diretor – de forma grosseira. “O que você digitou já foi. A imagem fica negativa. É preciso tomar cuidado com a forma de escrever, porque você não tem o domínio de como vão interpretar”, afirma a especialista. Respirar, reler, ou até esperar o dia seguinte são dicas preciosas que valem para não reagir de forma equivocada.

Se com a novidade do Gmail nem mesmo os 30 segundos livres para o arrependimento o salvaram, fique atento à dica da especialista: reconheça o erro prontamente! “Peça desculpas. Mande outro e-mail ou telefone”, orienta Elaine Santos.

 

#Fikdik

Orientações para o envio de e-mails profissionais

» Evite texto em caixa alta. Parece que você está gritando com seu destinatário
» Evite negrito e palavras em outra cor
» Procure ser objetivo
» Não trate problemas conflituosos por e-mail. É um canal útil para validar decisões, mas não para tomá-las
» Direcione o e-mail só para quem é o interessado no assunto
» Cuidado com erros de português e excessos da linguagem virtual, como as abreviações
» Leia, releia e até espere para responder no dia seguinte se o     conteúdo da mensagem o deixou nervoso. Pode ser que você julgue desnecessária a resposta ou até tome outra atitude mais madura

Fonte: Elaine Andrade dos Santos, diretora de educação da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH- MG) e especialista em recursos humanos

Se, mesmo depois das dicas, você deu ‘mancada’, 
confira o tutorial de como cancelar o envio do e-mail:

1 – Vá em configurações:
2 – Na aba Geral, clique em cancelar envio. Por padrão, a opção de cancelamento do envio fica desativada.
3 – Escolha o tempo limite de cancelamento: 5, 10, 20 ou 30 segundos
4 – Salve sua alteração
5 – Ao enviar um e-mail, aparecerá a opção “desfazer” na parte superior da tela. A ‘mágica’ está feita.

.

FONTE: O Tempo e Estado de Minas.



%d blogueiros gostam disto: