Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: adeus

Spock nunca permitiu que Leonard Nimoy atingisse velocidade de escape

O título da autobiografia de Leonard Nimoy era “I Am Not Spock”, e isso foi tamanha ofensa para alguns fãs que ele publicou um segundo livro intitulado “I Am Spock”.

O ator que conquistou lugar permanente no altar da cultura pop ao interpretar o sr. Spock em “Jornada nas Estrelas” era quase igualmente famoso por seu desejo de ser recordado por outras coisas.
O que é altamente ilógico, é claro.

É difícil pensar em outro astro identificado de maneira tão próxima e afetuosa com um único papel. Até mesmo George Reeves, o primeiro Super-Homem da televisão, havia antes interpretado um dos gêmeos Tarleton em “…E o Vento Levou”.

É ainda mais difícil pensar em um personagem de TV que tenha incorporado de maneira tão plena um determinado tipo de personalidade. Da mesma forma que mr. Scrooge, de Dickens, se tornou sinônimo de sovinice e que Peter Pan se tornou uma síndrome, Spock passou a personificar a racionalidade fria.

Os romances e filmes de mistério oferecem Sherlock Holmes como exemplo último do herói cerebral e distante. Até “Jornada nas Estrelas”, a televisão não dispunha de um personagem tão distintiva -e irresistivelmente – controlado, cerebral e minucioso. (Mr. Peabody, no desenho de Rocky e Bullwinkle, ficava perto, mas ele era um beagle, e bastante afetuoso, ao seu modo ranzinza.)

O “Jornada nas Estrelas” original, criado por Gene Roddenberry, estreou em 1966 e só ficou três temporadas em cartaz, mas na realidade jamais saiu de cena: continua vivo em reprises, refilmagens, adaptações cinematográficas, quadros de humor, fantasias de Dia das Bruxas, convenções, brinquedos, histórias escritas por fãs e paródias infinitamente cafonas disponíveis no YouTube.

A geração baby boom (nascidos entre 1946 e 1964, no pós-guerra) cresceu sob os cuidados dos dois Spocks – Mr. Spock e o doutor Spock, mas hoje o personagem de “Jornada nas Estrelas” é muito mais relevante que o pediatra Benjamin Spock.

Mesmo pessoas que nunca assistiram a qualquer das séries ou filmes “Jornada nas Estrelas” conhecem as palavras “vulcano” e “Spock”, e as empregam. Maureen Dowd, colunista do “New York Times”, descreveu a frieza distanciada do presidente Barack Obama como “coisa de vulcano”.

Obama posou para fotos no Gabinete Oval com Nichelle Nicholls, que interpretava a tenente Uhura, fazendo a saudação vulcana com os dedos separados.

“Jornada nas Estrelas” tem muitos personagens queridos, mas Spock se destaca como protótipo: uma figura que parecia nova mas tinha raízes clássicas.

Spock em geral era invulnerável ao amor, mas sua mãe (interpretada por Jane Wyatt) era humana, o que significava que ele nem sempre era capaz de reprimir seus sentimentos.

E isso o tornou o mais inacessível e romântico herói que se poderia imaginar – Hipólito, o guerreiro casto e desdenhoso de Eurípides, ou um Mr. Rochester [personagem do romance “Jane Eyre”, de Charlotte Brontë] para a era da ficção científica. Naturalmente, alguns dos episódios mais memoráveis da série giram em torno da vida amorosa extraterrestre do Sr. Spock.

Em “Amok Time”, Spock subitamente começa a se comportar erraticamente e confessa que está no cio, por assim dizer: em sua temporada de acasalamento, os vulcanos retornam à sua luxúria primeva. (Ele sobreviveu.)

No episódio “This Side of Paradise”, Spock é infectado por misteriosos esporos de uma planta durante uma missão, e o efeito é um súbito acesso de felicidade e romantismo.

Mas seu elo mais forte era com o capitão James T. Kirk, interpretado por William Shatner, e a amizade entre eles ainda ecoa.

Shatner deixou a série para trás; encontrou até um novo parceiro na telinha, James Spader, no seriado “Boston Legal”. Nimoy persistiu na carreira por algum tempo, por exemplo interpretando Paris em “Missão Impossível”, e fez muito teatro, mas enfrentou dificuldades para obter papéis que eclipsassem o impacto de Spock.

Voltou-se à filantropia e à arte, publicando discos de poemas e diversos livros de poesia e fotografia, entre os quais uma coleção de nus de mulheres com excesso de peso, intitulado “The Full Body Project”.

Um pouco como Spock, exposto ao conflito entre seus dois lados, Nimoy se viu dividido entre sua verdadeira pessoa e sua identidade em “Jornada nas Estrelas”, que os fãs desejavam tão apaixonadamente vê-lo prolongar.

Emprestou sua voz em 2012 a um boneco de Spock no seriado “The Big Bang Theory”, em um episódio no qual Sheldon (Jim Parsons) sonha que seu Spock de brinquedo é real. Mesmo essa breve presença alude à ambivalência de Nimoy quanto ao seu estrelato. Sheldon fala com emoção sobre a sensação de estar de verdade na ponte de comando da espaçonave Enterprise. O boneco Spock responde: “Pode acreditar: depois de algum tempo, isso cansa”.

Os fãs nunca se cansaram, porém. Nos anos finais de sua vida, Nimoy passou a usar o Twitter, e encerrava suas mensagens com uma abreviação que alude à saudação vulcana: “Live long and prosper”.
LLAP parece muito melhor do que RIP.

FONTE: UOL.


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 05/01/2015.

SEM POMPA, SEM BRILHO…

Último adeus »

Enterro de Hilda Furacão reúne apenas duas pessoas em Buenos Aires

Sepultamento da brasileira no Cemitério de Chacaritas ocorreu sem pompa no último dia 31

Parte da memória de BH, Hilda foi reencontrada pelo Estado de Minas na capital argentina em 2014 (Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

Parte da memória de BH, Hilda foi reencontrada pelo Estado de Minas na capital argentina em 2014
.

O corpo de Hilda Maia Valentim, o nome verdadeiro de Hilda Furacão, que fez história na Zona Boêmiade Belo Horizonte, na década de 1950, está sepultado no Cemitério de Chacaritas, o mais popular de Buenos Aires, sem qualquer alusão ao fato de ela ter sido mulher e viúva de um dos maiores jogadores da história do Boca Juniors, Paulinho Valentim, como era conhecido, que também defendeu o Atlético, seu primeiro clube como profissional.

.

O sepultamento aconteceu no último dia 31 de dezembro e, segundo o Dr. Jorge Stolbizer, diretor do Hogar Guillermo Rawson, o asilo onde ela passou seus últimos dias, em Buenos Aires, somente ele e uma mulher, funcionária do Consulado brasileiro naquela cidade, mas que pediu sigilo absoluto, compareceram á cerimônia. Ninguém reclamou o corpo. Não apareceu nenhum parente. Seu ente mais próximo, o filho Ulisses, já havia morrido há um ano e meio e também foi sepultado no mesmo local.

.

A morte de Hilda ocorreu no dia 29. Ela já não se alimentava há cerca de 10 dias e foi encontrada morta em seu leito, num dos quartos do Guillermo Rawson. “Não houve qualquer pompa. Foi uma cerimônia bem simples”.

.

O jornal Estado de Minas, versão on line, de Belo Horizonte, traz uma chamada no site UAI anunciando a morte de Hilda Furacão, porém, por enquanto, o link abre uma página em branco.

 

Hilda

VEJA AQUI A HISTÓRIA DE HILDA FURACÃO!

CONFIRMADO: Hilda Furacão morre em asilo de Buenos Aires

 

Pernambucana que tornou-se célebre na noite de Belo Horizonte viveu a última metade da vida na capital argentina, para onde mudou-se com o marido, o jogador Paulo Valentim

 

Hilda2

Fonte de inspiração da personagem misteriosa de Roberto Drummond, Hilda Maia Valentim foi reencontrada aos 83 anos pelo repórter Ivan Drummond, do Estado de Minas, no último mês de julho (na foto, Ana Paula Arósio, interpretando).
.
Veja aqui mais fotos de Hilda!
.
Personagem mítica da noite de Belo Horizonte, Hilda Furacão morreu de causas desconhecidas nesta segunda-feira, 29, em Buenos Aires, onde morava desde os anos 1980.
.
Encontrada pelo Estado de Minas no último mês de julho, a mulher que inspirou romance de Roberto Drummond vivia em um asilo na capital argentina, com recursos da prefeitura local.
.
Nascida no Recife, Hilda Maia Valentim foi famosa na BH dos anos 1950, época em que vivia da prostituição. Anos mais tarde casou-se com o jogador Paulo Valentim e mudou-se para o país vizinho quando o marido foi contratado pelo Boca Juniors.
.

Nascida no Recife, Hilda Maia Valentim foi famosa na BH da década de 1950, época em que vivia da prostituição. fez história na Zona Boêmia de Belo Horizonte, fazendo ponto no Maravilhoso Hotel da Rua Guaicurus, e ganhou notoriedade na obra de Roberto Drummond com a obra que levava sua alcunha como título. Em seus documentos, herdou o último sobrenome ao se casar com o ex-jogador de Atlético, Botafogo, Boca Juniors e da Seleção Brasileira, Paulo Valentim.

.

Segundo os médicos, Hilda agonizava há cerca de 10 dias e já não comia. A direção do asilo, que trata essa morte como a de uma celebridade, tenta que a Associação dos Ex-jogadores do Boca Juniors faça o sepultamento. Caso a resposta seja negativa, o próprio hogar arcará com as despesas, já que ela estava internada, lá, por conta da municipalidade, que tem uma lei especial para ajuda a idosos.

.
Hilda Valentim morreu sozinha. Sua única companhia eram os outros idosos que também eram moradores do mesmo asilo. Por muitos deles, ela era cultuada, e não eram poucos os velhos torcedores do Boca que se aproximavam e entoavam a cantiga que a torcida dirigia a Paulo Valentim: “TIM, TIM, TIM, gol de Valentim”.

.
O sepultamento, seja através da associação dos veteranos do clube ou correndo por conta da municipalidade, acontecerá no Cemitério de Chacaritas, em Buenos Aires, onde também foi sepultado Paulo Valentim, cujos ossos já foram retirados. Não existe hoje nenhum registro, nenhuma lápide ou placa referente ao fato de ele, um dos maiores ídolos da história do Boca, ter seu corpo ali guardado. O único registro está no livro do cemitério.

.

Hilda Furacão morre na Argentina

Hilda Furacão foi eternizada em livro de Roberto Drummond e minissérie.
Em agosto reportagem do Fantástico foi a asilo e conversou com ela.

Hilda Valentin em agosto de 2014 durante entrevista ao Fantástico (Foto: Reprodução/ TV Globo)
Hilda Valentin em agosto de 2014, durante entrevista ao Fantástico

Hilda Maia Valentim, conhecida como Hilda Furacão, morreu na manhã desta segunda-feira (29) no asilo Guillermo Rawson, em Buenos Aires, na Argentina, segundo informou ao G1 o diretor da instituição, Jorge Stolbizer. Ela foi eternizada em um livro escrito por Roberto Drummond. A história virou minissérie, exibida em 1998 pela TV Globo, na qual Ana Paula Arósio representou a personagem.

Hilda era viúva do ex-jogador do Boca Juniors Paulo Valentim. O jornalista Ivan Drummond, parente de Roberto Drummond, foi quem localizou Hilda no país vizinho. Uma assistente social brasileira entrou em contato com Ivan após elucidar a história da paciente. Em agosto de 2014, a reportagem do Fantástico foi até o asilo e conversou com Hilda, que na época estava com 83 anos.

Hilda e e o jogador Paulo Valentin (Foto: Reprodução/ TV Globo)
Hilda e e o jogador Paulo Valentin

De acordo com Jorge Stolbizer, a morte aconteceu às 10h10 por “causas multiorgânicas” – ela começou a ficar debilitada por um problema respiratório, depois agravado por uma falha renal. Hilda era mantida numa ala de internação há oito meses devido à saúde frágil. Até um mês atrás, estava totalmente lúcida. Depois, passou a ter “flashes” eventuais de lucidez.

Segundo Stolbizer, ela nunca foi visitada por familiares enquanto esteve no asilo e, por enquanto, não foi possível localizar nenhum parente para encaminhar as questões ligadas ao enterro. Se ninguém próximo fizer contato, Hilda deve ser enterrada no Cemitério de Chacarita, na capital argentina.

Viúva desde 1984, ela morava com um filho até que ele morreu, no ano passado. Hilda sofreu uma queda e ficou internada seis meses em um hospital público em Buenos Aires. Depois ela foi levada para o asilo mantido pela prefeitura. Foi aí que começou a ser desvendada parte do mistério.

A assistente social Marisa Barcellos, brasileira, foi quem correu atrás do passado dela. “Conheci a Hilda e comecei a pesquisar e a recuperar parte de documentação e a identidade da Hilda. E chegamos a essa história fantástica da Hilda Furacão. Ou da Hilda Maia Valentim, viúva de Paulo Valentim, um grande herói do Boca Juniors”, disse a assistente social Marisa Barcellos, em entrevista ao Fantástico.

Ana Paula Arósio protagonizou personagem em minissérie da TV Globo em 1998 (Foto: Reprodução/ TV Globo)
Ana Paula Arósio protagonizou a minissérie da TV Globo, em 1998

Na obra, Hilda é descrita como uma mulher linda, jovem da alta sociedade mineira que larga a família e se transforma em uma das mais famosas prostitutas de Belo Horizonte na década de 1950. A rainha da zona boêmia deixava os homens loucos, entre eles, até um frei dominicano, papel de Rodrigo Santoro.

O autor do livro, Roberto Drumond, morreu em 2002. Em 1991, ele deu pistas sobre a personagem. “Hilda existiu. Agora de tal forma ela foi mitificada, e mistificada que ela se transformou em um boato. Um boato festivo, colorido, maravilhoso, então o livro é contado através desse boato”, contou o criador de Hilda Furacão.

FONTE: Estado de Minas e G1.

 Com agenda “apertada”, Inglaterra chega a BH para jogo de despedida


Eliminados da Copa do Mundo, ingleses enfrentam Costa Rica na partida desta terça, no Mineirão, que pode ser a última do meia Lampard pelo “English Team”

 

Uma recepção discreta cercada de seguranças, jornalistas e curiosos. Foi assim que a seleção da Inglaterra chegou ao hotel na zona sul de Belo Horizonte no início da tarde desta segunda-feira. Com a presença de algumas crianças em frente ao edifício e poucos torcedores ingleses no saguão, os jogadores do “English Team” desceram tranquilamente do ônibus rumo aos  alojamentos antes do almoço. Nesta terça-feira, às 13h (de Brasília), Costa Rica e Inglaterra se enfrentam pela última rodada do Grupo D da competição. Os costa-riquenhos lutam para confirmar o primeiro lugar da chave, enquanto os ingleses, já eliminados, se despedem do Mundial. 

Chegada Inglaterra Belo Horizonte (Foto: Tayrane Corrêa)Delegação da Inglaterra já está em Belo Horizonte, onde joga nesta terça-feira contra a Costa Rica

Segundo a Polícia Militar, a chegada do ônibus ao hotel, prevista para às 13h40 desta tarde, manteve a pontualidade britânica. A agenda da Inglaterra informa que haverá uma atividade no Mineirão após a entrevista coletiva do técnico Roy Hodgson no estádio. Porém a própria PM, que cuida da segurança da delegação, trabalha com a possibilidade de os jogadores permanecerem no hotel após o almoço. A conferência de imprensa do treinador inglês está marcada para às 15h30 desta tarde. 

Diante da seleção costarriquenha, Hodgson pretende utilizar atletas que ainda não tiveram oportunidades de atuar na competição ou que não foram titulares no último jogo dos ingleses no Mundial.  Sem poder contar com os lesionados Alex Oxlade Chamberlain e Lighton Baines,  o treinador tem como opções os jogadores do Ross Barkley, Adam Lallana e Jack Wilshere para começar a partida contra a Costa Rica.

  O confronto no Mineirão deve marcar a despedida de Frank Lampard da seleção inglesa. Com 36 anos e jogador mais velho do elenco, o meio campo deve ficar com a vaga do capitão Steven Gerrard, que será poupado. A Inglaterra foi eliminada da Copa do Mundo após ser derrotada pela Itália, por 2 a 1 na partida de estreia; e pelo Uruguai, com o mesmo placar na segunda rodada do grupo. A seleção inglesa não revelou qual será programação após a partida para o retorno da delegação à Europa.

PARA VER AS DATAS DOS JOGOS E FUNCIONAMENTO DE BANCOS E COMÉRCIO, VEJA AQUI O GUIA DA COPA!

Conforme o Guia, bancos, comércio, lojas de rua, shoppings e serviços públicos funcionarão normalmente. Este funcionamento somente será alterado nos dias em que a seleção brasileira jogar em Belo Horizonte, como no próximo sábado, 28 de junho.

FONTE: G1.

 



%d blogueiros gostam disto: