O preço das passagens de ônibus metropolitano, que liga as demais cidades à Belo Horizonte será reajustado em 2018 e passará de R$ 4,85 para R$ 5. O novo valor começa a vigorar a partir da primeira hora de segunda-feira (1º).

O aumento de 3,09% é válido para todos os ônibus do sistema Move Metropolitano, que atende cerca de 6,8 milhões de passageiros por mês. A justificativa para o reajuste, previsto anualmente nos contratos de concessão, é o reajuste do preço do óleo diesel, segundo o governo do Estado. Para ver o valor detalhado das tarifas clique aqui.

A mudança afeta os valores das linhas que atendem os terimais Morro Alto, em Vespasiano, São Benedito, em Santa Luzia, Justinópolis, em Ribeirão das Neves, e São Gabriel, Bernardo Monteiro, Vilarinho e Aarão Reis, na capital.

No entanto, outras dez linhas que também atendem a Grande BH e regiões como Igarapé e São Joaquim de Bicas não terão valor reajustado. As passagens serão mantidas em R$ 10,10.

Belo Horizonte

Esta será a primeira vez em que as passagens de ônibus não sofrerão reajuste na capital a partir do primeiro dia do ano, desde que o contrato com as empresas fornecedoras foi firmado, há nove anos. O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), destacou que só fará mudanças nas tarifas após a realização de uma auditoria para checar o cumprimento do contrato entre o município e as empresas de transporte.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setra-BH) pede que o valor atual, de R$ 4,05 seja acrescido de 6% no próximo ano, passando para R$ 4,30.

Ainda não há data prevista para que a auditoria ocorra. A licitação para contrato de uma empresa que realiza o procedimento foi suspensa judicialmente em outubro. Conforme o prefeito, um novo edital será aberto, mas a PBH não informou um prazo. O Setra-BH alega que, caso não haja alteração no valor, a frota de ônibus nas ruas pode ser reduzida e os veículos podem passar a circular com intervalos maiores de tempo.

As empresas de ônibus entraram na justiça pedindo a revisão tarifária e alegando que a mudança estava prevista em contrato. No entanto, a alteração foi negada duas vezes. Na última terça-feira (26) o desembargador Wander Marotta manteve a decisão do juiz Marco Aurélio Abrantes Rodrigues, da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública Municipal. que negou o aumento do preço das passagens na capital. Por ser de uma liminar de primeira instância, a decisão ainda é sujeita a recurso.

Preço da passagem subirá 3,09% para cobrir gastos com aumento do valor do óleo diesel