Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: blog

Enfim, o blog

Adiei, posterguei, delonguei, protelei e sucumbi: eis o blog anunciado. O nome óbvio – Philosopho – é para evitar o pronome sujeito eu. Cronistas e blogueiros têm seus umbigos como centro no mundo, quadro chamado de onfalocentrismo.

Umbigo é coisa tão falada que onfalópsico, adjetivo e substantivo masculino, significa “relativo a ou membro da antiga seita religiosa de caráter quietista dos onfalópsicos, dos séculos XI-XII, que acreditavam que, ao contemplar o umbigo fixamente, comunicavam-se com a divindade, captando o que chamavam de luz do Tabor”. E onfalomante é aquele que pratica a onfalomancia: suposta arte de adivinhar o número de filhos que terá uma mulher, por meio de verificação do número de nós que o cordão umbilical do primogênito apresenta.

Sei que este é mais um entre milhões de blogs em língua portuguesa. Otimista, espero ter leitores. Mais que otimista, espero ter patrocinadores. De antemão agradeço a uns e outros. Eduardo Almeida Reis.

Pergunta – Será que alguém acredita na Odebrecht ou num Odebrecht?

IPVA 2017 – Nos últimos três anos tirei de letra os impostos sobre a propriedade de veículos automotores, que têm como fato gerador a propriedade de veículos automotores sem incidir sobre embarcações e aeronaves, di-lo a Wikipedia. Ora, bolas, então a lancha usada por Sérgio Cabral Filho e o helicóptero em que transportava seu cachorrinho não são veículos automotores? Houaiss diz que veículo é qualquer meio de transporte usado para transportar ou conduzir pessoas, animais ou coisas de um lugar para outro.

Há três anos, assustado com um negócio chamado cálculo das probabilidades, doei meu último veículo automotor a uma filha. Explico: mais de 50 anos dirigindo, milhares (ou milhões?) de quilômetros rodados sem um arranhão. O veículo doado era novo e foi revendido num átimo, porque a filha adora vender seus automóveis. Desde então, nunca mais me preocupei com o IPVA.

Sempre achei a posse de automóveis o tipo da coisa complicada, tanto assim que só comprei o primeiro aos 23 ou 24 anos, embora dirigisse desde os 16. A partir dos 18 custei para comprar o primeiro carro porque investia meu ótimo salário numa granja de galinhas. Investia o salário e os empréstimos bancários visando a enricar produzindo e vendendo ovos vermelhos.

Depois dos 23 tive uma porção de veículos automotores, novos e de segunda ou mais mãos, não raras vezes frota esquisita como num período em que tive cinco picapes – e só elas. A nova, Chevrolet C-10, transportava toda a família, philosopho, mulher e três filhas pequenas, num só banco, três cintos de segurança abdominais. Não parece, mas cinto de segurança é exigência relativamente nova nos veículos nacionais. Air-bag, então, nem se fala. Parece que foi inventado anteontem. E as cadeirinhas especiais para transportar crianças de até 10 anos no banco traseiro ainda estão sendo inventadas e aperfeiçoadas. Banco traseiro? As cinco picapes não tinham. Freio a disco, ABS e outras conveniências também são recentes. E nossas digníssimas autoridades se esquecem de conservar e melhorar as estradas, bem como de evitar que milhões de barbeiros tenham carteiras nacionais de habilitação.

Só agora, lendo o livro do jornalista Carlos Maranhão sobre Roberto Civita, um dos donos da Editora Abril, entendi por que o automóvel é veículo complicado. Em 1960, com 70 milhões de habitantes, o Brasil tinha 310 mil veículos licenciados (um para cada 226 pessoas), enquanto em 2014, com a população triplicada, havia 86,7 milhões de veículos (um para cada 2,3 pessoas).

Nova CNH – Vejo na tevê que a CNH lançada em 2017 ganha novo visual e mais itens de segurança. Pena que não se chame CNHB, Carteira Nacional de Habilitação de Barbeiros, tantos são os meias-rodas que circulam por aí. O noticiário televisivo omite o fato portadores de CNHs utilizarem rodovias que estão entre as piores do planeta, sem falar dos bêbados e dos rebitados, isto é, a turma que tomou Reativan com conhaque e outras misturas para dirigir horas e horas sem dormir.

Nos anos todos em que pelejei com a produção de leite no Vale do Paraíba conheci um presidente de cooperativa que nunca teve CNH e viajava regularmente para as reuniões da Cooperativa Central no Rio. Nas raras vezes em que foi apanhado solucionou o problema com 50 reais no dinheiro da época – cruzeiro, cruzeiro novo, cruzado etc.

Manias, Ambientalistas e Refrega

      Manias – Não chega a ser um defeito que prejudique os outros, mas é mania que muito me irrita sem que dela me possa livrar. Não me lembro quando começou esta minha mania de aproveitar a viagem. É das coisas mais idiotas do mundo. Se vou da sala para a cozinha, distância de cinco ou seis metros em terreno plano, dentro de casa, e preciso levar dois pratos, um copo e alguns talheres, em vez de fazer duas caminhadas resolvo levar tudo de uma vez e apronto cada cagada que vou te contar.

Arrumar a carga leva mais tempo do que fazer duas viagens e os resultados podem ser catastróficos, basta ver a diferença de peso entre o cabo e a lâmina de uma faca. A partir dos talheres tudo é complicado na arrumação dos itens para aproveitar cada “viagem” que, em duas ou três caminhadas de dez metros, não levaria um minuto.

      Ambientalistas – No tempo de antigamente dizia-se que certas senhoras sofriam de praga de machado: não podiam ver pau em pé. Hoje é praga de motosserra, considerando que machado virou peça de museu.

Honestos ou desonestos, calmos ou histéricos, os ambientalistas condenam a derrubada de qualquer floresta, mesmo nos casos em que o derrubador plantou floresta muito maior. Nos anos todos em que morei na roça fui obrigado a derrubar algumas árvores, às vezes um capão inteiro, mas tenho a certeza de que plantei muito mais.

Novidade, para mim, foi a notícia de que os cientistas da Universidade da Califórnia, em São Francisco, resolveram defender as florestas mais abomináveis do planeta – formadas de pelos pubianos masculinos e femininos – argumentando que sua raspagem propicia o risco maior de transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Alegam os ilustrados cientistas que a depilação pode facilitar a ocorrência de infecções.

Até então, o risco maior das florestas pubianas estava no pelo pixaim, caso do médico muito respeitado em Juiz de Fora, quando um pelinho crespo ficou entalado em sua garganta, próximo da úvula, exigindo intervenção de um colega para retirar o pixaim com uma pinça cirúrgica. Naquele mesmo dia, a cidade inteira ficou sabendo que o respeitado médico havia namorado jovem de cabelos crespos e mais não digo, porque sou pudico à beça e à bessa.

A pesquisa da Universidade da Califórnia foi feita com 7,5 mil americanos adultos e acabou, mesmo sem querer, recomendando a retirada de todos os pelos pubianos, ao concluir que os depilados tendem a ter uma vida sexual mais ativa, o que é um baita elogio mesmo tendo sido publicado na revista médica Sexually Transmitted Infections.

      Refrega – Não sei se por educação, falta de provas ou receio de processos, a imprensa cuida de algumas senhoras pelas continuadas viagens ao exterior e despesas excessivas que fizeram com os seus cartões de crédito, evitando citar as atividades carnais em que sempre exceleram na opinião meditada dos cavalheiros que com elas compartiram aventuras moteleiras.

O capixaba Celso Bonfim, que fez bela carreira jurídica em Belo Horizonte, mantinha coluna de casos divertidos sobre advocacia no jornal Estado de Minas. Numa delas contou de um juiz verboso e afetado, que tinha a mania de trocar as palavras dos depoentes por outras mais empoladas.

Certa noite houve briga num bordel e uma profissional do sexo foi apunhalada. Sua colega depôs como testemunha. Depois de identificada, foi inquirida pelo juiz sobre os detalhes da contenda. Esclarecidos os fatos, o juiz ditou para o escrevente: “a testemunha viu quando a ré tomou de uma faca e atingiu a vítima no meio da refrega”. A depoente interrompeu o magistrado e disse: “Não foi no meio da refrega não, seu juiz. Foi entre a refrega e o embigo”.

Vale notar que o verbo refregar, em latim refrìco,as,cui,cátum,are significa “esfregar outra vez”, e uma das referidas senhoras ficou famosa e disputada pelo tanto que esfregava repetidas vezes nas tardes moteleiras.

.

FONTE: philosopho.com.br


 

 

 

 

Em fevereiro de 2011 vocês ingressaram no curso de Direito da Universo, campus de Belo Horizonte, com tantos sonhos e desejos!!

Participaram da Aula Inaugural com a Gestora, do Tribunal do Júri Interdisciplinar, do Julgamento de Nuremberg, da Visita técnica ao Sistema Carcerário, das Semanas Jurídicas, dos Seminários Temáticos, dos Julgamentos Itinerantes do Conselho de Contribuintes, do Dia do Advogado, da Universo de Amigos, das Visitas Técnicas às Aldeias Indígenas, criaram o blog do curso de Direito, das Capacitações Discentes, participaram do estágio extracurricular do Juizado Especial Federal, apresentaram o Trabalho de Conclusão do Curso, participaram do ENADE 2015, muitos já aprovados no Exame de Ordem e encerraram o curso com a apresentação da metodologia ativa Role Play na aula do prof. Igor!!!

Primeira Foto Auditório

IMG_20151204_083238772[1]

IMG_20151127_100707908[1]

Últimas fotos 2

Últimas fotos

Confiaram no nosso trabalho!! Lembrando de cada ingressante, de como vocês iniciaram o percurso ansiosos pelo conhecimento, pelo aprendizado, acreditamos no potencial de cada um de vocês!! Obrigada pela oportunidade de dividir estes cinco anos da vida de vocês!!

Últimas fotos 3

Últimas fotos 6

Últimas fotos 3

IMG_20151204_100030135_HDR[1]

IMG_20151204_100508988_HDR[1]

Agora, no final de 2015, o tapete vermelho desfez a última dobra para que vocês possam por ele passar e brilhar na profissão!! Fazer a diferença no mercado de trabalho, com competência, ética, respeito e honestidade!! Parabéns!!! Sucesso!! Deus os abençoe e proteja sempre!!!!

Professora Inês Campolina, gestora.

Últimas fotos 7

Últimas fotos 4

Últimas fotos 5


A UNIVERSO BH é uma das instituições apoiadoras do congresso jurídico OS NOVOS PARADIGMAS DO DIREITO PROCESSUAL CIVIL – O NOVO CPC EM DEBATE, que será realizado em Belo Horizonte, no mês de setembro.

Os alunos da Universidade Salgado de Oliveira pagarão apenas R$ 100,00 (no ato da inscrição informar a condição de aluno da instituição).

Os participantes receberão certifica que servirá para comprovação de horas complementares (25 horas).

E, melhor, o nosso blog promoverá sorteio de uma vaga TOTALMENTE GRATUITA, conseguida pela professora Inês. Inscreva-se para o sorteio, totalmente grátis, preenchendo o formulário ao final da página (seus dados NÃO serão publicados).
Congresso

Um dos mais importantes eventos jurídicos do país, será realizado entre os dias 04 e 05 de setembro, em Belo Horizonte (MG). Em sua terceira edição, o Congresso Jurídico é promovido pela Tribuna Eventos.

Com a publicação do Novo Código de Processo Civil faz-se necessário o debate dos novos paradigmas trazidos pelo novo diploma legal, bem como dos reflexos que essa legislação acarretará em todo o sistema jurídico brasileiro.

Para tanto, entre os dias 04 e 05 de setembro de 2015 os mais renomados juristas do nosso país, muitos deles participantes da comissão de juristas que elaboraram o anteprojeto do NCPC, manifestarão as suas abalizadas opiniões sobre os diversos institutos do Direito Processual Civil.

 

 

 


UNIVERSO BH:

dia 20 de abril, próxima segunda-feira, não haverá aulas.

Recesso

A professora Inês manda avisar que acabou de ser informada. Divulguem para os colegas.


PT agora luta para provar que é igual ao PSDB

Josias de Souza

11/02/2015 21:04

Angeli

Confirma-se agora algo que o mensalão já deixara claro: o PT era apenas a perversão que ainda não tinha chegado à chave do cofre.

Como distinguir um petista de um tucano? Noutros tempos era fácil. Petista tinha barba. Hoje, a barba não quer dizer mais nada. Até Aécio tem uma. Petista considerava-se dotado de superioridade moral. A moral também perdeu o sentido. Lula e Dilma rebaixaram-se para entrar num todo que inclui Renan, Sarney, Collor e Maluf.

Nos últimos 12 anos, o PT esforçou-se para provar que era diferente do PSDB. De repente, o petismo desencadeou um esforço para demonstrar que tem algo em comum com o tucanato. O PT escora-se no depoimento de dois delatores para alardear que o PSDB foi o precursor do ritual de emporcalhamento da Petrobras.

“Irregularidades começaram na gestão FHC”, grita o PT em notícia veiculada no seu portal na internet. No desespero para atenuar suas culpas, o PT roga à plateia que o nivele à baixeza geral que outrora atribuía aos outros partidos. Para atrair a cumplicidade do PSDB, o PT como que admite que não está imune às tentações.

Até aqui, o PT pegava em armas para defender a tese segundo a qual o Brasil foi descoberto em 2003. A estabilidade econômica é obra de Lula. FHC não fez senão quebrar o Brasil três vezes. O Bolsa Família não tem nada a ver com as bolsas tucanas. Súbito, descobre-se que, na avaliação do PT, seus governos só aproveitaram do tucanato a corrupção.

No aniversário de 35 anos do PT, Lula leu o trecho do manifesto de fundação que previa que o partido seria diferente dos demais. “Não é possível a gente imaginar que está tudo bem”, lamentou. “Não é verdade que o PT tenha se transformado num partido pior do que os outros, mais fisiológico ou mais sujeito aos desvios. O verdadeiro problema do PT é que ele vai se tornando cada vez mais, se a gente não tomar cuidado, um partido igual aos outros.”

Quer dizer: todos aqueles ataques à corrupção no governo Collor, todas aquelas críticas à privatização tucana, trançada “no limite da irresponsabilidade”, tudo aquilo vinha sempre com uma pontinha de inveja. Confirma-se agora algo que o mensalão já deixara claro: o PT era apenas a perversão que ainda não tinha chegado à chave do cofre.

FONTE: UOL.


 

Joana Havelange tenta explicar o inexplicável

20140528-013826-5906720.jpg
Diretora do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo, Joana Havelange, neta de João Havelange e filha de Ricardo Teixeira, compartilhou em seu Instagran uma nota em que está dito que o tinha para ser roubado na Copa já foi e que a hora é de apoiá-la.

Pega em flagrante na lambança e denunciada por alguém com acesso à sua rede social, Joana, depois de bombar o dia todo no noticiário e até ser homenageada pelo Coletivo Projetação que a estampou na parede de um prédio no Grajaú, no Rio, resolveu se explicar.

E a emenda saiu pior que o soneto.

Ela se disse vítima de oportunistas que invadiram seu círculo pessoal, quando, na verdade, foi denunciada por alguém de suas relações, e tentou se justificar ao dizer que não atentara para a frase polêmica.

Distraída, a moça poderá ser chamada a se explicar no Ministério Público, acionado pelo deputado carioca Marcelo Freixo.

Mais que distraída, reincidente, porque, apesar da proibição de usar redes sociais para comentar assuntos da Copa do Mundo que afeta todos os funcionários do COL, não foi a primeira vez que ela cometeu indiscrições desse tipo.

20140528-013954-5994907.jpg

Comentário para o Jornal da CBN desta quarta-feira, 28 de maio de 2014, que você ouve aqui.

FONTE: UOL.



%d blogueiros gostam disto: