Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: brewmeister

Escoceses criam cerveja com teor alcoólico de 67,5%

Brewmeister, responsável pela “Armageddon”, ex-cerveja “mais forte do mundo”, cria a “Snake Venom”, com teor alcoólico de 67,5%. Aviso na garrafa pede que bebedores evitem doses com mais de 35 ml de uma só vez

 

Cerveja Snake Venom tem teor alcoólico de 67,5%

A Armageddon perdeu o título de “cerveja mais forte do mundo”, mas ele segue com os mesmos proprietários de antes. O recorde pertence agora à Snake Venom, produzida pela Brewmeister, da Escócia, com um teor alcoólico de 67,5%, superando os 65% da “Fim do Mundo”. Reveja aqui a notícia sobre a Armageddon no final de 2012.

De acordo com os fabricantes, ingredientes como malte de turfa defumada e dois tipos de levedura ajudam a garantir o alto teor alcoólico da bebida, que ao contrário da Armageddon, não mascara tanto o gosto do álcool.

“O álcool é muito forte, mas a cerveja ainda tem mais gosto de cerveja do que de um destilado”, informa o site oficial da cervejaria. Para alertar os clientes, um aviso amarelo na garrafa avisa do teor da bebida e pede que eles evitem beber doses com mais de 35 ml de uma só vez. A Veneno de Cobra de 275 ml custa 50 libras esterlinas (cerca de R$ 179).

* Bebidas alcoólicas são proibidas para menores de 18 anos. Se beber, não dirija.

FONTE: iG.


Armageddon é mais potente do que o uísque ou conhaque. Quem não é forte para o álcool, tem uma arma letal na mão

Para aqueles que se consideram “Highlanders” na rodada das happy hours, eis um desafio vindo dos campos de Aberdeenshire, na Escócia: Armageddon, a cerveja mais forte do mundo com 65% de teor alcoólico, ou seja, é comparada na força “para derrubar” com o uísque e o conhaque, por isso o nome sugestivo, que significa “fim do mundo”.

Brewmeister

A fabricante Brewmeister justifica a criação “da bomba alcoólica” devido à cultura local, uma vez que os escoceses consomem 20% a mais de álcool que os ingleses, por exemplo.

Vale lembrar que aquela cervejinha que pedimos no bar tem 5% de álcool, por isso aconselha-se beber a Armageddon em doses, nunca uma garrafa de uma vez, do contrário suas chances de conhecer um pronto socorro podem aumentar em 100%.

A cerveja é amarga, propicia para ser degustada como um malte, o líquido é um pouco mais viscoso que o normal e a receita leva malte caramelo, trigo, aveia em flocos e água de nascente.

A quantidade ignorante de álcool não está nos ingredientes e sim no processo de fabricação: a mistura toda vai para o freezer e como a água congela, mas o álcool não, o excesso de água é retirado, fazendo com que a porcentagem de álcool dispare.

A ideia da marca é para pessoas acostumadas consumir como um bom brandy, em pequenas quantidades, e não sentadas no bar pedindo várias rodadas de cerveja jogando papo fora com os amigos. “São garrafas para serem partilhadas”, sacramenta o fabricante.

Ela é feita em uma escala muito pequena: apenas 40 garrafas por lote. É possível encomendar a cerveja pelo site da fabricante, ao preço de 50 dólares a garrafa de 330 ml. A Armageddon será lançada oficialmente mês que vem, durante o Inverness Beer Festival, na Escócia.

FONTE: AREAH.



%d blogueiros gostam disto: