Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: centro

Barragens causam inundação no centro de Lambari

Lambari
Ainda não há informações de feridos; bombeiros de Três Corações estão a caminho da cidade

A forte chuva que atinge o Sul de Minas desde a madrugada deste sábado (16) já causa transtornos em algumas cidades. Em Lambari, duas barragens se romperam e causaram inundação no centro do município.

De acordo com o soldado Paulo Azevedo, do Corpo de Bombeiros de Três Corações, essas barragens seriam em uma região conhecida como Matadouro.
“Ainda não temos detalhes em relação às barragens. Sabemos que o rompimento aconteceu por volta das 2h. Seis militares estão a caminho de lá. Não há feridos. Apenas algumas pessoas ilhadas”, disse o soldado.

O comerciante Luiz Coutinho, de 62 anos, informou a reportagem de O TEMPO que os moradores levaram um susto nesta manhã. “Por volta das 6h, o centro estava todo inundado. Estava chovendo desde ontem. A última vez que veio uma chuva forte assim foi em 2006”, disse o morador.

Ainda segundo ele, uma ponte precisou ser interditada e não há como sair para cidades vizinhas. “Os motoristas não estão passando pela BR-467, que dá acesso a Carmo de Minas e São Lourenço. O desvio é feito por Caxaumbu, que aumenta 25 quilômetros.

.

FONTE: O Tempo.


Minas recebe 30 ambulâncias e implantará Samu Regional Centro

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) informou que recebeu do Ministério da Saúde (MS), neste mês, 30 novas ambulâncias. Os veículos serão equipados e usados para ampliar o atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) municipais e para implantação do Samu Regional Centro.
.
A previsão é de que a frota esteja funcionando até o fim do primeiro trimestre de 2016. Conforme a SES, o Governo irá investir aproximadamente R$ 792 mil para converter as ambulâncias em Unidades de Suporte Básico (USB) e Unidades de Suporte Avançado (USA).
.
Outras 19 ambulâncias que estavam paradas estão passando por manutenção. A expectativa é de que até o final deste ano elas estejam em circulação.
.
Com isso, a frota total para socorro vai dobrar em Minas. Atualmente, 49 ambulâncias atendem cerca de 4,6 milhões de pessoas em 12 cidades. Com o reforço, a frota total será de 98 veículos, distribuídas em 42 municípios – além dos 12 que já tem os Samus municipais, outros 30 terão novas centrais de regulação, atendendo um total de 104 municípios.
.
Segundo a SES, a população atendida aumentará em 42%, chegando a um total de 6,5 milhões.

Minas recebe 30 ambulâncias e implantará Samu Regional Centro

FONTE: Hoje Em Dia.


Belo Horizonte será monitorada por drone e dirigível

 

ARTE HD
Arte drone

 

A Polícia Militar de Minas irá contar com mais um reforço para combate à criminalidade na capital. Além do drone que começa a operar em agosto deste ano, conforme o Hoje em Dia mostrou cem primeira mão na edição de 20 de junho, a corporação terá um dirigível, que vai atuar dentro do perímetro da avenida do Contorno a partir de 2016.
 .
O equipamento, que ainda está em estudo, tem de três a sete metros comprimento e terá atuação 24 horas por dia, sete dias por semana. Os comandos serão dados de uma central de monitoramento que será responsável por manusear, além da aeronave, as câmeras de vigilância. “O equipamento tem maior capacidade de carga, podendo levar até oito câmaras de vídeo, podendo atuar durante o dia e a noite”, explica o tenente Telmo Tassinari, responsável pelo projeto de Monitoramento Aéreo do 1º Batalhão.
 .
O custo médio do equipamento pode chegar a R$ 200 mil, dependendo do material escolhido como câmaras de alta resolução, lentes infravermelho e que auxiliem no mapeamento de área. “A experiência do drone irá permitir identificarmos qual será o material adequado para o patrulhamento de toda a área de atuação do batalhão”, explica o comandante do 1º Batalhão, tenente-coronel Vitor Araújo.
 .
As filmagens, assim como as captadas pelo drone, serão encaminhadas para central de monitoramento. O Centro de Controle, que também gerencia as câmeras do Olho-Vivo, será responsável por transmitir as imagens.
 .
A expectativa agora é para o parecer da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que irá autorizar os voos em Belo Horizonte.
 .
Nesta primeira etapa, o drone terá vigilância no perímetro das praças 7, Estação, Savassi, Liberdade, Assembleia Legislativa de Minas Gerais. “Mapeando cinco locais de maior circulação e aglomeração de pessoas e onde há histórico de grande eventos. Uma ótima oportunidade para testarmos a atuação do equipamento”, diz o comandante Araújo.
 .
A aquisição da aeronave é garantida pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-bh). Para o presidente da instituição, Bruno Falci, irá melhorar a segurança para lojistas, funcionários e principalmente, clientes. “Daremos o apoio financeiro, pois acreditando que isso irá melhorar a qualidade da segurança na capital”.

.

FONTE: Hoje Em Dia.


Corpo de homem é encontrado dentro de lago no Parque Municipal de BH

Homero Honorato da Silva, de 43 anos se jogou no lago

Um guarda municipal tentou salvar o homem

 

Edésio Ferreira/EM/DA Press

O corpo de um homem foi encontrado dentro de um lago no Parque Municipal de Belo Horizonte, na manhã deste domingo. A vítima já foi identificada como Homero Honorato da silva, 43 anos. O homem que seria morador de rua se jogou no lago. Bombeiros e equipes do Samu foram acionados.

O Guarda Municipal Iêdo Ribeiro Nunes presenciou a ocorrência e tentou impedir que Homero se jogasse na água. “As portas do parque tinha acabado de serem abertas, quando eu vi ele correndo e pulando na água. Ainda gritei, mas ele já tinha pulado” contou Nunes. O guarda foi quem retirou a vítima da água. “Peguei o barco e fui até onde ele estava. Meus colegas jogaram uma corda e retiramos ele desmaiado. Começamos a prestar os primeiros socorros até a chegada dos bombeiros e Samu”, disse.

A ação foi rápida e, segundo Iêdo, o homem ficou na água por sei minutos. Apesar do empenho dos guardas municipais e, logo depois, do bombeiros e equipe do Samu, não foi possível reanimar Homero. O Corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal.

FONTE: Estado de Minas.


Comércio de BH amplia horários de atendimento para compras de Natal

Veja como será o funcionamento dos principais shoppings.
Expectativa do setor é de crescimento nas vendas. 

 

Com a proximidade do Natal, o comércio de Belo Horizonte ampliou os horários de atendimento para as vendas de última hora. De acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a expectativa é de crescimento do setor.

Veja o que abre e o que fecha em BH durante o Natal e a virada de ano

Comércio poderá funcionar na quarta-feira (24).
Saiba os horários de serviços básicos no feriado prolongado. 

 

Com o feriado de Natal e de ano-novo, vários serviços em Belo Horizonte vão ter os horários alterados ou suspensos. Confira como vai funcionar cada um deles entre os dias 24 de dezembro e 2 de janeiro:

Comércio
Segundo informou a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), o comércio poderá funcionar na quarta-feira (24), mas fecha na quinta-feira (25).

Zoológico de Belo Horizonte
No dia 24, o funcionamento será até o meio-dia; fica fechado no dia 25.

Parques municipais
Os parques municipais ficam abertos durante os dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro. Somente na segunda-feira (29), não há funcionamento.

Limpeza urbana
Conforme a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), os serviços de coleta serão mantidos nos dias 24, 26 e 31 de dezembro e 2 de janeiro. Já nas quintas-feiras (25 de dezembro e 1º de dezembro) ficam suspensos.

Serviços de saúde
As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Hospital Municipal Odilon Behrens, Central de Internação, Samu e os laboratórios das UPAs funcionam durante 24 horas todos os dias. Os centros de saúde ficam fechados nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. Já nos dias 24 e 31, haverá expediente das 7h às 12h; nos dias 26 de dezembro e 2 de janeiro, o funcionamento será das 7h às 17h.

BH Resolve
No dia 24, o funcionamento será até o meio-dia; fica fechado no dia 25.

Bancos
De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban),  nesta quarta-feira (24), as agências funcionam das 9h às 11h. Já nesta quinta-feira (25), os bancos não funcionam. As operações podem ser feitas por meio de canais de autoatendimento, como caixas eletrônicos, internet banking e telefone. Contas com vencimento marcado para o dia 25 poderão ser pagas na segunda-feira (29), sem cobrança de multa.

Cemig
A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) atende em plantão de 24 horas, por meio do telefone 116.

Copasa
A Companhia Saneamento de Minas Gerais (Copasa) atende em plantão de 24 horas, por meio do telefone 115.

Hemominas
Segundo o Hemominas, as unidades de doação voluntária terão alteração no horário de funcionamento durante o feriado de Natal. A unidade Santa Efigênia abre das 7h às 12h na quarta-feira (24) e fecha na quinta-feira (25). O Posto de Coleta da Estação BH, em Venda Nova, funciona das 8h às 12 na quarta, mas também fecha na quinta. A unidade do Hospital Júlia Kubistchek, no bairro Araguaia, suspende o atendimento nos dois dias, assim como o Hemonúcleo de Sete Lagoas e a unidade de coleta de Betim.

Veja os horários de funcionamento de alguns shoppings da capital mineira:
Shopping Del Rey
13 a 19/12 – das 10h às 23h
14 e 21/12 (domingo) – das 10 às 22h
20/12 (sábado) – das 9 às 23h
22 e 23/12 (segunda e terça-feira) – das 10 às 23h
24/12 (quarta-feira) – das 9 às 18h
25/12 (quinta-feira) – lojas fechadas
31/12 (quarta-feira) – das 9 às 18h
1/1 (quinta-feira) – lojas fechadas
Alimentação e lazer – facultativo (10h às 22h)

Shopping Boulevard
7, 14 e 21/12 – das 10 às 22h
13 e 15 a 20/12 – das 10h às 23h
22 e 23/12 – das 9h às 23h
24/12 – das 9h às 18h
25/12 – lojas fechadas

BH Shopping
Aberto das 10h às 23h
22 e 23/12 das 9h às 23h

Shopping Cidade
Neste domingo (14), das 10h às 22h
A partir de segunda (15), das 9h às 23h

Nos shoppings Estação e Del Rey, a partir do dia 17/12, o horário passa a ser das 9 às 23h.

Veja também o horário de funcionamento de lojas em bairro comercias, por sugestão do CDL.

Horário de funcionamento do comércio no Natal

Sugestão de horário de funcionamento do comércio Hipercentro e bairros

Dia Horários
De segunda a sexta-feira Das 9 às 22 horas
Sábados e domingos Das 9 às 18 horas
24 e 31/12 Das 9 às 18 horas
25/12/2014 e 01/01/2015 Fechado

Savassi

Dia da semana Data Horário
De segunda a sexta-feira 01 a 12/12 Das 9 às 21 horas
De segunda a sexta-feira 15 a 23/12 Das 9 às 22 horas
Sábados Das 9 às 18 horas
Domingos Das 10 às 16 horas
Quartas-feiras 24 e 31/12 Das 9 às 18 horas
Quintas-feiras 25/12 e 01/01/2015 Fechado

 

Barro Preto

Dia Horários
De segunda a sexta-feira Das 9 às 20 horas
Sábados e domingos Das 9 às 18 horas
24 e 31/12 Das 9 às 18 horas
25/12 e 01/01/2015 Fechado

 

 

FONTE: G1, CDL e Estado de Minas.


Vizinhos do barulho

Moradores do Centro e Região Centro-Sul de BH sofrem com festas que varam a madrugada

Quem mora perto de locais de bailes funk de BH apelam à PM, à direção de universidade e até a janelas especiais para tentar pôr fim a madrugadas sem sono

 
Arte: Quinho / EM / D.A Press

Moradores de prédios no Centro de Belo Horizonte e no Bairro São Lucas, Região Centro-Sul da capital, não conseguem mais dormir nos fins de semana por causa de bailes funk que chegam a durar até 48 horas, com a música a todo volume. Vítimas de um barulho ensurdecedor, essas pessoas já recorreram à Polícia Militar e à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), sem qualquer solução. No caso dos condomínios localizados na Região Central, o problema será levado ao conhecimento da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), pois a casa onde acontecem as festas barulhentas é a antiga sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE), na Rua Guajajaras.
O barulho durante as festas no casarão é tanto, segundo os vizinhos, que muitos estão indo dormir e estudar em casas de parentes e amigos, todo fim de semana, em busca de sossego. “São muitos idosos morando na região e isso está afetando a saúde deles e de quem precisa dormir para trabalhar cedo. Sou professor e não consigo corrigir provas”, reclama o professor Rubens Figueiredo Evaristo, de 53 anos, síndico do prédio ao lado do casarão. “A gente telefona para a Polícia Militar, mas ela não resolve nada”, completa.

A última festa na velha sede do DCE começou na noite do dia 4, quinta-feira, e se prolongou até o feriado de segunda-feira, dia 8, segundo Rubens. “Toda madrugada é uma turma diferente na casa. São muitos adolescentes e rola muita bebida. Algumas vezes, é tanta gente que uma turma grande fica do lado de fora, na calçada. Eles fazem as necessidades em público, nas árvores e entre os carros, e não tem isso de ser homem ou mulher”, reclama o professor. Ele conta que no domingo o barulho era tão intenso que abafava o ruído dos foguetes soltos pela torcida do Cruzeiro, que comemorava mais uma vitória no Campeonato Brasileiro. “Uma vez, tentei conversar com os frequentadores da casa, mas um deles respondeu que idoso que quiser sossego deve voltar para o interior. Foi muito desagradável”, disse Rubens.

A publicitária Gabriela Benfica, de 24, também mora num edifício vizinho ao casarão e espera uma intervenção da UFMG. “Há um ano, quando mudei para cá, havia festas e reuniões dos estudantes, mas não causavam incomodo. Pelo que me disseram, fiscais da Secretaria Municipal de Meio-Ambiente tinham feito uma medição, em novembro do ano passado e, depois de constatado o nível acima do tolerável, a situação foi contornada. Só que nos últimos seis meses os organizadores dos eventos têm extrapolado”, reclama a publicitária. Gabriela diz que já registrou boletins de ocorrência na Polícia Militar e enviou e-mails para a UFMG, mas não foram tomadas medidas para minimizar os impactos. “Pelo que me disseram, com as restrições das festas no câmpus da Pampulha, aqui virou sede dos eventos estudantis, mas que na verdade são abertos aos mais variados públicos”.

Depois do sofrimento do fim de semana, os moradores dos prédios na região se reuniram e decidiram tomar algumas providências para tentar, mais uma vez, resolver a situação, uma vez que as ocorrências registradas na Polícia Militar e as reclamações encaminhadas à PBH não surtiram efeito. Uma das iniciativas será denunciar o problema à UFMG, por entenderem que a instituição de ensino teria alguma responsabilidade sobre a situação. Procurada pelo Estado de Minas, a UFMG informou que não é dona do imóvel, que pertence ao Diretório Central dos Estudantes, mas que vai procurar os dirigentes da entidade estudantil para conversar com eles e pedir o fim do barulho. A data dessa reunião, entretanto, não foi definida pela direção da universidade.

São Lucas Problemas com festas também ocorrem no Bairro São Lucas. Sem ter a quem recorrer, uma empresária, que pediu para não ser identificada, vai trocar todas as janelas do seu apartamento por outras com isolamento acústico. Um baile funk que acontece todo fim na Rua Argemiro Rezende Costa com Tarumirim, distante dois quilômetros da sua casa, não a deixa dormir. “Começa toda sexta-feira a partir das 20h. Minha janela fica trepidando. Não consigo dormir em nenhum lugar da casa nem escutar a televisão com tanta barulho”, reclama. “Fecho portas e janelas para abafar o som e até coloco toalhas debaixo das portas, mas não adianta”, lamenta. A empresária disse já ter feito várias denúncias à prefeitura e à PM, mas não obteve respostas. 

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos informou que faz fiscalização preventiva e monitora fontes poluidoras com reincidência de reclamações. Disse, ainda, que as queixas diminuíram de janeiro a outubro deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, de 6.184 para 5.693 queixas – média de 19 por dia. Ainda de acordo com a secretaria, os infratores estão sujeitos a multas de acordo com a gravidade do ruído, de R$ 111,62 a R$ 13.951,89. Em caso de reincidência, os valores dobram. “O estabelecimento comercial ainda pode ter a sua atividade interditada parcial ou totalmente e até mesmo ser cassado o Alvará de Localização e Funcionamento de Atividades ou de licença”, informou. 

A Polícia Militar disse que trabalha em parceria com a prefeitura auxiliando na fiscalização e que apenas dá suporte porque o município não tem poder de polícia para garantir a integridade física dos seus fiscais na ação. Informou, ainda, que quando recebe denúncia manda uma equipe ao local para verificar a demanda e que orienta a pessoa a abaixar o som. “A PM não tem equipamento para medir o volume do barulho e não pode autuar o infrator”, informou a assessoria de imprensa.

O que diz a lei

Perturbação do trabalho ou do sossego alheio pode resultar em prisão de até três meses, independentemente do volume do ruído, segundo o artigo 42 da Lei das Contravenções Penais. Por outro lado, a prefeitura pode multar pessoas e fechar estabelecimentos, explica a defensora e diretora da Escola Superior de Advocacia da seção mineira  da OAB, Silvana Lobo. A Lei das Contravenções Penais, segundo ela, por não considerar a quantidade de decibéis. “O que interessa é o incômodo. A penalidade é prisão simples de 15 dias a três meses ou multa”, disse. Silvana Lobo afirma ainda que há possibilidade de condenação por danos morais.

Enquanto isso…

…Campeões de reclamações

Levantamento da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos mostra que bares, restaurantes e casas de show são os que mais tiram o sono da população durante a madrugada. Os estabelecimentos e eventos noturnos são responsáveis por 70% das 5.693 queixas que chegaram ao Disque-Sossego de janeiro a outubro deste ano, mas festas particulares também têm deixado muita gente com os nervos à flor da pele por não conseguir dormir. E o que não falta é reclamação à fiscalização da prefeitura e também ao atendimento da Polícia Militar, que nunca aparece quando é chamada, segundo as pessoas.
 

FONTE: Estado de Minas.



%d blogueiros gostam disto: