Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: estádio

BH tem esquema especial de transporte para clássico de domingo

Cruzeiro e Atlético-MG se enfrentam no Mineirão, na Região da Pampulha.
Linha 55 do Move não irá operar, de acordo com a BHTrans.

Galo-2

Um esquema de transporte para o clássico de domingo (13) entre Cruzeiro e Atlético-MG foi divulgado pela Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) nesta sexta-feira (11). De acordo com a autarquia, um serviço executivo e um serviço especial vão atender torcedores que irão ao Mineirão.

Os bilhetes para o serviço executivo são vendidos até as 17h desta sexta-feira, no Posto Transfácil, na Rua Professor Morais, 216, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O valor é R$ 17,80 (ida e volta).

Já para o serviço especial, o preço é R$ 3,40 e nesse caso o pagamento é feito no local de embarque. Treze ônibus sairão das regiões de Venda Nova, do Barreiro e do Centro a partir das 13h.

Segundo a BHTrans, nas duas opções especiais de transporte, torcedores cruzeirenses e atleticanos terão locais de embarque e desembarque distintos. Confira os endereços no site da empresa.

A BHTrans informou que, por recomendação da Polícia Militar (PM), a linha 55 do Move (Mineirão) não irá operar no domingo.

Para chegar ao estádio, os torcedores contam ainda com as linhas regulares 51, 52, 63, 64, 67, 68, 5250, 5550, 6350, 5106 e 5401 do Move; os circulares 503, 504 e 506; e os suplementares 51, 53 e 54.

 

 

FONTE: G1.


Réus são condenados por morte de torcedor atingido por vaso sanitário

Os três acusados foram condenados a mais de 20 anos de reclusão.
Júri popular foi realizado nesta quarta-feira (2) e durou mais de 12 horas.

Luiz Cabral de Araujo Neto, Waldir Pessoa Firmo Júnior e Everton Filipe Santiago, acusados de arremessar um vaso sanitário do Estádio do Arruda, no Recife (PE), e matar um torcedor durante briga em maio de 2014, comparecem a sessão do júri popular (Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem/Estadão Conteúdo)Luiz Cabral de Araujo Neto, Waldir Pessoa Firmo Júnior e Everton Filipe Santiago foram condenados pela morte de um torcedor em maio de 2014

Waldir Pessoa Firmo Júnior, 34 anos, Luiz Cabral de Araújo Neto, 30, e Everton Filipe Santiago Santana, 23, foram condenados pelo homicídio do torcedor Paulo Ricardo Gomes da Silva, de 26 anos, morto ao ser atingido por um vaso sanitário no entorno do estádio do Arruda, na Zona Norte do Recife, em maio de 2014. Outras três pessoas ficaram feridas.

Os três foram condenados por homicídio doloso duplamente qualificado, sem chance de defesa à vitima e por motivo fútil, e por três tentativas de homicídios. Waldir pegou 22 anos e seis meses de reclusão; Luiz foi condenado a 25 anos, 7 meses e 15 dias de reclusão; e Everton a 28 anos e 9 meses de reclusão.

“A gente sai mais aliviado daqui porque a justiça foi feita. A dor permanece, mas a gente caminha”, afirmou o pai de Paulo Ricardo, José Paulo Gomes. A promotora Dalva Cabral acredita que, com essa decisão, as famílias vão poder voltar a frequentar os estádios. “Esse julgamento marca um novo tempo. O conselho de sentença põe fim à incitação da violência. Acho que a gente dorme mais tranquilo esta noite”, afirmou a promotora.

A defesa de Everton Santana, que recebeu a maior pena entre os três por possuir antecedentes criminais, vai recorrer da decisão. “Nossa tese não foi aceita pelo júri. Com certeza vamos recorrer”, afirmou o advogado Adelson da Silva. O advogado Paulo Sales, que defendeu Luiz Cabral, também afirmou que vai recorrer. “Ele não agiu com dolo, mas culpa consciente. O resultado não é o pretendido e já registramos em ata que pretendemos recorrer”, apontou.

Já o defensor de Waldir Firmo, Rômulo Alencar, explicou que ainda vai avaliar se vai recorrer. “Reconhecemos a soberania do conselho de sentença. Iremos ainda analisar se vamos entrar com recurso”, ponderou.

Os réus foram condenados no júri popular realizado nesta quarta-feira (2). O julgamento foi presidido pelo juiz Jorge Luiz dos Santos Henriques, na 2ª Vara do Tribunal do Júri do Recife, no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano.

O júri popular começou por volta das 9h40 desta quarta-feira (2), com o sorteio dos jurados que compõem o Conselho de Sentença: cinco homens e duas mulheres. Em seguida, houve a leitura da denúncia e haveria a ouvida dos réus, que preferiram não se pronunciar. A defesa e a acusação realizaram os debates, que duraram mais de três horas. A sentença foi lida por volta das 22h15.

A acusação defendeu a culpa dos três acusados, com a promotora Dalva Cabral ressaltando a intenção que eles tinham de matar alguém da torcida rival. A defesa negou essa vontade, defendendo que nenhum deles tinha essa intenção. Durante o embate entre defesa e acusação, a promotora Dalva Cabral lembrou que a distância de cem metros entre o local de onde foram arrancados e o local de onde foram jogados os vasos sanitários prova que havia uma motivação.

Entenda o caso
Na noite do dia 2 de maio de 2014, Luiz e Waldir, contando com a participação direta de Everton, arremessaram dois vasos sanitários do alto da arquibancada do estádio do Arruda, onde tinha ocorrido uma partida entre Paraná e Santa Cruz, pela Série B do Brasileirão. Os vasos foram jogados na área externa do estádio e atingiram o torcedor Paulo Ricardo, que morreu na hora.

No dia do crime, a partida era entre Santa Cruz e Paraná, no entanto, a torcida do Sport, da qual a vítima fazia parte, também acompanhava o jogo. O motivo dos crimes seria a rivalidade entre as torcidas organizadas do Santa Cruz e do Sport. Outros três torcedores também ficaram feridos por estilhaços dos sanitários.

Os objetos foram arremessados de uma altura de 24 metros, de acordo com o Instituto de Criminalística (IC). O professor de física Beraldo Neto avaliou a altura e calculou que os vasos chegaram ao chão com um peso de 350 quilos, cada um.

Os suspeitos foram presos dias após a morte. No dia 12 de maio, eles participaram da reconstituição do crime, que esclareceu detalhes da ação dentro do estádio. Desde então, eles estão detidos no Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, Grande Recife.

FONTE: G1.


Clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro terá esquema especial de trânsito

BHTrans orienta torcedores a utilizar transporte público nesta quarta (12).

Várias vias no entorno do Estádio Independência serão interditadas.

 

A Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) vai implantar nesta quarta-feira (12) um esquema especial de trânsito para atender aos torcedores que forem ao Estádio Independência, no bairro Horto, Região Leste de Belo Horizonte.

Atlético-MG e Cruzeiro se enfrentam no primeiro jogo da final da Copa do Brasil.

Segundo a BHTrans, o transporte coletivo é a melhor opção. A linha 9033 (Arena Independência/ Centro) começa a operar a partir das 20h30. O intervalo de viagens será de 20 minutos ou de acordo com a demanda de passageiros.

Pontos de embarque da linha 9033:

– Rua dos Tamoios, 873 (entre Rua Rio Grande do Sul e Avenida Olegário Maciel);
– Rua Santa Catarina, 201 (entre Avenida Augusto de Lima e Avenida Amazonas);
– Avenida Amazonas, 709 (entre Rua Tupis e Rua São Paulo);
– Rua Tamoios, 33 (entre Avenida Afonso Pena e Rua da Bahia);
– Avenida Assis Chateaubriand, 499 (próximo ao Teatro Alterosa);
– Rua Pitangui, 2.756, entre ruas Santa Marta e Barão de Cocais.

Além do transporte especial, as linhas 4802A (Pindorama/ Boa Vista), 8001A (Santa Inês/ BH Shopping), 9105 (Nova Vista/ Sion), 9205 (Nova Vista/ Nova Cintra), 9402 (Santa Inês/ Santo André), 9405 (Instituto Agronômico/ Monsenhor Messias) e 9414 (Santa Inês/ João Pinheiro) também atendem à região do estádio.

Interdição
Torcedores também devem ficar atentos às alterações no trânsito. As vias abaixo serão interditadas, com exceção ao tráfego de moradores:

– Rua Pitangui, trecho entre a Rua Nancy de Vasconcellos Gomes e Rua Conselheiro Rocha;- – Rua Ismênia Tunes;
– Rua Marciolina Montijo;
– Rua Alexandre Tourinho;
– Rua Mario de Andrade Gomes;
– Rua Manoel Cailaux;
– Rua Córrego da Mata, trecho entre Rua Nancy de Vasconcelos Gomes e Rua Ismênia Tunes;
– Rua São Felipe, trecho entre a Rua Pitangui e Rua Genoveva de Souza;
– Rua Santa Clara, trecho entre a Rua Pitangui e Rua Genoveva de Souza;
– Rua João Carlos, trecho entre a Rua Pitangui e Rua Genoveva de Souza.

Trânsito será alterado no entorno do Estádio IndependênciaTrânsito será alterado no entorno do Estádio Independência

Estacionamento
Motoristas também não vão poder estacionar nas vias abaixo:
– Rua Alabastro, entre Rua Pitangui e Avenida Silviano Brandão;
– Rua Nancy de Vasconcelos, entre Rua Pitangui e Avenida Silviano Brandão;
– Rua Vicentina de Souza, entre Rua Jacques Luciano e Rua João Carlos
– Rua Genoveva de Souza, entre Rua Jacques Luciano e Rua João Carlos
– Rua João Carlos, entre Rua Jacques Luciano e Rua Santa Clara
– Rua Santa Clara, entre Rua João Carlos e Rua Vicentina de Souza
– Rua São Felipe, entre Rua João Carlos e Rua Santíssima Trindade
– Rua Santíssima Trindade, entre Rua Volta Grande e Rua Jacques Luciano

Agentes da BHTrans vão monitorar o tráfego no local.

 

FONTE: G1.


 

Xingamento contra Dilma não partiu só da ‘elite branca’, diz ministro

Contrariando o discurso público e privado do governo, o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) afirmou nesta quarta-feira (18) que os xingamentos contra Dilma Rousseff na abertura da Copa do Mundo não partiram só “da elite branca”.

Segundo ele, a avaliação de que a gestão petista é corrupta “pegou”, percepção que, partindo das classes alta e média, vem “gotejando” no setor mais pobre da população.

“Me permitam, pessoal, no Itaquerão não tinha só elite branca não. Não fui pro jogo, mas tive no Itaquerão, ao lado, numa escola acompanhando as movimentações, fui e voltei de metrô. Não tinha só elite no metrô. Tinha muito moleque gritando palavrão dentro do metrô que não tinha nada a ver com elite branca”, afirmou Carvalho durante encontro com ativistas e blogueiros de esquerda no Palácio do Planalto.

“A coisa desceu. Isso que foi gotejando, de água mole em pedra dura, esse cacete diário de que inventamos a corrupção, de que nós aparelhamos o Estado brasileiro, de que somos um bando de aventureiros que veio aqui para se locupletar, essa história pegou. Na elite, na classe média, e vai gotejando, vai descendo. Porque não demos o combate, não conseguimos fazer o contraponto.”

Na jogo entre Brasil e Croácia –abertura do Mundial, no último dia 12–, Dilma foi alvo de vaias e de xingamentos. O coro “ei, Dilma, vai tomar no c…” começou na ala VIP do estádio, mas se espalhou.

No dia seguinte, a presidente disse que os ataques partiram de gente que não representa o povo brasileiro. “O povo brasileiro não age assim. O povo brasileiro não pensa assim e, sobretudo, o povo brasileiro não sente da forma como esses xingamentos expressam. O povo brasileiro é um povo civilizado e extremamente generoso e educado.”

Petistas atribuem os xingamentos no estádio a integrantes das classes privilegiadas da população.

 

PANCADARIA

No evento dessa quarta-feira, Carvalho reclamou da “pancadaria” diária que o governo enfrentaria na mídia.

“Do ponto de vista de governabilidade institucional, somos uma estrondosa minoria. E se você acrescenta que nós não fizemos o debate na mídia pra valer, nós passamos esse tempo todo com uma pancadaria diária que deu resultado. Essa pancadaria diária é o que resulta no palavrão para a Dilma lá no Itaquerão.”

Carvalho não citou nenhum exemplo. O PT reclama principalmente da cobertura jornalística do escândalo do mensalão, que resultou na prisão de toda a ex-cúpula do partido, entre eles o ex-ministro José Dirceu. Recentemente o governo tem enfrentado acusações de corrupção e má-gestão na Petrobras, que é foco de CPIs no Congresso.

Segundo Gilberto Carvalho, essa eleição será a mais difícil de todas para o PT. “Porque ela [Dilma] enfrenta o resultado desse longo processo, e a correlação de forças vai ficando mais complicada pra gente nesse sentido.”

O ministro, que é o responsável no governo pela interlocução com os movimentos sociais, afirmou que “a capacidade de articulação com a sociedade é o único caminho capaz de compensar de alguma forma essa correlação de forças desfavorável do ponto de vista institucional.”

O encontro no Planalto foi organizado como forma de defender as novas regras para montagem de conselhos populares, medida que vem sendo atacada pela oposição e por parte do Congresso sob o argumento de que o governo pretende aparelhar as decisões governamentais. 

comentários

M.Mig (6694)

ontem às 18h51

Avaliar como positivo 49 Avaliar como negativo 1

 Denunciar

Pergunta pertinente: Se a “elite” vaiou e xingou dilma, como ela foi vaiada e xingada em um canteiro de obras em Pernambuco? Vai dizer que o canteiro de obras tinha área VIP ?

 

Crítico honesto (104)

ontem às 18h23

Avaliar como positivo 46 Avaliar como negativo 1

 Denunciar

Porque o Sr. Gilberto Carvalho não explica a sua íntima ligação com o Guilherme Boulos, chefão dos SemTeto em SP? e que as manifestações são orquestradas por ele próprio? “Gotejou”? Estão provando do próprio veneno.

 

Melinda (1461)

ontem às 18h52

Avaliar como positivo 45 Avaliar como negativo 1

 Denunciar

O partido tem a mais ampla base de apoio da história, domina a maior parte dos ministérios, indica a cúpula das estatais, tem os vários horários políticos, a hora do Brasil, criou o canal Brasil, gasta bilhões com propaganda, paga blogs com dinheiro público para falarem bem do governo. E ainda reclamam da mídia, acham pouco! Querem mais o que???

 

 

FONTE: Folha.


Ônibus é a prioridade
Plano de trânsito desestimula uso de carros e disponibiliza 400 coletivos na Copa.
Expectativa é de que 70% dos torcedores cheguem ao Mineirão via transporte público

Corredor Antônio Carlos do BRT/Move terá as linhas 50, 51 e 52 disponíveis para os torcedores que forem ao Mineirão (GLADYSTON RODRIGUES/EM/D. A PRESS)

Corredor Antônio Carlos do BRT/Move terá as linhas 50, 51 e 52 disponíveis para os torcedores que forem ao Mineirão



Quem não abre mão do carro particular pode começar a repensar essa escolha se quiser ir ao Mineirão acompanhar os jogos da Copa do Mundo. Chegar ao campo no próprio veículo está entre as opções menos recomendadas pela BHTrans. A orientação do presidente da empresa que gerencia o transporte e trânsito em BH, Ramon Victor Cesar, é para que moradores e turistas priorizem o transporte coletivo. Esta opção, no entanto,  exigirá fôlego, pois quem for de BRT/Move terá de enfrentar, a pé, um trecho de subida de 1,4 quilômetro entre a Avenida Antônio Carlos e o estádio. Se a escolha for pelos cerca de 400 ônibus especiais que farão os trajetos entre a Savassi, o Expominas (Gameleira), o Centro e o Minas Shopping, (Bairro União), a caminhada chegará a dois quilômetros.

RESUMO

Os caminhos do torcedor ao MineirãoPlano da BHTrans em dias de jogos dá prioridade ao transporte coletivo, com ônibus especiais a R$ 15 (ida e volta) e linha Confins-Pampulha a R$ 10 (o trecho). Confira as vantagens e desvantagens de cada meio de transporte.

Expresso Copa

Cinco locais de embarque e venda de bilhete antecipada

Pista normal de ônibus e ponto a até 2km do estádio

BRT/Move

Passagens a R$ 2,85 e corredor exclusivo de ônibus

Rota de possíveis protestos e ponto a 1,4km do Mineirão

Táxi

Comodidade e economia para quem for em grupos

Volta para casa vai exigir uma caminhada de até 1,8km

Carro

Desembarque poderá ser feito a cerca de 500 metros

Estacionamento proibido em vários bairros da região

VEJA TAMBÉM:
MEDO: ESTABELECIMENTOS BLINDADOS

Ir de táxi também está fora do objetivo da BHTrans. Diferentemente da Copa das Confederações, quando puderam trafegar pelas antigas busway – que hoje se tornaram corredores exclusivos do BRT/Antônio Carlos –, os táxis dividirão espaço nas pistas normais com carros e coletivos durante a Copa. Muda também o número de pessoas atendidas pelo transporte público. Enquanto no ano passado, 28 mil pessoas usaram ônibus para chegar ao Mineirão, o planjeamento agora é superior. “A expectativa é que 70% dos torcedores cheguem ao estádio pelo transporte público”, espera o secretário municipal Extraordinário para a Copa do Mundo, Camilo Fraga, referindo-se a 42 mil passageiros entre os 60 mil torcedores que vão ao Mineirão.
 
Táxis também terão restrições de acesso e não poderão ultrapassar a área limite permitida apenas para veículos credenciados. Enquanto na chegada a vantagem pode ser o conforto da viagem e a proximidade do campo – de cerca de 500 metros  – a volta fica complicada. Se não quiser se aventurar nas ruas do entorno na tentativa de conseguir o serviço, o torcedor precisará andar até 1,8 quilômetro para chegar a um dos dois pontos de embarque: na orla da lagoa, perto do Iate, ou em frente à Usiminas, na Avenida Carlos Luz. “Eventos dessa natureza em todo o mundo são operados com transporte público. Temos o serviço especial de ônibus e todo o serviço do BRT capazes de transportar grande massa de pessoas até o Mineirão”, diz Ramon Cesar.

Os ônibus especiais dividem com o BRT o topo da lista recomendada pela BHTrans. Se a opção for pelos coletivos do ‘expresso Copa’, os torcedores já podem comprar os bilhetes a R$ 15 para ida e volta. Os ônibus que sairão das regiões Oeste (Expominas), Centro-Sul (Centro e Savassi) e Nordeste (Minas Shopping) chegarão em pontos batizados de Terminais Copa, nas imediações do Mineirão. Os três primeiros ficam na Praça dos Esportes e na Avenida Fleming, no Bairro Ouro Preto, enquanto os passageiros que saírem do Minas Shopping desembarcarão na Avenida das Palmeiras e farão uma caminhada mais leve, de 500 metros.

As linhas que operam o BRT na Antônio Carlos também têm esquema especial. Cinco horas antes e três horas depois das partidas, os itinerários 50, 51 e 52 receberão reforço no quadro de horários. A 50, que é direta do Centro à Estação Pampulha, fará paradas nas estações de transferência UFMG e Mineirão. De lá, os passageiros seguirão a pé até o estádio, uma caminhada de 1,4 quilômetro, aproximadamente. 

Idosos, grávidas, pessoas com crianças de colo ou com mobilidade reduzida poderão usar um serviço de traslado da prefeitura até os portões do estádio. O esquema também funcionará para esse público nos terminais da Copa. Para chegar ou sair do estádio, os pedestres poderão usar rotas exclusivas, sinalizadas, e separadas com grades, desde os terminais do expresso Copa ou das estações do BRT até o Mineirão. A avenida, no entanto, está na rota dos protestos, e na Copa das Confederações ficou horas fechada, antes e depois dos jogos. 

Apesar de afirmar que a cidade está preparada para transportar torcedores com tranquilidade, Ramon admite que manifestações, como ocorreu durante a Copa das Confederações, podem causar prejuízos ao planejamento da BHTrans. “Qualquer fechamento tem impactos negativos. Mas, mesmo com as manifestações da Copa das Confederações, transportamos cerca de 28 mil pessoas e ninguém chegou atrasado ao Mineirão”, informa. Além disso, o presidente garantiu que a empresa tem esquemas de contingência preparados. 

CONFINS Quem desembarcar em Confins e for para o Mineirão terá opção de transporte direto. Uma linha especial foi criada, com taxa de R$ 10 por trecho. A expectativa é de que o trajeto dure 50 minutos e que, com partidas programadas de 15 em 15 minutos, cerca de 1 mil passageiros sejam transportados a cada hora. As saídas ocorrerão seis horas antes dos jogos e até três horas depois das partidas. Além do reforço nas linhas de ônibus regulares que saem do aeroporto para BH, o terminal terá atendimento especial de táxi, com 531 veículos, e 16 carros adaptados para pessoas com mobilidade reduzida. 

Enquanto isso…

…BH tem o 6º pior
trânsito do país


Belo Horizonte ocupa a sexta posição entre as capitais que têm o pior trânsito do país, segundo pesquisa divulgada ontem pela empresa de tráfego TomTom. O levantamento mediu a densidade dos engarrafamentos, comparando o número de ruas da cidade e quantas estão congestionadas. A densidade também foi analisada nos horários de maior movimento e fora deles, um indicativo de questões relacionadas à infraestrutura, segundo o gerente de vendas da empresa, Julio Quintela. BH chega a ter 42% de ruas e avenidas comprometidas nos momentos de pico. São Paulo, conhecida pelas longas filas de veículos, ficou logo à frente, na quinta posição, com 46%. A capital mais congestionada é Recife, com lentidão em 60% de suas vias nos horários de pico.
FONTE: Estado de Minas.

Torcedor morre

 

atingido por privada atirada

 

da arquibancada do Arruda

Incidente aconteceu logo após a partida entre Santa Cruz e Paraná, pela Série B

Paulo Ricardo torcedor morto no arruda no jogo santa cruz x Paraná (Foto: DHPP/Divulgação)Reprodução da foto de Paulo Ricardo durante
o jogo no Arruda (Foto: DHPP/Divulgação)

Um torcedor morreu de forma trágica logo após o jogo entre Santa Cruz e Paraná, pela Série B do Campeonato Brasileiro, na noite desta sexta-feira. Ele passava próximo ao portão seis do Arruda, destinado à torcida adversária, quando foi atingido por um vaso sanitário arremessado da arquibancada. Paulo Ricardo Gomes da Silva é o nome da vítima. O agressor não foi identificado. Não houve um detido sequer.

Ao fim da partida, a torcida do Santa Cruz foi orientada pela Polícia Militar a sair do estádio antes da torcida visitante. No entanto, uma uniformizada coral armou a emboscada para os rivais. Ao deixarem o estádio, 15 minutos depois, os torcedores do Paraná foram “recepcionados” por três bombas e recuaram. Neste momento, dois vasos sanitários arrancados dos banheiros do anel superior do estádio foram atirados.

Além da vítima fatal, outras três ficaram feridas. Uma em estado grave. Vanderson Wilderlan Gomes, nascido em 1992, sofreu cortes na cabeça e nas pernas e foi encaminhado para o Hospital da Restauração, zona central do Recife. O quadro dele inspira cuidados, mas não corre risco de morte. José e Adrien Ferreira de Lima, nascido em 1993, e Tarkini Kauã Gonçalves de Araújo, nascido em 1994, machucaram as pernas e seguiram para o Hospital Getúlio Vargas.

Torcedor do Sport e morador do bairro do Pina, zona sul do Recife, Paulo Ricardo, 26 anos, trabalhava como soldador na indústria naval do Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife. Integrante de uma torcida uniformizada do Sport, saiu de casa com uma missão: tirar fotos da uniformizada do Paraná – uma prática comum entre torcidas aliadas em diferentes estados. Na câmera encontrada pelos bombeiros dentro da bolsa da vítima, havia vários registros do jogo.

Torcedor morre atingido (Foto: Thiago Augustto)Corpo da vítima coberto por um lençol ainda no local, logo após a morte (Foto: Thiago Augustto)

– Ele estava assistindo ao jogo com a torcida do Paraná. Já sabemos que era um torcedor do Sport, inclusive tinha tatuagens do clube, e que estava no local onde começou a briga logo após o jogo. As informações são que os outros dois feridos estavam com ele. Vamos ao hospital para escutá-los. Ainda não podemos precisar exatamente de onde partiu o vaso sanitário. Os depoimentos desses dois que estão no hospital devem ajudar a esclarecer muitos fatos que ainda estão em branco para nós. Ainda temos uma câmera da SDS (Secretaria de Defesa Social) para analisar as imagens. Uma coisa é certa: quem atira um vaso sanitário em outra pessoa tem sim intenção de matar, explicou a delegada Gleide Ângelo

Mapa Arruda (Foto: Infográfico)Tragédia no Arruda: local onde o torcedor foi morto (Foto: Infográfico)

Pedra cantada

As depredações nos banheiros nos estádios de Pernambuco têm sido uma prática constante dos vândalos. Nas mãos deles, privadas viram armas. Este ano mesmo, membros de uma uniformizada do Santa Cruz quebraram banheiros da Ilha do Retiro após um clássico entre Sport e Santa. Na ocasião, a direção rubro-negra pediu a conta à Federação Pernambucana de Futebol (FPF). 

 

FONTE: G1.


PBH, que não conseguiu concluir a tempo o novo sistema, oferece coletivos tradicionais grátis para quem tem ingresso
Ônibus
Ainda sem poder contar com o transporte rápido por ônibus (BRT), Belo Horizonte vai usar os velhos conhecidos coletivos para levar os torcedores aos jogos da Copa das Confederações, que começa em um mês e terá três partidas no Mineirão. Com os ingressos nas mãos, os passageiros poderão embarcar, gratuitamente, em 300 ônibus destinados exclusivamente ao Serviço Especial Copa. O sistema contará com cinco terminais espalhados pela capital, além de dois nas proximidades do estádio, e terá capacidade para transportar até 30 mil pessoas. Uma portaria detalhando o esquema de transporte foi publicada ontem no Diário Oficial do Município (DOM).De acordo com a BHTrans, a operação montada para o amistoso entre Brasil e Chile, em abril, foi um teste para o sistema preparado para os jogos internacionais. Mas, para convencer a torcida a usar o serviço especial, a empresa municipal terá que aprimorar a estratégia e mostrar que “treino é treino, jogo é jogo”. No teste de abril, usuários se depararam com problemas como atrasos no embarque, falta de informação sobre os locais dos terminais, além de muito engarrafamento, principalmente na saída do jogo. Na ocasião, foram usados 68 ônibus, 13 deles executivos, que saíram de três pontos.Para a Copa das Confederações, serão 300 coletivos, sendo 13 executivos, que partirão de cinco terminais, situados na Savassi (Região Centro-Sul), na Praça Floriano Peixoto (Região Leste), na Rua Espírito Santo (Centro), no Minas Shopping (Região Nordeste) e na Estação Barreiro (Barreiro). A chegada e saída do Mineirão ocorrerão em pontos montados na Avenida Carlos Luz (Catalão), próximo à Escola de Educação Física da UFMG, e na Avenida Antônio Carlos, próximo à Coronel José Dias Bicalho.

Com isso, os passageiros terão que caminhar por cerca de um quilômetro até o estádio. A BHTrans ainda está detalhando como será o transporte de portadores de necessidades especiais desses locais até o Mineirão. Os coletivos vão operar das 12h até as 20h, começando quatro horas antes das partidas e terminando duas horas depois. A previsão é de 900 a 1,2 mil viagens em cada um dos jogos, marcados para 17, 22 e 26 de junho.

A oferta de transporte gratuito a espectadores é uma das exigências da Fifa. O custo dessa operação ficará em R$ 120 mil e o município busca patrocinadores para ajudar a cobrir os gastos. De acordo com o diretor de Desenvolvimento e Implantação de Projetos da BHTrans, Daniel Marx Couto, uma consultoria foi contratada para elaborar o plano operacional de mobilidade para a Copa das Confederções e a Copa do Mundo. “O serviço especial terá capacidade de transportar cerca de 35% da lotação do estádio”, afirma.

Inicialmente, o plano da prefeitura era concluir as obras do BRT – sistema de transporte inspirado no metrô, em implantação nos corredores da Avenida Antônio Carlos/Pedro I, Cristiano Machado e na área central – a tempo da Copa das Confederações. Com os atrasos nas obras, que ficarão prontas somente em dezembro, apenas a pista exclusiva para ônibus será usada no serviço especial para o campeonato. “O grande diferencial desse serviço será que não vai ter paradas ao longo do caminho”, afirma Couto.

O mesmo sistema foi usado no jogo entre Brasil e Chile e houve viagens que duraram até uma hora e 40 minutos. “Levei 30 minutos da Savassi até o Mineirão de ônibus. Mas cada operação está sendo aprimorada, e essa será a primeira experiência com essa quantidade de pessoas usando o transporte coletivo”, ressalta o diretor da BHTrans.

PROVA DE FOGO E há quem preveja problemas para o primeiro teste real de mobilidade na capital. “Teremos um angu de caroço  nas Copa das Confederações, porque os principais corredores de acesso ao Mineirão estarão em obra e teremos apenas o Bulevar Arrudas pronto”, afirma o consultor em transporte e trânsito Osias Baptista Neto. Para ele, o serviço especial de transporte criado pela BHTrans tem chances de funcionar bem, diante da previsão de que a procura do público pelo campeonato não seja tão grande. “Por outro lado, a Copa das Confederações é uma vitrine da cidade, um retrato da organização para a o Mundial de 2014 e, nesse momento, vamos passar a imagem de algo meio improvisado”, afirma. Além do serviço especial, a BHTrans promete reforçar as linhas convencionais de ônibus. Nesse caso, o usuário terá que pagar a passagem normalmente.

A portaria publicada ontem também regulamenta a criação de cartão especial voltado para os 2.242 voluntários que trabalharão nos jogos do campeonato. Eles poderão usar o sistema de transporte coletivo gratuitamente para o serviço da Copa de amanhã até 4 de julho.

Enquanto isso……74% dos ingressos foram vendidosTerminou ontem a primeira fase da venda de ingressos para a Copa das Confederações. As entradas restantes poderão ser compradas a partir de 1º de junho, pelo site pt.fifa.com/ticketing ou nas bilheterias dos centros de ingressos da Fifa. Em BH, a venda será no Boulevard Shopping, na Avenida dos Andradas, 3.000, Bairro Santa Efigênia. No último balanço divulgado pela Fifa, 622.613 entradas haviam sido vendidas até segunda-feira para todos os jogos, o que representa 74% do estoque. Até abril, apenas 11.194 bilhetes tinham sido vendidos para o duelo entre Taiti e Nigéria, dia 17 de junho, no Mineirão. O jogo do dia 22, entre Japão e México, tinha 26.635 ingressos vendidos, e a semifinal do dia 26, 42.628. A capacidade do Mineirão é de mais de 60 mil torcedores. 

FONTE: Estado de Minas.

Time faz 4 a 1 no Tricolor e confirma a classificação às quartas da Libertadores

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Ronaldinho e cia divertiram a massa na noite desta quarta-feira. O Atlético atropelou o São Paulo no Independência. Aplicou 4 a 1 no Tricolor e sacramentou a classificação às quartas de final da Copa Libertadores. Jô, marcando três vezes, e Tardelli despacharam o São Paulo do torneio.

O Alvinegro aguarda a definição do confronto entre Palmeiras e Tijuana-MEX para conhecer o próximo adversário. O jogo de ida, no México, ficou 0 a 0.

Antes, o Galo volta as atenções para a decisão do Campeonato Mineiro. No domingo, o time inicia a disputa contra o arquirrival Cruzeiro.

Rodrigo Clemente/EM/D.A Press

No embalo da massa

O caldeirão ferveu. Nas arquibancadas do Independência, a torcida ditou o ritmo. No campo, o time do Atlético seguiu o tom. Os primeiro minutos de jogo foram minutos de abafa. O São Paulo caía no Horto.

Assim que o árbitro uruguaio Roberto Silveira autorizou o início da partida, o Galo mostrou o cartão de visitas. Depois do tradicional lançamento para o ataque, o Alvinegro trocou passes e Jô finalizou por cima do gol. No lance seguinte, Ronaldinho sofreu falta na entrada da área. O camisa 10 cobrou e carimbou o travessão tricolor.

A explosão da torcida foi aos 17 minutos. Diego Tardelli tocou para Bernard, a bola sobrou para Jô, que fuzilou o goleiro Rogério Ceni: 1 a 0.

Depois do gol, o Atlético deixou o ritmo cair. O time passou a trocar mais passes. O São Paulo criou suas chances. Na melhor delas, aos 25 minutos, o goleiro Victor dividiu com Ganso e evitou o empate paulista.

O Galo voltou a tirar o sono da defesa são-paulina. Aos 30 minutos, Ronaldinho levantou a bola na área, Jô desviou e Ceni salvou. Quatro minutos depois, uma oportunidade incrível foi desperdiçada. Leandro Donizete cruzou e Tardelli, livre, cabeceou para fora. Aos 36, Jô tocou para trás, Bernard dominou, chutou e Rafael Toloi salvou em cima da linha.

Na etapa final, o pesadelo tricolor teve seu pior momento. Depois de Jô acertar o travessão, Bernard errar o chute de frente para o gol e Ronaldinho quase marcar de falta, Jô voltou a balançar as redes aos 17 minutos, depois de linda assistência de Bernard.

O São Paulo se perdeu em campo. No minuto seguinte, Réver deu o chutão, Toloi e Ceni vacilaram e Tardelli fez 3 a 0. Já aos 24, Ronaldinho invadiu a área, olhou para um lado, tocou para outro e Jô não perdoou: 4 a 0.

O tricolor marcou o gol de honra aos 30 minutos. Carleto chutou forte, o goleiro Victor espalmou, a bola bateu na cabeça de Luis Fabiano e entrou.

O Atlético quase ampliou aos 35 minutos. Ronaldinho Gaúcho lançou Tardelli, que finalizou e Ceni defendeu. No minuto seguinte, o craque alvinegro por pouco não fez um golaço. R10 esbanjou categoria, fez fila na defesa do São Paulo e chutou rente à trave. Foi a diversão final.

Já no fim da partida, Rosinei se desentendeu com Carleto e ambos acabaram expulsos.

ATLÉTICO 4 X 1 SÃO PAULO

ATLÉTICO
Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Réver e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete (Josué), Diego Tardelli (Rosinei), Ronaldinho e Bernard (Luan); Jô. Técnico: Cuca.

SÃO PAULO

Rogério Ceni; Paulo Miranda (Silvinho), Rafael Toloi, Edson Silva e Carleto; Wellington, Denilson (Ademilson), Ganso e Jadson (Maicon); Douglas e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco.

Motivo: Jogo de volta das oitavas de final da Libertadores
Estádio: Independência, em Belo Horizonte
Data: 8 de maio de 2013

Gols: Jô, 17min 1ºT, 17min e 24min 2ºT; Tardelli, 18min 2ºT; Luis Fabiano, 30min 2ºT

Árbitro: Roberto Silveira (URU)
Assistentes: Carlos Pastorino e Gabriel Popovits (URU)

Cartão amarelo: 
Denílson, Jadson (SAO); Donizete, Tardelli, Ronaldinho (ATL)
Cartão vermelho: Carleto (SAO); Rosinei (ATL)

Cruzeiro goleou no primeiro e se garantiu na final com triunfo por 1 a 0 no Mineirão

Ramon Lisboa/EM/D.A Press

O Cruzeiro entrou em campo sem sete titulares e o time formado praticamente por reservas demorou para engrenar contra o Villa Nova, no Mineirão. Mesmo assim, a equipe mostrou mais disposição para buscar o campo de ataque do que o adversário, que precisava golear para sonhar com uma vaga na final do Mineiro. A vantagem de 4 a 0, conquistada no duelo em Nova Lima, fez com que o time celeste dominasse as ações, apesar de apresentar uma intensidade menor em relação a outras ocasiões.

Depois de um primeiro tempo apagado, o Cruzeiro fez o gol da vitória na parte final. Em bela cobrança de falta, Egídio acertou o ângulo de William Nobre e garantiu a vitória celeste por 1 a 0. Jogadores como Dagoberto, Everton Ribeiro e Nilton fizeram falta ao esquema de Marcelo Oliveira. Eles, além de Ceará, Leo, Everton e Fábio foram poupados por causa da final do Estadual.

A missão complicada do Leão do Bonfim poderia ser compensada com outros atrativos. Uma vitória por diferença mínima, mesmo sem garantir uma vaga na final, valia para a equipe o título simbólico de campeão do interior, além de uma vaga na Copa do Brasil de 2014. Porém, com o resultado, o Tombense foi o beneficiado.

As finais do Campeonato Mineiro estão marcadas para os dias 12 e 19 de maio. O primeiro jogo será no Independência, com apenas 10% dos ingressos reservados para a torcida celeste. O duelo final será no Mineirão, mas com a inversão do mando de campo são os torcedores do Galo que ficam com o percentual menor de presentes. O Cruzeiro tem a vantagem de jogar por dois resultados iguais por ter feito a melhor campanha da primeira fase.

Primeiro tempo

Apesar da vantagem de quatro gols, o Cruzeiro começou a partida com vontade de balançar as redes. A primeira ameaça ao gol de Nobre veio de Lucas Silva, aos três minutos, em lance que obrigou o goleiro a espalmar para escanteio. O Villa levou perigo em jogada de linha de fundo, mas a defesa atrapalhou a finalização.

Aos oito minutos, o Leão foi obrigado a mexer na defesa. Com a lesão sentida por Evaldo, o jogador João Paulo entrou em seu lugar. Com isso, Cléber Monteiro foi deslocado para a defesa.

Depois de alguns minutos de jogo morno, o Cruzeiro quase abriu o placar após troca de passes. O lateral Egídio recebeu passe, na medida, e o arremate passou ao lado da trave de William Nobre.

Com sete titulares poupados e larga vantagem no placar agregado, a equipe celeste não demonstrava o mesmo ímpeto de outros jogos. Em jogada pela direita, Goulart quase alcança cruzamento de Tinga. Em outro lance de perigo, o atacante Borges mostrou disposição para roubar a bola do zagueiro, mas o passe foi interceptado.

A necessidade de golear o adversário para conseguir uma vaga na decisão não foi condizente com a postura do Villa Nova nos 30 primeiros minutos. Preso a marcação celeste, o time de Nova Lima chegou poucas vezes ao gol de Rafael.

O meia Diego Souza chegou a marcar para os donos da casa, aos 33, mas o auxiliar marcou impedimento. O gol anulado ‘nasceu’ após jogada de bola parada, em cruzamento que veio da direita. Na sequência, a torcida quase viu o primeiro gol do jogo. Borges aproveitou o erro de passe na saída de bola e finalizou, mas acertou trave.

O Leão do Bonfim deixou para atacar, pela segunda vez no duelo, no fim do primeiro tempo. Maurim tocou para o meio, e Eraldo girou, mas a bola foi para fora.

Segundo tempo

A expectativa do público presente no Mineirão é que a postura das equipes fosse mais agressiva na segunda etapa. O Cruzeiro começou marcando no campo de ataque e o Villa teve dificuldade para sair jogando.

O Cruzeiro tentou ser mais efetivo, mas apresentou erros nos passes finais. O Villa respondeu com um chute de longa distância, mas sem problemas para Rafael. Os visitantes perderam outro jogador por lesão. O lateral Maurim sentiu e entrou Renan Rodrigues.

Aos 14, o técnico Marcelo Oliveira decidiu sacar dois dos titulares remanescentes na equipe. Diego Souza e Guerreiro saíram para as entradas de Ananias e Élber. O gol celeste foi por meio de bola parada. O lateral Egídio cobrou com precisão e abriu o placar: 1 a 0. O jogador foi um dos reservas que ganhou a chance de jogar nesta quarta-feira.

O único titular do Cruzeiro mantido no segundo tempo foi Bruno Rodrigo. Os demais que entraram, foram substituídos pelo técnico. Egídio quase marcou em outro lance de falta, mas o goleiro salvou.

Cruzeiro 1 x 0 Villa Nova

Cruzeiro:
Rafael, Mayke, Bruno Rodrigo, Paulão e Egídio; Leandro Guerreiro (Ananias), Lucas Silva, Tinga e Diego Souza (Élber); Ricardo Goulart e Borges (Anselmo Ramon).
Técnico: Marcelo Oliveira

Villa Nova:
William Nobre; Rodrigo Rocha, Heitor, Evaldo (João Paulo) e Maurim (Renan Rodrigues); Cléber Monteiro, Marcelo Rosa, Max Carrasco e Tchô; Rafael Gomes e Eraldo
Técnico: Alexandre Barroso

Motivo: 2º jogo da semifinal do Campeonato Mineiro
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte
Data: 8 de maio de 2013, às 20h30
Gols: Egídio, aos 24 minutos
Árbitro: Wanderson Alves de Souza (MG)
Assistentes: Frederico Soares Vilarinho (MG) e Luiz Antônio Barbosa (MG)
Cartão amarelo: Rafael Gomes, João Paulo e Max Carrasco (Villa Nova)
Cartão vermelho:
Pagantes:10.965
Renda:R$ 427.755,00

FONTE: Estado de Minas.

Motoristas precisaram de paciência para vencer congestionamento na capital

 

Protesto de professores estaduais fechou a Avenida Antônio Carlos às 18h (Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)
Protesto de professores estaduais fechou a Avenida Antônio Carlos às 18h

Os torcedores que prestigiaram o amistoso entre Brasil e Chile nesta quarta-feira e os trabalhadores que apenas precisavam passar pela Região da Pampulha na volta para a casa sofreram com trânsito de Belo Horizonte. No primeiro grande teste do novo Mineirão durante um dia útil, a capital mineira viu as duas avenidas que ligam o Centro ao estádio travarem com o protesto de professores da rede estadual de educação e com o grande fluxo de veículos.

Por volta de 18h, manifestantes do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) fecharam as quatro faixas da Avenida Antônio Carlos. A BHTrans fez um desvio por uma rua lateral para diminuir a retenção do trânsito, o que não evitou o congestionamento. Os motoristas também foram orientados a dar preferência para a Avenida Presidente Carlos Luz, a Catalão, que também travou com o excesso de carros.

Somados, os congestionamentos nas duas avenidas chegaram a formar uma fila de aproximadamente dez quilômetros dentro da cidade. Para conseguir chegar ao estádio, o ônibus da Seleção Brasileira precisou ser guiado por viaturas pela contramão da Carlos Luz.

FONTE: Estado de Minas.

Segundo planejamento estabelecido pelo Governo de Minas Gerais e Prefeitura de Belo Horizonte, só serão permitidos acessos de veículos credenciados pelo COL e CBF ao Mineirão

 

Medidas para segurança

Para garantir a segurança dos torcedores em direção às entradas do estádio, foram implantadas rotas especiais para pedestres, conhecidas como Fan Walks, protegidas por grades. Dessa maneira, o torcedor que preferir se deslocar de carro poderá caminhar pela vizinhança do estádio de forma segura, familiarizando-se assim com o modelo de eventos da FIFA.

Alterações no trânsito

– No Bairro São José só será permitido o trânsito local para acesso dos moradores às garagens. A partir de 0h do dia 24 de abril, os moradores do bairro não poderão estacionar os veículos nas ruas do bairro. Eles devem usar as garagens.

– Na Orla da Lagoa da Pampulha, o estacionamento de veículos estará proibido no trecho entre a igreja São Francisco de Assis e Av. Santa Rosa.

– A Av. Santa Rosa entre Av.Otacílio Negrão de Lima e Av.Antônio Carlos terá estacionamento proibido no lado direito, neste sentido;

– O estacionamento será proibido ao longo das avenidas Alfredo Camarate e Abrahão Caram.

INGRESSOS AINDA À VENDA
Ainda restam 10 mil bilhetes nos setores Inferior Norte e Sul (R$ 100) e Especial Leste e Oeste (R$ 150) do Mineirão. Cerca de 50 mil ingressos haviam sido vendidos até o início da noite de ontem. Para facilitar a entrega das entradas adquiridas via internet, a CBF decidiu estender a troca, até então feita apenas na bilheteria do estádio, para as bilheterias do Ginásio do Cruzeiro, no Barro Preto, e na sede campestre do clube, no Santa Amélia. As vendas nesses locais serão encerradas às 17h de hoje, duas horas antes do previsto anteriormente.

 

FONTE: O Tempo e Estado de Minas.



%d blogueiros gostam disto: