Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: itatiaia

ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 28/12/2014

CRIME PASSIONAL

Ex-policial que matou vigia em supermercado diz não estar arrependido

Ele foi apresentado neste sábado e contou que o motivo do assassinato é que a vítima seria amante de sua mulher e que, além disso, estaria assediando sua filha de 12 anos

OUÇA AQUI A REPORTAGEM DA RÁDIO ITATIAIA!

Em depoimento a Polícia Civil, o homem que aparece em um vídeo atirando no vigia de um supermercado no bairro Cidade Nova, região Nordeste de Belo Horizonte, confessou o crime e disse não se arrepender do homicídio. O caso foi apresentado na manhã deste sábado (27) pelo delegado Wagner Pinto, que está a cargo das investigações.

As imagens são intrigantes porque mostram o suspeito realizando o crime de forma impassível e natural, como se estivesse retirando um produto de uma prateleira. Ele permanece detido no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp).

Segundo informações do delegado, o suspeito Ivair Maria Alves, de 46 anos, ex-policial e, atualmente, caixa executivo em uma agência bancária, foi preso depois que uma equipe da Polícia Civil esteve no local do crime e conseguiu captar as imagens das câmeras de segurança do estabelecimento e do estacionamento. Foi constatado que Alves chegou ao local em um carro Parati preto e também foi possível identificá-lo, já que seu rosto é nítido nas imagens uma vez em que ele não se preocupou em escondê-lo em nenhum momento.

O motivo do crime, segundo o suspeito, é que o vigia Vinícius Linhares de Jesus, de 34 anos, estaria assediando sua filha, de 12 anos. Alves disse que constatou isso com base em uma foto da menina no Facebook da vítima, em que ela está em um jardim. A polícia informou que a imagem não foi encontrada no Facebook de Jesus, apenas no perfil da mulher do suspeito e mãe da menina, com quem a vítima já teve um relacionamento. De qualquer forma, a polícia também esclareceu que não há nenhum teor sexual na foto.

Colegas de trabalho, amigos e familiares da vítima disseram que o vigia realmente era muito “mulherengo” e que tinha relacionamentos com várias mulheres. O nome de uma delas, citado pelos conhecidos de Jesus, é também o nome da mulher de Alves, que seria amante da vítima. Com este nome em mãos, a polícia conseguiu localizar uma  ocorrência envolvendo a mulher e o suspeito, registrado em uma delegacia de Sabará em março deste ano, no qual a mulher conta que Alves, seu companheiro, a havia agredido nessa data.

Mas os resultados da busca pelo nome de Alves não parou por aí. Foi encontrada também a ocorrência do assassinato de um homem no bairro São Marcos em julho deste ano. Neste caso, a vítima foi encontrada morta e de calcinha. O ex-policial disse que agiu em legítima defesa e, por este homicídio, responde em liberdade.

Após o levantamento da ficha do suspeito, os policias foram na casa dele e o prenderam. Ele confessou o assassinato e disse que o motivo era que ele havia descoberto uma foto da mulher com a vítima no Facebook. Apesar da foto ter sido publicada no dia 26 de outubro deste ano, Alves disse ter visto a imagem apenas nessa sexta (26), quando decidiu cometer o crime.

Mas o triângulo amoroso teve início há cerca de um ano e meio, segundo o delegado, quando Alves descobriu pela primeira vez a traição da mulher com o vigia. Eles decidiram fazer uma terapia de casal depois da crise, mas não adiantou e acabaram rompendo o relacionamento por três meses. Depois deste período eles reataram e ficaram juntos até então, mas segundo o suspeito, quando viu a foto no Facebook, ficou muito abalado e decidiu ir ao local de trabalho da vítima, para “resolver” a questão de uma vez por todas.

A mulher do suspeito confirma o relacionamento extraconjugal com a vítima, mas disse que foram apenas algumas vezes que eles saíram e que não era sério.

A arma do crime, que a polícia suspeita se tratar de um revólver de calibre 9 mm, não foi encontrada. Alves será indiciado por homicídio qualificado, e por este crime, pode pegar de 12 a 30 anos de prisão. A polícia tem 10 dias para concluir o inquérito e o delegado Wagner Pinto disse que pretende pedir a prisão preventiva do suspeito para que ele fique preso em regime fechado até a data do julgamento, por questões de segurança da mulher e da família da vítima. Ele continua detido no Ceresp.

Suspeito de matar segurança de supermercado no Cidade Nova é preso em BH

Uma investigação conjunta aponta o ex-policial civil Ivair Maria Alves como o responsável por efetuar pelo menos três disparos de arma de fogo contra Vinicius Linhares de Jesus

 
Foi preso no fim da tarde desta sexta-feira o principal suspeito de assassinar o funcionário de um supermercado no Bairro Cidade Nova, na Região Nordeste de Belo Horizonte. Depois de uma investigação conjunta, policiais militares e civis chegaram até o nome do ex-policial civil Ivair Maria Alves, e acreditam que ele seja o responsável por efetuar pelo menos três disparos de arma de fogo contra Vinicius Linhares de Jesus, que morreu na hora. Detido em casa, o homem foi encaminhado para a Delegacia de Homicídios, onde presta depoimento nesta noite.Já detido, Ivair confirmou ter matado Vinicius por motivos passionais. O ex-policial disse ter suspeitado que a vítima mantinha um tipo de relacionamento com a filha dele, de 12 anos. Ele também afirmou que o segurança teve um caso com a esposa dele, há dois anos quando os dois trabalharam juntos, contudo ele diz não ter sido essa a motivação do crime.  A vítima trabalhava como segurança do supermercado, que fica na Avenida Cristiano Machado. No fim da manhã, imagens das câmeras de segurança do local flagraram o momento em que um homem entra no estabelecimento olhando para os lados, como se procurasse o alvo. Quando avista Vinicius, vai em direção a ele e saca uma arma. O criminoso atira na cabeça do funcionário e sai caminhando tranquilamente. O suspeito entrou em um veículo de cor escura e fugiu no sentido Bairro Primeiro de Maio. Uma testemunha que o seguiu afirmou que ele trocou de veículo no trajeto e seguiu a fuga em uma moto.

Saiba mais

De acordo com o sargento Ednei, no 16° Batalhão, militares do serviço de inteligência e policiais civis reconheceram Ivair por meio das imagens registradas pelas câmeras do circuito interno de segurança do supermercado. “Ele já tem outras passagens pela polícia e é suspeito de outro homicídio. Com as informações levantadas, os policiais foram até a casa dele, no Bairro São Marcos e o prenderam”, explica o militar. 

Ivair é suspeito de outro homicídio, que aconteceu no dia 17 de julho, no Bairro São Marcos. Segundo ele, dois homens invadiram sua casa e ele atingiu um deles em legítima defesa. 

O suspeito ainda afirmou que foi exonerado da Polícia Civil porque abandonou o serviço por 60 dias, época em que estudava para um concurso.

Reprodução/ Facebook

O pai de Vinícius, o eletricista Geraldo Igídio de Jesus, de 61 anos, informou que há cerca de seis meses o filho se relacionou com uma mulher que havia sido casada. “Se ele tem algum segredo, morreu com ele. Não falava nada conosco. Era calmo, sossegado, tranquilo e alegre. Mas, ontem e anteontem estava meio calado”. O pai acredita que o celular e o computador do filho servirão de base para polícia. Vinícius não tinha qualquer passagem pela polícia ou envolvimento com drogas, conforme a PM.

 

 

FONTE: Estado de Minas, G1, Alterosa e Itatiaia.


Polícia Civil investigará prisão ao vivo dentro de estúdio da Rádio Itatiaia

Sem esclarecer sobre a existência, ou não, de mandado para entrar no prédio da emissora, a corporação disse que já iniciou processo investigativo

Eduardo Costa

A Polícia Civil de Minas Gerais afirmou nesta segunda-feira que já iniciou apuração para esclarecer as circunstâncias da prisão de Armando Júnio Pereira da Cruz, durante entrevista ao vivo à Rádio Itatiaia. O homem é casado com a vereadora Flávia de Oliveira Silva, de Confins, na Região Metropolitana, presa durante Operação Lavagem III. A corporação afirmou que por determinação do chefe da PC, Oliveira Santiago Maciel, a corregedoria vai atuar no caso. A nota, no entanto, não esclarece se os policiais possuíam mandado para entrar nos estúdios da emissora. Nas imagens dos corredores, divulgadas pela rádio, é possível perceber que nenhum dos policiais apresentou qualquer documento que pudesse ser o mandado. O suspeito foi preso no momento em que estava prestes a falar com o jornalista Eduardo Costa, que apresenta o programa “Chamada Geral”. 

“A Polícia Civil reafirma que rejeita quaisquer práticas que atinjam a liberdade de imprensa, atributo que caracteriza a reconhecida independência dos veículos de comunicação do nosso País e que têm na Rádio Itatiaia um de seus mais respeitados exemplos”, afirma o texto enviado pela Polícia Civil. Segundo a corporação, Armando é suspeito de coagir testemunhas. Os dois agentes são investigadores da Superintendência de Informações e Inteligência Policial. Ainda conforme a assessoria da Polícia Civil, o corregedor adjunto, delegado Antônio Gama, visitou a emissora nesta tarde “onde recolheu imagens de vídeo que registram a ação e levantou informações para elaboração do relatório preliminar capaz de subsidiar o procedimento investigativo”. A prisão de Armando faz parte da Operação Lavagem III deflagrada na manhã desta terça-feira na Região Metropolitana pela Polícia Civil com o apoio do Ministério Público e do Poder Judiciário. 

No momento da abordagem, Eduardo Costa começou a narrar ao que estava ocorrendo dentro do estúdio. “Eu quero comunicar aos senhores que, neste momento, dois policiais civis estão no estúdio da Rádio Itatiaia para prender o Armando, marido da vereadora de Confins. Até aqui, respeitosamente, estou resistindo e dizendo a eles que não acho crível, lógico e correto que invadam o estúdio da maior emissora de Minas para fazer uma prisão. Poderiam ter no mínimo a delicadeza de esperar na portaria do estúdio, como eu pedi, mais ainda na porta da rádio”, disse. 

Ainda durante a transmissão, o jornalista tentou argumentar dizendo que os policiais não poderiam invadir o local, já que não teriam mandado. Eduardo Costa classificou como “falta de respeito” a atitude dos policiais e clamou pelo chefe da Polícia Civil, Oliveira Santiago Maciel, Marco Antônio Romaneli, secretário de Defesa Social e até o governador Alberto Pinto Coelho (PP). “Estão levando o moço preso neste momento, arrastado de dentro do estúdio da radio da minas. Ai nos vamos ver as consequências jurídicas. A prisão se consolidou, levaram o Armando.”, narrou.

FONTE: Estado de Minas.


Eu não tenho contatos espirituais com Mãe Diná, mas, vos digo, 50 dias antes das eleições de outubro: nada vai mudar na vida dos brasileiros ou – no nosso caso- dos mineiros quando os computadores apontarem os vencedores. O problema não está nos nomes, mas, no sistema. Qualquer mudança de fato exigiria uma renovação de verdade nas bancadas do Congresso e da Assembleia Legislativa. E isto não vai acontecer. No máximo, teremos 35% de novidades, mas, pela experiência de 37 anos cobrindo os pleitos, aposto entre 25 e 30%. E é importante, quando se fala em renovação, que seja alguém realmente novo e não um herdeiro político, filho, genro, chefe de gabinete ou cabo eleitoral.

Por que tenho tanta certeza? Porque tudo é feito para manter o quadro do jeito que está. A distribuição das verbas partidárias, os “apoios” financeiros de empresas (declarados ou não, decentes ou não), o tempo no rádio e na TV e o nosso modelo eleitoral são planejados para manter o status quo. Senão, vejamos: pode alguém desprovido de posses e/ou fiéis de uma igreja que seguem a ordem do pastor ganhar eleição só com discurso, conversa e promessas? Os amadores, sonhadores, vão dar de frente com prefeitos, vereadores e chefes políticos que atuam na base do “é dando que se recebe”; ou seja, quando um parlamentar diz “fechei com o fulano” aí podem estar simpatia, amizade e compromisso, mas, em noventa e nove, vírgula nove por cento dos casos trata-se de dinheiro, emprego, favores, licença para isso, prá aquilo… Sem falar que um deputado tem verbas para indicar obras e resolver algo a favor de alguém – a contrapartida.

Ou a gente não vê isso todo dia nos sites especializados de acompanhamento, a gente não percebe a retribuição de favores legais para os que apadrinharam uma campanha? Outra pergunta que faço com muita insistência no rádio: por que até hoje não temos o marco mineral, que obrigará as mineradoras a pagarem mais impostos, se o assunto depende só da nossa bancada? Mais uma: se os nossos deputados tivessem mesmo compromisso com nosso Estado não teriam conseguido, com pressão política, a duplicação da BR-381, um Anel Rodoviário decente e um metrô de verdade para nossa capital? O problema é que fingem estar com o coletivo, mas atuam no individual, com emendas que levam um viaduto para uma cidade, uma ponte para outra, e assim contam os votos.

Se não tivermos uma Assembleia Constituinte Exclusiva para fazer as reformas, em especial a mãe de todas que é a política, se não mudarmos as práticas, para eliminar o fisiologismo, as negociatas e a compra descarada do voto, não há esperança. Quem duvida que me diga na noite de 5 de outubro se teremos gente nova de verdade nas casas legislativas ano que vem. Estou antecipando, e lamentando: vamos continuar no faz de conta dos donos de poder mantidos a champanhe e caviar.

Deixe seu comentário!

FONTE: Hoje Em Dia.


 

Lago congela em madrugada de -5º C registrada em Itamonte, MG

Termômetros no Parque Nacional do Itatiaia registraram temperatura.

Morador enviou imagens de lago congelado; sensação térmica foi de -7º C.

 

Os termômetros instalados no Parque Nacional do Itatiaia, em Itamonte (MG), registraram -5,7º C na madrugada desta segunda-feira (12). Com a temperatura, a sensação térmica era de -7º C para os moradores que acordaram com o amanhecer gelado na cidade.

O morador César Caffé enviou imagens que mostram a superfície de um lago congelada na zona rural de Itamonte. Segundo ele, até a manhã desta segunda-feira ainda era possível encontrar gelo por toda a região do município.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) não possui estação meteorológica em Itamonte. As menores temperaturas que o órgão registrou na região foram 3,7º no distrito de Monte Verde, em Camanducaia (MG) e 4,2º em Maria da Fé (MG).

Termômetros registram -5,7º no Parque Nacional do Itatiaia, em Itamonte (Foto: Arquivo Pessoal / César Caffé)Termômetros registram -5,7º no Parque Nacional do Itatiaia, em Itamonte
Imagens mostram superfície de lago congelada em Itamonte (Foto: Arquivo Pessoal / César Caffé)Imagens mostram superfície de lago congelada em Itamonte

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: G1.


Lívia

É assim que sempre vamos nos lembrar de vocês!lIVIA2

“Estamos todos escandalizados com este crime brutal que levou a vida deste casal de Belo Horizonte. E mais os absurdos que assistimos que assistimos no Maranhão.

Daqui não esperávamos outra coisa. Falamos nisso há anos, e há anos o assunto vem sendo tratado com desdém, com desinteresse, com negligência, com graves desrespeitos.

Estamos culpando esses dois monstros pelo que aconteceu. Na verdade, a sociedade brasileira construiu esses dois monstros. Há muito que eles deveriam estar recolhidos num ambiente próprio, seja para separá-los do convívio da sociedade, seja para puni-los por faltas cometidas. Estavam soltos.

Quem matou esse casal foi a sociedade brasileira, através dos seus diversos atores. As leis frágeis, o equívoco daqueles que ainda não enxergaram a situação, não viram que precisamos separar bandido de cidadão de bem. Primeiro. Urgentemente. Depois vamos cuidar de ressocialização ideal, mas agora é preciso proteger o cidadão de bem.

A condescendência da justiça está matando. A polícia mal equipada está matando. Os deputados e senadores que não aperfeiçoam leis estão matando. Todos esses mataram esse casal. A sociedade matou o casal na medida em que mantém esse estúpido Estatuto do Desarmamento que só tomou arma do cidadão de bem, aliás, a sociedade não, a sociedade se manifestou em plebiscito e não queria esse desarmamento idiota.

Mas desrespeitaram a vontade da sociedade e construíram essa crueldade através da qual tiraram do cidadão o seu direito de se defender antes que tivessem assegurado ao cidadão as condições de segurança oferecidas pelo Estado. Tiraram do cidadão de bem o benefício da dúvida.

As chances desse advogado, pobre vítima, seriam poucas se ele tivesse uma arma, é verdade. Mas eram NENHUMA, exatamente nenhuma, sem a tal arma.

A sociedade matou esse casal, matou por diversas formas e diversas frentes mal conduzidas. Deixou que esses dois monstros ficassem nas ruas ao invés de serem acolhidos e tratados, ou, quando nada, fossem afastados do convívio com a sociedade.

A sociedade matou ao manter esse estatuto que é um desrespeito ao cidadão brasileiro, e vai continuar matando se não houver um mutirão para enfrentar essa situação e tapar tantos furos no casco do barco já condenado.

Daqui temos feito graves alertas. A hora não é de belos discursos de ressocialização, não é de brandura nem de condescendência. A hora é de devolver ao cidadão de bem os seus direitos, restabelecer o bom senso.

Se o Estado é incapaz de prover a segurança, que permita que o cidadão pelo menos tenha uma chance. Dar à segurança pública a prioridade que nunca teve. Não pode ser diferente o quadro num país onde existem mais de 500.000 presos em 300.000 celas disponíveis. E onde outros 200.000 condenados esperam por vagas, e outros 200.000 esperam por julgamento.

O crime está solto, o cidadão de bem está desarmado, desprotegido. Está morrendo.”

doti

Diretor de jornalismo, editorialista e comentarista da Rádio Itatiaia, Márcio Doti iniciou sua carreira em 1974, como redator de esportes da emissora. É formado em Jornalismo pela FAFI-BH, hoje UNI-BH. Como diretor planejou e coordenou memoráveis coberturas jornalísticas, com destaque para as eleições e as visitas do Papa João Paulo II ao Brasil. Paralelamente exerceu por dois anos o cargo de Editor de Esportes do jornal “Diário de Minas”.

Márcio Doti mantém um comentário diariamente no Jornal da Itatiaia 1ª Edição, o principal noticiário da emissora. Foi responsável também pela informatização de diversos setores da Rádio Itatiaia, incluindo a redação, que hoje possui um moderno sistema de rede de computadores. Participou ativamente da implantação do primeiro portal da emissora na internet e da disponibilização pioneira do som ao vivo da rádio em rede mundial. Márcio Doti foi o idealizador da transmissão via satélite da Rádio Itatiaia e participou ativamente da formatação da Rede Itasat, preparando e diagramando os jornais da emissora na versão de rede. É presidente do CEPPO – Centro de Cronistas Políticos e Parlamentares de Minas Gerais.

FONTE: Itatiaia.

Desarmamento02

A pergunta “O comércio de armas e munições deve ser proibido no Brasil?” foi respondida em outubro de 2005 por 95.375.824 eleitores brasileiros: 63,94% votaram no NÃO e 36,06% votaram no SIM. Apesar disso, o governo não atendeu à sinalização que a população enviou e covardemente, atendendo a apelos inadequados, ineficazes, populistas, e com o falso objetivo de “mostrar serviço”, deixou o cidadão de bem sem a possibilidade real de se defender da violência.


A vez dos sem voz

.

Foi o feriado prolongado mais agitado no mundo político brasileiro dos últimos anos. E ouvimos de tudo. Principalmente, que houve injustiça, julgamento político, pressão da mídia, equívocos de interpretação, falta de provas, etc. Proponho é um exercício: irmos à Praça Sete ouvir a verdadeira manifestação popular: os mortais, os que pagam impostos, os que lutam com toda sorte de dificuldades, estão em estado de graça porque já podem dizer aos filhos que a esperteza não é certeza de vitória e honestidade não é história da carochinha. Podem dizer que a justiça não pode funcionar com base no clamor das ruas… Verdade. Só que estas pessoas podem não ter o saber jurídico, mas não são burras! Acompanharam o desenrolar do processo do “mensalão” nos últimos oito anos e sabem que tudo foi visto, revisto e restou provada a culpabilidade dos réus.

.

Aos que disserem que houve apenas caixa 2, responderemos com a reação de nossa conterrânea, ministra Carmem Lúcia: “Caixa 2 é crime, é desrespeito à nação”. Para os petistas mais encarniçados que insistem na tese de que todo mundo faz o caixa 2 lembraremos que o partido prometeu ser diferente durante 30 anos; então, no poder, não podia repetir a prática nefasta de esconder dos eleitores os conchavos que enchem as burras para as campanhas milionárias. Enfim, aos eminentes advogados, que se apresentam como constitucionalistas e buscam nas nuvens as mais incríveis justificativas para pedir privilégios aos seus clientes, façamos um apelo com a letra de Paulinho da Viola: “Tá legal, eu aceito argumento, mas não me altere o samba tanto assim…”

.

Há também em lembrete necessário aos que acusam Joaquim Barbosa de muita pressa com a expedição dos mandados de prisão. Ora, os infelizes corruptos estavam condenados havia um ano e, ainda assim, não era hora do xadrez? Ah, queixam-se de que o presidente de nossa suprema corte quis repercussão midiática decretando a prisão no feriado. Gente, o dia lembrava a Proclamação da República e a origem da palavra república é “coisa pública”, da qual devemos zelar, proteger, então, está errado o funcionário público que cumpre seu dever mandando prender os delinqüentes? Os que vêem fantasma debaixo da cama dizem que Joaquim pode se tornar candidato? E daí?

.

Resumindo: saiba, caro leitor, que foi um dos dias mais felizes da minha vida porque eu vinha sendo alvo de muitos risos dos que não acreditavam no desfecho. Agora, a dona do banco, os publicitários, os guerrilheiros, as excelências já sentiram o mau cheiro da prisão… É ruim… E haja muito dinheiro porque, além dos honorários advocatícios, eles terão de reservar algum para agradar os colegas de presídio… Marcos Valério sabe do que estou falando, tanto que implora para ficar isolado na cela.

.

FONTE: Itatiaia.


SELMA SUELI SILVA*

Um tribunal do júri começou a julgar, nesta semana, em São Paulo, um caso que teve imensa repercussão imensa no Brasil todo. O réu é Gil Rugai, acusado de ter assassinado o pai e a madrasta. O crime, negado por ele, aconteceu em 2004.

Foram nove anos para que o rapaz se sentasse no banco dos réus. Segundo as investigações, duas pessoas entraram pelo corredor lateral e mataram primeiro a mulher, na cozinha. Em seguida, arrombaram a porta da sala de TV, onde o homem estava e atiraram. As suspeitas sobre Gil Rugai vieram seis dias depois. As provas começaram a aparecer: um furo feito por um tiro na tampa de um baú do quarto do rapaz. Segundo a policia, lá também estavam a nota fiscal da compra de um coldre para pistola, um certificado de curso de tiro e um cartucho de bala.

violência

Na animação feita pela polícia, a marca de um chute na porta foi comparada com a sola de uma bota de Gil Rugai. Segundo a perícia, eram iguais. O rapaz também foi submetido a um exame de ressonância magnética. O laudo mostrou que ele tinha lesões no pé, compatíveis com as de alguém que tivesse chutado uma porta.

Além da detalhada investigação científica, a Polícia apontou também a provável motivação do crime: vingança. Um mês antes, Gil Rugai teria desviado 25 mil reais da produtora de vídeo do pai, que funcionava em uma mansão. Ele foi demitido e colocado para fora de casa. O pai contou isso, dias antes de morrer, para uma das testemunhas do julgamento e já havia dito que estranhava o comportamento do filho e que o considerava “um cara perigoso.” Gil Rugai ficou preso por dois anos, mas sempre negou ter participado do crime.

Após uma semana de júri, ontem, Gil Rugai foi condenado a 33 anos e 9 meses pelas mortes do pai e da madrasta. A pena deve ser cumprida, inicialmente, em regime fechado por serem considerados crimes hediondos, porém, ele poderá recorrer em liberdade. Contradições dessa terra chamada Brasil.

Fato é que agora considerado culpado, Gil Rugai vem de boa família, com excelente condição financeira – a herança é avaliada em 22 milhões de reais, tem curso superior – é publicitário, foi seminarista, teve acesso a bens e ambientes distantes da maioria dos brasileiros da sua idade. Mas apesar das benesses de uma condição social e econômica privilegiadas, Gil Rugai escolheu o caminho das mentiras, das falcatruas, a ponto de roubar o pai e ser expulso de casa, antes da frieza desse crime.

Outro caso que impressionou esta semana foi relatado por uma companheira nossa, aqui da mesa de debate. Ela, grávida de 8 meses, foi com os dois filhos de 8 e 5 anos ao Mac Donalds da Nova Floresta. Garotos entre 12 e 14 anos, que estavam na mesa ao lado, ainda com o uniforme de um bom colégio, começaram a arrotar. É claro que as crianças, pouco acostumadas com atitudes assim, olharam para os adolescentes estranhando a falta de educação. Pois foi o que bastou para a nossa colega e os filhos receberem todo o tipo de agressão verbal desses adolescentes. Chamaram, as crianças de esquisitas (quando na verdade, os esquisitos e mal educados eram eles), ameaçaram gravar e postar um filme dos meninos no Youtube. Realmente, devem ter estranhado ver uma família bem educada, tranqüila, uma família normal, gente como a gente, ali, ao lado deles.
Como não houve reação, um deles disse que era a favor do aborto para evitar mais uma criança esquisita no mundo. Aí, somente aí, o gerente do estabelecimento pediu para eles se retirarem. E eles, talvez incentivados pela facilidade de agredir sem a consequente punição, ficaram gritando para nossa colega também sair.

Já na quarta-feira, o Jornal da Itatiaia trouxe uma entrevista do repórter Renato Rios Neto com um menor, de 14 anos, que foi apreendido no Morro das Pedras com drogas e armas. Não qualquer arma, uma pistola israelense que ele comprou por 3 mil reais. Dinheiro facilmente conseguido com a venda de todo o tipo de droga, segundo o próprio delinquente aprendiz. Ao ser alertado por nosso repórter de que um dia a casa cai, ele explicou que “não dá nada não, a gente sai de novo.” Com o braço cheio de tatuagens de folhas de maconha, o menor avisou que a próxima que fará no braço, será a de um “capeta desgraçado de doido”. Para concluir, o “de menor” ainda disparou: “Nem minha mãe conseguiu me tirar dessa vida. E à escola eu só vou se for pra matar todo mundo.”

No mundo do esporte, nos estádios de futebol, que deveriam ser sinônimo de saudável diversão, mal nos recuperamos das imagens de um jovem sendo trucidado por pseudo torcedores do time rival, aqui em BH, e olha as torcidas organizadas de novo nas manchetes policiais.
Torcedores do Corinthians dispararam um sinalizador na direção da torcida do time adversário. O projétil atingiu o olho de um garoto de 14 anos e explodiu seu crânio, matando-o instantaneamente. Acidente? Fatalidade?

É essa geração que queremos deixar para o mundo? Onde foi parar a sabedoria popular que dizia: “Se não aprende em casa, a vida ensina.” Será que ensina mesmo, com leis que não são cumpridas, sistema prisional falho e uma sociedade acuada e apática que não reage quando vê uma grávida sendo agredida psicologicamente com requintes de crueldade? É, diz um outro ditado: “Mais cego é aquele que não quer ver”.

Selma

* Jornalista e Relações Públicas, Selma Sueli Silva é especialista em Comunicação e Gestão Empresarial pelo IEC – Instituto de Educação Continuada da PUC-Minas. No jornalismo impresso colaborou na Revista “Na Poltrona”, além de ter vários artigos publicados em outros veículos, como o Jornal “Hoje em Dia”. Foi responsável pela Assessoria de Comunicação da Previdência Social em Minas Gerais, de 1993 a 2002, onde desenvolveu, entre outros projetos, trabalhos sobre gestão de pessoas e empresas, comunicação pessoal e institucional, treinamento de mídia. Essas atividades serviram de base ao desenvolvimento de palestras que continua ministrando a grupos diversos. Em 1999, estreou na Rádio Itatiaia integrando a mesa de debates do Programa Rádio Vivo. Em julho de 2001 assumiu a produção do programa.

FONTE: Rádio Itatiaia.



%d blogueiros gostam disto: