Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: ladrões

Dupla sequestra jovem e usa máquina de cartão de crédito para roubá-lo

Segundo relatado pela vítima, os criminosos efetuaram 12 transações, totalizando R$ 7.700

maquina-de-cartao

Um morador do bairro Dona Clara, na região da Pampulha, sofreu um sequestro-relâmpago na madrugada do último. O jovem de 27 anos foi levado por dois criminosos armados e forçado a fazer uma série de pagamentos em uma máquina de cartões pertencente à dupla. Ao todo, a vítima efetuou 12 pagamentos, que, juntos, totalizaram R$ 7.700.

.

Depois de deixar a namorada em casa, segundo relato do jovem à Polícia Militar, ele seguiu para casa e, por volta de meia-noite, enquanto abria o portão da garagem, foi abordado por dois homens. “Um deles, armado, bateu no vidro e mandou abrir o carro”, contou o jovem. Um dos criminosos ficou no banco da frente e outro sentou atrás do motorista, mandando ele dirigir sem destino.

.

Depois de algum tempo, os bandidos direcionaram o rapaz. À PM, ele disse acreditar que seguiu para Contagem, perto da Praça da Cemig. Em certo momento, os criminosos ordenaram ao motorista que entrasse em um beco de uma favela. Lá, parou o carro e um dos bandidos entrou em um imóvel e saiu em posse de uma máquina de cartão de crédito. Segundo a vítima, os dois sequestradores cheiravam cocaína constantemente e era quase impossível entender as gírias usadas por eles.

.

“Mandaram eu não errar a senha”, segundo relato feito pelo rapaz e registrado em boletim de ocorrência. A partir daí teve início a sequência de compras. A primeira no valor de R$ 1 mil. A seguinte: R$ 500. Depois foram feitas duas compras de R$ 400, uma de R$ 300, uma de R$ 200 e uma de R$ 100. Com a aprovação da operadora de cartão de crédito, eles ainda fizeram outras compras, sendo uma de R$ 700, uma de R$ 2.000, outra de R$ 250 e uma de R$ 350. A última custou R$ 1.500. A cada transação, ele recebia uma mensagem no celular com os valores e a confirmação do pagamento.

.

Com medo, o jovem disse não ter conseguido ver como eram os criminosos. Segundo o boletim de ocorrência, depois das compras forçadas, o jovem foi liberado e pôde sair de carro. “Pedi para levarem o carro porque não tinha seguro”, disse o jovem à PM. Ainda tenso, ele seguiu pelo caminho errado, rumo à BR-381. No caminho, viu uma placa indicando Petrobras e seguiu até lá, onde finalmente conseguiu pedir ajuda.

.

FONTE: O Tempo.


Grupo furta boi e carro quebra com animal no porta-malas durante fuga

Dono da propriedade rural em Guaiçara viu crime e perseguiu criminosos.
Um dos suspeitos foi preso pela polícia e outros três fugiram por matagal.

Animal foi colocado no porta-malas (Foto: J. Serafim / Divulgação)

Animal foi colocado no porta-malas

 

Um homem foi preso suspeito de furtar um boi de uma propriedade rural de Guaiçara (SP), na tarde deste sábado (30), após ele e outros três suspeitos terem sido perseguidos pelo dono do sítio.

Segundo a Polícia Militar, quatro homens invadiram a propriedade e levaram o animal no porta-malas do carro. O dono viu e começou a persegui-los enquanto chamava a polícia.

Durante a fuga, o carro dos ladrões quebrou na vicinal que dá acesso à Rodovia David Eid. Eles fugiram para um matagal próximo.

A polícia chegou em seguida e conseguiu prender um dos criminosos. Os outros três ainda estão foragidos. O animal está bem e foi devolvido ao dono.

Carro quebou na estrada (Foto: J. Serafim / Divulgação)
Carro quebrou na estrada
FONTE: G1

Criminosos danificam cofre e levam quase R$ 1 milhão de banco em Coromandel

O grupo entrou na agência do Banco do Brasil pela tubulação do ar-condicionado

Elianna Motta

.
Criminosos efetuaram um roubo cinematográfico a um banco de Coromandel, na Região do Alto Paranaiba neste domingo. Os ladrões entraram em uma agência do Banco do Brasil durante a noite pela tubulação do ar-condicionado. Eles arrombaram o cofre e levaram quase R$ 1 milhão de reais. Ainda não há suspeitos para o crime. 
.
O roubo foi percebido somente na manhã deste domingo quando uma cliente foi sacar dinheiro. Segundo a Polícia Militar (PM), a mulher notou que todos os caixas eletrônicos do banco não estavam funcionando. Além disso, viu que uma porta interna da agência estava arrombada. Por causa disso acionou os militares.

.

De acordo com a PM, os criminosos entraram na agência por volta das 0h por meio da tubulação do ar-condicionado. Com um maçarico, o grupo abriu um buraco no cofre central da agência de onde levaram R$ 939.763,00. Os caixas eletrônicos também foram danificados pelos ladrões. Antes de deixaram o banco, cortaram os fios e danificaram as câmeras de segurança. 
.
A agência já havia sido furtada no fim do ano passado, quando criminosos usaram granadas para explodir os caixas eletrônicos. Desde então, o banco passava por reformas. Um vizinho contou aos militares que ouviu o barulho de pancadas na parede por volta de 0h30, mas não se preocupou por achar que seria das obras.
.
A PM acredita que o grupo seja o mesmo que assaltou uma agência bancária em Patrocínio, cidade vizinha a Coromandel, no sábado. Criminosos invadiram o banco na madrugada e levaram uma quantia em dinheiro não divulgada pela empresa.

Polícia Militar (PM) / Divulgação

.

FONTE: Estado de Minas.


PARTIDO DOS TRABALHADORES

PT está velho e perdeu utopia, diz Lula, que prega ‘revolução’

Participante do encontro, o ministro da Educação, Renato Janine, afirmou que governos eleitos estão “sofrendo fortes ataques” na América Latina

Foto: Heinrich Aikawa/Instituto Lula

Lula disse ainda que os correligionários “só pensam em cargo, em emprego, em ser eleito”

.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pregou, nesta segunda-feira (22), uma “revolução” no PT e afirmou que a sigla tem os vícios de todo partido que cresce e chega ao poder.

.
“Não sei se o defeito é nosso, se é do governo. O PT perdeu a utopia”, afirmou.

Lula disse ainda que os correligionários “só pensam em cargo, em emprego, em ser eleito”.

.

“Nós temos que definir se queremos salvar nossa pele, nossos cargos, ou nosso projeto”, discursou ele, durante seminário “Novos desafios da democracia” promovido pelo Instituto Lula com a presença do ex-primeiro-ministro espanhol Felipe Gonzalez.

.

Filiado ao PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol), ele foi convidado a falar sobre a experiência de seu partido ao se reerguer após denúncias de corrupção. A sigla ficou nove anos fora do poder na Espanha até conseguir voltar ao governo, quando José Luis Zapatero foi alçado ao cargo de primeiro-ministro (2004-2011).

.

‘AFLIÇÃO POLÍTICA’

.

Gonzalez disse acreditar na possibilidade de o Brasil implementar medidas anticíclicas. Segundo ele, o ajuste fiscal praticado pelo governo Dilma Rousseff vai durar cerca de um ano. Avalia, porém, que o Brasil tem “muita capacidade de investimento que pode ser concretizado neste momento”.

.

“Eu entendo a aflição que existe [no Brasil]. Acredito que seja mais por motivo político do que pela situação econômica.”

.

O evento foi aberto pelo presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, convocado a prestar depoimento à CPI da Petrobras na Câmara para explicar as doações de R$ 3 milhões feitas ao instituto pela empreiteira Camargo Corrêa, investigada no esquema de corrupção da Petrobras.

.

Em sua fala, Okamotto questionou a democracia no Brasil e disse que as redes sociais a “complicam”. Ele definiu democracia como “exercício solitário de pensar o que é bom para as pessoas” disse que fica “com uma grande pulga atrás da orelha” sobre como consolidá-la no país.

“Estamos muito distantes do mundo desenvolvido, do mundo rico”, afirmou.

.

Segundo ele, a “democracia está ainda mais complicada” com o advento das redes sociais. Okamotto apontou o apoio popular à redução da maioridade penal e o fracasso da reforma política como ameaças.

“Todo mundo quer uma classe política melhor. Mas essa reforma política, para mim, é uma decepção”, discursou.

.

INTERNACIONAL

Participante do encontro, o ministro da Educação, Renato Janine, afirmou que governos eleitos estão “sofrendo fortes ataques” na América Latina. E perguntou a Gonzalez sua opinião a respeito.

.

O espanhol -um dos críticos do governo Maduro- respondeu que um governo que não respeita as forças políticas de seu país perde a legitimidade, as eleições e a natureza.

.

Questionado especificamente sobre sua viagem a Venezuela, Gonzalez disse que está “preocupado” com a crise enfrentada pela Venezuela porque acha improvável que o governo esteja aberto ao diálogo. “Não acredito em conspiração internacional golpista para derrubar os governos”, disse.

.

Ele disse ainda que está preocupado com ondas de intolerância no Brasil. “Vejo sinais de intolerância. Fico preocupado porque o Brasil é um país de tolerância, de convivência.”

.

Ao lado de Gonzalez, Lula também criticou o assassinato do ditador Sadam Hussein. “Alguma vez ele te causou problema?”, perguntou a Gonzalez.

.

A programação original não previa um discurso de Lula -o petista pediu a vez quando o tema foi imprensa. Ao ouvir o debate sobre Venezuela, Lula mandou um bilhete para a assessora Clara Ant, que presidia a mesa, avisando a intenção de falar.

“Nem tem muita oposição aqui. A oposição [no Brasil] é pela imprensa”, disse ele, defendendo a regulamentação da mídia e afirmando que “nove famílias controlam” o setor no país.

.

COMENTÁRIOS (11)

And<br />BH
And BH
Lula melhor presidente dos últimos 50 anos é forçar muito a barra.

Walter<br />Rodrigues<br />Filho
Walter Rodrigues Filho
Não é só o PT que “envelheceu”. O envelhecimento das esquerdas é um fenômeno planetário. Essa historinha de que devemos trabalhar constantemente para sustentarmos uma massa de inúteis (de forma permanente!) não cola mais. Vide a dívida pública dos países socialistas no planeta. Nenhum deles está chegando a um termo feliz. A classe média, que sempre foi uma “vaquinha dócil” que não se importava de ser ordenhada aqui e ali pelos governos de esquerda (que gasta mal e só o faz para se manter no poder), virou uma “vaca louca” e está dando coice a 3 por 2. Cansou de ser ordenhada sem ter nada em retorno. As eleições de 2016 e 2018 vão revelar essa dura verdade (para os esquerdinhas).

Wellington<br />Fonseca
Wellington Fonseca
O PT é a pior praga na história do país: roubos, mentiras, falcatruas, aparelhamento e gigantismo do estado, aumento de impostos, conceitos próprios de democracia e legalidade, instabilidade política e social, acabou com a credibilidade externa, travou o país com o Mercosul, crescimento econômico pífio e o mais grave: plantou na cabeça dos mais simples de alma que a culpa da miséria dele é do vizinho, que o estado é o grande provedor. Administração de sindicalistas e ex-guerrilheiros, você esperava o quê? 

Sem<br />Destino
Sem Destino
Começaram a discordar entre eles. Daqui a pouco, vai ter briga séria, ai será o fim de todos. Adeus PT, e seus “maus criados”. 

Jair<br />santos
Jair santos
Dilma é horrível, mas Lula foi, sem sombra de dúvidas, o melhor presidente que o Brasil já teve a partir dos 50 anos para cá. O que acabou com o PT foram os inúmeros escândalos de corrupção. Roubaram, mas não tiveram as mesmas perspicácias dos outros partidos, como por exemplo, o PSDB. A corrupção impera no nosso país desde 1500, ninguém é santinho, infelizmente. Se alguém já viveu em um “Brasil suíça”, ou é retardado mental, ou é fanático partidário, ou analfabeto político. 

Alexandre<br />Ferreira
Alexandre Ferreira
A renovação do PT chama-se cadeia.

Paulo<br />Paredes
Paulo Paredes
É muito cara de pau! Nunca é com ele! Sempre o erro é dos outros! …. “assassinato do ditador Sadam Hussein”???? Ele foi julgado e condenado! ….. “”Alguma vez ele te causou problema?”, perguntou a Gonzalez.” Isso é piada!!! Então não se deve combater o Exército Islâmico, por exemplo! Ele nunca nos fez nada!!!! (Só treina crianças para matar! Que é que tem demais nisso??)
Sincero<br />Silva
Sincero Silva
Esse sujeito deveria se entregar as autoridades de uma vez e fazer uma delação premiada….vai ficar feio a foto de um ex-presidente algemado. ENVIAR COMENTÁRIO

 

 

FONTE: O Tempo.


Ladrões invadem prédio no Bairro Castelo, levam rodas de carros e ainda deixam recado

Criminosos escreveram “obrigado pelos pneus” em uma pilastra do estacionamento. Furto aconteceu durante a madrugada na Rua Castelo de Sintra

 
Celso Amaury/Divulgação

Moradores de um prédio no Bairro Castelo, Região da Pampulha, tiveram um grande prejuízo após uma invasão na madrugada desta quinta-feira. Ladrões levaram as rodas de dois veículos e ainda deixaram um “agradecimento” às vítimas. 

.
O caso aconteceu em um edifício que fica na Rua Castelo de Sintra. O vendedor Thiago Parreira, de 33 anos, é uma das vítimas. Segundo ele, o crime foi descoberto por volta das 6h, quando ele e a esposa saíram para o trabalho. Uma vizinha do casal desceu para a garagem primeiro e encontrou seu carro sem as rodas. Logo depois, Parreira descobriu que seu veículo também havia sido alvo de furto. “Eles desligaram o automático do portão e deixaram ele manual. Abriram o portão da garagem manualmente e levaram as quatro rodas dois dois”, explica. 

Celso Amaury/Divulgação

As vítimas acionaram a Polícia Militar (PM) para registrar um boletim de ocorrência. Segundo o comerciante, o prejuízo para ele chega a R$ 3,5 mil. As únicas pistas deixadas pelos criminosos são recados nas pilastras. “Em um eles deixaram escrito Contagem e outro agradecendo pelos pneus”.  
.
Parreira também reclamou do alto índice de assaltos na região. O vendedor disse que seu prédio já foi invadido outras vezes. “Para furto em veículo não, mas já teve subtração de bicicletas e outros artigos dentro do prédio”. Vizinhos também relataram o roubo de uma moto em outro edifício do bairro, que teria acontecido há pouco tempo. De acordo com a Polícia Militar (PM), os criminosos ainda não foram localizados e a ocorrência foi repassada à 1ª Delegacia de Polícia Civil Noroeste.

.

FONTE: Estado de Minas.


NO ESTORIL

Ladrões fazem a limpa durante calourada em centro universitário de BH

Segundo participantes, dezenas de celulares, dinheiro e documentos foram levados; vítimas reclamam que não tiveram apoio da organização e dos seguranças do evento

furtos

Imagem do Facebook usada no grupo criado pelas vítimas dos furtos

 

Um festival de música sertaneja realizado dentro do campus de um centro universitário do bairro Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte, no último sábado (27), terminou em prejuízo para dezenas de participantes do evento, que tiveram seus pertences furtados e, segundo as vítimas, não contaram com o apoio dos seguranças e dos organizadores da festa.

Com o nome de “Festeja BH”, o festival no Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH), que teve em sua programação duas duplas e um cantor conhecidos nacionalmente, começou por volta das 14h. Apenas 17 minutos após o início das atrações, às 14h17, o primeiro boletim de ocorrência por furto foi registrado. Ao todo, até as 23h43, horário do último registro feito pela Polícia Militar, foram 25 ocorrências com várias vítimas. Porém, o número é bem maior, uma vez que algumas pessoas deixaram para prestar queixas direto em delegacias ou durante esse domingo (28).

Uma jovem que estava no evento com o namorado e uma prima contou que a ação do suspeito foi muito rápida. “Meu namorado e eu fomos buscar bebida, e ele estava com a carteira no bolso de trás da calça. Por segurança, pedi que ele a colocasse dentro da minha bolsa. Eu guardei e ainda pedi para q ele conferisse se estava fechada direitinho. Minutos depois, minha prima pediu para que eu tirasse uma foto dela. Quando abri a bolsa pra pegar meu celular, notei que o zíper da bolsa tinha uma abertura e o meu iPhone e a carteira do meu namorado não estavam mais lá”, contou a vítima, que pediu para não ter o nome divulgado.

Muita nervosa, ela e seus acompanhantes, que pagaram R$ 100 no convite de área Vip, não aproveitaram a festa e foram prestar queixa. A jovem afirma que não pretende processar a organização do evento. “Não tenho esperança que o Uni ou os organizadores devolvam meu celular, ou que a polícia ache. Não vou me estressar com questões de processos, mas a gente paga pela festa e se sente desprotegida. Nunca mais vou em calourada lá”, desabafou.

Ao contrário da mulher, outras pessoas que estavam no festival cobram uma posição e até o ressarcimento dos produtos levados. Na madrugada desse domingo, horas depois dos crimes, uma das vítimas criou um grupo no Facebook, que já conta com mais de cem integrantes, com o nome de #FuiAssaltadoNoFesteja. Nele, os participantes do festival contam que, além dos furtos, tiveram problemas com a segurança do evento. Entre as reclamações, os itens mais furtados foram aparelhos telefônicos, carteiras e documentos pessoais.

Segundo relatos dos usuários, a maioria dos crimes aconteceu próximo aos banheiros e ao espaço reservado aos bares, locais que tinham mais aglomeração de pessoas. Internautas chegaram a passar, pela rede social, características de alguns jovens que estavam em atitude suspeita no festival.

Além do transtorno de terem sido furtadas, as vítimas afirmaram que os seguranças não tomaram nenhuma atitude para que o problema fosse solucionado. “O cara puxou a minha bolsa, mas consegui segurar. Quando cheguei ao banheiro dei falta do meu celular, dinheiro e cartão. Após o crime, fui falar com os seguranças e eles quase riram da minha cara. Falaram que a responsabilidade era minha de ter sido assaltada, porque o banheiro estava cheio e eu estava lá dentro. É um absurdo”, disse Rayssa Lobato, de 23 anos, que também estava na área Vip.

Outro ponto questionado pelos participantes foi a falta de policiamento na parte interna do campus. Porém, de acordo com o comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Ronilson Caldeira, militares estiveram no local por várias vezes desde o momento que foi registrada a primeira ocorrência.

“É importante destacar que, em eventos privados, a segurança é de responsabilidade dos organizadores. No entanto, nós colocamos um posto de atendimento policial dentro do campus. Além disso, a corporação trabalhou na parte externa e conseguiu, inclusive, evitar o roubo de um veículo”, explicou o policial.

Ainda segundo ele, a corporação foi informada pelos organizadores que o público do evento seria de 7 mil pessoas, mas no local havia, pelo menos, três vezes mais o número repassado à polícia. “As vítimas que procuraram os nossos policiais não passaram nenhuma característica dos criminosos. Isso dificultou a identificação e localização deles. Não tivemos nenhuma prisão por furto”, afirmou o tenente-coronel.

A assessoria de imprensa do UNI-BH informou à reportagem de O TEMPO que a instituição está ciente do ocorrido e se reúne, nesta segunda-feira (29), com os produtores do evento. O centro universitário ficou de se manifestar ao meio-dia. A reportagem também fez contato com a empresa Nenety Eventos, outra responsável pela organização, mas ninguém foi encontrado para comentar o caso.

FONTE: O Tempo.


Polícia inicia buscas a leão
Rawell, de 9 anos e pesando 300 quilos, foi levado de criadouro no interior de São Paulo. Ex-dono do animal é o principal suspeito

 

São Paulo – A Polícia Civil de São Paulo instaurou ontem um inquérito para apurar o sumiço do leão Rawell, de 9 anos e pesando 300 quilos, de um criadouro em Monte Azul Paulista, a 400 quilômetros da capital, na madrugada de quinta-feira. Segundo o delegado que investiga o caso, Carlos Arnaldo Nicodemos Andrade, o ex-dono do felino é suspeito de ter furtado o animal do Criadouro Conservacionista São Francisco de Assis, espaço que abriga 300 animais, entre espécies silvestres e exóticas. A entidade atua na proteção e recuperação de bichos vítimas de maus-tratos ou abandono.

Rawell foi doado para o criadouro há 5 anos, mas segundo o delegado, o ex-dono do leão, Ary Marcos Borges da Silva, passou a exigir dinheiro e fazer ameaças de levar o animal. A polícia chegou até o nome do suspeito após vizinhos e um ex-funcionário do criadouro terem reconhecido o suspeito como uma das quatro pessoas que invadiram o recinto para pegar o leão. O ex-dono mora em Maringá, a 434 quilômetros de Curitiba.

“Temos aqui o termo de doação do Rawell. O que foi uma doação, virou um desentendimento porque o antigo mantenedor queria receber dinheiro por isso. Na época, ele doou o leão porque disse que precisava se desfazer de alguns animais. Como não recebeu dinheiro, teria ameaçado buscar o leão. O próximo passo é tentar localizar o Ary. Temos uma foto dele e vamos fazer contato com a polícia de Maringá, no Paraná”, disse o delegado.

O leão vivia no criadouro particular com autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O dono do local, o médico Oswaldo Garcia Junior, acredita que o felino foi sedado e arrastado, devido a marcas no chão. A perícia já esteve no local. 

Os vizinhos ouviram um barulho e notaram uma caminhonete, com uma jaula na carroceria, dentro do local. Três homens e uma mulher arrombaram o portão de acesso à propriedade e da jaula para pegar o animal, segundo Oswaldo Garcia Junior. O médico contou que os moradores da região não se deram conta de que seria um crime porque o local constantemente recebe animais em situação de risco. 

“Meus três vizinhos daqui da frente viram, mas eles achavam que fosse um pessoal da Polícia Florestal, do Ibama, que estava trazendo algum animal. Como a gente recebe muito animal abandonado, machucado, eles acharam que estavam trazendo pra cá para que fossem cuidados”, disse. Chateado, o médico afirma que o leão comia cinco quilos de carne por dia e era dócil. “Ele veio maltratado, sem as garras das patas, magro, sem pelos na juba. Quero que devolvam meu bicho para ele ter um fim de vida digno, que a gente queria dar para ele”, comentou o dono do criadouro. O animal não tinha rastreador.

Ary Marcos Borges da Silva ficou conhecido por criar felinos em sua casa, em Maringá. O mais famoso deles foi o leão Ariel, que ficou tetraplégico e sua história foi parar na internet e em programas de televisão. Uma fã criou a página virtual “Ajuda ao leão Ariel”, que teve mais de 15 mil seguidores e arrecadava fundos para custear as despesas no tratamento do leão – que morreu em julho de 2011.

NOTÍCIA RELACIONADA

FONTE: Estado de Minas.


Proprietário diz que teve leão furtado de centro de reabilitação de animais

 

Dono de recinto em Monte Azul Paulista alega que bicho foi sedado.

Meio Ambiente aguarda investigação policial para tomar providências.

O proprietário de um centro de reabilitação de animais abandonados e em extinção de Monte Azul Paulista (SP) afirma que um leão foi furtado do interior do recinto durante a madrugada desta quinta-feira (1º). Segundo o médico Oswaldo Garcia Junior, responsável pelo Criadouro Conservacionista São Francisco de Assis, ladrões arrombaram o portão da propriedade e o portão da jaula e levaram Rawell, de 9 anos.

Em nota, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente informou que aguarda investigação das Polícias Civil e Militar para tomar as medidas necessárias.

Garcia Junior relata que o furto aconteceu por volta das 5h30, quando três vizinhos notaram a presença de um veículo na propriedade. Segundo ele, os moradores da região não se deram conta de que seria um ato criminoso, porque o local constantemente recebe animais em situação de risco.

“Meus três vizinhos daqui da frente viram, mas eles achavam que fosse um pessoal da Polícia Florestal, do Ibama [Instituto de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis], que estava trazendo algum animal. Como a gente recebe muito animal abandonado, machucado, eles acharam que estavam trazendo pra cá para que fossem cuidados”, diz.

Ao chegar ao criadouro durante a manhã, o médico afirma que se deu conta de que o leão não estava mais na jaula e que os portões de acesso à propriedade e do abrigo do animal tinham sido arrombados. Garcia Junior acredita que o animal de aproximadamente 300 quilos foi sedado antes de ser retirado da jaula e arrastado até ser colocado em um veículo.

Leão de 9 anos foi furtado em Monte Azul Paulista, diz proprietário (Foto: Sérgio Oliveira/EPTV)Leão foi furtado em Monte Azul Paulista, diz
proprietário

Com base em testemunhas, ele afirma que três homens e uma mulher estão envolvidos no furto. “O portão de entrada do criadouro foi arrebentado, assim como a porta da jaula do leão. Foi alguém que sabia muito [lidar leões]. Para pegar um leão não ia ser fácil , afirma.

O proprietário alega que registrou o caso na Polícia Militar. O animal não tinha rastreador. “Só quero que me devolvam o bicho de volta, para ele poder a vida digna que ele tinha aqui.”

Segundo Garcia Junior, Rawell tinha 9 anos e estava aos cuidados do criadouro conservacionista desde 2009, depois de ser deixado no local por um criador de Maringá (PR). O médico afirma que o leão comia cinco quilos de carne por dia e recebia atenção especial no recinto. “Era meu molecão, meu filho, era muito dócil”, diz.

Secretaria do Meio Ambiente
Em nota, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente comunicou que o alegado furto está sendo investigado pela Polícia Militar Ambiental e pela Polícia Civil e que somente a partir do resultado da apuração serão tomadas as providências cabíveis.

O G1 tentou contato com a Polícia Militar em Monte Azul Paulista nesta quinta-feira, mas não conseguiu um posicionamento sobre o caso até a publicação desta matéria.

Proprietário afirma que sentiu falta do animal quando chegou pela manhã em Monte Azul Paulista (Foto: Sérgio Oliveira/EPTV)Proprietário afirma que sentiu falta do animal quando chegou pela manhã

A polícia já está à procura de Rawell!

FONTE: G1.


 

Novo aparelho para furtar carros

Conhecido como ‘chapolin’, dispositivo que bloqueia o alarme pode ter sido usado em veículo de aposentado

Desrrespeito ao codigo de postura de Belo Horizonte, fotos na av

 

Uma nova modalidade de furto de veículos, que tem gerado prejuízos a motoristas de outros Estados, como Rio Grande do Sul e São Paulo, pode ter chegado à capital mineira. Trata-se do uso de um dispositivo conhecido como “chapolin”, que, acionado pelos criminosos a certa distância do veículo, bloqueia o alarme e suas funções, como o travamento de portas. O dono acredita que o carro foi trancado, mas o ladrão conseguirá acessá-lo facilmente.

Um aposentado de 67 anos, que preferiu não ter o nome revelado, acredita ter sido vítima do golpe e só não teve os pertences de seu veículo furtados pois desconfiou da armação. Ele disse que no último domingo foi almoçar com sua mulher em um restaurante do bairro Alípio de Melo, na região da Pampulha. Ao estacionar na avenida Abílio Machado, uma das mais movimentadas da cidade, mesmo acionando o controle do alarme, seu carro não trancou.

“Notei que ele não fez aquele barulho das travas sendo acionadas. Como já estava atento a esse tipo de roubo, voltei para verificar se as portas tinham sido de fato trancadas. Para minha surpresa, o carro estava aberto”, contou. Após detectar o problema, ele percebeu que uma mulher sentada no meio-fio, perto do veículo, olhava muito para eles. Por isso, de maneira preventiva, o aposentado preferiu levar o carro a um estacionamento fechado na rua lateral. “Quis garantir a segurança do meu carro”, afirmou.

Após estacionar, quando se dirigia ao restaurante, o aposentado percebeu que a mesma mulher caminhava, possivelmente à procura do carro. “Quando ela nos viu, parou na esquina, ficou olhando e despistou pegando o celular”. Segundo ele, como o carro estava em local fechado, nada foi roubado. Por isso não houve o registro de ocorrência. “Não posso afirmar que ela roubaria o carro, mas a suspeita é forte”.

Sem ocorrências. De acordo com Adriano Assunção, chefe da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos da Polícia Civil, não há registros desse golpe em Belo Horizonte. “Mas estamos atentos à situação, e nossas equipes estão monitorando as ocorrências para verificar novas modalidades”, disse.

A chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Cláudia Romualdo, também afirmou que não há ocorrências desse novo crime na cidade. “Que eu tenha tido conhecimento, não houve nenhum registro nesse sentido”.

Saiba mais

Porto Alegre. Os primeiros casos de furtos de veículos utilizando o dispositivo “chapolin” para bloquear a ação do alarme foram registrados em Porto Alegre (RS). De acordo com Juliano Ferreira, titular da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, quatro pessoas já foram presas em flagrante portando o aparelho naquela cidade. Segundo ele, outras centenas de casos da mesma natureza estão sendo investigadas.

Controle remoto.  Segundo Gláucio Siqueira, professor de telecomunicações da PUC-Rio, o “chapolin” é um controle remoto para eletroeletrônicos, vendido legalmente em alguns países estrangeiros. Os criminosos descobriram um “efeito colateral” desse aparelho: quando acionado, ele inibe e invalida o comando de outros controles, como os dos alarmes de veículos.

Recomendação . A chefe do CPC da capital mineira, coronel Cláudia Romualdo, recomenda que, em caso de furto, as vítimas liguem para o telefone 190. Segundo ela, pode ser possível identificar os criminosos por meio das câmeras de monitoramento instaladas em Belo Horizonte.


Ainda não há equipamento para barrar a ação do ‘chapolin’

A reportagem procurou mais de dez concessionárias de veículos e revendedoras de acessórios da capital e, em todas, foi possível constatar que não existe, até o momento, nenhum tipo de configuração ou ajuste que possa ser feito no alarme do carro para impedir a ação do dispositivo conhecido como “chapolin”.

“No entanto, em função das últimas notícias de furto no país, já estamos recomendando que os clientes tenham atenção redobrada ao utilizar o alarme, para verificar se o carro foi devidamente fechado”, afirmou Leonardo Oliveira, vendedor de uma loja de acessórios localizada na região Noroeste da capital.

A chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Cláudia Romualdo, também recomenda os mesmos cuidados aos motoristas. “Além de apertar o controle do alarme, confira a maçaneta para verificar se o carro travou. Não podemos confiar apenas na tecnologia”. Outro alerta dado pela coronel é para que o condutor não deixe objetos dentro do veículo, sobretudo à mostra. “A orientação é válida para todos, independentemente de haver ou não o golpe”, completou Cláudia.

FONTE: O Tempo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Estado prepara projeto para tentar manter presos bandidos reincidentes. Proposta integra trabalho das polícias, MP e Judiciário para tornar os processos mais ágeis e consistentes


Carros da Polícia Militar em frente à Delegacia Seccional Leste: plano prevê comunicação rápida com delegados para agilizar casos


O governo de Minas planeja divulgar esta semana um plano de ação para tentar combater a impunidade e reduzir os roubos, modalidade de crime que aumentou 36,8% em todo o estado no comparativo de fevereiro deste ano (7.384 casos) com o mesmo período de 2013 (5.397 casos). A proposta é envolver forças de segurança, Judiciário e Ministério Público de Minas na tentativa de manter bandidos presos e diminuir a reincidência de criminosos – em muitos casos, ladrões fichados voltam rapidamente às ruas depois de detidos, mesmo em flagrante. Uma das novidades deve ser a criação de um portal de flagrantes, que permitirá às equipes que prenderam criminosos entrar em contato virtual com delegados. O objetivo é que a colaboração permita maior agilidade e uma melhor coleta de provas e depoimentos. A avaliação é de que, dessa forma, a chance de manter criminosos presos aumentaria.

Um dos pontos que a proposta promete atacar é a dificuldade de manter presos criminosos já fichados, quando eles são novamente detidos por cometer delitos de menor potencial. O projeto prevê o envolvimento do MP e do Judiciário na avaliação desses casos, de forma que seja decretada a prisão preventiva do acusado, além da integração de plantões das delegacias com os representantes do MP e Judiciário. Já a Polícia Militar terá o papel de reunir provas materiais do crime no momento da prisão do acusado, de forma a atender os critérios que definam a reincidência do envolvido em atividades criminosas.

Aplicativo Em uma reunião na sexta-feira, o secretário de estado de Defesa Social (Seds), Rômulo Ferraz, admitiu que o projeto está quase concluído, enquanto participava de reunião na Cidade Administrativa para traçar estratégias com representantes dos setores envolvidos. Sobre o portal de flagrantes, uma fonte da PM, que pediu para não se identificar, disse ao EM que a ferramenta, inédita no Brasil, permitirá que policiais militares que tiverem detido um suspeito entrem em contato com o delegado por meio de um aplicativo, acessível também por smartphone – o que vai permitir que o caso seja agilizado mesmo que o policial civil não esteja na delegacia.

No próprio local do crime ou numa companhia da PM, os militares em contato com essa rede poderão imprimir Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO) e até mandados. “O delegado vai poder instruir se é necessário mais alguma prova ou testemunha para ter um caso forte e o criminoso, assim, pode ser mais facilmente preso e condenado. Isso vai também impedir que crimes de menor potencial sejam repetidos”, disse o policial. Segundo a fonte, a expectativa é de que, com julgamentos mais rápidos, criminosos deixem de ser réus primários e percam benefícios.

FONTE: Estado de Minas.


Bom dia.

nariz

Eu engulo o que disse aqui na quinta-feira (23), eu me enganei, eu disse que o inquérito da Polícia Federal do Espírito Santo sobre o helicóptero da cocaína, o helicóptero dos Perrella, estava se arrastando. Não estava. Já estava pronto, porque no dia seguinte, na sexta-feira, o Ministério Público já denunciou todos os envolvidos segundo o inquérito da Polícia Federal. E sabem quem foi denunciado? O piloto, o copiloto, os dois carregadores da cocaína e o dono do terreno onde o helicóptero pousou. Senador Perrella e deputado Perrella ficaram fora… Que coisa maravilhosa! Será que esse é o Brasil que a gente vai deixar para os nossos filhos e netos?

Aliás, a governadora do Rio Grande do Norte, que eu mencionei aqui, foi cassada pela segunda vez, foi mantida no posto pelo presidente do TSE, Ministro Marco Aurélio. Bem diferente do que aconteceu no Maranhão, onde Roseana Sarney assumiu porque a Justiça Eleitoral cassou o governador Jakson Lago em 2009, por abuso econômico em 2006. Ela assumiu porque era a segunda, ou seja, assumiu porque havia perdido a eleição. Esse é o Brasil que a gente vai  deixar para os nossos netos.

É tanto ladrão aqui no Brasil que já tem assaltante sendo assaltado. Vocês sabiam? Em Sapiranga, no Rio Grande do Sul, uma dupla chegou de moto, armada, para assaltar uma barbearia. Quando estava dentro da barbearia percebeu que outra dupla de ladrões estava roubando a moto. Aí, a primeira dupla atirou na segunda dupla, e matou um deles. É incrível!

Por toda parte nesse fim de semana, manifestações contra essa tal Copa do Mundo, a Copa dos Estádios que foram construídos enquanto escolas, hospitais e segurança pública e transporte urbano vão lá para o fundo. Eu lembro que lá por 1980 João Havelange, presidente da FIFA, foi propor ao presidente, General Figueiredo que se fizesse a copa no Brasil. Ele perguntou para o Havelange (e eu tenho testemunho disso), perguntou para o Havelange “você conhece as favelas brasileiras? Acha que eu vou gastar com estádios quando o Brasil tem outras prioridades?” Pois é.

De Brasília, Alexandre Garcia.

FONTE: Itatiaia.


Esse tipo de ocorrência representa 73% dos casos no Aeroporto Internacional Tancredo Neves. Só os de bagagens aumentaram 47% entre 2012 e 2013. Extravios e danos cresceram também

 

ATENÇÃO, SENHORES PASSAGEIROS »Ladrões à solta em Confins

Aeroporto registrou 2.423 ocorrências policiais no ano passado, 1.776 delas (73%) por furto

A quantidade de furtos de bagagem ou de seu conteúdo foi a que mais subiu, 47%, saltando de 72 em 2012 para 106 em 2013. O número real de casos, porém, deve ser bem maior, já que muita gente só descobre que foi roubada ao abrir a mala em casa e não dá queixa, enquanto outros reclamam apenas com a companhia aérea. As polícias Civil e Federal informaram ter intensificado investigações, inclusive nas áreas internas do terminal, onde se suspeita da ação de um grupo especializado. Um problema é que 3 mil pessoas circulam por locais próximos ao trânsito de bagagens. Outro são as conexões, que dificultam saber onde as malas foram violadas.

O celular ao ouvido e os movimentos contidos ajudam a disfarçar a aproximação do alvo. Sem ser notado, o homem de boné e camisa laranja, aparentando 60 anos, chega ao lado da fila do check-in do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Grande BH, e num golpe rápido pega a bolsa que uma passageira que despachava  bagagem deixou dependurada no carrinho. Ao fugir, ele ainda troca de roupa. O ladrão fugiu com cartões de crédito e débito, dois celulares, óculos e dinheiro. A cena, de uma filmagem da Polícia Civil, foi gravada em julho e tem sido constante. No meio da confusão das obras de ampliação do terminal e das longas filas de quem chega ou parte, os passageiros de Confins se tornaram vítimas de criminosos. As ocorrências aumentaram 3% entre 2012 e o ano passado, de 2.345 para 2.423. Só em 2013 foram 1.776 (73% do total de crimes) casos de furtos.

Apesar de todas as restrições de acesso às esteiras, repartições e transporte por onde passam as bagagens despachadas ou que chegam ao aeroporto, o furto de bagagens aumentou 47%, passando de 72 casos em 2012 para 106 no último ano. Devido ao aumento vertiginoso, as polícias Civil e Federal intensificaram ações e investigam suspeitos que aparecem em imagens das câmeras de segurança estudando o comportamento dos passageiros e funcionários dos aeroportos. Só os policiais civis abrirão mais 10 inquéritos para apurar a ação desses bandidos.

O delegado responsável pela unidade da Polícia Civil no aeroporto de Confins, Jonas Tomazi, afirma que fora do saguão é muito difícil apurar os furtos de bagagens. “Depois do check- in há o tempo para a mala chegar ao avião. Nesse caso, os furtos são praticados essencialmente por funcionários de empresas aéreas”, afirmou.

Um dos métodos dos ladrões para levar pertences de dentro das malas é o uso de caneta para abrir o fecho e puxar o lacre, durante o despacho, sem que ninguém perceba o crime. Ocorrências em conexões também são comuns. “Nesse caso, fica difícil saber o local do fato, pois muitas malas já chegam violadas a Confins..
Segundo o delegado chefe do Núcleo de Polícia Aeroportuária da Polícia Federal, Flávio Hélcio Braga, as reclamações de furtos de bagagem aumentaram na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e na Infraero no fim do ano passado, o que motivou levantamentos paralelos do setor de inteligência da PF para tentar descobrir grupos especializados em furtar malas, mesmo o crime não sendo atribuição da corporação.

O delegado chama a atenção para o fato de cerca de 3 mil pessoas transitarem 24 horas por dia pela área onde as malas aguardam a chegada das aeronaves. São mecânicos, comissários, carregadores, entre outros. “Na última reunião de segurança com a Infraero e as empresas, solicitamos que as companhias voltem a usar o fiscal de mala, mas elas resistem”, afirmou o delegado.

Não é difícil encontrar quem foi vítima dos ladrões. O adolescente Bernardo Caldas de Medeiros, de 13 anos, resolveu averiguar sua mala logo depois de chegar a Confins, vindo de Natal (RN). O jovem ficou sem reação ao ver que suas roupas e as camadas de papel usadas para embalar o perfume favorito estavam reviradas e o vidro de cosmético havia desaparecido. “Demorei a entender que tinha sido roubado. Reclamei com a companhia e com o aeroporto. Pegaram meu e-mail e até hoje não fui ressarcido”, lamentou. “A gente se sente impotente e insegura, porque só descobre que foi roubada em casa, quando abre a mala”, afirmou a avó de Bernado, Marisa Rotheia Medeiros, de 71.
Ao retornar do Marrocos, em dezembro, o engenheiro civil Frederico Sena, de 43, percebeu que sua mala havia sido alvo de tentativa de furto. O bolso superior externo tinha um grande corte por onde ele diz acreditar que funcionários de um dos aeroportos por onde passou (Marrakesh, São Paulo ou Confins) tenha tentado furtar seus pertences. Por isso, agora, ele só viaja com as bagagens embaladas em filme protetor. “Além de (as companhias) tratarem suas malas sem qualquer cuidado, não temos segurança também”, destacou.

NÃO FIQUE “VOANDO” NO AEROPORTO

Dicas para tentar evitar furtos e outros problemas

» Fique atento à sua bagagem, nunca fique de costas enquanto as carrega ou durante a fila do check-in

» Feche bem as malas antes de despachar pela companhia aérea. Passe fita adesiva, ponha cadeado e verifique o interior da bagagem assim que a retirar da esteira

» Evite despachar objetos eletrônicos, joias, câmeras fotográficas ou objetos de valor na bagagem

» Quando usar as dependências do aeroporto fique atento aos seus pertences, como celulares, malas e computadores

» Se observar qualquer irregularidade, denuncie anonimamente pelo telefone 181

FONTE: Estado de Minas.


Petistas presos no mensalão são heróis, diz partido no Rio

Na solenidade, realizada na manhã deste sábado, o novo presidente do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) do Rio de Janeiro, Washington Quaquá disse que atacar os petistas presos seria o mesmo que atacar os membros do partido e 40 milhões de brasileiros

pt

A cerimônia de posse do novo presidente do diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) do Rio de Janeiro, Washington Quaquá, foi marcada por um ato de desagravo aos petistas presos por envolvimento no caso do mensalão. Condenados na Ação Penal 470. O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-presidente José Genoino e o ex-tesoureiro Delúbio Soares tiveram mandados de prisão expedido no último dia 15, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que eles deveriam começar a cumprir a pena pelos crimes imediatamente, e foram encarcerados na Papuda, em Brasília. Por problemas de saúde, Genoino está em prisão domiciliar provisória, aguardando decisão da Justiça sobre sua eventual volta ao cárcere.

Saiba mais…

Na solenidade, realizada na manhã deste sábado, 30, Quaquá, que é prefeito de Maricá (RJ), disse que atacar os petistas presos seria o mesmo que atacar os membros do partido e os 40 milhões de brasileiros que saíram da pobreza durante o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Durante o ato, os condenados pelo mensalão ainda foram chamados de “heróis” e saudados com palmas, enquanto o STF foi alvo de palavras de ordem. Os militantes que participavam da posse de Quaquá também foram convidados a sair em defesa dos petistas condenados. A deputada federal Benedita da Silva, que também disputava o pleito e perdeu a votação para Quaquá, pediu aplausos e orações aos condenados. “Os nossos companheiros só poderão suportar a prisão se tiverem a nossa solidariedade. Graças a Deus eles não conseguiram algemar nossos companheiros e botá-los no camburão”, disse.

Benedita ainda atacou a mídia e afirmou que não se trata de lidar com a Justiça, mas sim com a injustiça, uma vez que Genoino estaria “morrendo na cadeia”. Na última terça-feira, uma junta convocada pelo STF e composta por médicos da Universidade de Brasília (UnB) informou que o deputado não sofre de cardiopatia grave e, por isso, não precisaria permanecer em casa para cuidar da doença.

O laudo também apontou que o mal-estar de Genoino se deveu à situação de estresse emocional. Desde que o deputado foi preso, familiares e colegas de partido têm destacado a saúde frágil de Genoino para tentar conquistar a prisão domiciliar.

O pré-candidato do PT ao governo do Rio, o senador Lindbergh Farias, não compareceu à cerimônia, que ocorreu na sede do Sindicato dos Bancários, no centro do Rio.

FONTE: Estado de Minas.

Olho Vivo S.A.

Na falta de câmeras do projeto oficial de monitoramento da PM, moradores de bairros de BH decidem bancar do próprio bolso a instalação de sistema eletrônico para vigiar suas ruas

vigilância antifurto - Idealizador da iniciativa, Paulo roberto campos diz que sistema já ajudou a solucionar crimes (Fotos: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
vigilância antifurto – Idealizador da iniciativa, Paulo roberto campos diz que sistema já ajudou a solucionar crimes

Na falta das câmeras do programa Olho Vivo, de videomonitoramento da Polícia Militar, moradores de Belo Horizonte se unem para bancar a implantação de um sistema de vigilância eletrônica particular nas ruas. Comum em condomínios fechados, o modelo começa a chegar a áreas nobres da capital. No Bairro São Bento, na Região Centro-Sul, já são duas ruas equipadas com a tecnologia – a um custo de instalação de R$ 700 a R$ 1 mil por residência –, mas moradores de pelo menos 35 quarteirões no bairro estudam aderir aos olhos eletrônicos particulares. Do outro lado da cidade, no Bairro Jardim Atlântico, na Pampulha, a instalação do monitoramento privado tem o objetivo de coibir a prostituição.

Há cerca de dois anos, representantes do São Bento, Santa Lúcia e Belvedere, também na Região Centro-Sul, negociavam com a PM o pagamento de cerca de R$ 500 por residência para financiar a instalação de 20 câmeras do Olho Vivo em pontos estratégicos dos bairros. A iniciativa não vingou e, sem a interferência da polícia, moradores deram seu jeito para garantir segurança, ainda mais abalada depois da morte da atriz Cecília Bizzotto, assassinada dentro de casa, no Santa Lúcia, durante assalto em outubro do ano passado.

“A PM aumentou o policiamento na época, mas depois afrouxou de novo. Infelizmente, não há efetivo para atender a cidade como um todo. Com isso, os moradores passaram a ter uma preocupação ainda maior com a segurança”, ressalta o presidente da Associação Pró-Moradores do Bairro São Bento, Rógerio Rezende. Os pioneiros do monitoramento privado foram os moradores da Rua Cônsul Robert Levy, onde um grupo de 35 moradias, entre apartamentos e casas, se uniu para implantar o sistema.

Desde março, 16 câmeras gravam tudo o que se passa em um trecho de 350 metros da rua. Diferentemente do sistema de câmeras tradicional, o foco não são as residências, mas a via pública. Os equipamentos são instalados em postes e cobrem todos os ângulos da rua, sem pontos cegos. Os moradores podem visualizar as imagens por celular, tablet ou computador com acesso à internet.

“Já temos vigias nas ruas, mas as câmeras ajudam a inibir a criminalidade. Acompanhamos tudo o que está acontecendo e temos o telefone de todos os moradores que participam do sistema. Qualquer coisa, um liga para o outro”, conta o idealizador da iniciativa, o aposentado Paulo Roberto Campos, de 66 anos, há 25 morando na região. Ele conta que as imagens ajudaram, inclusive, a resolver o roubo de um carro no início do mês, com a entrega das gravações para a PM. A estudante Luciana Dantas, de 26, mora na mesma rua e se sente mais protegida ao chegar e sair de casa. “Se a gente não tem segurança pública, temos que suprir a necessidade com recursos privados. É o nosso Olho Vivo”, afirma.

Moradora da Rua Helena Antipoff, a supervisora pedagógica Rita Lanna, de 50, também espera ter mais tranquilidade perto de casa. Para isso, 21 vizinhos se uniram e estão instalando 12 câmeras em um quarteirão. “Já ocorreram furtos aqui na rua e sabemos que, infelizmente, somente os vigias não resolvem. Ficamos muito assustados depois da morte da Cecília Bizzotto, tão perto daqui”, conta.

Dono da empresa que instalou o sistema nas duas ruas, Paulo Ricardo Rodrigues afirma que já fez 35 orçamentos para grupos de moradores interessados em ter o videomonitoramento em outros endereços do bairro. “Depois da instalação não há mais gastos, apenas com a internet. A estrutura em postes tem agradado bastante, porque chama mais atenção até mesmo dos bandidos”, explica Paulo Ricardo.

Sorria: há 100 mil câmeras sobre você

Pelo menos 100 mil câmeras de segurança monitoram casas, edifícios, condomínios e estabelecimentos comerciais de Belo Horizonte, segundo levantamento feito pelo Estado de Minas com representantes do setor. Apesar disso, o circuito fechado de televisão em ruas é um fenômeno recente. “O mais habitual são as estruturas em condomínios fechados. Somente agora esse modelo está chegando aos bairros, levado por associações e em resposta ao aumento da violência”, afirma o empresário Frederico Ferraz, do Sindicato das Empresas de Segurança e Vigilância do Estado de Minas Gerais (Sindesp-MG).

Segundo ele, a maior dificuldade para implantação é chegar a um acordo com todos os vizinhos. É exatamente esse o obstáculo que os moradores do Bairro Jardim Atlântico, na Pampulha, têm enfrentado. Cerca de 30 casas se uniram para tentar instalar 17 câmeras de vigilância, com a meta de inibir a presença de prostitutas nas proximidades, mas a ideia ainda não saiu do papel. “Estamos com algumas dificuldades com participantes. As casas já têm o monitoramento e agora nossa intenção é filmar as ruas ”, diz o morador Ernani Sérgio Loretti Marques.

Membro do Fórum Brasileiro de Segurança, o sociólogo Robson Sávio, especialista em segurança pública, aprova a iniciativa, desde que haja solidariedade entre os vizinhos. “Nenhuma tecnologia faz milagre. A segurança informal colabora muito com a segurança pública, desde que os vizinhos estejam coesos. Um vê uma imagem suspeita, liga para o outro, avisa a PM”, ressalta. Por meio da assessoria de imprensa da PM, o comandante da 124ª Companhia, que responde pelo São Bento, major Juarez Ferreira, informou que vai procurar conhecer o sistema.

De acordo com a PM, atualmente há 178 câmeras do Olho Vivo na cidade. A Prefeitura de Belo Horizonte está instalando 153 e a corporação outras 67. A intenção é implantar mais 120 até 2014, totalizando 518 equipamentos na capital. A polícia não especificou as áreas prioritárias para a instalação do equipamento.

Como ficou?Assassinato de atrizTrês assaltantes 
condenados

Em 17 de julho, a Justiça condenou três envolvidos no assassinato na atriz Cecília Bizzotto, morta aos 32 anos, por  latrocínio (roubo seguido de morte). Gleisson Martins Horário (28 anos), apontado como autor do tiro que matou a atriz, recebeu sentença de 33 anos e sete meses de prisão. Cléber Eduardo da Silva (22), pegou 28 anos e nove meses e Luís Henrique da Silva Paulino (20), recebeu condenação de 24 anos. Todos cumprirão a pena inicialmente em regime fechado. Cecília foi baleada no peito durante assalto no Bairro Santa Lúcia, Centro-Sul de BH. Hoje começa o processo de julgamento de acusados de integrar outra quadrilha que agia na região. Frederico Mendes Martins, de 27 anos, Fernando de Oliveira, de 28, e Thiago Silva Santos, de 21, foram flagrados depois de uma sequência de roubos no Bairro Belvedere, inclusive com tortura e estupro de moradores. Serão ouvidas 10 vítimas e oito testemunhas, além dos acusados.

FONTE: Estado de Minas.

Guilherme Fiuza*educacao1

Há uma grita injustificada no caso das provas semi-analfabetas do Enem. Não dá para entender tanta indignação. Há anos o governo popular vem preparando o Brasil para a grande revolução educacional, pela qual a norma culta se norteará pelo português falado nas assembléias do PT. Como se sabe, depois de uma blitz progressista de Dilma e Fernando Haddad, livros didáticos passaram a ensinar que é certo escrever “nós pega o peixe”, entre outras formulações revolucionárias. Alguns especialistas teriam argumentado que o certo seria “nós rouba o peixe”, mas isso já é discussão interna deles.

Numa das redações que levaram nota máxima no Enem, o candidato escreveu “enchergar” – com “ch” em vez de “x”. Não há reparo a fazer, está perfeito o critério. Depois de três anos deixando o Enem à mercê dos picaretas, pois estava muito ocupado com sua agenda eleitoreira, o ex-ministro Haddad elegeu-se prefeito de São Paulo. Um fenômeno desses jamais aconteceria num país que enxerga – só num país que encherga. Está corretíssima, portanto, a observação por parte do estudante da nova norma culta.

OPI-002.eps

Os que vêem algum erro nisso não estão sabendo acompanhar as velozes mudanças da língua, comandadas pela nova elite. O relato de Dilma Rousseff sobre seu encontro com o Papa Francisco, por exemplo, também mereceria nota máxima no Enem. Contou a presidente: “Ele estava me dizeno que ele espera uma presença grande dos jovens (na Jornada da Juventude) na medida em que ele é o primeiro papa, ele é várias coisas primeiro”. Os corretores progressistas do Enem só dariam nota 1.000 a uma construção dessas porque não existe 1.001.

O novo recorde de aprovação que acaba de ser batido pelo governo e pela “presidenta” só comporta duas explicações possíveis: ou o Brasil está “enchergando” bem, ou o Brasil está “enchergano” bem. Qualquer das duas hipóteses, porém, garante imunidade total à “presidenta” (que também é várias coisas primeira). Ela pode passear de helicóptero sobre as enchentes de Petrópolis e depois pousar, como uma enviada do Vaticano, para rezar pelas vítimas. Os desabrigados de dois anos atrás na mesma região continuam sem as casas prometidas pelo governo popular. Há famílias morando em estábulos. Alguns quilômetros serra abaixo, casas oferecidas pelo governo popular para removidos de áreas de risco foram inundadas pelas últimas chuvas. Moradias do programa Minha Casa, Minha Vida oferecem como bônus minhas goteiras, minhas rachaduras na parede.

O povo deve estar “enchergano” tudo isso, porque acolhe o helicóptero de Dilma como um disco voador em missão turística e vai rezar com ela na igreja local, pedindo proteção a não se sabe quem.

A aprovação popular ao estilo governamental de Dilma é comovente. Quem distribui as verbas federais contra enchentes é o ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho – aquele que mandava cerca de 80% do dinheiro para Pernambuco, por acaso seu domicílio eleitoral. As enxurradas podem levar casas e povoados inteiros, mas nada arranca Bezerra do cargo. E a cada nova intempérie é ele quem surge para rechear os comícios chorosos de Dilma com cifras voadoras, que servem basicamente para drenar as manchetes. Ainda de Roma, a chefa suprema da nação declarara que tomará “medidas drásticas” para remover os teimosos que insistem em morar em áreas de risco. O Brasil merece isso tudo.

A população culta também está “enchergano” bem. Todos chocadíssimos, batendo panela contra o pastor acusado de homofobia – nomeado para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Quem manda na Câmara? Quem fica caçando votos dos evangélicos, distribuindo vantagens aos seus líderes, como o famigerado Ministério da Pesca? “Nós pega o peixe e entrega ao pastor”, reza a norma culta do governo popular. Quanto maior o rebanho, melhor a boquinha. Comissão de Direitos Humanos é troco.

Evidentemente, uma redação do Enem que enxergasse com x que o Brasil e suas instituições estão sendo emprenhados de ignorância pela indústria do populismo levaria nota zero. A revolução petista não tolera esses arroubos elitistas. Prefere receita de miojo.

educacao2

FONTE: Época.

*Guilherme Fiuza é jornalista e autor de vários livros, entre eles “Meu Nome não é Johnny”, adaptado para o cinema. Neste blog, trata de grandes temas da atualidade, com informação e muita opinião principalmente sobre política.


Criminoso contou com ajuda de comparsa, que também não foi preso

A polícia está à procura de um ladrão que teve a audácia de invadir a casa de um veterinário e ainda esperar a vítima bebendo grande parte de uma garrafa de uísque importado da vítima. O caso ocorreu nessa sexta-feira (19), em Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais, e o bandido contou com a ajuda um comparsa, que também não foi preso.

De acordo com a Polícia Militar da cidade, a residência invadida fica no bairro Jardim Guanabara e teve a porta da cozinha arrombada.

bocão

Já dentro do imóvel, a dupla resolveu esperar o veterinário chegar em casa para praticar o assalto. Porém, para passar o tempo, um dos criminosos abriu a garrafa da bebida alcoólica e bebeu o uísque.

Assim que o veterinário chegou, ele foi abordado pela dupla, que o ameaçou com uma faca e já estava com a chave do local. Em seguida, os ladrões roubaram dois celulares, um relógio e um notebook e fugiram a pé.

Até a manhã deste sábado (20), os ladrões ainda não haviam sido nem identificados.



%d blogueiros gostam disto: