Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: padaria

‘Ursinho’ ajuda PM a prender quatro suspeitos de roubo a padaria em Sabará

Graças a um ursinho de pelúcia, a Polícia Militar conseguiu prender quatro homens suspeitos de roubar uma padaria, em Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O crime foi nessa terça-feira (27), no bairro Rosário III.

De acordo com a Polícia Militar, os quatro entraram na padaria como se fossem fazer compras e começaram a pegar cervejas. Ao se aproximarem do caixa, porém, um dos criminosos levantou a blusa e mostrou a arma, exigindo o dinheiro. Os suspeitos fugiram, levando as cervejas e R$50.

A PM foi acionada e testemunhas descreveram o carro dos bandidos: um Gol vermelho com um ursinho de pelúcia amarrado no teto.

Com essas características, não foi difícil localizar o veículo, estacionado em uma rua do bairro General Carneiro, ainda em Sabará. Os suspeitos foram encontrados sentados no passeio, tomando a cerveja roubada e acabaram confessando o crime.

Além de parte da cerveja, a PM apreendeu o ursinho e um revólver calibre 22 com cinco cartuchos. O quarteto foi preso em flagrante e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Sabará.

O carro foi localizado junto com o grupo, que estava tomando a cerveja roubada

O carro foi localizado junto com o grupo, que estava tomando a cerveja roubada

.

FONTE: Hoje Em Dia.


Após denúncia de larva em bolo, Vigilância Sanitária multa padaria Mix Pão, em BH

Mais uma vez a padaria Mix Pão do Bairro Palmares, na Região Nordeste de Belo Horizonte, foi flagrada pela Vigilância Sanitária com diversas falhas de higiene. A loja foi multada em R$ 1.228. Desta vez, a inspeção ocorreu após um cliente denunciar que comprou um bolo de laranja infestado por larvas.O órgão realizou uma inspeção na padaria e foram encontradas irregularidades relativas ao acondicionamento, validade e rotulagem dos produtos, além da limpeza de equipamentos. Além da multa, o estabelecimento recebeu um termo de intimação e outro de advertência.

A loja, localizada na Rua Coronel Jairo Pereira, nº15, não foi interditada, mas todos os produtos em condição irregular foram apreendidos. Segundo a Vigilância Sanitária, o estabelecimento continuará sendo monitorado.

A Itatiaia entrou em contato com a padaria, mas foi informada que apenas o proprietário poderia falar sobre o caso. Ele não atendeu aos telefonemas da reportagem.

Outros casos

Em abril de 2014, a padaria já havia sido advertida pela vigilância sanitária devido a problemas de higiene.

E em novembro de 2013, a unidade da Av. do Contorno foi interditada após serem encontradas larvas em pizzas.

FONTE: Itatiaia.


Fantasiado de Batman, empresário persegue e prende ladrão de celular

Fantasiado de Batman, empresário persegue e prende ladrão de celular
Um homem fantasiado de Batman ajudou a polícia a prender um ladrão de celular em São Paulo

Vestido de Batman, um homem perseguiu e deteve um rapaz na noite desta quarta-feira (18) depois de ter seu celular furtado dentro de uma padaria no Capão Redondo, na zona sul de São Paulo. O empresário Gleyson Dias, 39, faz parte do grupo “Loucos pela Paz”, que usa roupas de personagens famosos para fazer protestos. Ele havia acabado de participar de uma reunião com integrantes da prefeitura para discutir a saúde pública na zona sul da cidade. A gestão Fernando Haddad (PT) confirmou que Dias estava fantasiado de Batman no evento.

A irmã do rapaz que foi perseguido pelo empresário e preso em seguida pela polícia admite que seu irmão furtou o celular de Dias. Afirma, porém, que ele é viciado em crack, que foi alvo de humilhação e de um “flagrante armado”. Dias afirma que esqueceu seu celular no balcão da padaria quando foi pagar a conta. “Parei para tomar um café. Fui pagar e esqueci o celular no balcão”, conta.

A cena foi gravada por uma câmera de vigilância da padaria. O vídeo mostra que instantes depois, o desempregado Leonardo de Lima, 30, aproxima-se do balcão, pega o celular e vai embora. Quem avisou Batman sobre o furto foi o dono da padaria, segundo funcionários ouvidos hoje. “O Batman estava sozinho, esqueceu o celular no balcão. Meu patrão viu o furto na câmera interna e o avisou”, diz a balconista Daiane Oliveira. Batman começou a perseguir o rapaz. “Andei uns 15 minutos de moto e o encontrei na entrada de uma biqueira. Conheço todas as biqueiras do Capão”, afirma.

Os pés de Leonardo foram amarrados com uma corda. O celular furtado estava em seu bolso, segundo a polícia. “E aí, ladrão, dá um oi para o Whatsapp”, diz o empresário em um vídeo postado no Facebook. Em seguida, ele pisa com a bota no rosto do rapaz que furtou o celular. A PM foi acionada, mas o rapaz foi levado antes à delegacia por agentes da GCM (Guarda Civil Metropolitana) que passavam pelo local. Leonardo de Lima foi indiciado por furto qualificado. Amanhã à tarde, ele será transferido para o CDP (Centro de Detenção Provisória) de Osasco, na Grande SP.

Desde 2013, Dias já participou de diversos protestos vestido de Batman. No último dia 2, fez um rapel no prédio da Câmara e acabou detido. Segundo o advogado criminalista Fábio Simantob, qualquer pessoa pode prender um suspeito de ter praticado um crime. A detenção deve ocorrer logo após o crime para que o flagrante seja caracterizado. Ele afirma que o empresário pode ser indiciado por “maus tratos” por ter pisado na cabeça de Leonardo.

 FONTE: Hoje Em Dia.


Padaria Vianney é reaberta após nova vistoria da Vigilância Sanitária

Uma nova vistoria foi feita pela vigilância na manhã desta segunda-feira (17) e os técnicos constataram que os problemas de higiene e estruturais que levaram a interdição do estabelecimento foram sanados

Cidades - Belo Horizonte, Mg. Suspeita de que a  padaria Vianney teria sido fechada pela vigilancia sanitaria. Fotos: Leo Fontes / O Tempo - 13.3.14

A tradicional padaria Vianney, no bairro Funcionários, região Centro-Sul de Belo Horizonte, que estava fechada desde a última quinta-feira (13), foi reaberta nesta segunda-feira (17). O estabelecimento foi fechado pela Vigilância Sanitária por falta de higiene no local de manipulação dos alimentos e no maquinário, pacotes de leite com validade vencida e má conservação de alimentos.

De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, uma nova vistoria foi feita pela vigilância na manhã desta segunda-feira e constatou que os problemas de higiene  e estruturais que levaram à interdição foram sanados.Por meio de nota, a assessoria de imprensa da padaria informou que “sempre respeitou as normas de produção e comércio de alimentos e está ainda mais atenta às exigências fiscais.” A nota afirma, ainda, que a padaria reconhece as necessidades de melhorias constantes e que continuará a realizá-las para satisfazer os clientes e funcionários.

A prefeitura informou que a fiscalização que interditou a padaria na última quinta-feira (13) foi feita após uma denúncia anônima, que as vistorias são feitas de forma preventiva e as denúncias podem ser feitas por meio do telefone 156 da prefeitura.

A assessoria de imprensa da vigilância informou que a padaria já tinha sido interditada em 2007 por causa de falta de higiene e acondicionamento de alimentos. Dois anos depois, em 2009, o espaço também recebeu auto de infração.

A padaria existe desde 1988 e sempre funcionou na rua dos Aimorés em diversos pontos. O estabelecimento oferece serviços de café da manhã, almoço, delivery e realiza festa e eventos.

FONTE: O Tempo.


Padaria Vianney é interditada pela Vigilância Sanitária de BH

Vianney_André Brant_Hoje em Dia
Padaria Vianney foi interditada após vistoria da Vigilância Sanitária encontrar irregularidades
Técnicos da Vigilância Sanitária de Belo Horizonte interditaram a Padaria Vianney no bairro Funcionários, região Centro-Sul da capital mineira, nesta quinta-feira (13). Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) informou que entre os problemas encontrados durante a fiscalização estão “falta de higiene no local de manipulação dos alimentos e no maquinário, pacotes de leite com validade vencida e má conservação de alimentos”.
Ainda segundo a SMSA, o estabelecimento foi vistoriado nesta manhã após uma denúncia. Além disso, o órgão acrescentou que o tempo de reabertura da padaria depende da readequação do proprietário em relação às condições de higiene do local.
Na porta da Vianney, um aviso informa que a padaria foi fechada por problemas nos equipamentos e garante que, na sexta-feira (14), o estabelecimento seria reaberto. “Estamos com problemas nos equipamentos. Voltaremos a abrir amanhã para melhor atendê-los. Pedimos desculpas pelos transtornos”.
Tradicional em Belo Horizonte, a padaria Vianney fica na rua Aimorés desde 1988, mas funciona no atual endereço desde 2009, após ser reinaugurada. No espaço são servidos café da manhã e almoço, além de caldos e sopas, sushi e pizzas. O local também promove eventos corporativos e faz entregas.

Interdição

Padaria Vianney continua interditada após nova vistoria – 14 Mar 2014, 17:13

Segundo a vigilância sanitária o espaço não cumpriu as exigências de adequações físicas e de higiene; a interdição ocorreu nesta quinta-feira (13); o estabelecimento já tinha sido interditado pela vigilância em 2007

  • Cidades - Belo Horizonte, Mg. Suspeita de que a  padaria Vianney teria sido fechada pela vigilancia sanitaria. Fotos: Leo Fontes / O Tempo - 13.3.14
    Cidades – Belo Horizonte, Mg. Suspeita de que a padaria Vianney teria sido fechada pela vigilancia sanitaria. Fotos: Leo Fontes / O Tempo – 13.3.14
  • Cidades - Belo Horizonte, Mg. Suspeita de que a  padaria Vianney teria sido fechada pela vigilancia sanitaria. Fotos: Leo Fontes / O Tempo - 13.3.14
     Suspeita de que a padaria Vianney teria sido fechada pela vigilancia sanitaria.
  • Cidades - Belo Horizonte, Mg. Suspeita de que a  padaria Vianney teria sido fechada pela vigilancia sanitaria. Fotos: Leo Fontes / O Tempo - 13.3.14

A tradicional padaria Vianney no bairro Funcionários, região Centro-Sul da capital, continua interditada. Na manhã desta sexta-feira (14) uma nova vistoria foi feita no estabelecimento a pedido dos proprietários, porém a vigilância sanitária decidiu manter o estabelecimento fechado, pois as exigências, que incluem questões de higiene e readequações físicas, não foram cumpridas pelo estabelecimento.

De acordo com a prefeitura, a padaria foi fechada nesta quinta-feira (13) por falta de higiene no local de manipulação dos alimentos e no maquinário, pacotes de leite com validade vencida e má conservação de alimentos, alguns estavam sem embalagem.Por meio de nota, a assessoria de imprensa da vigilância informou que a padaria já tinha sido interditada em 2007 por causa da falta de higiene e acondicionamento de alimentos. Dois anos depois, em 2009 o espaço também recebeu auto de infração.

A assessoria de imprensa da padaria informou que está se adequando às normas e que pretende reabrir o espaço em breve.

Segundo a prefeitura, a padaria só poderá ser reaberta depois que se adequar as condições de higiene exigidas pela vigilância.  A prefeitura informou que as fiscalizações são feitas de forma preventiva e também mediante denúncia, que podem ser feitas por meio do telefone 156 da prefeitura.

A padaria existe desde 1988 e sempre funcionou na rua dos Aimorés em mais de um ponto. O estabelecimento oferece serviços de café da manhã, almoço, delivery e realiza festa e eventos.

 FONTE: Hoje Em Dia e O Tempo.


Savassi para sempre

Em meio a prédios e muito comércio, famílias que viram a charmosa região se transformar resistem em casarões construídos pelos seus antepassados e nem pensam em deixar o lugar

“Adoro aqui. Quando os corretores chegam, falo que só mudo depois de morrer” – Alda Savassi, aposentada

Alda Savassi nasceu numa casa na Praça Diogo de Vasconcelos, quando ali era o Bairro Funcionários. Filha de Hugo, um dos donos da famosa padaria, viu o sobrenome batizar a região. Aos 92 anos, se orgulha de nunca ter abandonado a Savassi, onde cresceu, casou e criou três filhos. Em volta da casa, na Rua Antônio de Albuquerque, quase tudo mudou. De um lado: uma loja. Do outro: um prédio. Em frente: um bar. Mas os olhos azuis continuam a brilhar. “Adoro aqui. Gosto de ir para o portão ver o movimento. Quando os corretores chegam, falo que só mudo depois de morrer”, diz, com elegância.

Dona Alda faz parte de um grupo de moradores que não sonham em ter casa no campo. Eles querem apenas continuar a viver tranquilamente em suas casas na Savassi, uma das áreas mais charmosas da capital, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Nem que para isso seja preciso resistir a muitas pressões. Além de se despedirem dos antigos vizinhos, eles viram arranha-céus e centros comerciais se instalarem ao lado de suas residências e disseram (e continuam a dizer) não a propostas milionárias de construtoras.

É porque há prazeres que não se pagam. “Meus netos vêm aqui, estacionam o carro. Eu dou uma voltinha, adoro esse movimento”, reforça dona Alda, que mora com o filho Cássio, de 60. Embora goste do presente, um doce passado continua nas lembranças. “Aqui era só casa. Tinha o cine Pathé, era uma beleza!”, conta. Foi preciso algumas mudanças para acompanhar os novos tempos. “A casa não tinha grades antes e, hoje, não podemos deixar nada no jardim porque roubam”, conta Cássio.

Falando em jardim, esse é o grande destaque da casa da família Cadar, na Rua Santa Rita Durão. No imóvel de 1927, situado numa área de 1,3 mil metros quadrados, funciona também o consulado da Síria, país do falecido patriarca, cônsul Antônio Cadar. As parreiras e o chafariz são típicos do Oriente Médio, mas quem rouba a cena são as orquídeas, em frente ao portão, e a mangueira no fundo do quintal. As plantas garantem que a casa tenha temperatura amena em meio ao concreto.

Lecy Cadar sente falta dos vizinhos, mas gosta de ter o comércio perto (Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Lecy Cadar sente falta dos vizinhos, mas gosta de ter o comércio perto

“Não temos interesse em vender. Os sete filhos de meus pais nasceram aqui e a casa continua sendo o lugar onde todos se encontram”, conta Lecy Cadar, de 70, que ainda mora na casa. Os vizinhos fazem falta, mas as facilidades chegaram junto com o comércio. “Aqui não precisa de carro para nada. Os corretores de imóveis batiam muito na porta. Agora eles já sabem que não queremos vender”, diz Lecy, que tem apenas uma vizinha daqueles tempos saudosos.

PROPOSTA Na mesma rua, a moradora Leila Mashura, de 64, já negou R$ 7 milhões pela casa onde nasceu e mora até hoje com o marido. “Pegamos amor à casa, aqui eu tenho muita liberdade. E passa gente o dia inteiro, por ser uma localização central. Toda hora meus netos e filhas estão aqui”, diz. O escritório da família funciona no segundo andar da casa e a irmã mora nos fundos do lote.

O pai delas, Wadi Mashura, construiu o imóvel há 95 anos, quando chegou do Líbano. Com o tempo, foi necessário fazer adaptações e, para melhorar a renda, o jardim da frente foi substituído por lojas. Há cinco meses, a mãe de Leila faleceu e os corretores voltaram a aparecer. “Dinheiro nenhum paga a minha tranquilidade e não me incomodo com os prédios”, afirma Leila.

Dono do Restaurante Buona Távola, na Rua Alagoas, Edmundo Lanna assiste silenciosamente às despedidas e conta nos dedos os vizinhos que restaram. “Tínhamos grandes vínculos com os vizinhos, mas estão espremendo a Savassi de prédios e quem ficou não terá escapatória”, professa.
Palavra de especialista
BH descobre sua vocação

JOãO DE PAULA
MESTRE EM ARQUITETURA E URBANISMO
“As cidades se renovam e Belo Horizonte, ainda adolescente, com 116 anos, está em um período de descobrir sua vocação. A Savassi era um bairro de casas de funcionários do governo e, aos poucos, foi se transformando numa região de caráter comercial. O importante é ter normas mais criteriosas do que deve ser preservado e o que não tem interesse de preservação. Nesse processo, a população precisa ser mais ouvida.”

FONTE: Estado de Minas.


Vigilância Sanitária interdita padaria MixPão no Bairro Floresta por larvas em pizza
O proprietário da padaria receberá a multa no valor aproximado de R$ 6 mil

A Confeitaria MixPão, localizada na Avenida do Contorno, no Bairro Floresta, Região Leste de Belo Horizonte, foi interditada nesta segunda-feira depois que consumidores encontraram larvas em pizzas compradas no estabelecimento. De acordo com militares do 16º Batalhão da Polícia Militar, que foram acionados, dois clientes foram à padaria para tomar café da manhã e ao começar a comer as pizzas perceberam que o produto “estava velho e com gosto estranho” ,  logo avistando as larvas.

Mixpão

 

Os consumidores relataram ao Sargento Ronaldo, do 16º BPM, que um funcionário da padaria confirmou que a pizza estava à venda por quatro dias no local. O policial militar realizou o Boletim de Ocorrência e solicitou a presença da Vigilância Sanitária para avaliar o estabelecimento.

 

 

De acordo com a Vigilância Sanitária Regional Leste, que vistoriou o local ainda na manhã desta segunda, a interdição da padaria Mixpão se deve as irregularidades na higienização do local, maquinário fora das condições ideais de uso e mal acondicionamento de alimentos. O proprietário da padaria receberá a multa no valor aproximado de R$ 6 mil. Ainda segundo informações da Vigilância Sanitária, o estabelecimento já havia sido interditado em outra oportunidade, e após nova vistoria, foi reaberta.

 

 

A reportagem entrou em contato com as unidades da empresa em BH, mas o proprietário da padaria não foi encontrado para esclarecer o caso.

 

FONTE: Estado de Minas.



%d blogueiros gostam disto: