Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: turismo

Família de BH será indenizada por agência de turismo por não conhecer o Taj Mahal

indenização

A Master Turismo Ltda foi condenada a indenizar uma família de Belo Horizonte por falhas em uma viagem realizada à África do Sul e a à Índia. O cancelamento de uma viagem de trem e de dois voos, que resultou na alteração do roteiro, levaram os turistas a receber indenização por danos morais no valor de R$ 10 mil, além de R$ 731 por danos materiais. A decisão é da 10ª CÂmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

Segundo o processo, o casal e o filho viajaram em janeiro de 2011, depois de comprar um pacote com a empresa. A intenção da família era fazer safáris na África do Sul e visitar o palácio Taj Mahal, na Índia. A viagem para a Índia seria realizada pela operadora Queensberry.
Segundo eles, a viagem de Nova Déli para Agra, cidade onde se localiza o Taj Mahal, estava marcada para 15 de janeiro. No entanto, na véspera, a família foi informada de que as viagens de ida e volta para Agra, incluindo trajetos de trem e avião, haviam sido canceladas.
A alternativa apresentada pela empresa Sita, parceira indiana da Queensberry, foi considerada inadmissível pelosturistas. Eles teriam de viajar de carro por mais de nove horas, permanecendo em Agra por apenas uma hora e meia e retornar no mesmo dia para Nova Déli, onde deveriam seguir para Mumbai às 18 horas.
Alegando que houve desorganização por parte da operadora Queensberry e que sofreram imensa decepção e frustração pela não realização do sonho de visitar o maior cartão postal da Índia, eles ajuizaram a ação contra a Master Turismo.
Condenada pelo juiz auxiliar Marcelo Augusto Lucas Pereira, a agência recorreu ao Tribunal de Justiça e alegou que o cancelamento da viagem pela operadora Queensberry ocorreu por causa de problemas climáticos.
A desembargadora Mariângela Meyer, relatora do recurso, afirmou em sua decisão que a família teve frustada suas expectativas. “Um dos principais pontos turísticos foi excluído do roteiro… ocasionando diversos transtornos e aborrecimentos, sem que fossem demonstrados elementos de prova no sentido de que o cancelamento se deu por força maior ou outro motivo justificável”.
A desembargadora confirmou a sentença, sendo acompanhada pelos desembargadores Paulo Roberto Pereira da Silva e Álvares Cabral da Silva.

 FONTE: TJMG.


Trilha ecológica na Serra do Curral reúne natureza e conhecimento

Passeio proporciona vista privilegiada de Belo Horizonte.
Saiba como agendar a visita ao Parque da Serra do Curral.

serra

Uma trilha ecológica mostra uma das paisagens mais bonitas de Belo Horizonte. A vista da cidade do alto da Serra do Curral é de tirar o fôlego. O passeio transforma os mais de quatro mil metros da crista da serra em um espaço de lazer e conhecimento.

serra5

Além de admirar a capital mineira de um ponto muito privilegiado, o passeio oferece conhecimento. Os visitantes recebem informações sobre a biodiversidade do local, além de instruções sobre a preservação ambiental.

Em altitudes que variam entre 1,2 mil e 1.380 metros acima do mar, no topo da serra, os caminhantes podem passar por oito mirantes, de onde é possível ver até a cidade de Nova Lima.

serra2

Mas, atualmente, a trilha está um pouco mais curta, pelo risco de desabamentos em algumas áreas. Com a depredação da serra, parte da diversidade da fauna e da flora também acaba.

serra3

serra4

Os passeios acontecem de terça-feira a domingo. Veja no site as informações e como agendar a visita.

FONTE: G1.


 

O frio chegou a Monte Verde, a estância serrana do Sul de Minas
Com o frio, o clima fica bastante romântico em Monte Verde. Os restaurantes e cafés ganham com isso

O frio chegou ao Sul de Minas. As temperaturas em Monte Verde e região já estão caindo abaixo dos 5 graus centígrados à noite, e logo se aproximarão ainda mais de zero graus. E isso porque ainda estamos no outono.

Seja como for, Monte Verde e região (ela pertence a Camanducaia) entram agora na sua alta temporada. O clima frio, as pousadas com chalés em estilo alpino e a ótima gastronomia atraem muitos turistas de todo o país, em especial casais.

Monte Verde se parece muito com o Sul do Brasil, especialmente com o Paraná, por causa da quantidade de araucárias.

Para quem visita a região pela primeira vez, uma boa sugestão é ir até o aeroporto. É um passeio prático e simples, que o turista pode fazer de carro ou mesmo a pé. De lá, se tem a mais ampla e melhor vista de Monte Verde, até onde os olhos alcançam.

O turista deve aproveitar  e andar pelo Caminho do Pinheiro Velho, que começa no aeroporto e termina na Av. Monte Verde. Andando rápido, fará o percurso em 10 minutos. Mas o bom mesmo é curtir o passeio e descobrir, no meio do caminho, o pinheiro mais velho da cidade, com mais de 500 anos.

Verner Grinberg, o fundador, quando se refere a esse pinheiro sempre diz: “Antes de Cabral descobrir o Brasil, este pinheiro já existia em Monte Verde”.

Roteiro ecológico

Muitos visitantes de primeira vez acabam voltando. Os passeios em Monte Verde estão intimamente ligados à natureza.
As trilhas levam aos picos da Serra da Mantiqueira, tais como Pedra Partida, Pedra Redonda, Chapéu do Bispo e Pico do Selado (2.080m de altitude), de onde se avista todo o Vale do Paraíba. São caminhadas que, em sua maior parte, não exigem grande preparo físico.

 FONTE: Hoje Em Dia.


Roberto Burle Marx (1909-1994) chamava a serra do Cipó de “o jardim do Brasil”.

 

Não é à toa que o paisagista assim se referisse à região de Minas Gerais localizada a cem quilômetros ao norte da capital, Belo Horizonte.

A serra apresenta vegetação ímpar, como uma flor que atinge seis metros, e mais de 50 cachoeiras.

Uma porção de quase 34 mil hectares foi transformada em parque nacional em 1984 e, desde então, vem se firmando como um dos principais destinos ecoturísticos do Estado mineiro.

Cachoeira do Gavião, na serra do Cipó, em Minas Gerais
Cachoeira do Gavião, na serra do Cipó, em Minas Gerais

No ano passado, o parque recebeu 23 mil visitantes. A visita, gratuita, inclui caminhadas e banhos de cachoeira -com a possibilidade de ver espécies endêmicas da flora e da fauna brasileiras.

Nos arredores do parque, também há atrações, como a trilha dos Escravos e outras cachoeiras. É onde fica a vila Cipó, que reúne pousadas, restaurantes, sorveteria, capelinha e até cachaçaria.

A partir deste mês, as temperaturas são mais amenas, e a chuva é menos frequente.

FONTE: UOL.

Prezado(a) Representante
Gentileza divulgar aos demais colegas que, a pedido dos alunos, o funcionário da agência Flap Turismo, Vinícius, estará na Universo hoje, após 19:00 horas, na sala 26, bloco A, para tratar dos assuntos referente ao evento Viagem ao STF.
Atenciosamente
Inês Campolina
Gestora do Curso de Direito
——————————————

Universo Campus-BH
Email:inescampolina@bh.universo.edu.br Telefone: (31) 2138-9053

Governo vê problemas nos critérios que garantiriam pré-aprovação para entrada de brasileiros no país norte-americano

Apesar da vontade política do presidente Barack Obama, a inclusão do Brasil no programa de isenção de vistos dos Estados Unidos ainda esbarra na recusa de autoridades brasileiras em cumprir quase todas as exigências do governo norte-americano. Ainda nesta semana o governo deve bater o martelo se aceita ou não entrar no programa de pré-aprovação, que beneficiaria inicialmente aproximadamente 5 mil pessoas.

Relatório da primeira reunião de trabalho realizada no fim do ano passado, entre autoridades dos dois países, revela que, das sete imposições para que cidadãos brasileiros viajem para os Estados Unidos sem a necessidade de visto, só há acordo quanto à reciprocidade e as revisões periódicas de procedimentos.

 

O documento ressalta que “ambos os lados reconhecem a complexidade dos temas e as dificuldades envolvidas”. Um dos pontos de maior resistência está no compartilhamento de dados de inteligência e segurança pública. O Brasil ainda não tem posição formada sobre a obrigatoriedade da troca de informações sobre perdas e furtos de passaporte e de dados sobre “passageiros que possam constituir ameaça criminal ou terrorista” e repatriações tempestivas (imediatas) – além disso, o programa de passaporte biométrico está em fase inicial.

Diante das dificuldades em avançar no programa de isenção, o Ministério das Relações Exteriores determinou à Polícia Federal e ao Ministério da Justiça que avaliassem a necessidade da assinatura do Global Entry, um programa de pré-aprovação de passageiros que possibilita que aqueles que já possuem cadastro passem apenas por um quiosque automatizado, em vez de ficar na fila de imigração. Um projeto piloto nos mesmos moldes foi adotado no Aeroporto de Brasília para cidadãos portugueses.

Na semana passada, diversas reuniões foram feitas para debater o assunto e nesta semana o governo deve bater o martelo se aceita ou não entrar no programa. Cerca de 5 mil pessoas seriam beneficiadas pelo Global Entry num primeiro momento. Receita Federal e Polícia Federal, contudo, divergem sobre os termos do governo norte-americano, que estaria exigindo acesso a dados de empresários brasileiros. O programa de isenção de vistos com o Brasil é tido como uma das armas para tentar salvar a economia americana da crise.

Lei

Autoridades brasileiras sustentam que não há amparo legal para a remessa de todos esses dados, em especial informações sobre inquéritos em andamento, indiciamentos e denúncias. O Brasil sustenta que só poderia passar casos com condenação e trânsito em julgado.

O governo brasileiro também avalia a assinatura de outros acordos de troca de informação, incluindo Homeland Security Presidential Directive (HSPD-6), que estabelece critérios de classificação de terrorismo, crime ainda não tipificado na legislação brasileira.

Um telegrama ressalta que, apesar das boas relações entre os dois presidentes, as condições são estabelecidas pelo Congresso. “Após os ataques de 2001, o programa virou instrumento de segurança interna.”

Recusas.

Outro empecilho para a implementação do programa está no atual índice de recusa de vistos. Segundo o documento, o Brasil tem 3,8%. Uma das condições é ter menos de 3% de recusa de vistos de turismo ou negócios.

No entanto, o relatório também destaca a existência de projetos de lei em tramitação no Congresso dos Estados Unidos que alteram esse índice para até 10%. De acordo com o governo americano, 36 países participam atualmente do programa. Em 2010, mais de 17,3 milhões entraram nos Estados Unidos sem o visto. Procurados, o Ministério das Relações Exteriores e o Ministério da Justiça não se manifestaram sobre o assunto.

 FONTE: iG


%d blogueiros gostam disto: