Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: venceu

Galo e Cruzeiro

Em tarde de Dátolo e Victor, Atlético goleia Flamengo e mantém distância para líder Corinthians

Atlético x Flamengo
Há onze jogos para o fim do Campeonato Brasileiro, os três pontos somados na goleada de 4 a 1 contra o Flamengo no Independência foi vital para o Atlético se manter na disputa pelo título e apagar a tragédia, na derrota de 4 a 0 para o Santos, na rodada da semana. Com 52 pontos somados, o Galo está a cinco pontos do líder Corinthians e acumula uma vantagem de quatro pontos sobre o Grêmio que segue na terceira colocação.
.
Num jogo de grande volume o Atlético deu velocidade à partida e total domínio em jogadas aéreas. O Galo se impôs com os lançamento aéreos que foram fatais para o Flamengo, com três gols de cabeça, um contra de Marcelo e dois de Jemmerson. Os  heróis da partida foram o zagueiro Jemmerson que marcou duas vezes de cabeça e o camisa 10, .
.
Datolo, que também fez uma ótima partida, tendo participando dos quatro gols do Galo na partida, e assinando uma verdadeira pintura no segundo tempo.
.
Mérito também para o goleiro Victor, que defendeu um pênalti cobrado por Alan Patrick. Para Luan, a defesa do “Santo”. “Temos que enaltecer o Victor que pegou o pênalti e agradecer ao Datolo que foi fundamental nessa vitória”, disse o atacante ao fim da partida.
.
Protagonista na vitória, Datolo explicou a importância do quarto gol. “O gol serve pra briga pelo campeonato. Hoje jogamos com o coração e agradecemos ao torcedor que compareceu. O time vai lutar até o fim”, aponta o argentino, que também destacou que se sente melhor jogando como meia, que é sua posição de origem.
.
Primeiro tempo
.
O Atlético entrou em campo com a obrigação de reduzir a vantagem de pontos do Corinthians. Com toque de bola rápido, o Galo iniciou a partida pressionando dando trabalho para o goleiro Paulo Victor já nos três primeiros minutos de jogo. Mas quem mostrou melhor futebol foi Flamengo que aos nove minutos Marcelo Cirino entrou sozinho na grande área e sofreu pênalti de Victor. Alan Patrick bateu no canto esquerdo e Victor defendeu. No entanto, nos quinze primeiro minutos chegou quatro vezes ao gol do Galo, com um pênalti perdido e um tiro certeiro de Paulinho.
.
O time do Atlético teve dificuldades para concretizar jogadas com bola no chão, mas soube aproveitar bem as jogadas aéreas. Tanto que o gol que abriu o marcado só saiu num erro de Marcelo que antecipou lançamento de Datolo para Luan e cabeceou para dentro do gol de Paulo Victor, aos 16 minutos.
.
Na metade do primeiro tempo, com o placar igual, o rubro-negro contava seis finalizações, enquanto o Atlético ainda não tinha conseguido bater para o gol. Grande parte do êxito do time carioca deve ser creditado a Guerrero, que fez um excelente jogo e explorando muito bem as os espaços deixados de Douglas Santos na lateral esquerda, que não estava numa tarde inspirada.
.
A sorte do Galo começou a mudar aos 25 minutos, quando Jemmerson recebeu cruzamento de Datolo e bateu de cabeça, ampliando o mercador no Independência. Depois do segundo gol, o Galo voltou a mandar no jogo e aos 29 minutos Marcos Rocha lança para Luan, que com o a mão domina, mas chuta em cima de Paulo Victor.
.
Mesmo em desvantagem o Flamengo continuou apertando a defesa alvinegra. Aos 41 minutos Cirino levou susto para a defesa ao driblar Victor, mas Douglas Santos tirou para escanteio. Quase no finalzinho, o Flamengo subiu em peso para a grande área atleticana e bola ficou ciscando, mas a defesa do Galo conseguiu tirar a bola.
.
O Atlético errou muito e permitiu que o time de Oswaldo de Oliveira tivesse mais facilidade para finalizar e ter maior posse de bola. Foram 20 passes errados do Atlético, contra 13 do Flamengo, que por sua vez finalizou sete vezes, contra quatro do Galo.
.
Segundo tempo
.
Na etapa complementar as duas equipes voltaram sem alterações. O Galo voltou mais atento, e em menos de dois minutos Luan quase marca de cabeça. Com a defesa melhor estruturada o time do Atlético travou o avanço do Flamengo. Aos nove minutos, Datolo cobra escanteio e Jemmerson manda uma cabeçada indefensável para Paulo Victor e amplia, marcando o terceiro do Galo.
.
O time carioca abriu para tentar reduzir a desvantagem, mas teve dificuldades em armar jogadas de ataque. Daí em diante ficou fácil para o Galo administrar a partida. A dupla Datolo e Jemmerson estava impossível. Aos 20 minutos numa cobrança de falta, o argentino lançou para o zagueiro e que chegou mal e mandou para fora.
.
Depois de servir tão bem ao companheiro, Datolo literalmente entorta o zagueiro Pará, passando a bola por debaixo de suas pernas, e solta uma bomba com endereço certo para o desespero de Paulo Victor que só assistiu a redonda morrer no fundo da rede, ao 25 minutos da etapa complementar.
.
Aos 31 minutos, Luan pega a sobra de uma cabeçada de Leo Silva, numa cobrança de escanteio, e bate forte. Paulo Victor estica todo e tira com o pé, evitando o quinto gol do Galo. Daí em diante o Galo, com o jogo liquidado, passou a administrar o restante da partida. o Flamengo continuou pressionando para tentar reduzir o prejuízo.
.
No sábado o Atlético enfrenta o Joinville, às 16 horas na Arena Joinville. Já o Flamengo recebe, no domingo, o Palmeiras, no Maracanã, às 16 horas.
.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO  X  FLAMENGO
ATLÉTICO: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Rafael Carioca; Douglas Santos, Leandro Donizete, Lucas Pratto (Carlos) e Datolo (Josué); Thiago Ribeiro (Patrick) e Luan TÉCNICO: Levir Culpi
FLAMENGO: Paulo Victor; Pará, Marcelo, Samir e Everton; Márcio Araújo, Canteros, Marcelo Cirino (Enderson) e Guerrero (Kayke); Alan Patrick (Almir) e Paulinho TÉCNICO: Oswaldo de Oliveira
GOLS: Marcelo (contra) aos 16’do primeiro tempo, Paulinho (18′), Jemmerson (25′); Jemmerson aos 9′ do segundo tempo, Datolo (25′)
DATA: 20 de setembro 2015
MOTIVO: Jogo válido pela 27ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro
ESTÁDIO: Arena Independência
LOCAL: Belo Horizonte
ÁRBITRO: Sandro Meira Ricci (FIFA-SC)
ÁRBITROS ASSISTENTES:  Emerson Augusto de Carvalho (FIFA-SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA-SP)
PÚBLICO:  20.203 pagantes
RENDA:  R$ 951.860
CARTÕES AMARELOS: Victor, Luan (ATLÉTICO); Everton, Canteros (FLAMENGO)
.

Cruzeiro bate concorrente direto contra o Z-4 e respira no Brasileirão

Cruzeiro x Chapecoense

.

O Cruzeiro não ficou nem um minuto na zona de rebaixamento e graças a Fabiano, que abriu o marcador para o time celeste aos 11 minutos do primeiro tempo, na vitória de 2 a 0 contra a Chapecoense, na Arena Condá, em Chapecó (SC). Com a vitória, o time de Mano Meneses chegou a 33 pontos e se afastou do Z4 na 13ª posição da tabela, empurrando o time de Chapecó para primeira vaga da zona da degola e encerrou um jejum de três jogos sem vitória.
 .
Apesar do bom resultado, o time da Toca da Raposa não fez um boa partida. O time continuou errando muito e desperdiçando as falhas da equipe catarinense que poderiam definir a partida ainda no primeiro tempo. A sorte do time da Toca da Raposa foi que a Chapecoense também fez um jogo horroroso, com erros de fundamentos, falta de domínio, dentre outras falhas que justificam a entrada do time na zona de rebaixamento e sua incapacidade de vencer em casa, mesmo com o rival jogando com um jogador a menos.
 .
Para Charles, jogar desfalcado, mostrou que o time foi corajoso. “Jogar em Chapecó é sempre é difícil, e com um a menos fica mais complicado. Mas fomos aguerridos e conseguimos garantir a vitória”, comentou
 .
O meia Willian também valorizou a determinação do time em segurar o resultado com apenas dez jogadores em campo. “Valeu a pena o esforço e a entrega de todo mundo. Aqui a pressão é grande e jogar com um a menos é difícil. Mas estávamos bem ajustados e conseguimos suportar a pressão. Agora resta descansar e preparar para a partida contra o Coritiba”, explica o “Bigode”.
 .
Primeiro tempo
 .
Os primeiros 10 minutos de jogo de uma mostra de que a partida não teria grandes emoções, mas aos 11 minutos Fabiano mandou uma pedrada contra o gol de Danilo e abriu o marcador. Dois minutos depois Willian pegou a sobra e bateu forte, de fora da grande área, mas Danilo conseguiu mandar para escanteio.
 .
Com um excesso de erros, tanto pelo lado do Cruzeiro, assim como pelo lado da Chapecoense, aos 23 minutos, Willian numa cobrança de falta, lançou para a pequena área e o zagueiro Rafael Lima, na tentativa de tirar a bola, deslocou Danilo e marcou contra, ampliando para o Cruzeiro.
 .
A partida continuou fraca tecnicamente, com erros constantes de passes, em ambas as equipes. A melhor oportunidade da Chapecoense aconteceu por volta dos 37 minutos, quando Wilian Barbio subiu pela direita e chutou cruzado, quase na linha de fundo. Fábio foi certeiro e impediu que o escrete catarinense reduzisse a desvantagem.
 .
Nos acréscimos, Bruno Silva manda um bicicleta, na pequena área, e bate na trave para o alívio de Fábio, que não tinha conseguido chegar na bola. A jogada deu fôlego para a Chapeconse que manteve a pressão próximo à meta cruzeirense até o árbitro encerrar o primeiro tempo aos 49 minutos.
 .
Segundo tempo
 .
A etapa final somente a Chapecoense voltou com alterações. Guto Ferreira sacou Gil e Tiago Luis, para a entrada de Camilo e Wagner, na ordem. O jogo manteve o nível técnico fraco, com um Cruzeiro com postura descompromissada, com Willians cometendo erros excessivos e, inclusive ter sido o primeiro a levar Cartão Amarelo, por indisciplina ao jogar a bola para fora após o árbitro dar lateral para a Chapecoense. Já os donos da casa não conseguiam armar jogadas, com um toque de bola morno, como se estivessem vencendo e gastado tempo.
 .
Sem conseguir finalizar, o Cruzeiro continuou apostando em chutes de fora da área, como fez Charles, por volta dos 15 minutos, mas sem resultado.
 .
Aos 23 minutos Willians, que fez uma partida lastimável, puxa a perna de Camilo e é expulso. Na sequência Uillian Correia fez sua estreia, entrando no lugar de Ariel, que sentiu a perna. Com a vantagem de ter um homem a mais, a Chapecoense iniciou uma ofensiva para tentar reverter o quadro.
 .
Os catarinenses assumiram o controle do jogo, com domínio quase pleno da bola. No entanto, sem conseguir espaço para finalizar.
 .
Por volta  dos 30 minutos, Alisson cai em campo e pede para sair. Guto Ferreira reclamou aos berros que Mano Menezes tinha mandado o jogador desabar em campo, para o Cruzeiro gastar tempo. O técnico cruzeirense retrocou e reclamou com o quarto árbitro que o colega estava falando o que não devia. Passado o bate-boca, Marquinho substitui Alisson, que saiu de maca.
 .
A estratégia cruzeirense para manter o resultado foi se arrastando até os final do jogo, com jogadores caindo em campo a cada contato físico.
 .
O melhor lance da etapa final foi com garoto Marcos Vinícius, que numa jogada individual se livrou de dois marcadores e bateu, mas a bola foi desviada pela defesa, saindo em linha de fundo.
 .
No domingo o Cruzeiro enfrenta do Coritiba em Curitiba, às 18h30, na chamada partida de seis pontos, já que os dois clubes estão empatados em número de pontos, mas o time celeste leva vantagem de de contabilizar uma vitória a mais.
 .
FICHA TÉCNICA
 .
CHAPECOENSE  X  CRUZEIRO
 .
CHAPECOENSE: Danilo; Caramelo, Rafael Lima, Thiego e Dener Assunção; Elicarlos (Cleber Santana), Bruno Silva, Gil (Camilo) e Tiago Luis (Wagner); Wiliam Barbio e Bruno RAngel TÉCNICO: Guto Ferreira
 .
CRUZEIRO: Fábio; Fabiano, Manoel, Paulo André e Fabrício; Willians, Charles, Ariel Cabral (Uillian Correia) e Alisson (Marquinhos); Allano (Marcos Vinícius) e Willian TÉCNICO: Mano Meneses
 .
GOLS: Fabiano aos 11′ do primeiro tempo, Rafael Lima (contra) (23′)
DATA: 20 de setembro 2015
MOTIVO: Jogo válido pela 27ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro
ESTÁDIO: Arena Condá
LOCAL: Chapecó
ÁRBITRO: Wagner do Nascimento Magalhães (CBF-RJ)
ÁRBITROS ASSISTENTES:  Rodrigo Henrique Correa (FIFA-RJ) e Luiz Cláudio Regazone (CBF-RJ)
CARTÕES AMARELOS: Wagner, Willian Barbio (CHAPECOENSE); Willians (CRUZEIRO)
CARTÃO VERMELHO: Willians
PÚBLICO: 5.915 pagantes
RENDA: R$ 61.695
.
FONTE: Hoje Em Dia.

1 – Na reestreia de Luxemburgo, Cruzeiro bate o Flamengo no Mineirão e deixa zona da degola

2 – Com ataque envolvente, Galo passa fácil pelo Avaí na Ressacada e entra no G4 do Brasileirão

Com gol do zagueiro Manoel, Raposa vence pela primeira vez no Brasileirão

Rodrigo Clemente/EM/D.A Press

Comandante do Cruzeiro no ano mais vitorioso do clube, Vanderlei Luxemburgo inciou sua segunda passagem pela Toca da Raposa com triunfo. Em atuação que se destacou mais pelo empenho do que pela técnica, a equipe celeste derrotou o Flamengo, por 1 a 0, no Mineirão. O gol foi marcado pelo zagueiro Manoel após cobrança de escanteio.

Com a primeira vitória no Brasileirão, o Cruzeiro deixa a zona de rebaixamento. Agora, Luxemburgo tentará manter o embalo da equipe em clássico contra o Atlético. O principal duelo do futebol mineiro será disputado neste sábado, às 18h30, no Independência.
.

Em sua volta ao Cruzeiro depois de 11 anos, Luxemburgo reestreou sem nem sequer ter treinado a equipe. Contratado para substituir Marcelo Oliveira, Luxa chegou a Belo Horizonte na manhã desta quarta-feira, foi apresentado na Toca da Raposa II e comandou a equipe no Mineirão.
.
Luxemburgo manteve a base utilizada por Marcelo Oliveira, e o início não foi animador. Com muitos erros de passe, o Cruzeiro encontrou dificuldades diante do Flamengo. Porém, o Rubro-negro também pouco ameaçou.
.
O rendimento cruzeirense melhorou a partir da metade final do primeiro tempo. Com chutes de fora da área, Willian e Henrique exigiram defesas de Paulo Victor. O goleiro flamenguista foi decisivo, principalmente, quando Marquinhos aproveitou que Samir escorregou na entrada da área. Na tentativa de drible do camisa 30, o arqueiro conseguiu desarmá-lo e ainda defendeu o rebote de Leandro Damião.
.
Aos 11 minutos da etapa final, Willian teve grande chance para o Cruzeiro, enfim, abrir o placar. Com chute de primeira, dentro da área, o atacante “do bigode” bateu rente à trave direita. Já o Flamengo ameaçou com cabeceio de Samir sobre o travessão e com finalização de Paulinho após giro na grande área.
.
A rede foi balançada aos 32 minutos. Alisson, que havia substituído Gabriel Xavier, cobrou escanteio da direita, Manoel subiu mais alto que a defesa do Flamengo e testou com força: 1 a 0.
.
Fábio ainda evitou que o Rubro-negro conseguisse o empate ao fazer grande defesa em cabeceio de Gabriel.
.
Cruzeiro 1 x 0 Flamengo
.
Cruzeiro
Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo, Manoel e Pará; Charles e Henrique; Marquinhos, Gabriel Xavier (Alisson, aos 14′ do 2ºT) e Willian (Allano, aos 23′ do 2ºT); Leandro Damião (Henrique Dourado, aos 26′ do 2ºT)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
.
Flamengo

Paulo Victor; Pará, Wallace, Samir e Anderson Pico (Luiz Antônio, no intervalo); Jonas, Márcio Araújo e Everton; Marcelo Cirino (Gabriel, aos 22′ do 2ºT), Alecsandro e Paulinho
Técnico: Cristóvão Borges
.
Gol: Manoel, aos 32′ do 2º tempo
.
Motivo: Quinta rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 3 de junho (quarta-feira)
Estádio: Mineirão
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Assistentes: Herman Brunel Vani (SP) e Alex Ang Ribeiro (SP) 
Cartão amarelo: Alecsandro (Flamengo); Bruno Rodrigo (Cruzeiro)
.
Pagantes: 12.071
Presentes: 13.309
Renda: R$ 453.633,00
.

Alvinegro aplicou 4 a 1 nos catarinenses pela quinta rodada do campeonato

CRISTIANO ESTRELA/Diario Catarinense

.
A formação ousada de Levir Culpi mais uma vez deu resultado. Com um ataque envolvente, de muita movimentação e troca de passes, o Atlético não teve dificuldades para superar o Avaí na Ressacada, em Florianópolis, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. O Galo goleou os catarinenses por 4 a 1, gols de Carlos (2), Antonio Carlos (contra) e Lucas Pratto. André Lima descontou para os donos da casa.
.
O resultado levou o Atlético para o G4 da competição. O time ocupa a terceira colocação, com 10 pontos. Na próxima rodada, o Galo vai receber o arquirrival Cruzeiro no Independência. 
.
O Jogo
.
Sem Dátolo, vetado, o técnico Levir Culpi optou pela entrada de Carlos e manteve a formação com apenas um volante de ofício. O Atlético manteve também a postura agressiva. Frente a uma defesa que ‘bateu-cabeça’ em vários momentos, o Galo construiu uma vitória tranquila na Ressacada.
.
Com a movimentação característica de seu ataque, o Atlético abriu o placar logo aos 12 minutos. Depois do cruzamento de Luan, a bola sobrou para Giovanni Augusto. O meia bateu forte, o goleiro Vagner não segurou e Carlos mandou para as redes: 1 a 0.
.
Onze minutos depois, foi a vez de Thiago Ribeiro participar. Após o escanteio, a bola sobrou para o atacante chutar. Vagner espalmou em cima de Antonio Carlos e foi para o dentro do gol: 2 a 0.
.
O Galo ainda teve duas ótimas oportunidades para ampliar no primeiro tempo. Aos 36 minutos, novo cruzamento de Luan e nova sobra de bola, desta vez, para Giovanni Augusto. De frente para oGOL, o armador concluir por cima do travessão. Quatro minutos depois, Luan lançou Lucas Pratto. O argentino dominou no peito, passou pelo goleiro, mas finalizou na trave.
.
Na etapa final, o ritmo atleticano caiu no começo. O Avaí buscou mais o ataque, porém, pouco ameaçou a meta do goleiro Victor.
.
Já o Galo soube aproveitar a boa jogada criada aos 22 minutos. Depois da troca de passes, Luan achou Patric aberto na direita. O lateral cruzou e Lucas Pratto completou: 3 a 0. O Avaí descontou aos 29 minutos, com André Lima, de cabeça, após escanteio. 
.
Os catarinenses ainda se reorganizavam quando Pratto deixou Patric na cara doGOL. O goleiro Vagner salvou. Na sequência, outra jogada envolvente do ataque alvinegro. Carioca rolou para Maicosuel, que cruzou para o gol de Carlos: 4 a 1.
.
Avaí 1 x 4 Atlético
.
Avaí
Vagner; Nino Paraíba, Jeci, Antonio Carlos e Romário; Eduardo Neto, Renan (André Lima), Pablo e Marquinhos; Anderson Lopes e Hugo (Roberto).
Gilson Kleina
.
Atlético
Victor; Patric, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Rafael Carioca, Luan (Maicosuel), Giovanni Augusto (Dodô), Carlos e Thiago Ribeiro (Leandro Donizete); Lucas Pratto.
Técnico: Levir Culpi
.
Gols: Carlos, 12min 1ºT; Antonio Carlos, 23min 1ºT (contra); Pratto, 22min 2ºT; André Lima, 29min 2ºT; Carlos, 31min 2ºT
.
Motivo: 5ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Ressacada, em Florianópolis (SC)
Data: 03/06/2015
.
Árbitro: Pablo dos Santos Alves – PB (ESP-2)
Assistentes: Pablo dos Santos Alves – PB (ESP-2) e Marcio Freire Lopes – PB (CBF-2)
.
Cartão amarelo: Leonardo Silva, Rafael Carioca (ATL); Renan, Antonio Carlos, Anderson Lopes (AVA)
.
Pagantes:
 7.101
Renda: R$ 102.460,00

.
FONTE: Estado de Minas.

Fernando Pimentel (PT) é eleito governador de Minas Gerais

Ex-ministro e ex-prefeito de BH venceu Pimenta da Veiga (PSDB).
Pimentel teve 52,98% dos votos e decidiu a eleição no primeiro turno.

Fernando Pimentel, o novo governador de Minas, comemora vitória no comitê central da campanha em Belo Horizonte (Foto: Humberto Trajano / G1)
Fernando Pimentel, o novo governador de Minas, comemora vitória no comitê central da campanha em Belo Horizonte

Fernando Pimentel, do PT, foi eleito neste domingo (5) governador de Minas Gerais para os próximos quatro anos. Com 100% das urnas apuradas, o petista obteve 5.362.870 votos, o que equivale a 52,98% do total. Pimenta da Veiga (PSDB) é o segundo colocado com 4.240.706, isto é, 41,89%.

Esta é a primeira vez que o PT elege um governador em Minas Gerais desde a criação da legenda. Ele substitui Alberto Pinto Coelho (PP), que assumiu o governo do estado em abril, após renúncia de Antonio Anastasia – que deixou o cargo para se candidatar ao Senado, sendo eleito.

Após a vitória no pleito, Pimentel afirmou que o resultado aponta a vontade do povo em mudar o modo de governar o estado. “Nós temos um enorme senso de responsabilidade que Minas depositou agora na nossa coligação, na nossa chapa, na esperança de uma mudança no modo de governar o estado. Minas disse em alto e bom som, pela voz das urnas, que quer um governo mais próxima das pessoas”, afirmou, cercado de candidatos a deputado pelo partido e coligação. O clima era de festa pela vitória.

“Este resultado das urnas mostra aquilo que a gente dizia desde o início da campanha. Minas não tem dono, não tem rei, não tem imperador. Aqui, soberano é o povo de Minas. O povo de Minas deu uma lição naqueles que pretendiam ser soberanos, donos do voto e da vontade alheia”, disse Pimentel durante coletiva no prédio do comitê central da campanha.

Lideranças políticas comemoram vitória de Pimentel (Foto: Humberto Trajano / G1)Lideranças políticas comemoram vitória de
Pimentel

Pimentel listou algumas providências que vai tomar como prioritárias ao assumir o posto de governador em 1º de janeiro de 2015. “Primeiro nós vamos construir rapidamente um mecanismo de participação popular que a gente apresentou na campanha, ao longo da campanha. Que são os conselhos regionais de governo (…) Logo no primeiro mês de governo, constituir estes conselhos e rapidamente definir as prioridades.”, disse.

Ele ainda citou temas prioritários na educação, saúde e segurança. “É claro que nós temos que considerar as disponibilidades orçamentárias, mas nos temos que começar a enfrentar as questões urgentes da educação, da saúde, da segurança né. Aumentar o efetivo da polícia, recuperar a carreira da Policia Civil, que está muito desestimulada, reequipar a polícia”, prometeu.

Pimentel também citou a questão do piso nacional dos professores e de reforma das escolas estaduais. Sobre a saúde ele destacou a viabilização dos hospitais regionais.

O novo governador ainda ressaltou a coligação e os deputados estaduais e federais eleitos. “Este governo não é um governo do PT, é um governo de uma coligação de partidos, um governo do povo de Minas” afirmou.

 

Mapa eleições de MInas Gerais (Foto: Arte/G1)Mapa eleições de MInas Gerais (Foto: Arte/G1)

Pimenta da Veiga
O candidato do PSDB Pimenta da Veigafalou, em Belo Horizonte, sobre a eleição do Pimentel, reconhecendo o resultado. Primeiro, ele agradeceu aos eleitores mineiros que o apoiaram. Pimenta disse que a eleição foi muito positiva porque ele conseguiu uma votação muito grande. “Conseguimos expor nossas ideias, foi uma campanha digna. Deixo meu agradecimento sincero aos mineiros”, disse.

Pimenta ainda disse que deseja que Pimentel tenha “muito sucesso nessa missão que o povo mineiro a ele delegou”. E completou, dizendo que está “inteiramente à disposição dele para o que ele precisar”.

Pimenta da Veiga disse que agora vai seguir a vida, mas sem desejo de ter alguma candidatura por enquanto.

Biografia
Fernando Pimentel é natural de Belo Horizonte e tem 63 anos. Economista, foi secretário municipal de Planejamento da capital, vice-prefeito de Célio de Castro e prefeito por duas vezes, sendo que na primeira assumiu a prefeitura quando Castro adoeceu. Em fevereiro, deixou o cargo de ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do governo Dilma para concorrer neste pleito.

Propostas
Entre as propostas apresentadas pelo então candidato do PT para o governo estão o investimento na educação infantil e na escola integral, aumentar o número de hospitais regionais, ampliar o efetivo da Polícia Militar, ampliar coleta de água e esgosto, estimular o transporte elétrico e sobre trilhos, universalizar o ensino profissionalizante, implementar nova política fiscal, facilitar o crédito para moradia, construção do eixo-rodoviário entre Belo Horizonte e cidades-polo, estimular o uso do gás natural como política ambiental.

Campanha
A campanha eleitoral em Minas Gerais foi marcada pela tranquilidade. Fernando Pimentel liderou as pesquisas eleitorais desde o início.

Os embates entre os principais concorrentes, Pimentel e Pimenta, giraram sobre denúncias de corrupção no governo da presidente Dilma Rousseff, do mesmo partido do governador eleito, e, do outro lado, sobre o distanciamento de Pimenta do estado. Pimentel disse que o candidato do PSDBnão mora mais no estado há 20 anos, e, portanto, está distante da vida dos mineiros.

Resultado final
Sete candidatos concorreram ao governo de Minas Gerais. Veja o resultado abaixo com 100% das urnas apuradas.

Fernando Pimentel (PT) – 52,98% dos votos
Pimenta da Veiga (PSDB) – 41,89%
Tarcísio Delgado (PSB) – 3,90%
Fidélis (PSOL) – 0,67%
Professor Túlio Lopes (PCB) – 0,26%
Eduardo Ferreira (PSDC) – 0,23%
Cleide Donária (PCO) – 0,07%

FONTE: G1.


Time faz 4 a 1 no Tricolor e confirma a classificação às quartas da Libertadores

Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press

Ronaldinho e cia divertiram a massa na noite desta quarta-feira. O Atlético atropelou o São Paulo no Independência. Aplicou 4 a 1 no Tricolor e sacramentou a classificação às quartas de final da Copa Libertadores. Jô, marcando três vezes, e Tardelli despacharam o São Paulo do torneio.

O Alvinegro aguarda a definição do confronto entre Palmeiras e Tijuana-MEX para conhecer o próximo adversário. O jogo de ida, no México, ficou 0 a 0.

Antes, o Galo volta as atenções para a decisão do Campeonato Mineiro. No domingo, o time inicia a disputa contra o arquirrival Cruzeiro.

Rodrigo Clemente/EM/D.A Press

No embalo da massa

O caldeirão ferveu. Nas arquibancadas do Independência, a torcida ditou o ritmo. No campo, o time do Atlético seguiu o tom. Os primeiro minutos de jogo foram minutos de abafa. O São Paulo caía no Horto.

Assim que o árbitro uruguaio Roberto Silveira autorizou o início da partida, o Galo mostrou o cartão de visitas. Depois do tradicional lançamento para o ataque, o Alvinegro trocou passes e Jô finalizou por cima do gol. No lance seguinte, Ronaldinho sofreu falta na entrada da área. O camisa 10 cobrou e carimbou o travessão tricolor.

A explosão da torcida foi aos 17 minutos. Diego Tardelli tocou para Bernard, a bola sobrou para Jô, que fuzilou o goleiro Rogério Ceni: 1 a 0.

Depois do gol, o Atlético deixou o ritmo cair. O time passou a trocar mais passes. O São Paulo criou suas chances. Na melhor delas, aos 25 minutos, o goleiro Victor dividiu com Ganso e evitou o empate paulista.

O Galo voltou a tirar o sono da defesa são-paulina. Aos 30 minutos, Ronaldinho levantou a bola na área, Jô desviou e Ceni salvou. Quatro minutos depois, uma oportunidade incrível foi desperdiçada. Leandro Donizete cruzou e Tardelli, livre, cabeceou para fora. Aos 36, Jô tocou para trás, Bernard dominou, chutou e Rafael Toloi salvou em cima da linha.

Na etapa final, o pesadelo tricolor teve seu pior momento. Depois de Jô acertar o travessão, Bernard errar o chute de frente para o gol e Ronaldinho quase marcar de falta, Jô voltou a balançar as redes aos 17 minutos, depois de linda assistência de Bernard.

O São Paulo se perdeu em campo. No minuto seguinte, Réver deu o chutão, Toloi e Ceni vacilaram e Tardelli fez 3 a 0. Já aos 24, Ronaldinho invadiu a área, olhou para um lado, tocou para outro e Jô não perdoou: 4 a 0.

O tricolor marcou o gol de honra aos 30 minutos. Carleto chutou forte, o goleiro Victor espalmou, a bola bateu na cabeça de Luis Fabiano e entrou.

O Atlético quase ampliou aos 35 minutos. Ronaldinho Gaúcho lançou Tardelli, que finalizou e Ceni defendeu. No minuto seguinte, o craque alvinegro por pouco não fez um golaço. R10 esbanjou categoria, fez fila na defesa do São Paulo e chutou rente à trave. Foi a diversão final.

Já no fim da partida, Rosinei se desentendeu com Carleto e ambos acabaram expulsos.

ATLÉTICO 4 X 1 SÃO PAULO

ATLÉTICO
Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Réver e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete (Josué), Diego Tardelli (Rosinei), Ronaldinho e Bernard (Luan); Jô. Técnico: Cuca.

SÃO PAULO

Rogério Ceni; Paulo Miranda (Silvinho), Rafael Toloi, Edson Silva e Carleto; Wellington, Denilson (Ademilson), Ganso e Jadson (Maicon); Douglas e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco.

Motivo: Jogo de volta das oitavas de final da Libertadores
Estádio: Independência, em Belo Horizonte
Data: 8 de maio de 2013

Gols: Jô, 17min 1ºT, 17min e 24min 2ºT; Tardelli, 18min 2ºT; Luis Fabiano, 30min 2ºT

Árbitro: Roberto Silveira (URU)
Assistentes: Carlos Pastorino e Gabriel Popovits (URU)

Cartão amarelo: 
Denílson, Jadson (SAO); Donizete, Tardelli, Ronaldinho (ATL)
Cartão vermelho: Carleto (SAO); Rosinei (ATL)

Cruzeiro goleou no primeiro e se garantiu na final com triunfo por 1 a 0 no Mineirão

Ramon Lisboa/EM/D.A Press

O Cruzeiro entrou em campo sem sete titulares e o time formado praticamente por reservas demorou para engrenar contra o Villa Nova, no Mineirão. Mesmo assim, a equipe mostrou mais disposição para buscar o campo de ataque do que o adversário, que precisava golear para sonhar com uma vaga na final do Mineiro. A vantagem de 4 a 0, conquistada no duelo em Nova Lima, fez com que o time celeste dominasse as ações, apesar de apresentar uma intensidade menor em relação a outras ocasiões.

Depois de um primeiro tempo apagado, o Cruzeiro fez o gol da vitória na parte final. Em bela cobrança de falta, Egídio acertou o ângulo de William Nobre e garantiu a vitória celeste por 1 a 0. Jogadores como Dagoberto, Everton Ribeiro e Nilton fizeram falta ao esquema de Marcelo Oliveira. Eles, além de Ceará, Leo, Everton e Fábio foram poupados por causa da final do Estadual.

A missão complicada do Leão do Bonfim poderia ser compensada com outros atrativos. Uma vitória por diferença mínima, mesmo sem garantir uma vaga na final, valia para a equipe o título simbólico de campeão do interior, além de uma vaga na Copa do Brasil de 2014. Porém, com o resultado, o Tombense foi o beneficiado.

As finais do Campeonato Mineiro estão marcadas para os dias 12 e 19 de maio. O primeiro jogo será no Independência, com apenas 10% dos ingressos reservados para a torcida celeste. O duelo final será no Mineirão, mas com a inversão do mando de campo são os torcedores do Galo que ficam com o percentual menor de presentes. O Cruzeiro tem a vantagem de jogar por dois resultados iguais por ter feito a melhor campanha da primeira fase.

Primeiro tempo

Apesar da vantagem de quatro gols, o Cruzeiro começou a partida com vontade de balançar as redes. A primeira ameaça ao gol de Nobre veio de Lucas Silva, aos três minutos, em lance que obrigou o goleiro a espalmar para escanteio. O Villa levou perigo em jogada de linha de fundo, mas a defesa atrapalhou a finalização.

Aos oito minutos, o Leão foi obrigado a mexer na defesa. Com a lesão sentida por Evaldo, o jogador João Paulo entrou em seu lugar. Com isso, Cléber Monteiro foi deslocado para a defesa.

Depois de alguns minutos de jogo morno, o Cruzeiro quase abriu o placar após troca de passes. O lateral Egídio recebeu passe, na medida, e o arremate passou ao lado da trave de William Nobre.

Com sete titulares poupados e larga vantagem no placar agregado, a equipe celeste não demonstrava o mesmo ímpeto de outros jogos. Em jogada pela direita, Goulart quase alcança cruzamento de Tinga. Em outro lance de perigo, o atacante Borges mostrou disposição para roubar a bola do zagueiro, mas o passe foi interceptado.

A necessidade de golear o adversário para conseguir uma vaga na decisão não foi condizente com a postura do Villa Nova nos 30 primeiros minutos. Preso a marcação celeste, o time de Nova Lima chegou poucas vezes ao gol de Rafael.

O meia Diego Souza chegou a marcar para os donos da casa, aos 33, mas o auxiliar marcou impedimento. O gol anulado ‘nasceu’ após jogada de bola parada, em cruzamento que veio da direita. Na sequência, a torcida quase viu o primeiro gol do jogo. Borges aproveitou o erro de passe na saída de bola e finalizou, mas acertou trave.

O Leão do Bonfim deixou para atacar, pela segunda vez no duelo, no fim do primeiro tempo. Maurim tocou para o meio, e Eraldo girou, mas a bola foi para fora.

Segundo tempo

A expectativa do público presente no Mineirão é que a postura das equipes fosse mais agressiva na segunda etapa. O Cruzeiro começou marcando no campo de ataque e o Villa teve dificuldade para sair jogando.

O Cruzeiro tentou ser mais efetivo, mas apresentou erros nos passes finais. O Villa respondeu com um chute de longa distância, mas sem problemas para Rafael. Os visitantes perderam outro jogador por lesão. O lateral Maurim sentiu e entrou Renan Rodrigues.

Aos 14, o técnico Marcelo Oliveira decidiu sacar dois dos titulares remanescentes na equipe. Diego Souza e Guerreiro saíram para as entradas de Ananias e Élber. O gol celeste foi por meio de bola parada. O lateral Egídio cobrou com precisão e abriu o placar: 1 a 0. O jogador foi um dos reservas que ganhou a chance de jogar nesta quarta-feira.

O único titular do Cruzeiro mantido no segundo tempo foi Bruno Rodrigo. Os demais que entraram, foram substituídos pelo técnico. Egídio quase marcou em outro lance de falta, mas o goleiro salvou.

Cruzeiro 1 x 0 Villa Nova

Cruzeiro:
Rafael, Mayke, Bruno Rodrigo, Paulão e Egídio; Leandro Guerreiro (Ananias), Lucas Silva, Tinga e Diego Souza (Élber); Ricardo Goulart e Borges (Anselmo Ramon).
Técnico: Marcelo Oliveira

Villa Nova:
William Nobre; Rodrigo Rocha, Heitor, Evaldo (João Paulo) e Maurim (Renan Rodrigues); Cléber Monteiro, Marcelo Rosa, Max Carrasco e Tchô; Rafael Gomes e Eraldo
Técnico: Alexandre Barroso

Motivo: 2º jogo da semifinal do Campeonato Mineiro
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte
Data: 8 de maio de 2013, às 20h30
Gols: Egídio, aos 24 minutos
Árbitro: Wanderson Alves de Souza (MG)
Assistentes: Frederico Soares Vilarinho (MG) e Luiz Antônio Barbosa (MG)
Cartão amarelo: Rafael Gomes, João Paulo e Max Carrasco (Villa Nova)
Cartão vermelho:
Pagantes:10.965
Renda:R$ 427.755,00

FONTE: Estado de Minas.


%d blogueiros gostam disto: