Antequam noveris, a laudando et vituperando abstine. Tutum silentium praemium.

Arquivo da tag: venda nova

Defesa Civil faz nova vistoria em imóvel que desabou em Venda Nova e aponta falha estrutural

A Defesa Civil realizou no fim da manhã desta quarta-feira (2), uma vistoria complementar do imóvel que desabou no início da noite dessa terça-feira (1º), na rua Antônio Marçal Sampaio, nº 283 B, no bairro Mantiqueira, na região de Venda Nova. O levantamento, realizada com a presença do Corpo de Bombeiros e  Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de Minas Gerais (IBAPE), confirmou o parecer da primeira vistoria. O desabamento do imóvel aconteceu por motivos estruturais.

De acordo com a Defesa Civil, o novo levantamento apontou ainda que não houve nenhuma outra interferência externa, como movimentação do terreno, chuva ou deslocamento de terra. Foi constatado também, que o ocorrido não gerou danos nos imóveis da vizinhança. O proprietário da casa que desabou será notificado para a remoção de entulhos e o fechamento da área do imóvel. A vistoria complementar teve como objetivo reforçar a vistoria realizada na noite de terça, durante a movimentação do resgate, que não foi conclusiva por causa das limitações visuais provocadas pela pouca iluminação.

O acidente aconteceu durante um encontro religioso, no fim da tarde de dessa terça-feira (1º). De acordo com o Corpo de Bombeiros, nove pessoas estavam dentro do local e uma delas conseguiu sair para procurar ajuda. As outras oito vítimas tiveram ferimentos e escoriações e foram encaminhadas para os hospitais João XXIII, Risoleta Neves e UPA Norte. Quatro delas já tiveram alta. Foram resgatados também três cachorros, dois vivos e um morto.

Segundo o tenente do Corpo de Bombeiros Júlio Brant o trabalho de salvamento das vítimas foi difícil, mas todos foram resgatados com vida. “O balanço dos trabalhos é plenamente positivo. Foi uma operação difícil, que envolveu cerca de 40 militares de diversos batalhões. Como foi um acidente complexo e conseguimos tirar todos com vida, ficamos bastante satisfeitos”, comenta.

Vistoria da Defesa Civil descarta riscos aos imóveis vizinhos

Vistoria da Defesa Civil descarta riscos aos imóveis vizinhos

Leia mais:
Vítima e moradores relatam acidente e resgate a feridos do desabamento em Venda Nova
Polícia Civil de Minas investiga causas do desabamento de casa religiosa
Desabamento de casa deixa nove feridos no bairro Mantiqueira, em BH

.

FONTE: Hoje Em Dia.


Quem foi o padre que deu nome a principal rua de Venda Nova?

Caso estivesse vivo, padre Pedro Pinto teria completado 130 anos no dia três de abril. Saiba mais sobre a história dessa importante figura da regional

Um acaso do destino levou a criança Nilza, natural de Melo Viana (antigo distrito de Esmeraldas), a ter as graças de um dos párocos mais ilustres de Venda Nova: o padre Pedro Pinto.

Quando o distrito ficou sem padre por causa de um acidente, o pároco Pedro Pinto foi socorrer o amigo que estava impossibilitado de celebrar as missas. Na mesma época, ano de 1939, a mãe de Nilza pediu que o sacerdote substituto batizasse sua filha.

Como não tinham padrinhos a acompanhando, Pedro Pinto assumiu a criança como afilhada.

Nilza ficou órfã em meados de 1943, mas a mãe, antes de falecer, enviou a menina para seu padrinho, que morava em Belo Horizonte e estava responsável pela paróquia Santo Antônio de Venda Nova desde 1924.

O padre era conhecido pela grande bondade. Havia adotado vários sobrinhos e com Nilza não foi diferente. Assumiu rapidamente a criança e a instalou junto com os seus na casa paroquial.

Judith, umas das sobrinhas tuteladas pelo pároco, cuidava de Nilza e virou mãe adotivada menina.

Nos entrelaços das responsabilidades de padrinho, a figura do padre se tornou “Ti Pedro” nos lábios da criança.

Nilza cresceu marcada pela fraternidade e fé. Vivia ao lado de Judith e ajudava com as tarefas da igreja.

O padre, um eloquente orador e ousado líder, foi o primeiro entre as batinas a tirar a“Carta de Chauffeur” em Belo Horizonte. Ganhou um carro, um Ford 1928, o qual apelidou de “furreca” e subia e descia a rua Direita.

Celebrou missas na paróquia durante 29 anos, e quando a igreja estava muito velha, amarrou cordas nas paredes e na furreca, acelerou fundo e derrubou tudo.

Em seguida, ergueu as mangas e construiu um novo templo, com campanário e casa paroquial. Nos fundos, no alto da rua da Matriz, fez o cemitério.

Cuidou da criança Nilza por 10 anos. Viu a menina crescer e virar uma garota estudiosa, mas veio a falecer em quatro de maio de 1953, antes que pudesse vislumbrar o casamento da moça.

A comunidade guardou luto por muito tempo e chegou a colocar uma plaquinha com o nome do pároco na rua em frente a igreja.

Por volta de 1960, o vereador João de Paula Pires, sensibilizado pela singela homenagem, pediu a um amigo influente que mudasse o nome da rua Direita para rua Padre Pedro Pinto.

Nilza casou, teve filhos e mora até hoje ao lado da paróquia. Há, aproximadamente, 15 anos, a igreja construída pelo “Ti Pedro” foi demolida com a promessa de que um novo templo ocuparia seu lugar.

Padre Pedro Pinto, Nilza em pé e Judith e Maria no banco de trás – Década de 1950 – Via de Venda Nova

Foto aérea da paróquia Santo Antônio de Venda Nova – Cemitério no alto, cercado por muros brancos fechando um quadrado – Década de 1940

Padre Pedro Pinto faria 130 anos no dia 3 abril. Passou rápido por Venda Nova, mas mudou intensamente o lugar.

.

FONTE: Norte Livre.


Bairros de BH e Vespasiano terão fornecimento de água interrompido no domingo

 água

Bairros da Região de Venda Nova, em Belo Horizonte, e Vespasiano, na região metropolitana, terão o fornecimento de água interrompido na manhã de domingo, conforme a Copasa.

O motivo da paralisação são obras de interligação de redes no Bairro Jardim dos Comerciários. Os bairros Jardim Europa, Jardim dos Comerciários e Serra Verde, em BH, serão afetados. Em Vespasiano, a interrupção atingirá os bairros Nova Iorque e Nova Pampulha.

De acordo com a Copasa, a normalização do abastecimento ocorrerá de forma gradativa ainda na noite de domingo.

.

FONTE: Estado de Minas.


PM fecha quartel-general do tráfico em Venda Nova

 

PM

Casa de dois andares na Rua Lourival Soares de Gouvea, no Bairro Céu Azul, Região de Venda Nova, em Belo Horizonte, funcionava como uma espécie de quartel-general do tráfico de drogas. Averiguando denúncias anônimas na noite de anteontem, da intensa movimentação de criminosos no imóvel, a Polícia Militar acabou apreendendo um adolescente de 16 anos e prendeu três rapazes suspeitos de envolvimento com venda de drogas.

Na residência, militares do 204ª Companhia do 40º BPM encontraram grande quantidade de entorpecentes e materiais para embrulhar pedras de crack, bucha de maconha e papelotes de cocaína. Após a apreensão do menor J.D.T. e prisão de Gianluigi Fiuza, de 19, e Rodrigo de Oliveira Pinheiro, de 20, o Peppa, apontado de ser o líder da quadrilha, os policiais tiveram trabalho com a população local, que tentou resgatar os suspeitos das viaturas.
Os militares faziam patrulhamento pelo bairro, que fica na divisa com Ribeirão das Neves, na Grande BH, quando receberam informações sobre a atuação de traficantes na casa. As denúncias eram de que olheiros ficavam de prontidão na rua, vigiando a aproximação das viaturas. Um menor fazia o repasse das drogas aos usuários, enquanto o chefe da boca de fumo ficava no segundo andar do imóvel, de olho na movimentação, pronto para fuga.

O cabo Fabrício de Paula contou que os policiais pararam a viatura em uma rua próxima e seguiram a pé. “Surpreendemos o adolescente e o Gianluigi numa esquina. O menor correu em direção à casa, mas foi alcançado”, disse o policial. Após a prisão do Rodrigo, os três foram levados para a viatura. O líder e o menor tentaram escapar, mas foram capturados cerca de 50 metros a frente. Foi nesse momento que a vizinhança tentou resgatá-los. Foi preciso a chegada de reforço policial para conter os populares.

SABARÁ Por volta das 10h de ontem, uma adolescente de 16 anos e Thiago de Jesus Francisco, de 23, foram detidos pela PM em uma residência no Bairro Novo Alvorada, em Sabará, Grande BH, também por suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas. O casal também foi alvo de denúncias anônimas. Eles estariam usando a residência onde vivem para comercializar maconha, cocaína e pedras de crack. No imóvel, militares encontraram 29 pinos de cocaína e porções de maconha.

FONTE: Aqui.


Chuva forte atinge Belo Horizonte e Região nesta terça-feira

Av. Vilarinho ficou alagada e pessoas ilhadas sobre carros, diz Defesa Civil.
Órgão emitiu alerta para chuvas até a manhã desta quarta-feira.

Chuva alagou a Avenida Vilarinho, em Belo Horizonte, no início da noite desta terça-feira em Belo Horizonte (Foto: Fabiana Cortes Oliveira/ Arquivo Pessoal)
Chuva alagou a Avenida Vilarinho, em Belo Horizonte, no início da noite desta terça-feira em Belo Horizonte

Belo Horizonte e cidades da Região Metropolitana foram atingidas por uma forte chuva no fim da tarde e noite desta terça-feira (27). A região mais afetada foi a de Venda Nova, segundo a Defesa Civil da capital mineira.

Segundo o meteorologista Arthur Chaves, da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a média de chuva em outubro, em Belo Horizonte, é de 141 milímetros. O volume registrado na Região de Venda Nova é de cerca de 40 por cento do esperado.

Os militares também receberam um chamado sobre uma casa alagada no bairro Céu Azul, na Região da Pampulha. No local, uma mulher de 68 anos foi resgatada e uma criança, segundo os bombeiros.

A Defesa Civil emitiu um alerta para chuvas localizadas com raios e rajadas vento previstos para até a manhã desta quarta-feira (28). Ainda de acordo com o órgão, pode chover de 20 a 40 milímetros neste período.

A chuva atingiu vários outros pontos da capital, deixando o trânsito ruim na volta para a casa. Segundo a Defesa Civil, choveu 35,6 mm na Região da Pampulha, 24,2mm na Nordeste e 16mm na Leste.

Recordes de temperatura

Belo Horizonte teve dias de muito calor nas últimas semanas. Dois recordes de temperatura nos últimos 105 anos foram quebrados. No dia 22, a temperatura registrada foi de 33,7°C segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). No mesmo dia, houve queda de Granizo.

Anteriormente, no dia 16, os termômetros chegaram a 37,4°C. Neste dia, a umidade chegou a níveis semelhantes ao Deserto do Saara: 12%. O recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é 60%.

FONTE: G1.


Execução e pânico em HPS
Assassinato a tiros de traficante internado espalha medo e expõe insegurança no Hospital de Pronto-Socorro Risoleta Neves, onde mulheres estavam em trabalho de parto na hora do crime

Por volta das 2h, o porteiro e o vigia foram dominados pelos criminosos, que foram direto ao 4º andar, onde a vítima estava internada (RAMON LISBOA/EM/D.A PRESS)
A execução com oito tiros de um paciente dentro do Hospital de Pronto-Socorro Risoleta Neves, em Venda Nova, em Belo Horizonte, expôs a insegurança de centenas de pessoas internadas e dos funcionários. Por volta das 2h de ontem, quatro homens fortemente armados invadiram a unidade de saúde pela entrada social e renderam o porteiro e o vigia de plantão. Dois subiram ao quarto andar e foram direto ao leito 13, onde estava o traficante Jackson Douglas Santos Ferreira, de 29 anos, que foi morto com sete tiros na cabeça e um no ombro. Os assassinos fugiram. A invasão e o crime espalharam pânico no hospital, segundo testemunhas, principalmente das mulheres que estavam na maternidade, algumas, inclusive, em trabalho de parto.
.
A dona de casa Maria Antônia de Almeida Félix, de 58 anos, conta que no momento dos tiros acompanhava a filha, que estava dando à luz. “Um total desespero. As enfermeiras correram para o quarto onde a gente estava, fechando as portas e gritando para chamar a polícia. Fiquei assustada também”, lembra Maria Antônia. “Nem dentro do hospital temos segurança. Fiquei com muito medo. Minha filha estava em trabalho de parto e meu neto nasceu 15 minutos depois”, comentou a dona de casa.
.
O açougueiro Jaime Carlos da Silva, de 45, estava no segundo andar do prédio, cochilando ao lado da mulher, que havia ganhado bebê, e foi acordado por ela aos gritos. “É tiro, é tiro, é tiro, minha mulher gritava”, disse o açougueiro. “Graças a Deus os bandidos não foram ao segundo andar. Havia um tanto de recém-nascidos e várias mães com pontos na barriga, sem defesa nenhuma”, disse Jaime.
.
O autônomo Marcelo Augusto dos Santos, de 30, que também acompanhava a mulher, é amigo de um enfermeiro do hospital e soube por ele que os criminosos já sabiam onde a vítima estava. “Renderam o vigia e o porteiro e foram direto ao quarto andar, onde estava o rapaz que foi morto. Não demorou mais do que dois minutos. Já sabiam o que iriam fazer, inclusive viraram a câmara da recepção”, disse Marcelo.
.
Funcionários do hospital também estão assustados e com medo de trabalhar até durante o dia. “O risco que a gente corre lá fora é o mesmo aqui dentro. A gente entra para trabalhar e entrega a vida a Deus”, disse uma funcionária do laboratório, que pediu para não ser identificada.
.
De acordo com o boletim de ocorrência da PM, dois criminosos permaneceram na portaria, próximo aos elevadores, mantendo reféns o vigia e o porteiro. Outros dois subiram pelas escadas. Os criminosos disseram para ficarem tranquilos, pois eles estavam ali para resolver uma “rixa entre bandidos”.
.
Uma testemunha informou à PM que ouviu um dos bandidos conversando ao telefone. “Tá dominado”, teria dito. Em seguida, os outros que haviam subido as escadas desceram correndo. Os funcionários não souberam descrever os criminosos, alegando que foram mantidos de cabeça baixa o tempo todo. Um deles estava com uma faca e uma pistola. Celulares, blusas e um boné do vigia e do porteiro foram roubados. O rádio de comunicação do vigilante, que teve a bateria levada, foi jogado numa lixeira.
.
No quarto do hospital onde ocorreu o crime estavam mais dois pacientes, mas eles disseram à polícia que dormiam e não viram nada.
.
Jackson Douglas deu entrada no hospital na segunda-feira com cinco tiros. Ele deixava a casa da sua mãe, no Bairro Dona Clarice, em Ribeirão das Neves, na Grande BH, acompanhado de uma mulher, um garoto de 8 anos e um homem identificado por Pablo Hernandes Vieira da Costa. O carro dele, um Honda Fit prata, foi alvejado com vários tiros disparados de dentro de um carro branco. Pablo tentou fugir e foi morto com nove tiros. Jackson levou um tiro no pé, um na coxa, dois no abdome e um no joelho e levado para o Risoleta Neves.
.
INSEGURANÇA O Hospital Risoleta Neves repassou as imagens das câmaras de segurança à Polícia Civil. Segundo a assessoria da instituição, no momento da invasão, apenas o vigia e o porteiro estavam na portaria social. O movimento maior é na portaria de emergência, onde há plantão da Polícia Civil. Os vigilantes do hospital não trabalham armados e esse seria o primeiro caso de homicídio dentro da unidade.
.
A diretoria do hospital informou que pretende se reunir esta semana com a Polícia Militar para reforço no policiamento externo. A instituição recebe pacientes de outros municípios, muitos envolvidos com crimes. “Há um posto de atendimento da Polícia Civil na portaria de emergência e a segurança será reforçada na outra portaria, que fica mais deserta de madrugada”, informou o hospital. Não há revista pessoal ou detectores de metal.
.
Ainda de acordo com o hospital, o paciente morto estava sem escolta por ter sido levado pela mulher. “Nesse caso específico, o hospital não tem obrigação de acionar a polícia para garantir o sigilo médico do paciente, conforme regras estabelecidas pelo Conselho Médico”, informou o Risoleta Neves.

.

FONTE: Estado de Minas.


Polícia prende traficantes que ostentavam poder e luxo em BH

Nove pessoas foram apresentadas nesta segunda-feira, na capital, e três estão foragidos. Grupo era investigado há cinco meses

 

Paulo Filgueiras/EM/D.A Press
.
Uma quadrilha suspeita de comandar o tráfico de drogas na Região Norte de Belo Horizonte desafiava as autoridades e demonstrava poder, com carros de luxo, armas e dinheiro. O grupo, formado por 12 pessoas, agia nos bairros Jardim Europa, Jardim dos Comerciários, Mantiqueira e Novo Letícia. 
.
Nove suspeitos foram presos e apresentados na manhã desta segunda-feira, enquanto três seguem foragidos. A quadrilha era investigada há cerca de cinco meses e, em 10 de junho, nove mandados de prisão e 18 de busca e apreensão foram cumpridos, conforme a delegada Flávia Portes, da 1ª Delegacia de Venda Nova. 
.
Segundo as investigações, Rafael Almeida Penha, de 30 anos, e Leandro Alexandre de Souza Teixeira, de 27, eram os responsáveis por coordenar as ações do grupo. O polícia descobriu ainda que cada integrante da quadrilha atuava de forma organizada, com funções estabelecidas. 
.
As drogas e o armamento eram comprados no Paraguai e criminosos associados à quadrilha faziam o transporte. O grupo movimentava cerca de R$ 100 mil por mês com o comércio de entorpecentes. 
.
Com a organização criminosa, a Polícia Civil apreendeu um Chevrolet Camaro, um Hyundai Santa Fe, um Honda City, um Vectra, uma moto Honda Hornet e um Fiat Palio. Este último veículo tinha um compartimento no teto que era usado pelos investigados para transportar a droga. Além dos carros, foram apreendidos também pistolas semiautomáticas, revólveres e maconha. 
.
De acordo ainda com a polícia, apenas um dos investigados não tinha ficha criminal. Já os demais têm ligação com os crimes de homicídio, tráfico, estelionato e porte ilegal de arma.
.

Paulo Filgueiras/EM/D.A Press

.

FONTE: Estado de Minas.



%d blogueiros gostam disto: