Pode ou não pode instalar o insulfilm, aquela película que escurece os vidros do automóvel ? Pode, mas é assunto sujeito a chuvas e trovoadas. Porque tanta controvérsia?
 .
Porque é permitido instalar o filme que escurece. Entretanto, foi estabelecida uma legislação para limitar a intensidade desse filme. Ele não pode ser quase negro impedindo a visibilidade de dentro para fora ou vice-versa. O Contran decidiu então exigir limites mínimos da transmitância luminosa, ou seja, quanto de transparência tem que ser preservada nos vidros. Ela é quase total no parabrisa, mas pode ser gradualmente reduzida até o vidro traseiro, onde não se exige tanta visibilidade. Em percentuais, 28% no parabrisa e vidros laterais dianteiros, 70% nos laterais traseiros e 75% no vidro traseiro (vigia).
 .
As películas são instaladas para filtrar os raios solares e reduzir o aquecimento interno do automóvel. Existem algumas que oferecem uma proteção extra pois aumenta a resistência do vidro contra impactos. Ou seja, resiste às tentativas dos amigos do alheio para quebrá-los e roubar alguma coisa em seu interior ou assaltar o motorista. A maioria dos proprietários que os instalam tem como finalidade básica o diferencial estético e não faltam os que exageram na dose e deixam os vidros quase negros, sem nenhuma visibilidade. Por outro lado, existe também um filme totalmente transparente que filtra os raios solares sem nenhum efeito estético. Ele pode ser instalado até no próprio para-brisa, pois não interfere no percentual.
 .
Como determinar a transmitância luminosa? As fábricas marcam no próprio filme este percentual. Mas, basta colocar dois deles juntos para reduzi-lo pela metade. Outra problema é que muitos automóveis já saem de fábrica com vidros ligeiramente escurecidos, mas o suficiente para interferir na transmitância final, que deve ser a soma do próprio vidro com a do filme.
 .
Como verificar se o carro está enquadrado na legislação? Existe um aparelho já certificado pelo Inmetro chamado Luxímetro que mede a transmitância luminosa. Mas são muito caros e poucos policiais dispõem deste aparelho. Muitas vezes se percebe que o carro está com uma película de intensidade muito superior à permitida e o policial registra o auto de infração, que pode ser contestado. Mas, o filme pode estar apenas um pouco mais escuro e aí, até o policial fica em dúvida…

.

FONTE: Hoje Em Dia/Boris Feldman

Anúncios